Announcement

Collapse
No announcement yet.

Próximo concurso SEFAZ DF

Collapse
X
  • Filter
  • Hora
  • Mostrar
Limpar tudo
new posts
  • Ze Kalango
    • 03/04/13
    • 178

    #61
    Prezados(as),
    alguém poderia me informar se o GDF já atingiu o valor de 95% do limite da RCL?
    o que se tem ouvido,aqui em Brasília, é que o GDF cogitou demitir funcionários estáveis para diminuir a despesa com pessoal e que os salários estão sendo pagos de forma parceladas( os salários maiores não estão sendo pago integralmente no mesmo mês).
    Finalmente, qual a escala do posto fiscal na divisa com Goiás?


    Comentário

    • Chow Chow
      • 05/09/08
      • 845

      #62
      Originally posted by Ze Kalango View Post
      Prezados(as),
      alguém poderia me informar se o GDF já atingiu o valor de 95% do limite da RCL?
      o que se tem ouvido,aqui em Brasília, é que o GDF cogitou demitir funcionários estáveis para diminuir a despesa com pessoal e que os salários estão sendo pagos de forma parceladas( os salários maiores não estão sendo pago integralmente no mesmo mês).
      Finalmente, qual a escala do posto fiscal na divisa com Goiás?


      Zé, sim e verdade. Desde o terceiro trimestre de 2014 o limite está rompido. E os salários estão sendo pagos de 1 a 4 vezes, de acordo com uma tabela do governo. Quem entrar agora no fisco receberá em 3 parcelas.

      Comentário

      • Chow Chow
        • 05/09/08
        • 845

        #63
        http://www.valor.com.br/brasil/41411...s-que-na-uniao


        20/07/2015 às 05h00 Ajustes nos Estados rendem mais resultados que na União




        Por Tainara Machado, Marta Watanabe e Renata Batista | De São Paulo e do Rio


        Renato Villela: "Estamos tentando navegar, esperar passar essa tempestade, mas a crise não pode demorar demais"
        Nos 5 primeiros meses do ano, os governos regionais praticamente zeraram o déficit de 0,14% do PIB observado nos 12 meses encerrados em dezembro do ano passado. Com medidas como corte de investimentos, fechamento de secretarias, redução de cargos comissionados, aumento da fiscalização e até revisão de benefícios tributários, 19 dos 27 Estados, suas capitais e principais municípios conseguiram melhorar o resultado fiscal apurado pelo Banco Central entre dezembro e maio, sempre no acumulado em 12 meses.
        Com esse esforço, os governos regionais foram responsáveis por 75% do superávit primário de R$ 25,5 bilhões realizado pelo setor público consolidado entre janeiro e maio de 2015. Sozinhos, os governos estaduais responderam por 66% da poupança para serviço da dívida no período.
        O déficit primário do Espírito Santo, por exemplo, caiu 60% entre dezembro e maio, sempre considerando os valores acumulados em 12 meses (ver tabela abaixo).
        Essa redução, diz a secretária de Fazenda estadual, Ana Paula Vescovi, é resultado de um ajuste fiscal que deve somar R$ 1 bilhão até o fim do ano no Espírito Santo. No primeiro semestre, considerando o resultado de caixa do Tesouro, para o qual já há dados disponíveis, a receita caiu 2,8%, em termos nominais, enquanto a despesa recuou mais, com retração de 3,7%.
        Para a secretária, o quadro não surpreende, porque o governo já esperava queda da receita neste ano e, por isso, iniciou uma série de medidas para se ajustar pelo lado do gasto. "Por enquanto, a gente percebe que as empresas estão em dificuldades, dispensado empregados, o que afeta o consumo e a confiança. Nos comprometemos a não aumentar impostos, por isso este é o ano de medidas de aumento de gestão e eficiência."
        Além de maior rigor na fiscalização de tributos, o Estado também tenta aumentar receita com a abertura de um programa de parcelamento de débitos, com estimativa de recolhimento de R$ 200 milhões, entre dívidas quitadas à vista e a prazo. Do lado da despesa, o Espírito Santo cortou mais de 2,5 mil cargos comissionados e em designação temporária, enquanto os investimentos caíram 70,2%, em termos nominais, no primeiro semestre.
        Em São Paulo, o governo decidiu adiar a liberação de créditos da Nota Fiscal Paulista em seis meses, para abril de 2016, além de reduzir de 30% para 20% o montante de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) reservado aos créditos. "Para não postergar uma despesa prioritária, atrasamos uma não tão prioritária e, assim, não precisamos subir carga tributária", diz o secretário de Fazenda, Renato Villela.
        Ainda dentro do conjunto de redução de despesas proposto pelo governo está uma redução de 20% do gasto discricionário e de 10% da despesa com custeio, para fazer frente a uma arrecadação com ICMS que caiu 4,1% em termos reais no primeiro semestre. "Estamos tentando navegar, esperar passar essa tempestade, mas a crise não pode demorar demais", diz o secretário.
        Segundo Villela, o resultado primário "acima da linha" para o primeiro semestre, dado pela diferença entre receita e despesa, ainda não foi calculado pela secretaria e deve ser apresentado até o fim do mês.
        Em relação à redução do déficit mostrada pelo Banco Central, de R$ 3,4 bilhões para R$ 1,7 bilhão entre dezembro e maio, Villela comenta que o método de apuração do BC leva em conta a variação da dívida e reflete o fato de que o Tesouro parou de aprovar novos empréstimos aos Estados, o que impede aumento do endividamento e força essa melhora do resultado. "Além disso, tivemos os desdobramentos da Operação Lava-Jato, que atrasou o ritmo das obras e reduziu desembolsos de investimentos."
        Alagoas é um exemplo dessa restrição. De acordo com os números do Banco Central, o resultado primário do Estado, capital e seus principais municípios aumentou 92% desde dezembro, para R$ 579 milhões nos 12 meses encerrados em maio.

        Considerando apenas as contas estaduais até abril, último dado disponível, a queda dos investimentos em Alagoas chegava a 76%, em termos nominais, na comparação com o mesmo período de 2014. Para George Santoro, secretário da Fazenda alagoana, não há como manter o nível de investimento alcançado nos últimos anos, já que as obras eram dependentes de operações de crédito que precisam ser autorizadas pelo Tesouro.
        O Alagoas, diz Santoro, está se empenhando em um ajuste fiscal que encontre um equilíbrio entre as receitas e despesas e, simultaneamente, propicie um valor mínimo de investimentos com recursos próprios. Segundo ele, os investimentos devem somar neste ano entre R$ 500 milhões e R$ 600 milhões, bem abaixo do R$ 1,3 bilhão aplicado em 2014.
        O Estado também está fazendo um esforço de fiscalização e cruzamento de dados para tentar encerrar o ano com crescimento de 9% da arrecadação de ICMS. Até maio, a alta foi de 7,4%, sempre sem considerar a inflação do período.
        Jeferson Passos, secretário de Fazenda do Sergipe, conta que desde meados de 2014 o governo tomou uma série de medidas - desde a revisão de benefícios tributários até o corte de secretarias - para conter o crescimento da despesa. "Isso porque o outro lado da equação, a receita, está crescendo menos do que o esperado", afirma. Até abril, a receita corrente líquida avançou 5,5% em termos nominais.
        Uma das iniciativas, diz Passos, é acompanhar de perto se as empresas estão cumprindo os compromissos de criação de empregos e investimentos com que se comprometeram para ter acesso à renúncia de ICMS. "Quem não cumpre tem o benefício suspenso." Os incentivos com base no ICMS correspondem a 11% da receita corrente líquida estadual, diz.
        Do lado da despesa, Sergipe extinguiu oito secretarias e cortou mil cargos comissionados. Segundo o secretário, como cerca de 30% das despesas de cada pasta estavam em atividades-meio - ou seja, estruturas burocráticas e de gestão - foi possível uma economia de 30% da despesa de pessoal no orçamento das secretarias e de 70% no gasto com custeio.
        Como resultado, o superávit primário do Estado, que era de R$ 87 milhões no fim do ano passado, aumentou para R$ 680 milhões até maio deste ano, no acumulado em 12 meses, considerando a metodologia do Banco Central.
        Já a Paraíba, que deixou para trás déficit de R$ 110 milhões para encerrar maio com superávit de R$ 178 milhões, está fazendo um esforço para elevar a arrecadação e reduzir a dependência de repasses do governo federal.
        Segundo o secretário de Planejamento e Finanças, Tárcio Pessoa, no primeiro quadrimestre do ano, no qual a receita tributária teve alta de 6,9% em termos nominais, a arrecadação de ICMS cresceu 7%. Já as receitas do Fundo de Participação dos Estados (FPE) caíram 15,2%.
        Com isso, diz Pessoa, essa transferência, que representou cerca de 40% da arrecadação total da Paraíba em 2011, atinge atualmente 36% da receitas total. Isso tem ajudado o Estado, num ano em que o ICMS deve crescer 8,5% nominais e o FPE, estima ele, cerca de 5%. Ao todo, o secretário prevê frustração de R$ 350 milhões de receita num orçamento total de R$ 11,2 bilhões.

        Comentário

        • augustoleandro
          • 01/03/14
          • 9

          #64
          “AUDITORES CALÇA-CURTA” DA AGEFIS PODEM PERDER STATUS NA PRÓXIMA TERÇA-FEIRA SE A JUSTIÇA ACOLHER AÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO

          Imprimir E-mail
          Criado em Sexta, 17 Julho 2015 08:35
          Escrito por Ascon RCN
          1AUDITORES DA AGEFISA doce situação dos 320 auditores de atividades urbana da AGEFIS, pode ficar amarga, caso o Tribunal de Justiça acolha a ação de inconstitucionalidade da lei distrital 4.479/2010 que transformou fiscais urbanos em auditores fiscais apelidados pejorativamente pelo SINDIFISCO (Sindicato dos Auditores da Receita do Distrito Federal), como “auditores calça-curta” ou “de araque”. A ação de inconstitucionalidade do MPDF contra os auditores da Agefis será julgada pelo TJDF na próxima terça-feira (21).

          Com a corda no pescoço por falta de dinheiro, e sem ter como pagar o aumento dos salários das 30 categorias, inclusive dos auditores, em novembro próximo, o grande torcedor para que a nomenclatura de “auditores de atividades urbana” seja derrubada pelo Tribunal é o próprio governador Rodrigo Rollemberg.

          Ele deseja se livrar dos altos contracheques que recebem os 320 servidores da Agefis inclusos na elite dos altos salários do GDF que variam de R$ 9 mil a R$ 19 mil por mês. Caso os auditores voltem a ser fiscais, a receita com a folha de pagamento da Agefis, segundo cálculos da Fazenda, cairá em 45%.

          O auditor da Agefis, cuja tarefa desempenhada é a de inspecionar as irregularidades urbanas como a invasão de faixas que poluem os logradores das cidades do DF, está anos luz distante de um auditor de verdade, cujo profissional é especializado dentro da ciência contábil que estuda, registra e interpreta os fatos e fenômenos que alteram o patrimônio de uma empresa.

          O MPDF sustenta na ADIN, que será julgada na próxima terça-feira, que tal denominação engendrada pela Câmara Legislativa em 2010, pelo então deputado distrital Rôney Nemer (PMDB), que também é funcionário da Agefis, é inadequada e incompatível com as reais atribuições dos cargos, vez que a natureza das atividades desenvolvidas pelos servidores da Agefis em muito se diferenciam da realização de auditorias fiscais.

          Outra diferença é que pra ser auditor de verdade, segundo o MPDF, tem que fazer concurso específico para a carreira dentro do serviço público, o que não aconteceu com nenhum dos 320 auditores da Agência de Fiscalização. O próprio Rôney Nemer, hoje deputado federal, foi beneficiado pela lei distrital. Ou seja, legislou em causa própria e se trornou um auditor calça-curta.

          O Sindifisco espera ainda, que a ação do Ministério Público prospere tal qual prosperou a ADI 2014.00.2.002300-8 que derrubou os também “auditores calça-curta” do DETRAN em abril do ano passado.

          Rodrigo Rollemberg também espera o mesmo já que é na Agefis que estão os maiores gastos com a com folha de pagamento. Dos 881 funcionários da Agefis, 446 estão enquadrados nas classes A e B, com rendimentos de 10 a 22 salários mínimos.

          Comentário

          • DEFLEPP
            • 05/02/08
            • 1967

            #65
            que beleza!!o individuo entra pra fiscalizar barraquinha de camelô e guinchar carro estacionado errado e ooopa!! ...de repente vira fiscal de tributo!!! so tem bobinhoooo...

            Comentário

            • joseleobas
              • 01/04/14
              • 47

              #66
              Isso é Brasiiiiil!!

              Comentário

              • jpmoreira
                • 04/12/11
                • 188

                #67
                As chances desse concurso sair este ano são mínimas né? é complicado demais essa incerteza

                Comentário

                • Dan_Cunha
                  • 10/04/13
                  • 147

                  #68
                  Enfim, qual o resultado do julgamento? Procurei no site do TJDF e não encontrei.

                  Comentário

                  • Latitude
                    • 19/05/15
                    • 130

                    #69
                    Alguém sabe o resultado deste julgamento ?



                    Originally posted by augustoleandro View Post
                    “AUDITORES CALÇA-CURTA” DA AGEFIS PODEM PERDER STATUS NA PRÓXIMA TERÇA-FEIRA SE A JUSTIÇA ACOLHER AÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO

                    Imprimir E-mail
                    Criado em Sexta, 17 Julho 2015 08:35
                    Escrito por Ascon RCN
                    1AUDITORES DA AGEFISA doce situação dos 320 auditores de atividades urbana da AGEFIS, pode ficar amarga, caso o Tribunal de Justiça acolha a ação de inconstitucionalidade da lei distrital 4.479/2010 que transformou fiscais urbanos em auditores fiscais apelidados pejorativamente pelo SINDIFISCO (Sindicato dos Auditores da Receita do Distrito Federal), como “auditores calça-curta” ou “de araque”. A ação de inconstitucionalidade do MPDF contra os auditores da Agefis será julgada pelo TJDF na próxima terça-feira (21).

                    Com a corda no pescoço por falta de dinheiro, e sem ter como pagar o aumento dos salários das 30 categorias, inclusive dos auditores, em novembro próximo, o grande torcedor para que a nomenclatura de “auditores de atividades urbana” seja derrubada pelo Tribunal é o próprio governador Rodrigo Rollemberg.

                    Ele deseja se livrar dos altos contracheques que recebem os 320 servidores da Agefis inclusos na elite dos altos salários do GDF que variam de R$ 9 mil a R$ 19 mil por mês. Caso os auditores voltem a ser fiscais, a receita com a folha de pagamento da Agefis, segundo cálculos da Fazenda, cairá em 45%.

                    O auditor da Agefis, cuja tarefa desempenhada é a de inspecionar as irregularidades urbanas como a invasão de faixas que poluem os logradores das cidades do DF, está anos luz distante de um auditor de verdade, cujo profissional é especializado dentro da ciência contábil que estuda, registra e interpreta os fatos e fenômenos que alteram o patrimônio de uma empresa.

                    O MPDF sustenta na ADIN, que será julgada na próxima terça-feira, que tal denominação engendrada pela Câmara Legislativa em 2010, pelo então deputado distrital Rôney Nemer (PMDB), que também é funcionário da Agefis, é inadequada e incompatível com as reais atribuições dos cargos, vez que a natureza das atividades desenvolvidas pelos servidores da Agefis em muito se diferenciam da realização de auditorias fiscais.

                    Outra diferença é que pra ser auditor de verdade, segundo o MPDF, tem que fazer concurso específico para a carreira dentro do serviço público, o que não aconteceu com nenhum dos 320 auditores da Agência de Fiscalização. O próprio Rôney Nemer, hoje deputado federal, foi beneficiado pela lei distrital. Ou seja, legislou em causa própria e se trornou um auditor calça-curta.

                    O Sindifisco espera ainda, que a ação do Ministério Público prospere tal qual prosperou a ADI 2014.00.2.002300-8 que derrubou os também “auditores calça-curta” do DETRAN em abril do ano passado.

                    Rodrigo Rollemberg também espera o mesmo já que é na Agefis que estão os maiores gastos com a com folha de pagamento. Dos 881 funcionários da Agefis, 446 estão enquadrados nas classes A e B, com rendimentos de 10 a 22 salários mínimos.

                    Comentário

                    • s.s.m.
                      • 20/05/11
                      • 27

                      #70
                      O link da decisão é o http://tjdf19.tjdft.jus.br/cgi-bin/t...0&ORIGEM=INTER . Após clicar no link pesquisar por "ARTIGO 1ª DA LEI DISTRITAL N. 4.479" na página exibida do navegador . Encontrado o texto, clicar na decisão que trará o seguinte texto: "Mérito em 21/07/2015:
                      Após o voto do Relator rejeitando as preliminares e julgando improcedente a ação, no que foi acompanhado por 11 (onze) desembargadores, pediu vista o Des. Sérgio Rocha. Aguardam os desembargadores Souza e Ávila e Getúlio de Moraes Oliveira."

                      Comentário

                      • s.s.m.
                        • 20/05/11
                        • 27

                        #71
                        Segue também o link da adin: http://www.asfilp.com.br/docs/adi.pdf

                        Comentário

                        • ConcursaurusRex
                          • 08/06/11
                          • 34

                          #72
                          Originally posted by Chow Chow View Post


                          Zé, sim e verdade. Desde o terceiro trimestre de 2014 o limite está rompido. E os salários estão sendo pagos de 1 a 4 vezes, de acordo com uma tabela do governo. Quem entrar agora no fisco receberá em 3 parcelas.

                          28/05/2015 16h58 - Atualizado em 28/05/2015 17h48


                          Gasto com folha supera limite legal, e GDF segue sem poder contratar

                          GDF gastou 48,01% da receita com servidor; limite prudencial é de 46,55%.
                          Secretário diz que aumento de gasto se deve a pagamento de atrasados.



                          Vai ter concurso como desse jeito?!

                          Comentário

                          • Ze Kalango
                            • 03/04/13
                            • 178

                            #73
                            Os auditores que "podem" estão sendo cedidos a outros órgãos públicos para não terem seus salários parcelados,haja vista que o outro órgão público cessionário pagaria o salário integral do funcionário cedido.Triste,mas é a realidade atual do GDF.

                            Comentário

                            • Chow Chow
                              • 05/09/08
                              • 845

                              #74
                              Esse aqui só de 17/18 em diante.

                              Comentário

                              • Adson Sena
                                • 06/07/12
                                • 120

                                #75
                                Boa noite a todos. Gente não é querendo desanimar, mas esse concurso não saíra tão cedo. o projeto da LDO 2016 do GDF prévia o concurso para Auditor Fiscal para o provimento de 10 vagas, porém o querido incompetente Governado do DF vetou, dessa forma não haverá o concurso para 2016, salvo se houver alteração da LDO, coisa que ele não deve fazer. Acho que o cara não quer fiscalizar os empresário do DF, só pode. Nesse link http://www.transparencia.df.gov.br/P...%20PESSOAL.pdf no item 42 tem os concursos autorizados para a SEF-DF, no item 44 seria o de Auditor Fiscal da Receita do Distrito Federal.

                                Comentário

                                • RUMO AOS 15K
                                  • 10/05/15
                                  • 92

                                  #76
                                  Originally posted by Adson Sena View Post
                                  Boa noite a todos. Gente não é querendo desanimar, mas esse concurso não saíra tão cedo. o projeto da LDO 2016 do GDF prévia o concurso para Auditor Fiscal para o provimento de 10 vagas, porém o querido incompetente Governado do DF vetou, dessa forma não haverá o concurso para 2016, salvo se houver alteração da LDO, coisa que ele não deve fazer. Acho que o cara não quer fiscalizar os empresário do DF, só pode. Nesse link http://www.transparencia.df.gov.br/P...%20PESSOAL.pdf no item 42 tem os concursos autorizados para a SEF-DF, no item 44 seria o de Auditor Fiscal da Receita do Distrito Federal.
                                  O ultimo que sair não esquece de apagar a luz e trancar a porta, só voltaremos aqui em 2017.

                                  Comentário

                                  • Adson Sena
                                    • 06/07/12
                                    • 120

                                    #77
                                    A realidade na SEFAZ-DF é a seguinte (vendo as leis que foram aprovadas, as ações na justiça e as notícias): Técnicos e analistas da SEFAZ-DF viraram auditores, incharam o quadro da SEFAZ de "auditores", porém que era realmente auditor na carreira devem ser poucos, pois estavam com defasagem de pessoal, ai como fica? Na minha opinião: vários "auditores" sem a devida qualificação, que foram "promovidos" na carreira sem sequer terem prestado concurso para área. Presente do incompetente Agnelo, ex-governador. Ou seja, a SEFAZ-DF tem mão de obra de sobra, não qualificada, mas tem, por esse motivo não tem como realizar concurso.

                                    A carreira de auditoria fiscal do GDF era linda antes do trem da alegria, mas fazer o que.

                                    Comentário

                                    • DEFLEPP
                                      • 05/02/08
                                      • 1967

                                      #78
                                      cara o q lembro é q ia ter concurso para AUDITOR fiscal do df em 2010 (cargo ,salvo engano, q nunca teve concurso ou so teve um nos anos 90,fiscalizam empresas)...entao os FISCAIS de tributos (que é a outra carreira de fiscalização do df e fazem fiscalização em transito) correram atras de aprovar a unificação das DUAS carreiras, fato q realmente aconteceu. so q mesmo o fiscal o ultimo concurso foi em 2001 ...entao acho q mesmo unificando tem cargos vagos sim...pois as duas carreiras não tinham concurso faz tempo...agora isso ai q vc falou de tecnico e analista eu desconheço...quando aconteceu esse trem?? antes de 2010?? a situação q o df se encontra é q acho q esta impedindo o concurso...o q fico estressado e p q nao falam simplesmente q nao vai ter mais concurso??so ficam dizendo q estao escolhendo a banca...ha 1,5 ano??!!!

                                      Comentário

                                      • Adson Sena
                                        • 06/07/12
                                        • 120

                                        #79
                                        A lei 4.717 de 2011 fez a restruturação na carreira e extinguiu os cargos de Agente Fiscal e Fiscal (nível médio, superior e auditor e transformou todos em Auditor-Fiscal da Receita do Distrito Federal), maior trem da alegria que já existiu no DF. veja abaixo:

                                        Art. 2º Ficam extintos os cargos efetivos, ocupados e vagos, de Auditor Tributário, de Agente Fiscal Tributário e de Fiscal Tributário, de que trata a Lei nº 33, de 12 de julho de 1989.
                                        Art. 3º Ficam criados mil cargos de Auditor-Fiscal da Receita do Distrito Federal, estruturados na forma do Anexo I desta Lei.

                                        link da lei http://legislacao.cl.df.gov.br/Legis...scarLei.action

                                        Essa lei é motivo de uma ação no STF a ADI 4730 - AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE (link http://www.stf.jus.br/portal/process...poJulgamento=M) só que até hoje não foi julgada.

                                        Deu sorte quem era Agente Fiscal Tributário e de Fiscal Tributário (nível médio e superior) que com uma canetada viraram Auditor-Fiscal da Receita do Distrito Federal, graças ao Agnelo e a nossa casa do espanto (Câmara Legislativa)

                                        Por isso que digo, esse concurso não vai sair, o governador atual vetou a realização desse novo concurso na LDO, ou seja, não há previsão para 2016 e nem vontade política.

                                        Comentário

                                        • Adson Sena
                                          • 06/07/12
                                          • 120

                                          #80
                                          Originally posted by RUMO AOS 15K View Post
                                          O ultimo que sair não esquece de apagar a luz e trancar a porta, só voltaremos aqui em 2017.
                                          acho que nem em 2017, pois parece ser proposital a não vontade de fiscalizar as empresas do DF.

                                          Comentário

                                          • AuditorSefaPA
                                            • 14/01/14
                                            • 191

                                            #81
                                            Originally posted by Adson Sena View Post

                                            acho que nem em 2017, pois parece ser proposital a não vontade de fiscalizar as empresas do DF.
                                            Adson, será que o concurso já não constava na LOA de 2015?

                                            Comentário

                                            • Adson Sena
                                              • 06/07/12
                                              • 120

                                              #82
                                              Originally posted by AuditorSefaPA View Post
                                              Adson, será que o concurso já não constava na LOA de 2015?

                                              Na LDO 2015 não há autorização para a SEFAZ-DF, conforme link http://www.transparencia.df.gov.br/P...SSOAL_xlsx.pdf

                                              Observando o item 9 há alocação de recurso para a melhoria na carreira (progressão, cumprimento do aumento escalonado, etc), mas nada de concurso.

                                              Comentário

                                              • Adson Sena
                                                • 06/07/12
                                                • 120

                                                #83
                                                De qualquer forma, haverá bons concursos para 2016 (análise extraída da LDO 2016), como exemplo:

                                                >> Tribunal de Contas do DF - 43 vagas
                                                - Remuneração: R$ 14.065,65 (http://www.tc.df.gov.br/c/document_l...=DLFE-9006.pdf)
                                                - último concurso realizado em 2013 – Cespe (http://www.cespe.unb.br/concursos/TC_DF_13_ACE/)

                                                >> AGEFIS- Auditor
                                                - 6 vagas
                                                - Remuneração: R$ 9.001,88 (http://www.seap.df.gov.br/images/car...20MAI-2015.pdf)

                                                >> SEGAD- ANALISTA DE PLANEJAMENTO E GESTÃO
                                                - 10 vagas
                                                - Remuneração: R$ 8.466,67 (http://www.seap.df.gov.br/images/car...l_SET_2014.pdf)

                                                >> SEF (Secretaria de Fazenda)- Auditor Controle Interno
                                                - 9 Vagas
                                                - Remuneração: R$ 12.800,00 (http://www.seap.df.gov.br/images/car...o_SET_2014.pdf)

                                                >> SEPALG (Secretaria de Planejamento)- Auditor Controle Interno
                                                - 9 Vagas
                                                - Remuneração: R$ 12.800,00 (http://www.seap.df.gov.br/images/car...o_SET_2014.pdf)

                                                >> CGDF (Controladoria Geral do DF)- Auditor Controle Interno
                                                - 9 Vagas
                                                - Remuneração: R$ 12.800,00 (http://www.seap.df.gov.br/images/car...o_SET_2014.pdf)

                                                >> SES (Secretaria de Saúde)- Auditor Atv. Urbanas – Vigilância Sanitária
                                                - 6 vagas
                                                - Remuneração: R$ 9.001,88 (http://www.seap.df.gov.br/images/car...20MAI-2015.pdf)

                                                Fonte: LDO 2016 (http://www.transparencia.df.gov.br/P...%20PESSOAL.pdf).

                                                Vamos que vamos.

                                                Comentário

                                                • FISCOTOTAL
                                                  • 06/01/15
                                                  • 16

                                                  #84
                                                  Originally posted by Adson Sena View Post
                                                  De qualquer forma, haverá bons concursos para 2016 (análise extraída da LDO 2016), como exemplo:

                                                  >> Tribunal de Contas do DF - 43 vagas
                                                  - Remuneração: R$ 14.065,65 (http://www.tc.df.gov.br/c/document_l...=DLFE-9006.pdf)
                                                  - último concurso realizado em 2013 – Cespe (http://www.cespe.unb.br/concursos/TC_DF_13_ACE/)

                                                  >> AGEFIS- Auditor
                                                  - 6 vagas
                                                  - Remuneração: R$ 9.001,88 (http://www.seap.df.gov.br/images/car...20MAI-2015.pdf)

                                                  >> SEGAD- ANALISTA DE PLANEJAMENTO E GESTÃO
                                                  - 10 vagas
                                                  - Remuneração: R$ 8.466,67 (http://www.seap.df.gov.br/images/car...l_SET_2014.pdf)

                                                  >> SEF (Secretaria de Fazenda)- Auditor Controle Interno
                                                  - 9 Vagas
                                                  - Remuneração: R$ 12.800,00 (http://www.seap.df.gov.br/images/car...o_SET_2014.pdf)

                                                  >> SEPALG (Secretaria de Planejamento)- Auditor Controle Interno
                                                  - 9 Vagas
                                                  - Remuneração: R$ 12.800,00 (http://www.seap.df.gov.br/images/car...o_SET_2014.pdf)

                                                  >> CGDF (Controladoria Geral do DF)- Auditor Controle Interno
                                                  - 9 Vagas
                                                  - Remuneração: R$ 12.800,00 (http://www.seap.df.gov.br/images/car...o_SET_2014.pdf)

                                                  >> SES (Secretaria de Saúde)- Auditor Atv. Urbanas – Vigilância Sanitária
                                                  - 6 vagas
                                                  - Remuneração: R$ 9.001,88 (http://www.seap.df.gov.br/images/car...20MAI-2015.pdf)

                                                  Fonte: LDO 2016 (http://www.transparencia.df.gov.br/P...%20PESSOAL.pdf).

                                                  Vamos que vamos.

                                                  KKKKKKK........calma meu amigo, pois não tente fazer de uma noticia boa um noticia ruim, explico:

                                                  O nosso querido GDF, diferente da UNIÃO (INFELIZMENTE), não autoriza diretamente a realização de concurso através da LDO. O que eu quero dizer é que o fato de aparecer na LDO a palavra CONCURSO não que dizer que terá um NOVO concurso, mas sim que haverá despesa em relação àquele concurso quer tenha sido realizado quer não (exemplo CLDF está em todas as LDO mas que nunca saiu), ou seja, a despesa pode está atrelada a outras etapas do certame como curso de formação, teste físico, exame pisicodoido e etc. As autorizações para concurso, "NO ÂMBITO DO GDF", são realizadas através do CPRH e publicadas em diário oficial, é claro que devem estar de acordo com o PPA, LDO e LOA, no entanto, não há instrumento legal que obrigue a realizar o certame no ano seguinte ou até 6 meses (como na UNIÃO). Esse concurso p/ Auditor SEFAZ/DF foi autorizado em 2014....e pasmem "a previsão orçamentária dele foi feita em 2009/2010" (estranho né?).

                                                  Deixando as coisas mais claras.
                                                  Você está certo em dizer que as coisas são muito mais politicas do que legais. Contudo, o concurso já ultrapassou todas as linhas da necessidade.
                                                  O atual governador já se reunião com o presidente da associação da categoria, já declarou publicamente que iria se comprometer a fortalecer o quadro da Segurança Pública (realizado o concurso de AGEPEN), Saúde (em andamento), Educação e SEFAZ.
                                                  Como o concurso de auditor demanda mais tempo e gasto (várias etapas e remuneração elevada) a tende a demorar mais.

                                                  Se você observar la na própria LDO está um valor relacionado à Progressão/Promoção para 176 cargos (novos cargos ou não) de AUDITOR TRIBUTÁRIO. Isso pode estar atrelado a cursos de capacitação, aperfeiçoamento ou formação. Não tem como saber realmente para que que é (o que não parece certo).

                                                  Resumindo, esse concurso encontra mais barreiras no TCDF do que no governo, mas o próprio presidente da sefaz declarou que o quadro de pessoal da secretária (Auditores) do GDF está próximo do caos e que até 2018 muitos dos que restam vão p/ aposentadoria.

                                                  Contudo, não tem como saber exatamente "QUANDO". Eu sinceramente acredito em um concurso no final do ano curso de formação em ABRIL/2016 e posse em julho/2016 (digamos que um passarinho verde da SEGAD me alertou hehehe). Acho bom continuarem nos estudos!!! Bons estudos.

                                                  Comentário

                                                  • augustoleandro
                                                    • 01/03/14
                                                    • 9

                                                    #85
                                                    Não acredito em um concurso nesse ano, mas acredito muito em 2016! Como o colega FiscoTotal disse, e eu também ratifico que há uma pressão grande de todas as representações da categoria para realizar o concurso (AAFIT e SindiFisco). Já troquei emails com os presidentes da AAFIT e SindiFisco, eles sempre garantiram que haverá concurso, promessa do governador. E todos nós sabemos que depois desse concurso, apenas nossos netos terão o prazer de prestar outro para a SEFAZ-DF rs! Sigamos estudando. Bons estudos!

                                                    Comentário

                                                    • AuditorSefaPA
                                                      • 14/01/14
                                                      • 191

                                                      #86
                                                      Originally posted by FISCOTOTAL View Post


                                                      KKKKKKK........calma meu amigo, pois não tente fazer de uma noticia boa um noticia ruim, explico:

                                                      O nosso querido GDF, diferente da UNIÃO (INFELIZMENTE), não autoriza diretamente a realização de concurso através da LDO. O que eu quero dizer é que o fato de aparecer na LDO a palavra CONCURSO não que dizer que terá um NOVO concurso, mas sim que haverá despesa em relação àquele concurso quer tenha sido realizado quer não (exemplo CLDF está em todas as LDO mas que nunca saiu), ou seja, a despesa pode está atrelada a outras etapas do certame como curso de formação, teste físico, exame pisicodoido e etc. As autorizações para concurso, "NO ÂMBITO DO GDF", são realizadas através do CPRH e publicadas em diário oficial, é claro que devem estar de acordo com o PPA, LDO e LOA, no entanto, não há instrumento legal que obrigue a realizar o certame no ano seguinte ou até 6 meses (como na UNIÃO). Esse concurso p/ Auditor SEFAZ/DF foi autorizado em 2014....e pasmem "a previsão orçamentária dele foi feita em 2009/2010" (estranho né?).

                                                      Deixando as coisas mais claras.
                                                      Você está certo em dizer que as coisas são muito mais politicas do que legais. Contudo, o concurso já ultrapassou todas as linhas da necessidade.
                                                      O atual governador já se reunião com o presidente da associação da categoria, já declarou publicamente que iria se comprometer a fortalecer o quadro da Segurança Pública (realizado o concurso de AGEPEN), Saúde (em andamento), Educação e SEFAZ.
                                                      Como o concurso de auditor demanda mais tempo e gasto (várias etapas e remuneração elevada) a tende a demorar mais.

                                                      Se você observar la na própria LDO está um valor relacionado à Progressão/Promoção para 176 cargos (novos cargos ou não) de AUDITOR TRIBUTÁRIO. Isso pode estar atrelado a cursos de capacitação, aperfeiçoamento ou formação. Não tem como saber realmente para que que é (o que não parece certo).

                                                      Resumindo, esse concurso encontra mais barreiras no TCDF do que no governo, mas o próprio presidente da sefaz declarou que o quadro de pessoal da secretária (Auditores) do GDF está próximo do caos e que até 2018 muitos dos que restam vão p/ aposentadoria.

                                                      Contudo, não tem como saber exatamente "QUANDO". Eu sinceramente acredito em um concurso no final do ano curso de formação em ABRIL/2016 e posse em julho/2016 (digamos que um passarinho verde da SEGAD me alertou hehehe). Acho bom continuarem nos estudos!!! Bons estudos.
                                                      Valeu FiscoTotal! Clareou muita coisa!
                                                      Concordo contigo, esse concurso tem que sair, pois a SEFAZ só tem cabeça branca. Ou fazem esse concurso ou a SEFAZ vai parar...rsrs

                                                      Comentário

                                                      • Chow Chow
                                                        • 05/09/08
                                                        • 845

                                                        #87
                                                        Mas eu ainda só acredito que saia este concurso depois do pronunciamento do STF. Sem isso, a insegurança jurídica seria imensa!

                                                        Comentário

                                                        • FISCOTOTAL
                                                          • 06/01/15
                                                          • 16

                                                          #88
                                                          A Câmara Legislativa do Distrito Federal realizará, na próxima terça-feira, 8, às 19h, no Plenário da Casa, audiência pública para discutir os 20 anos sem concurso público para auditor-fiscal da Receita e a crise fiscal do DF.

                                                          É nesse encontro com as autoridades legislativas que contribuiremos com opiniões e soluções para que seja atendida a maior demanda da nossa categoria: reforçar o quadro de servidores do Fisco distrital por meio da realização do certame.

                                                          Participe conosco de mais esse momento importante para a nossa sociedade.

                                                          Vamos mostrar que juntos somos fortes. Venha!

                                                          At.

                                                          Jadson Januário de Almeida
                                                          Presidente AAFIT

                                                          Comentário

                                                          • DEFLEPP
                                                            • 05/02/08
                                                            • 1967

                                                            #89
                                                            so audiencia daqui ,reuniaõ dali e concurso nada...tao ha mais de 1 ano "escolhendo" a banca...

                                                            Comentário

                                                            • novatoconfiante
                                                              • 01/09/12
                                                              • 86

                                                              #90
                                                              Originally posted by DEFLEPP View Post
                                                              so audiencia daqui ,reuniaõ dali e concurso nada...tao ha mais de 1 ano "escolhendo" a banca...

                                                              Em 2015 é impossível. Talvez, muito talvez, no segundo sem de 2016.

                                                              Comentário


                                                              Working...
                                                              X