Announcement

Collapse
No announcement yet.

QUESTÕES DE PREPARAÇÃO PARA O GESTOR /ES

Collapse
X
  • Filter
  • Hora
  • Mostrar
Limpar tudo
new posts
  • Marlos
    • 22/08/07
    • 238

    QUESTÕES DE PREPARAÇÃO PARA O GESTOR /ES

    Seguem as questões comentadas para o concurso de Gestor do ES elaborado pelo CESPE/UNB com aplicação de provas em outubro de 2007.

    [/b]
  • Marlos
    • 22/08/07
    • 238

    #2
    Vamos às questões do pessoal do concurso de Gestor do ES:

    01- ( CESPE/UNB – Agente de Polícia Federal – 2004) A macroeconomia analisa o comportamento dos grandes agregados econômicos. Considerando essa teoria, julgue os itens que se seguem.
    a) Para determinado estoque de base montaria, se um aumento da taxa de redesconto elevar a proporção de reservas, então ocorrerá uma expansão da oferta de moeda.
    b) Na maioria dos países, o aumento histórico da participação do gasto público no PIB explica-se, em parte, pelo aumento expressivo das demandas sociais gerado pela intensificação do processo de urbanização.
    c) Em ambiente de alta inflação, o fator relevante para a evolução da razão dívida/PIB ao longo do tempo é o tamanho relativo do resultado nominal.
    d) Um choque de oferta decorrente, por exemplo, do aumento do preço do petróleo no mercado internacional provoca deslocamento ao longo da curva de Phillips e aumenta tanto o emprego como a taxa de inflação.
    Para uma dada base monetária, um aumento da taxa de juros de redesconto eleva a proporção de reservas, reduzindo as possibilidades de giro creditício, ocorrendo uma redução na oferta de moeda.
    A assertiva A está incorreta.

    O processo de urbanização que gerou a ampliação das demandas sociais (educação, moradia, trabalho, saúde) é um dos responsáveis pelo aumento da participação do gasto público no produto agregado.
    A assertiva B está correta.

    Em ambiente de alta inflação, a ótica necessária para o estudo da evolução das contas públicas é o nominal, uma vez que os ângulos primário e operacional não levam em conta a correção monetária.
    A assertiva C está correta.

    Um choque de oferta adverso como o aumento do preço de petróleo no mercado internacional impulsiona a inflação para cima ao mesmo tempo em que causa recessão, gerando o novo fenômeno da estagflação.
    O desemprego afeta a variação da inflação, não o seu nível. É a questão do horizonte de planejamento. Menos desemprego hoje compraria mais inflação, não só hoje como no futuro. Esta transmissão se daria através da inércia inflacionária.
    A assertiva D está incorreta.



    02 – (CESPE/UNB – Agente de Polícia Federal – 2004) As interações entre governo e mercados privados e os problemas macroeconômicos são temas relevantes para a ciência econômica. A esse respeito, julgue os itens a seguir.
    a) Quando a taxa de crescimento da economia e o déficit primário aumentam, ocorre um aumento inequívoca da razão (dívida pública/ PIB), a qual mensura a magnitude da dívida em relação ao tamanho da economia.
    b) De acordo com a visão monetarista, no curto prazo, políticas monetárias completamente antecipadas pelos agentes econômicos modificam as variáveis econômicas nominais, como preços e salários, mas não alteram o nível de atividade da economia.
    c) Quando ocorre, simultaneamente, aumento dos impostos e das importações, o multiplicador keynesiano se eleva, contribuindo, assim, para a expansão do nível de equilíbrio do produto.
    Para sabermos o impacto da dívida pública em relação ao tamanho da economia, temos que quantificar a taxa de crescimento do produto bem como mensurar o déficit primário ou o crescimento das despesas públicas a fim de possibilitar uma comparação entre os valores para que possamos verificar se a relação dívida pública/PIB cresceu, diminuiu ou se manteve estável.
    A assertiva A está incorreta.

    A escola das expectativas racionais, escola dos novos clássicos, considera que as políticas monetária e fiscal são inoperantes e indesejáveis tanto no curto quanto no longo prazo. As variáveis reais (produto, renda, emprego) são insensíveis à atuação das políticas monetária e fiscal. Os agentes econômicos fazem o uso mais eficientemente possível das informações de que dispõem e compreendem o modelo econômico que governa a economia.
    A assertiva B está correta.

    A grandeza do multiplicador keynesiano está inversamente atrelado à alíquota do imposto. Dessa forma, aumento dos impostos não representa expansão do nível de atividade via multiplicador keynesiano.
    A assertiva C está incorreta.




    03 – (CESPE/UNB – Escrivão da Polícia Federal – 2004) Considerando que a macroeconomia analisa o comportamento dos grandes agregados econômicos, julgue os itens que se seguem.
    a) A expansão dos gastos públicos eleva o déficit público, cuja monetização aumenta a base monetária, levando, assim, à frouxidão das políticas monetárias.
    b) Em razão da existência da armadilha da liquidez, na visão monetarista, os impactos das políticas monetaristas sobre a taxa de juros e, portanto, sobre os níveis de atividade econômica, são fortemente acentuados durante os períodos recessivos.
    c) Políticas de orçamento equilibrado que implicam aumento, simultâneo e da mesma ordem de magnitude, das despesas públicas e da arrecadação eliminam déficits ou superávits fiscais e são, por conseguinte, incompatíveis com a gestão dos ciclos econômicos.
    d) Ceteris paribus, quanto maior for o crescimento da economia, mais fácil será manter constante a razão dívida/PIB e, portanto, menor será a necessidade de se gerar superávits primários para estabilizar a relação dívida/PIB.
    A política fiscal expansionista (aumento dos gastos públicos) eleva o déficit público. Se a autoridade monetária, visando reduzir o estoque da dívida pública, resolve realizar no mercado aberto operações de resgate (recompra) de títulos públicos nas mãos do público, ela retira de circulação tais títulos, mas monetiza a economia, pois o público terá em mãos maior estoque de moeda. Existe o risco da frouxidão monetária, com impacto no aquecimento da economia e risco inflacionário.
    A assertiva A está correta.

    No caso extremo keynesiano ou da armadilha de liquidez, a taxa de juros é tão baixa que o público prefere manter toda a moeda ofertada na forma de encaixes reais. Uma política monetária expansionista (via aumento da oferta de moeda) não induz ninguém a preferir título à moeda e, portanto, não traz qualquer efeito sobre a taxa de juros e o nível de renda. A política monetária é impotente para afetar tanto a taxa de juros quanto o nível de renda.
    A assertiva B está incorreta.

    Políticas de orçamento equilibrado não são incompatíveis com a gestão dos ciclos econômicos, mas não eliminam déficits/superávits fiscais.
    A assertiva C está incorreta.

    Ceteris paribus (mantido tudo o mais constante), quanto maior o crescimento da economia, mais estável será a relação dívida pública/PIB e menor a necessidade de se gerar superávits primários (contenção de gastos sociais, investimentos em infra-estrutura e, principalmente, imensos esforços para aumentar a arrecadação, criando novas contribuições, aumentando alíquotas de impostos).
    A assertiva D está correta.



    04 – (CESPE/UNB – Consultor do Senado Federal – Política Econômica – 2002)
    a) A curva LM é ascendente porque, quanto mais elevado for o nível de renda, maior será a demanda por saldos monetários reais e, portanto, maior será a taxa de juros de equilíbrio.
    b) No Brasil, a indexação das faixas de renda para o imposto de renda de pessoa física (IRPF), ao reduzir o imposto pago pelos contribuintes, aumenta a demanda por bens e serviços e desloca, assim, a curva IS para a esquerda.
    c) A elasticidade da demanda de moeda em relação à taxa de juros afeta o grau de eficácia da política monetária.
    d) O multiplicador de gastos é sempre maior em uma economia aberta do que em uma economia fechada.
    A curva LM é positivamente inclinada e pode ser entendida da seguinte forma: quanto mais alta a taxa de juros, menor a demanda por moeda enquanto que a elevação da demanda agregada incrementa a demanda por moeda.
    Para um certo nível de oferta monetária (M/P), a demanda por moeda é coincidente com a oferta monetária se qualquer aumento nos juros (que reduz a demanda por moeda) for devidamente neutralizado por um aumento da demanda agregada (que aumenta a demanda por moeda).
    A assertiva A está correta.

    Qualquer medida no sentido de redução da carga tributária (política fiscal expansionista) provoca aumento da renda disponível, estimulando a demanda agregada. A demanda por bens e serviços se eleva e a curva IS se desloca para a direita.
    No que tange à tributação, para que a curva IS se deslocasse para a esquerda, seria necessário um aumento da carga de impostos, reduzindo a renda disponível e a demanda por bens e serviços, reduzindo a demanda agregada.
    A assertiva B está incorreta.


    O grau de eficácia da política monetária é dependente basicamente das:
    a) elasticidade-juros da demanda de moeda e
    b) elasticidade-renda da demanda de moeda.
    A eficácia da política monetária será mais alta quanto maior a elasticidade-renda e menor a elasticidade-juros da demanda de moeda.
    A eficácia da política monetária será mais baixa quanto menor a elasticidade-renda e maior a elasticidade-juros da demanda de moeda.
    Vejam o quadro abaixo:

    Política Monetária Elasticidade-renda da demanda de moeda Elasticidade-juros da demanda de moeda
    + EFICAZ ↑ ↓
    - EFICAZ ↓ ↑
    A assertiva C está correta.

    Lembrem-se da lista de assertivas sob multiplicador keynesiano:
    i) se a propensão marginal a consumir for igual à propensão marginal a poupar, o valor do multiplicador será igual a 2.
    ii) o multiplicador da renda numa economia fechada é maior do que em uma economia aberta.
    iii) quanto maior for a propensão marginal a consumir ( ou menor a propensão marginal a poupar), maior será o valor do multiplicador.
    iv) em uma economia fechada e sem governo, quanto mais próximo de zero estiver a propensão marginal a poupar, maior será o efeito de um aumento dos investimentos sobre a renda.
    v) o valor do multiplicador pode ser maior do que 10.
    vi) o valor do multiplicador não pode ser menor do que zero.
    vii) o multiplicador keynesiano é maior em uma economia fechada do que em uma economia aberta.
    A assertiva D está incorreta.

    Até breve e bons estudos!
    Marlos

    Comentário

    • Marlos
      • 22/08/07
      • 238

      #3
      Mais questões comentadas:

      01 – (NCE/UFRJ – BNDES-Economista – 2005) Assinale a alternativa que não está correta:
      a) em períodos de alta inflação, o aumento da taxa de juros nominal e a redução dos custos de transação entre moeda e outras aplicações financeiras aumentam a demanda por moeda.
      b) uma determinação do Banco Central que eleve a taxa de recolhimento compulsório dos bancos comerciais irá reduzir o multiplicador monetário e, conseqüentemente, a oferta monetária.
      c) uma determinação do Banco Central que reduza a taxa de redesconto, eleva a base monetária e também a oferta de moeda.
      d) uma redução na base monetária pode ser compensada por uma redução no multiplicador monetário de forma que a oferta de moeda seja mantida constante.
      e) uma determinação do Banco Central que reduza a taxa de recolhimento compulsório dos bancos comerciais manterá constante a base monetária, deixando inalterada a sua composição.
      A questão lida essencialmente com os instrumentos de gestão da política monetária disponíveis para a atuação do Banco Central, a saber:
      i) operações do mercado aberto (compra e venda de títulos públicos);
      ii) recolhimento de compulsórios (recursos que os bancos comerciais são obrigados a recolher ao Banco Central sem qualquer espécie de remuneração);
      iii) taxa de redesconto ( linha de socorro aos bancos comerciais em situação de iliquidez momentânea).
      Uma determinação do BC no sentido de redução dos compulsórios dos bancos comerciais provoca alteração na base monetária, pois os bancos comerciais terão mais recursos livres para aumentar a oferta creditícia de acordo com sua política de crédito. O que nos interessa aqui é que a base monetária não permanecerá constante.
      A assertiva E está incorreta.




      02 – (VUNESP/ BNDES – 2002) Considere a seguinte expressão do multiplicador bancário
      m = 1
      1 – d(1 – r)
      onde m é o multiplicador bancário, d, a razão depósitos à vista nos bancos comerciais/meios de pagamento, e, r, a razão reservas/depósitos à vista nos bancos comerciais. A partir dessa expressão, é possível afirmar, em relação ao multiplicador bancário, que:
      I – será reduzido, caso o público passe a reter consigo, na forma de papel moeda, uma parcela maior de seus meios de pagamento;
      II – será elevado, caso os bancos comerciais aumentem seus depósitos voluntários junto ao Banco Central;
      III – será elevado, caso o Banco Central reduza o valor do depósito compulsório.
      Estão corretas apenas as afirmativas:
      a) I b) II c) III d) I e II e) I e III

      Cabe repisar que a expansão dos meios de pagamento pode ocorrer sob três ângulos:
      a) incremento das operações ativas da autoridade monetária via mercado aberto
      b) aumento da proporção dos depósitos à vista do público nos bancos comerciais face ao total dos meios de pagamento;
      c) redução da relação encaixes/depósitos à vista nos bancos comerciais.
      Somente o item II é inconsistente, no sentido que o incremento da taxa de reservas requeridas pelos bancos comerciais diminui a quantidade de recursos na rede bancária para os bancos emprestarem.
      A assertiva E está correta.




      03- (ANPEC-Economista) Sobre finanças públicas e equivalência ricardiana, julgue as evidências abaixo:
      a) Segundo a equivalência Ricardiana, uma redução de impostos não exerce impacto algum sobre as decisões de consumir, caso os planos de gastos governamentais permaneçam inalterados.
      Os agentes econômicos validam suas decisões de consumo com base não só na renda atual (corrente), mas também na renda que esperam ter no futuro (renda permanente). Com esse contexto delineado, redução dos impostos hoje – sem nenhum plano de gastos – representa aumento de impostos no futuro.
      A assertiva A está correta.

      b) De acordo com a equivalência ricardiana, o governo deveria financiar seus gastos por meio da emissão de dívida pública, pois desta forma não provocará uma redução do consumo privado.
      Mantidos inalterados os gastos governamentais, a equivalência ricardiana assume que uma alteração no perfil tributário ao longo do tempo – menor imposto hoje, maior imposto no futuro – não produz efeitos reais sobre a poupança, o investimento ou a conta corrente. Uma dívida pública financiada com emissão de títulos no presente terá que ser paga com impostos mais elevados no futuro.
      A assertiva B está incorreta.




      04 – (CESPE/UNB – Consultor do Senado Federal – Política Econômica – 2002) Com base no modelo de crescimento econômico proposto por Robert Solow, julgue os itens a seguir.
      a) Ignorado o efeito do progresso técnico, o estado estacionário pode ser determinado pelo ponto em que o montante de poupança é apenas suficiente para cobrir a depreciação do estoque de capital existente.
      b) Ainda ignorando o efeito do progresso técnico, uma mudança na razão entre poupança nacional e produto não irá provocar uma mudança permanente na taxa de crescimento do produto.
      c) A taxa de poupança afeta o nível de produto por trabalhador a longo prazo.
      d) O resíduo obtido após a subtração das fontes identificáveis de crescimento econômico é, na grande maioria dos casos, insignificante, e decorre, fundamentalmente, de mudanças na produtividade total dos fatores.
      e) O modelo proposto por Solow explica o fenômeno da convergência nos níveis de renda entre os países pobres e ricos, observada ao longo dos últimos 50 anos.
      Sem progresso técnico, o equilíbrio estacionário (equilíbrio de longo prazo) é obtido quando a poupança é igual à taxa de depreciação. Queremos mostrar que o investimento é suficiente apenas para manter estável a capitalização por trabalhador.
      A assertiva A está correta.

      Sem progresso técnico, uma alteração na razão entre poupança nacional/produto não gera mudança permanente, consistente, duradoura na taxa de crescimento do produto agregado, uma vez que somente o progresso técnico é capaz de empreender tais mudanças.
      A assertiva B está correta.

      A taxa de poupança afeta o nível de produto e capital por trabalhador. Mas somente o progresso técnico determina o estoque de capital e produto no longo prazo.
      A assertiva C está incorreta.

      O resíduo obtido através da parte da variação do produto não explicada pelos estoques de capital e mão-de-obra é conhecido como resíduo de Solow, sendo fundamental na mensuração do progresso tecnológico. É, na grande maioria dos casos, bastante significativo, representando um fator de diferenciação entre os vários países.
      A assertiva D está incorreta.

      Mesmo qualquer desavisado reconhece que não há qualquer convergência de renda entre os países ricos e pobres nos últimos cinqüenta anos. O modelo de crescimento de Solow explica, através da taxa de poupança (estoques de capital e trabalho) e do progresso técnico a diferenciação entre os países, através de níveis de produto per capita variados.
      A assertiva E está incorreta.




      05 - (FAURGS/Agente Fiscal do Tesouro do Estado – 2006) Sobre o estudo da moeda e dos instrumentos de política monetária, assinale a alternativa correta:
      a) O conceito de Base Monetária inclui os títulos públicos em poder do público e as reservas mantidas pelos bancos comerciais no Banco Central.
      b) O multiplicador do sistema bancário pode ser definido como o inverso da taxa de redesconto.
      c) A curva de preferência pela liquidez é negativamente inclinada, pois mostra que a demanda de moeda para transações é uma função inversa da taxa de juros.
      d) A compra de títulos e a diminuição da taxa de redesconto pelo BC são medidas que colaboram para cair a taxa de juros.
      e) A troca de dólares dos exportadores por moeda nacional, pelo BC, é exemplo de destruição dos meios de pagamento.
      Atenção, em uma mesma questão, a banca examinadora se utilizou de todos os assuntos desse tópico. Trata-se de questão bem abrangente, mas sem maiores complicadores.
      A assertiva A é incoerente, pois a base monetária é composta pelo papel moeda em poder do público mais o total das reservas bancárias ( técnicas, compulsórias e voluntárias), excluindo apenas a que ficou retida com o BC.
      A base monetária é essencialmente todo o dinheiro vivo da economia: é a soma das reservas bancárias e do papel-moeda em poder do público. Representa todo o dinheiro que o sistema financeiro poderia utilizar como reservas ( e realmente utilizaria se o público depositasse todo o seu dinheiro nos bancos).

      A assertiva B é inconsistente porque o multiplicador bancário ou dos meios de pagamentos é tido como o inverso das taxas de retenção de moeda pelo público e de reservas bancárias, não guardando relação com o instrumento de política monetária da linha de redesconto. Não depende só do parâmetro regulador (BC e bancos comerciais), mas depende, essencialmente, do fator comportamental das famílias, consumidores e empresas.

      A assertiva C está incorreta, pois a curva de preferência pela liquidez ( dado pela curva LM do modelo IS-LM, visto na aula anterior) é positivamente inclinada, dado o reflexo da posição que, com uma certa oferta monetária, um aumento na renda ocasiona um incremento na demanda por encaixes monetários o que impele um aumento na taxa de juros. Além disso, a demanda por moeda motivo transação é uma função direta do nível de renda.

      A assertiva E está incorreta, pois a troca de moeda estrangeira por nacional pelos exportadores é um exemplo de criação dos meios de pagamento.
      São instrumentos de política monetária expansionista que permitem a queda da taxa de juros:
      i) operação de mercado aberto de compra/resgate de títulos públicos;
      ii) queda no recolhimento de compulsórios;
      iii) queda na taxa de redesconto.
      A assertiva D está correta.

      Comentário

      • Murilo Oliveira
        • 28/05/11
        • 4816

        #4
        Re: QUESTÕES DE PREPARAÇÃO PARA O GESTOR /ES

        Originally posted by Marlos View Post
        Até breve e bons estudos!
        Marlos
        Significado de 'até breve' para o professor Marlos:

        4 minutos

        Comentário


        Working...
        X