Announcement

Collapse
No announcement yet.

Dúvida: Economia no Setor Público

Collapse
X
  • Filter
  • Hora
  • Mostrar
Limpar tudo
new posts
  • Rabbit
    • 29/08/07
    • 4

    Dúvida: Economia no Setor Público

    Prezado prof.

    Explique. Quais as consequências para a economia caso o Governo e o Banco Central adotassem políticas fiscais e monetárias de natureza expancionistas?

    Agradeço a ajuda!

    Rabbit.
  • Marlos
    • 22/08/07
    • 238

    #2
    Vamos entender, primeiro, um importante aspecto da política monetária.
    O que é o Copom?
    O Comitê de Política Monetária (copom) foi formado em 1996, com o intuito de estabelecer as diretrizes da política monetária e a taxa básica de juros (Selic), taxa essa que serve de balizador para todas as outras da economia como a taxa de juros do cartão de crédito, dos empréstimos, dos financiamentos imobiliários, etc...
    Seu regulamento sofreu algumas alterações nos objetivos, periodicidade, composição e atribuições.

    Dessa forma, a cada 45 dias, em médias, os membros da diretoria e presidência do BC, que tem o voto de minerva em caso de empate nas decisões, se reunem dois dias para decidir os rumos da economia doméstica no que tange ao montante de giro creditício, a contratações da indústria, a novos empreendimentos etc..... isso porque decidem o parâmetro da Selic, da taxa de juros básica da economia e seu viés se para cima ou para baixo .

    Para se ter uma idéia, a última vez que o Copom adotou viés (indicação) de alta dos juros foi na reunião de março de 2003, quando manteve a Selic em 26.50% ao ano.

    Vamos agora ao seu questionamento:

    Quando o BC pratica política monetária expansionista (elevação da oferta de meios de pagamentos), a taxa de juros despenca, ceteris paribus, pois como a oferta de moeda se tornou abundante, o seu preço (taxa de juros), isto é, o custo de capital caiu. Ficam felizes as empresas com a possibilidade de novos empreendimentos, novas contratações, os bancos, por sua vez, aumentam o volume de empréstimos à economia e as famílias podem consumir mais.....

    E aqui uma triste realidade: as famílias brasileiras olham para aqueles financiamentos de longa data ( 36 meses, por exemplo) com parcelas pequenas, tipo R$ 20,00 e como percebem que cabe no orçamento, adquirem os produtos.... Depois de alguns meses, ficam desempregadas, não têm reservas financeiras e taxa de juros que penaliza tais financiamentos é excessiva, gerando uma bola de neve que afeta toda a economia....

    Já uma política fiscal expansionista (de aumento dos gastos públicos e/ou queda de impostos) provoca uma elevação na taxa de juros, deprimindo a economia, com aumento de desemprego, queda no nível de atividade econômica.... O financiamento do setor público (títulos Públicos) é preferível em detrimento do financiamento da atividade produtiva....

    Questões desse tipo de natureza de redação de políticas fiscais e monetárias são mais comuns nas provas do CESPE/UNB, que misturam os diversos assuntos e com assertivas imensas. Já as provas da ESAF, quando lidam com tal assunto, são questões menores e diretas, ou então, se utilizam dos modelos IS-LM para testar o conhecimento.

    Saudações e bons estudos!
    Marlos

    Comentário


    Working...
    X