Announcement

Collapse
No announcement yet.

Aprovado no ICMS-RS - Obrigação moral de postar um depoimento aqui!

Collapse
X
  • Filter
  • Hora
  • Mostrar
Limpar tudo
new posts
  • Casacaa
    • 20/10/17
    • 77

    Aprovado no ICMS-RS - Obrigação moral de postar um depoimento aqui!

    Fala, pessoal! Vou tentar contar um pouco da minha história para aqueles que estejam na luta possam se inspirar e conseguir a motivação necessária para um cargo tão desejado por todos os concurseiros. Juro que tentei resumir muito, mas não deu rsrs. Para quem quiser, ao final, deixarei o resumo das dicas que darei ao longo do depoimento. Se não quiser ler minha história ou estiver sem tempo, pule para lá e só leia as dicas, as quais considero extremamente importantes para você, iniciante ou não.

    Para mim, é quase que uma obrigação moral postar aqui meu depoimento. No meu início eu li praticamente todos os depoimentos da galera daqui. Se eu puder inspirar uma pessoa apenas, já terei realizado meu objetivo. Aos aprovados do passado, fica meu muito obrigado pelas dicas valiosas!

    Sou engenheiro mecânico formado pela UFF e sempre tive a ideia de fazer concurso durante toda a minha vida, mas sempre para ser engenheiro da Petrobrás. Em 2014, ainda não formado, cheguei a fazer a prova e vi que concurso não era um bicho de 7 cabeças como todos pintavam. Mas nunca sequer pensei na área fiscal.

    Em 2015, um grande amigo meu, aprovado para o ISS-Niterói, despertou em mim o interesse nessa área. À época eu estava prestes a me formar e ainda estava no meu antigo trabalho. Apesar do ótimo ambiente (meu chefe era um cara sensacional) e de ótimos colegas de trabalho com quem mantenho contato até hoje, eu não me sentia totalmente realizado e percebia que precisava tomar uma decisão.

    Nesse momento, refleti muito, afinal, era um recém-formado e já empregado (coisa que poucos amigos tinham conseguido naquela época e no auge da crise brasileira). Assim, eu tinha duas opções: largar o trabalho e só estudar, ou conciliá-lo com o trabalho. Decidi pela 1ª opção por questões pessoais, acreditando ser o mais acertado e hoje posso dizer em alto e bom som que estava correto.

    Quando contei para minha mãe as minhas pretensões, não foi algo de imediato bem recebido. Ela queria que eu continuasse no emprego e seguisse para o mestrado. Não a culpo, afinal estava iniciando uma carreira. Mas, mãe é mãe, e após conversamos bastante, ela respeitou minha decisão e me deu um apoio fundamental para a minha jornada que acabara de começar.

    Quando anunciei para amigos próximos a minha decisão, não recebi muitas palavras boas de estímulo. E aqui vai a 1ª dica valiosa que dou a vocês: pessoas próximas a vocês, ainda que sem querer, de forma inconsciente, ou até mesmo por preocupação, vão tentar te desestimular. E isso ocorre em qualquer decisão que tomamos em nossa vida. Ouvi frases do tipo: “Se o seu amigo demorou X anos, você pode demorar 2X anos”; “Você é maluco!”; “Concurso é só pra gênio”; “Isso é jogo de cartas marcadas”; “E se você demorar 5 anos?”; "Por que não sai do país? Você é engenheiro e fica perdendo seu tempo com isso.". É difícil ouvir essas coisas, mas faz parte da caminhada, saiba lidar com isso. Acredite em você. No final, é só isso que importa.

    Comecei em abril de 2016 (ainda no trabalho), aos trancos e barrancos (porque no início é assim mesmo, acredite), e efetivamente apenas estudando a partir de agosto de 2016, sempre focado na Receita Federal.

    No começo é muita teoria, muita coisa nova a ser aprendida e muitos erros inevitavelmente serão cometidos. E isso é extremamente importante. Explico. Alguns meses depois, logo após terminar o ciclo básico da RFB, comecei a voltar nos primeiros resumos e percebi o quanto ainda estavam longe do ideal. Aprender com seus erros nessa fase e construir seu material a partir disso foi de extrema relevância na reta final. E aqui começa a 2ª dica: use e abuse da tecnologia. Os resumos são IMPORTANTÍSSIMOS na sua preparação. Voltar no pdf ou na videoaula de teoria é algo apenas em ÚLTIMO CASO MESMO. Seus resumos virarão seus materiais teóricos. Selecione criteriosamente trechos dos pdfs e da lei seca, faça nos seus próprios resumos os comentários, use os “SmartArts” do word para fazer esquemas, quadros, fluxogramas, processos. Sublinhe, realce, use cores, negritos, enfim, tudo o que estiver ao seu alcance.

    E por que em Word? Por que não à mão? Porque seus resumos NUNCA estarão prontos. Acredite! Do momento que você inicia até a prova, eles sempre estarão mudando, tirando ou acrescentando trechos, quadros, esquemas. Há quem gosta de fazer à mão, mas eu recomendo fortemente não fazer. O tempo perdido para escrever, reescrever, ajustar informações e esquemas é gigante. E o tempo para você será precioso. Isso sem falar na organização e praticidade para levar seus resumos para qualquer lugar.

    Voltando ao assunto principal, no ano de 2017 veio a seca dos concursos fiscais. Durante todo esse ano foram pouquíssimas vagas e só deu para fazer o ISS-Criciúma. Eu ainda estava focado na Receita Federal e cheguei a começar o pós-edital de Criciúma, mas na segunda semana já parei por falsos boatos de que o concurso para a RFB seria autorizado nesse ano. Acabei fazendo 85% da prova sem estudar especificamente para ela e apesar de ter ficado longe das vagas, ficou um gostinho de “Ah, se eu tivesse feito pós edital...”.

    No início de 2018, já com boatos fortes para Goiás, RS e SC, eu apertei o passo. Já estava fazendo +- 40 horas líquidas semanais, ritmo que se manteve nos pós-editais de Goiás e SC. Infelizmente, cometi alguns erros que falarei adiante, e apesar de aprovado, fiquei longe da classificação em ambos os concursos. Mas, sinceramente? Mesmo não tendo um resultado expressivo, sempre soube que o que era meu estava guardado.

    Eu percebi que estava muito afoito no estudo, com pressa para acabar as tarefas, de fazer o máximo de exercícios que eu podia. Na pressa de avançar, não reli várias e várias vezes a legislação. Errava um exercício e não o analisava com frieza. Nesse momento, quantidade estava mais importante que qualidade para mim. No meio do caminho para o fisco catarinense ainda teve a prova do ISS-Maricá, concurso cuja aprovação me possibilitaria ficar perto da minha família, onde nas provas objetivas eu estava em 12° de 27 vagas e a ansiedade pela nota da redação acabou minando minhas energias para a prova de SC. Quando veio o resultado em que soube que caí para 59°, tomei um baque forte. Fiquei bem mal e não consegui voltar ao meu ritmo. Claro que, no final, isso afetou meu desempenho naquele concurso de SC.

    Mas, me reestruturei para o fisco gaúcho e mudei minha mentalidade, inclusive por já estar exausto e não conseguir por vários dias o desempenho em carga horária que estava acostumado (já estava há quase 1 ano em ritmo alucinante), aumentando bastante a qualidade do estudo.

    O que fiz foi algo que sempre foi colocado para mim e sempre dei uma negligenciada. Já sabia que tinha obtido uma boa bagagem em todas as matérias e mudei a estratégia. Durante o pós-edital do RS eu comecei com a operação que chamo de “Tapa-Buraco”: em todos os exercícios que errava e tinha dúvida, eu passava para um documento em Word minhas dificuldades, fazendo isso para todas as matérias. Em todas as revisões, lia meu resumo e o “Tapa-Buraco” e, ainda, refazia TODAS as questões (nunca fiz só as que errei). Na semana da prova, lá se mostrou a importância dos resumos bem feitos e do “Tapa-Buraco”. Guias rápidos, fáceis, extremamente visuais (olha a importância dos esquemas aí) que me levaram para dentro das vagas e aprovado no ICMS-RS.

    Quando vi o resultado no DOE, senti uma grande sensação de alívio e felicidade, que me fez ficar sem reação, imóvel. A experiência é única para cada um. É realmente indescritível e espero que cada um de vocês que leram esse depoimento até o final sintam essa mesma sensação.

    Só você sabe o seu verdadeiro potencial. Acredite em si mesmo, trabalhe em silêncio e faça o melhor todos os dias. A vitória chegará para você, meu amigo.

    Agora, para o resumo das dicas:
    • Cerque-se de pessoas que te levantem emocionalmente e que servirão de exemplo para você. Na sua caminhada haverá muitas pessoas que tentarão te desestimular. Evite isso ao máximo, mas esteja vacinado para caso aconteça. Confie em você e no trabalho que está desempenhando todos os dias. Sempre.
    • Use e abuse da tecnologia. As ferramentas disponíveis hoje servem para fabricar nossos próprios materiais e são de grande valia, tanto na organização, como na qualidade dos resumos e na economia de tempo.
    • Seu local de estudo é aquele que você deve se sentir o mais confortável possível. Aqui em casa eu mudei três vezes de lugar e várias vezes a configuração do local onde sento, onde ficam o notebook e os monitores. Se algo não está legal, mude. Não importa se vai ficar bonito ou feio, faça do seu local de estudo o seu refúgio.
    • E sim, eu uso 3 telas: notebook + 2 monitores. Pode parecer exagero, mas na hora de estudar matéria nova, eu colocava o pdf/videoaula em um, lei seca no outro e o resumo no terceiro. Aumentou DEMAIS a produtividade. Na reta final eu acabei usando só uma segunda tela. Então fica a dica, tenha pelo menos uma segunda tela para estender sua área de trabalho.
    • Sua aprovação e sua felicidade podem não estar naquele concurso que começou sonhando. Aproveite as oportunidades que estão por vir e/ou as use para aumentar sua bagagem teórica. Nada melhor que um pós-edital para se lapidar e entrar realmente na briga junto com os mais bem preparados, sempre, é claro, de acordo com seu planejamento. Não se afobe, concurso é algo de longo prazo.
    • Faça muitos, muitos, muitos e muitos exercícios. E quando achar que fez o suficiente, faça mais.
    • Ao longo da sua preparação, é muito provável que você travará naquela matéria que não encaixou com você. Tenha paciência. Respire. Pega outro dia para ler. Respeite o seu tempo. Muitas matérias geralmente têm um tempo mais longo de maturação. É normal. Acontece com todos.
    • Operação “Tapa-Buraco”: Separe um documento com seus erros e dificuldades e use-o para se tornar ainda mais preparado. E essa é a mais importante dica que dou. Fará uma GIGANTESCA diferença, principalmente na semana da prova. Não vejo outra forma mais efetiva de atacar suas dificuldades. E foi de grande importância para mim na semana da prova.
    • Separe um momento na semana para relaxar e para fazer o que ama. Serão esses momentos que servirão para te dar um gás e aguentar toda essa caminhada que será árdua, solitária, sinuosa. Vá ao cinema, veja os amigos, veja a namorada(o)/esposa(o), vá a praia, trilhas... Enfim, o lazer é extremamente importante para recarregar. Com organização e planejamento, há tempo para tudo. Sempre, é claro, com moderação e com as metas batidas.
    • Fiz consultoria de estudos desde o dia zero e isso me ajudou DEMAIS. Apenas tive a preocupação de sentar e estudar. Posso falar com toda a certeza que fez uma grande diferença para mim. Tem gente que não curte ou critica e tudo bem. Cada um sabe o melhor para si. Meu objetivo aqui é apenas recomendar (e recomendo demais).

    Um grande abraço
  • henkkantebellum
    • 22/01/14
    • 2367

    #2
    Casaca, eu não vou repetir os parabéns porque eu já te dei. kkkk
    Cara, que legal suas dicas.

    Acredita que eu estava pensando em você hoje e me perguntando se rolaria um depoimento aqui? kkkk
    Cheguei a pensar que nem ia rolar. Afinal, fazer um balanço do rolê às vezes é CHATO! kkk
    Na verdade, eu não costumo ler depoimentos, mas volta e meia vejo por cima quem postou. Dependendo do caso eu leio ou não.
    Mas fiquei animado para ver o que você iria dividir com a rapaziada.

    Eu ainda terei que persistir por mais algum tempo.
    Ler a sua perseverança me dá força pra continuar. E esperar que uma hora a sensação que você falou bata em mim também.
    Deve ser uma grande sensação. Principalmente o alívio, deve ser especialmente boa. kkk
    Infelizmente eu errei bastante na minha preparação nos últimos anos, considerando que o meu estudo pra área fiscal de forma contínua começou de 2017 para cá e desde então foram 3 reprovações.
    Esse ano está sendo um ano de ajuste. E, principalmente, um ano para acabar com certas teimosias, maus hábitos e preconceitos.
    Você não foi o primeiro que me falou sobre "consultoria". E talvez esteja na hora de acabar com preconceitos em "pedir ajuda profissional". kkk

    Se um dia eu chegar lá, e eu tiver saco pra escrever que alguns anos de mtos erros conseguiram levar ao sucesso de "um dia", espero poder escrever a minha caminhada.
    No mais, sucesso aqui no RS e se formos colegas de profissão em algum momento, vou lá na SEFAZ te levar um chimarrão e encher seu saco. kkk
    Abraço brother.

    Perguntas para ti, já que a gente passou por alguns certames parecidos kkk
    1- Legislação Tributária: qual seu esquema pra estudar?
    2- Como você incorporou Tecnologia da Informação nos seus estudos?

    Meus pontos fracos, hoje, são contabilidade, exatas e adequar uma técnica correta de estudo no pós edital.
    Contabilidade, infelizmente, não tem jeito. É estudar com paciência e todo o saco do mundo.
    Exatas vai entrar no mesmo esquema.
    Mas, fico curioso com o estudo que a galera faz de legislação específica durante o pós edital. Como você fez isso?
    Outra, como você incorpora o estudo de novidades?

    Não faço ideia do seu desempenho na prova de RS, mas se puder dar uma luz aí dos pontos que você considerou durante a realização da prova, eu ficaria agradecido

    Comentário

    • LSkywalker
      • 07/03/14
      • 1492

      #3
      Originally posted by Casacaa View Post
      Fala, pessoal! Vou tentar contar um pouco da minha história para aqueles que estejam na luta possam se inspirar e conseguir a motivação necessária para um cargo tão desejado por todos os concurseiros. Juro que tentei resumir muito, mas não deu rsrs. Para quem quiser, ao final, deixarei o resumo das dicas que darei ao longo do depoimento. Se não quiser ler minha história ou estiver sem tempo, pule para lá e só leia as dicas, as quais considero extremamente importantes para você, iniciante ou não.

      Para mim, é quase que uma obrigação moral postar aqui meu depoimento. No meu início eu li praticamente todos os depoimentos da galera daqui. Se eu puder inspirar uma pessoa apenas, já terei realizado meu objetivo. Aos aprovados do passado, fica meu muito obrigado pelas dicas valiosas!

      Sou engenheiro mecânico formado pela UFF e sempre tive a ideia de fazer concurso durante toda a minha vida, mas sempre para ser engenheiro da Petrobrás. Em 2014, ainda não formado, cheguei a fazer a prova e vi que concurso não era um bicho de 7 cabeças como todos pintavam. Mas nunca sequer pensei na área fiscal.

      Em 2015, um grande amigo meu, aprovado para o ISS-Niterói, despertou em mim o interesse nessa área. À época eu estava prestes a me formar e ainda estava no meu antigo trabalho. Apesar do ótimo ambiente (meu chefe era um cara sensacional) e de ótimos colegas de trabalho com quem mantenho contato até hoje, eu não me sentia totalmente realizado e percebia que precisava tomar uma decisão.

      Nesse momento, refleti muito, afinal, era um recém-formado e já empregado (coisa que poucos amigos tinham conseguido naquela época e no auge da crise brasileira). Assim, eu tinha duas opções: largar o trabalho e só estudar, ou conciliá-lo com o trabalho. Decidi pela 1ª opção por questões pessoais, acreditando ser o mais acertado e hoje posso dizer em alto e bom som que estava correto.

      Quando contei para minha mãe as minhas pretensões, não foi algo de imediato bem recebido. Ela queria que eu continuasse no emprego e seguisse para o mestrado. Não a culpo, afinal estava iniciando uma carreira. Mas, mãe é mãe, e após conversamos bastante, ela respeitou minha decisão e me deu um apoio fundamental para a minha jornada que acabara de começar.

      Quando anunciei para amigos próximos a minha decisão, não recebi muitas palavras boas de estímulo. E aqui vai a 1ª dica valiosa que dou a vocês: pessoas próximas a vocês, ainda que sem querer, de forma inconsciente, ou até mesmo por preocupação, vão tentar te desestimular. E isso ocorre em qualquer decisão que tomamos em nossa vida. Ouvi frases do tipo: “Se o seu amigo demorou X anos, você pode demorar 2X anos”; “Você é maluco!”; “Concurso é só pra gênio”; “Isso é jogo de cartas marcadas”; “E se você demorar 5 anos?”; "Por que não sai do país? Você é engenheiro e fica perdendo seu tempo com isso.". É difícil ouvir essas coisas, mas faz parte da caminhada, saiba lidar com isso. Acredite em você. No final, é só isso que importa.

      Comecei em abril de 2016 (ainda no trabalho), aos trancos e barrancos (porque no início é assim mesmo, acredite), e efetivamente apenas estudando a partir de agosto de 2016, sempre focado na Receita Federal.

      No começo é muita teoria, muita coisa nova a ser aprendida e muitos erros inevitavelmente serão cometidos. E isso é extremamente importante. Explico. Alguns meses depois, logo após terminar o ciclo básico da RFB, comecei a voltar nos primeiros resumos e percebi o quanto ainda estavam longe do ideal. Aprender com seus erros nessa fase e construir seu material a partir disso foi de extrema relevância na reta final. E aqui começa a 2ª dica: use e abuse da tecnologia. Os resumos são IMPORTANTÍSSIMOS na sua preparação. Voltar no pdf ou na videoaula de teoria é algo apenas em ÚLTIMO CASO MESMO. Seus resumos virarão seus materiais teóricos. Selecione criteriosamente trechos dos pdfs e da lei seca, faça nos seus próprios resumos os comentários, use os “SmartArts” do word para fazer esquemas, quadros, fluxogramas, processos. Sublinhe, realce, use cores, negritos, enfim, tudo o que estiver ao seu alcance.

      E por que em Word? Por que não à mão? Porque seus resumos NUNCA estarão prontos. Acredite! Do momento que você inicia até a prova, eles sempre estarão mudando, tirando ou acrescentando trechos, quadros, esquemas. Há quem gosta de fazer à mão, mas eu recomendo fortemente não fazer. O tempo perdido para escrever, reescrever, ajustar informações e esquemas é gigante. E o tempo para você será precioso. Isso sem falar na organização e praticidade para levar seus resumos para qualquer lugar.

      Voltando ao assunto principal, no ano de 2017 veio a seca dos concursos fiscais. Durante todo esse ano foram pouquíssimas vagas e só deu para fazer o ISS-Criciúma. Eu ainda estava focado na Receita Federal e cheguei a começar o pós-edital de Criciúma, mas na segunda semana já parei por falsos boatos de que o concurso para a RFB seria autorizado nesse ano. Acabei fazendo 85% da prova sem estudar especificamente para ela e apesar de ter ficado longe das vagas, ficou um gostinho de “Ah, se eu tivesse feito pós edital...”.

      No início de 2018, já com boatos fortes para Goiás, RS e SC, eu apertei o passo. Já estava fazendo +- 40 horas líquidas semanais, ritmo que se manteve nos pós-editais de Goiás e SC. Infelizmente, cometi alguns erros que falarei adiante, e apesar de aprovado, fiquei longe da classificação em ambos os concursos. Mas, sinceramente? Mesmo não tendo um resultado expressivo, sempre soube que o que era meu estava guardado.

      Eu percebi que estava muito afoito no estudo, com pressa para acabar as tarefas, de fazer o máximo de exercícios que eu podia. Na pressa de avançar, não reli várias e várias vezes a legislação. Errava um exercício e não o analisava com frieza. Nesse momento, quantidade estava mais importante que qualidade para mim. No meio do caminho para o fisco catarinense ainda teve a prova do ISS-Maricá, concurso cuja aprovação me possibilitaria ficar perto da minha família, onde nas provas objetivas eu estava em 12° de 27 vagas e a ansiedade pela nota da redação acabou minando minhas energias para a prova de SC. Quando veio o resultado em que soube que caí para 59°, tomei um baque forte. Fiquei bem mal e não consegui voltar ao meu ritmo. Claro que, no final, isso afetou meu desempenho naquele concurso de SC.

      Mas, me reestruturei para o fisco gaúcho e mudei minha mentalidade, inclusive por já estar exausto e não conseguir por vários dias o desempenho em carga horária que estava acostumado (já estava há quase 1 ano em ritmo alucinante), aumentando bastante a qualidade do estudo.

      O que fiz foi algo que sempre foi colocado para mim e sempre dei uma negligenciada. Já sabia que tinha obtido uma boa bagagem em todas as matérias e mudei a estratégia. Durante o pós-edital do RS eu comecei com a operação que chamo de “Tapa-Buraco”: em todos os exercícios que errava e tinha dúvida, eu passava para um documento em Word minhas dificuldades, fazendo isso para todas as matérias. Em todas as revisões, lia meu resumo e o “Tapa-Buraco” e, ainda, refazia TODAS as questões (nunca fiz só as que errei). Na semana da prova, lá se mostrou a importância dos resumos bem feitos e do “Tapa-Buraco”. Guias rápidos, fáceis, extremamente visuais (olha a importância dos esquemas aí) que me levaram para dentro das vagas e aprovado no ICMS-RS.

      Quando vi o resultado no DOE, senti uma grande sensação de alívio e felicidade, que me fez ficar sem reação, imóvel. A experiência é única para cada um. É realmente indescritível e espero que cada um de vocês que leram esse depoimento até o final sintam essa mesma sensação.

      Só você sabe o seu verdadeiro potencial. Acredite em si mesmo, trabalhe em silêncio e faça o melhor todos os dias. A vitória chegará para você, meu amigo.

      Agora, para o resumo das dicas:
      • Cerque-se de pessoas que te levantem emocionalmente e que servirão de exemplo para você. Na sua caminhada haverá muitas pessoas que tentarão te desestimular. Evite isso ao máximo, mas esteja vacinado para caso aconteça. Confie em você e no trabalho que está desempenhando todos os dias. Sempre.
      • Use e abuse da tecnologia. As ferramentas disponíveis hoje servem para fabricar nossos próprios materiais e são de grande valia, tanto na organização, como na qualidade dos resumos e na economia de tempo.
      • Seu local de estudo é aquele que você deve se sentir o mais confortável possível. Aqui em casa eu mudei três vezes de lugar e várias vezes a configuração do local onde sento, onde ficam o notebook e os monitores. Se algo não está legal, mude. Não importa se vai ficar bonito ou feio, faça do seu local de estudo o seu refúgio.
      • E sim, eu uso 3 telas: notebook + 2 monitores. Pode parecer exagero, mas na hora de estudar matéria nova, eu colocava o pdf/videoaula em um, lei seca no outro e o resumo no terceiro. Aumentou DEMAIS a produtividade. Na reta final eu acabei usando só uma segunda tela. Então fica a dica, tenha pelo menos uma segunda tela para estender sua área de trabalho.
      • Sua aprovação e sua felicidade podem não estar naquele concurso que começou sonhando. Aproveite as oportunidades que estão por vir e/ou as use para aumentar sua bagagem teórica. Nada melhor que um pós-edital para se lapidar e entrar realmente na briga junto com os mais bem preparados, sempre, é claro, de acordo com seu planejamento. Não se afobe, concurso é algo de longo prazo.
      • Faça muitos, muitos, muitos e muitos exercícios. E quando achar que fez o suficiente, faça mais.
      • Ao longo da sua preparação, é muito provável que você travará naquela matéria que não encaixou com você. Tenha paciência. Respire. Pega outro dia para ler. Respeite o seu tempo. Muitas matérias geralmente têm um tempo mais longo de maturação. É normal. Acontece com todos.
      • Operação “Tapa-Buraco”: Separe um documento com seus erros e dificuldades e use-o para se tornar ainda mais preparado. E essa é a mais importante dica que dou. Fará uma GIGANTESCA diferença, principalmente na semana da prova. Não vejo outra forma mais efetiva de atacar suas dificuldades. E foi de grande importância para mim na semana da prova.
      • Separe um momento na semana para relaxar e para fazer o que ama. Serão esses momentos que servirão para te dar um gás e aguentar toda essa caminhada que será árdua, solitária, sinuosa. Vá ao cinema, veja os amigos, veja a namorada(o)/esposa(o), vá a praia, trilhas... Enfim, o lazer é extremamente importante para recarregar. Com organização e planejamento, há tempo para tudo. Sempre, é claro, com moderação e com as metas batidas.
      • Fiz consultoria de estudos desde o dia zero e isso me ajudou DEMAIS. Apenas tive a preocupação de sentar e estudar. Posso falar com toda a certeza que fez uma grande diferença para mim. Tem gente que não curte ou critica e tudo bem. Cada um sabe o melhor para si. Meu objetivo aqui é apenas recomendar (e recomendo demais).

      Um grande abraço
      Parabéns Casacaa, o maior segredo é esse trio: paciência, disciplina e perseverança.

      Comentário

      • Casacaa
        • 20/10/17
        • 77

        #4
        Originally posted by henkkantebellum View Post
        Casaca, eu não vou repetir os parabéns porque eu já te dei. kkkk
        Cara, que legal suas dicas.

        Acredita que eu estava pensando em você hoje e me perguntando se rolaria um depoimento aqui? kkkk
        Cheguei a pensar que nem ia rolar. Afinal, fazer um balanço do rolê às vezes é CHATO! kkk
        Na verdade, eu não costumo ler depoimentos, mas volta e meia vejo por cima quem postou. Dependendo do caso eu leio ou não.
        Mas fiquei animado para ver o que você iria dividir com a rapaziada.

        Eu ainda terei que persistir por mais algum tempo.
        Ler a sua perseverança me dá força pra continuar. E esperar que uma hora a sensação que você falou bata em mim também.
        Deve ser uma grande sensação. Principalmente o alívio, deve ser especialmente boa. kkk
        Infelizmente eu errei bastante na minha preparação nos últimos anos, considerando que o meu estudo pra área fiscal de forma contínua começou de 2017 para cá e desde então foram 3 reprovações.
        Esse ano está sendo um ano de ajuste. E, principalmente, um ano para acabar com certas teimosias, maus hábitos e preconceitos.
        Você não foi o primeiro que me falou sobre "consultoria". E talvez esteja na hora de acabar com preconceitos em "pedir ajuda profissional". kkk

        Se um dia eu chegar lá, e eu tiver saco pra escrever que alguns anos de mtos erros conseguiram levar ao sucesso de "um dia", espero poder escrever a minha caminhada.
        No mais, sucesso aqui no RS e se formos colegas de profissão em algum momento, vou lá na SEFAZ te levar um chimarrão e encher seu saco. kkk
        Abraço brother.

        Perguntas para ti, já que a gente passou por alguns certames parecidos kkk
        1- Legislação Tributária: qual seu esquema pra estudar?
        2- Como você incorporou Tecnologia da Informação nos seus estudos?

        Meus pontos fracos, hoje, são contabilidade, exatas e adequar uma técnica correta de estudo no pós edital.
        Contabilidade, infelizmente, não tem jeito. É estudar com paciência e todo o saco do mundo.
        Exatas vai entrar no mesmo esquema.
        Mas, fico curioso com o estudo que a galera faz de legislação específica durante o pós edital. Como você fez isso?
        Outra, como você incorpora o estudo de novidades?

        Não faço ideia do seu desempenho na prova de RS, mas se puder dar uma luz aí dos pontos que você considerou durante a realização da prova, eu ficaria agradecido
        Fala, henkka!

        Fico feliz em saber que dei alguma força. Como disse no início do depoimento, se eu inspirar uma pessoa já fico satisfeito. Foi o que aconteceu comigo antes de iniciar os estudos.

        Vamos ser colegas sim, questão de tempo! rsrs Mas não leva chimarrão não, não curti quando fui aí fazer a prova. Leva uma cervejinha que é melhor rsrs

        Agora para suas perguntas:

        1 - Em Goiás eu fui na soberba, fiz apenas as metas da consultoria na parte de legislação. Confiei na minha memória (me achava fodão rsrs) e me ferrei. Para SC fiz a mesma coisa. Ferro de novo. Para o RS mudei completamente, fiz o curso do Da Rocha do estrategia, passei pro Word toda a legislação que ele dava na aula (Toda mesmo!), e fiquei +- 2 meses relendo todos os dias pelo menos 2 documentos em word (eu tinha um para cada aula do curso do estrategia). Ou seja, li e reli VÁRIAS vezes. Na aula que menos li (uma que era de taxas), foram 17 vezes. A maior aula dava um documento em word com 20 páginas com fonte Arial 12. Mas eu fazia quantos esquemas, fluxogramas, tabelas eu conseguia criar. Quando eu tava muito cansado de ficar lendo, eu via os vídeos do Gustavo Moura (Ouvi isso do Cadu carrilho: famoso descanso produtivo) Na prova acabei fazendo 35/40 em LT. Posso dizer que deu certo rsrs.

        2- Para TI eu já tinha resumido a matéria toda nos pós editais de GO e SC. Então foram 2 meses e meio de infinitas questões e releituras dos meus resumos. Acho que ninguém que é dessa área vai bem nessas matérias. Eu não fui bem, mas fiz o suficiente. Compensei nas outras matérias.

        Quanto a parte do pós-edital, cara, esforce-se para já chegar nele com pelo menos mas matérias gerais já consolidadas. Os direitos + contabilidade/auditoria e português (e agora TI também. Infelizmente não tem para onde fugir). Se você já tiver resuminhos dessas matérias a ponto de bala, ou seja, basta relê-los e partir para os exercícios, você já ganha tempo DEMAIS para lapidar as outras matérias específica do concurso. Eu já cheguei em Goiás com tudo isso pronto, e ai tomei ferro em LT em Goiás e em LT e TI SC. Justamente as específicas. Ajustei isso para RS e deu certo.

        No mais,

        TEC ou Qconcursos! Fique lá quanto tempo você puder! hahaa

        Qualquer outra dúvida só falar!

        Abração

        Comentário

        • tadeu ju 2017
          • 13/01/19
          • 1

          #5
          Poderia postar a bibliografia utilizada no seu estudo para concurso? Aguardo resposta Att

          Comentário

          • afrfuru
            • 30/05/10
            • 431

            #6
            Originally posted by Casacaa View Post
            Fala, pessoal! Vou tentar contar um pouco da minha história para aqueles que estejam na luta possam se inspirar e conseguir a motivação necessária para um cargo tão desejado por todos os concurseiros. Juro que tentei resumir muito, mas não deu rsrs. Para quem quiser, ao final, deixarei o resumo das dicas que darei ao longo do depoimento. Se não quiser ler minha história ou estiver sem tempo, pule para lá e só leia as dicas, as quais considero extremamente importantes para você, iniciante ou não.

            Para mim, é quase que uma obrigação moral postar aqui meu depoimento. No meu início eu li praticamente todos os depoimentos da galera daqui. Se eu puder inspirar uma pessoa apenas, já terei realizado meu objetivo. Aos aprovados do passado, fica meu muito obrigado pelas dicas valiosas!

            Sou engenheiro mecânico formado pela UFF e sempre tive a ideia de fazer concurso durante toda a minha vida, mas sempre para ser engenheiro da Petrobrás. Em 2014, ainda não formado, cheguei a fazer a prova e vi que concurso não era um bicho de 7 cabeças como todos pintavam. Mas nunca sequer pensei na área fiscal.

            Em 2015, um grande amigo meu, aprovado para o ISS-Niterói, despertou em mim o interesse nessa área. À época eu estava prestes a me formar e ainda estava no meu antigo trabalho. Apesar do ótimo ambiente (meu chefe era um cara sensacional) e de ótimos colegas de trabalho com quem mantenho contato até hoje, eu não me sentia totalmente realizado e percebia que precisava tomar uma decisão.

            Nesse momento, refleti muito, afinal, era um recém-formado e já empregado (coisa que poucos amigos tinham conseguido naquela época e no auge da crise brasileira). Assim, eu tinha duas opções: largar o trabalho e só estudar, ou conciliá-lo com o trabalho. Decidi pela 1ª opção por questões pessoais, acreditando ser o mais acertado e hoje posso dizer em alto e bom som que estava correto.

            Quando contei para minha mãe as minhas pretensões, não foi algo de imediato bem recebido. Ela queria que eu continuasse no emprego e seguisse para o mestrado. Não a culpo, afinal estava iniciando uma carreira. Mas, mãe é mãe, e após conversamos bastante, ela respeitou minha decisão e me deu um apoio fundamental para a minha jornada que acabara de começar.

            Quando anunciei para amigos próximos a minha decisão, não recebi muitas palavras boas de estímulo. E aqui vai a 1ª dica valiosa que dou a vocês: pessoas próximas a vocês, ainda que sem querer, de forma inconsciente, ou até mesmo por preocupação, vão tentar te desestimular. E isso ocorre em qualquer decisão que tomamos em nossa vida. Ouvi frases do tipo: “Se o seu amigo demorou X anos, você pode demorar 2X anos”; “Você é maluco!”; “Concurso é só pra gênio”; “Isso é jogo de cartas marcadas”; “E se você demorar 5 anos?”; "Por que não sai do país? Você é engenheiro e fica perdendo seu tempo com isso.". É difícil ouvir essas coisas, mas faz parte da caminhada, saiba lidar com isso. Acredite em você. No final, é só isso que importa.

            Comecei em abril de 2016 (ainda no trabalho), aos trancos e barrancos (porque no início é assim mesmo, acredite), e efetivamente apenas estudando a partir de agosto de 2016, sempre focado na Receita Federal.

            No começo é muita teoria, muita coisa nova a ser aprendida e muitos erros inevitavelmente serão cometidos. E isso é extremamente importante. Explico. Alguns meses depois, logo após terminar o ciclo básico da RFB, comecei a voltar nos primeiros resumos e percebi o quanto ainda estavam longe do ideal. Aprender com seus erros nessa fase e construir seu material a partir disso foi de extrema relevância na reta final. E aqui começa a 2ª dica: use e abuse da tecnologia. Os resumos são IMPORTANTÍSSIMOS na sua preparação. Voltar no pdf ou na videoaula de teoria é algo apenas em ÚLTIMO CASO MESMO. Seus resumos virarão seus materiais teóricos. Selecione criteriosamente trechos dos pdfs e da lei seca, faça nos seus próprios resumos os comentários, use os “SmartArts” do word para fazer esquemas, quadros, fluxogramas, processos. Sublinhe, realce, use cores, negritos, enfim, tudo o que estiver ao seu alcance.

            E por que em Word? Por que não à mão? Porque seus resumos NUNCA estarão prontos. Acredite! Do momento que você inicia até a prova, eles sempre estarão mudando, tirando ou acrescentando trechos, quadros, esquemas. Há quem gosta de fazer à mão, mas eu recomendo fortemente não fazer. O tempo perdido para escrever, reescrever, ajustar informações e esquemas é gigante. E o tempo para você será precioso. Isso sem falar na organização e praticidade para levar seus resumos para qualquer lugar.

            Voltando ao assunto principal, no ano de 2017 veio a seca dos concursos fiscais. Durante todo esse ano foram pouquíssimas vagas e só deu para fazer o ISS-Criciúma. Eu ainda estava focado na Receita Federal e cheguei a começar o pós-edital de Criciúma, mas na segunda semana já parei por falsos boatos de que o concurso para a RFB seria autorizado nesse ano. Acabei fazendo 85% da prova sem estudar especificamente para ela e apesar de ter ficado longe das vagas, ficou um gostinho de “Ah, se eu tivesse feito pós edital...”.

            No início de 2018, já com boatos fortes para Goiás, RS e SC, eu apertei o passo. Já estava fazendo +- 40 horas líquidas semanais, ritmo que se manteve nos pós-editais de Goiás e SC. Infelizmente, cometi alguns erros que falarei adiante, e apesar de aprovado, fiquei longe da classificação em ambos os concursos. Mas, sinceramente? Mesmo não tendo um resultado expressivo, sempre soube que o que era meu estava guardado.

            Eu percebi que estava muito afoito no estudo, com pressa para acabar as tarefas, de fazer o máximo de exercícios que eu podia. Na pressa de avançar, não reli várias e várias vezes a legislação. Errava um exercício e não o analisava com frieza. Nesse momento, quantidade estava mais importante que qualidade para mim. No meio do caminho para o fisco catarinense ainda teve a prova do ISS-Maricá, concurso cuja aprovação me possibilitaria ficar perto da minha família, onde nas provas objetivas eu estava em 12° de 27 vagas e a ansiedade pela nota da redação acabou minando minhas energias para a prova de SC. Quando veio o resultado em que soube que caí para 59°, tomei um baque forte. Fiquei bem mal e não consegui voltar ao meu ritmo. Claro que, no final, isso afetou meu desempenho naquele concurso de SC.

            Mas, me reestruturei para o fisco gaúcho e mudei minha mentalidade, inclusive por já estar exausto e não conseguir por vários dias o desempenho em carga horária que estava acostumado (já estava há quase 1 ano em ritmo alucinante), aumentando bastante a qualidade do estudo.

            O que fiz foi algo que sempre foi colocado para mim e sempre dei uma negligenciada. Já sabia que tinha obtido uma boa bagagem em todas as matérias e mudei a estratégia. Durante o pós-edital do RS eu comecei com a operação que chamo de “Tapa-Buraco”: em todos os exercícios que errava e tinha dúvida, eu passava para um documento em Word minhas dificuldades, fazendo isso para todas as matérias. Em todas as revisões, lia meu resumo e o “Tapa-Buraco” e, ainda, refazia TODAS as questões (nunca fiz só as que errei). Na semana da prova, lá se mostrou a importância dos resumos bem feitos e do “Tapa-Buraco”. Guias rápidos, fáceis, extremamente visuais (olha a importância dos esquemas aí) que me levaram para dentro das vagas e aprovado no ICMS-RS.

            Quando vi o resultado no DOE, senti uma grande sensação de alívio e felicidade, que me fez ficar sem reação, imóvel. A experiência é única para cada um. É realmente indescritível e espero que cada um de vocês que leram esse depoimento até o final sintam essa mesma sensação.

            Só você sabe o seu verdadeiro potencial. Acredite em si mesmo, trabalhe em silêncio e faça o melhor todos os dias. A vitória chegará para você, meu amigo.

            Agora, para o resumo das dicas:
            • Cerque-se de pessoas que te levantem emocionalmente e que servirão de exemplo para você. Na sua caminhada haverá muitas pessoas que tentarão te desestimular. Evite isso ao máximo, mas esteja vacinado para caso aconteça. Confie em você e no trabalho que está desempenhando todos os dias. Sempre.
            • Use e abuse da tecnologia. As ferramentas disponíveis hoje servem para fabricar nossos próprios materiais e são de grande valia, tanto na organização, como na qualidade dos resumos e na economia de tempo.
            • Seu local de estudo é aquele que você deve se sentir o mais confortável possível. Aqui em casa eu mudei três vezes de lugar e várias vezes a configuração do local onde sento, onde ficam o notebook e os monitores. Se algo não está legal, mude. Não importa se vai ficar bonito ou feio, faça do seu local de estudo o seu refúgio.
            • E sim, eu uso 3 telas: notebook + 2 monitores. Pode parecer exagero, mas na hora de estudar matéria nova, eu colocava o pdf/videoaula em um, lei seca no outro e o resumo no terceiro. Aumentou DEMAIS a produtividade. Na reta final eu acabei usando só uma segunda tela. Então fica a dica, tenha pelo menos uma segunda tela para estender sua área de trabalho.
            • Sua aprovação e sua felicidade podem não estar naquele concurso que começou sonhando. Aproveite as oportunidades que estão por vir e/ou as use para aumentar sua bagagem teórica. Nada melhor que um pós-edital para se lapidar e entrar realmente na briga junto com os mais bem preparados, sempre, é claro, de acordo com seu planejamento. Não se afobe, concurso é algo de longo prazo.
            • Faça muitos, muitos, muitos e muitos exercícios. E quando achar que fez o suficiente, faça mais.
            • Ao longo da sua preparação, é muito provável que você travará naquela matéria que não encaixou com você. Tenha paciência. Respire. Pega outro dia para ler. Respeite o seu tempo. Muitas matérias geralmente têm um tempo mais longo de maturação. É normal. Acontece com todos.
            • Operação “Tapa-Buraco”: Separe um documento com seus erros e dificuldades e use-o para se tornar ainda mais preparado. E essa é a mais importante dica que dou. Fará uma GIGANTESCA diferença, principalmente na semana da prova. Não vejo outra forma mais efetiva de atacar suas dificuldades. E foi de grande importância para mim na semana da prova.
            • Separe um momento na semana para relaxar e para fazer o que ama. Serão esses momentos que servirão para te dar um gás e aguentar toda essa caminhada que será árdua, solitária, sinuosa. Vá ao cinema, veja os amigos, veja a namorada(o)/esposa(o), vá a praia, trilhas... Enfim, o lazer é extremamente importante para recarregar. Com organização e planejamento, há tempo para tudo. Sempre, é claro, com moderação e com as metas batidas.
            • Fiz consultoria de estudos desde o dia zero e isso me ajudou DEMAIS. Apenas tive a preocupação de sentar e estudar. Posso falar com toda a certeza que fez uma grande diferença para mim. Tem gente que não curte ou critica e tudo bem. Cada um sabe o melhor para si. Meu objetivo aqui é apenas recomendar (e recomendo demais).

            Um grande abraço
            Qual consultoria vc fez? Qual consultor?

            Comentário

            • Rafa__
              • 25/08/17
              • 5

              #7
              Ainda estamos esperando a resposta do colega de cima (consultoria), Casaca.
              rsrs
              abcs

              Comentário


              Working...
              X