Announcement

Collapse
No announcement yet.

Aprovado ATRFB e BNDES

Collapse
X
  • Filter
  • Hora
  • Mostrar
Limpar tudo
new posts
  • CAMAFALU
    • 28/03/12
    • 426

    #31
    Originally posted by ProdigY_BurN View Post
    Gostei muito do seu relato amigo. Comecei a estudar em 2001 e passei no meu primeiro concurso em 2003. Agencia Reguladora. Depois acomodei.

    Voltei a estudar em 2006 e estudei até 2009, porem conheci um maldito jogo de computador MMO e parei de estudar para jogar kkkk. Agora estou pensando em voltar a estudar nesse final de 2015 ou inicio de 2016 e oque me motivou foi o lance de estudar em tablet. Talvez hoje em dia as horas de estudo passem um pouco mais rapidas com as novas tecnologias.

    1- Oque voce acha desses coachings para concursos hoje me dia?

    2- A última edição do livro do Alexandre Meirelles que voce menciona no seu tópico seria esse concursos fiscais:

    http://www.grupogen.com.br/concursos-fiscais.html

    ?

    Abraços

    Edit:

    Procurando melhor, deve ser esse:


    http://www.grupogen.com.br/e-book-co...concursos.html

    Pois é, o que sei é que o Tablet Galaxy Note me ajudou muito a organizar os estudos e manusear os cursos em PDF.

    Respondendo tuas perguntas:

    1) Nunca fiz, mas conheço pessoas que fizeram. Ajuda muito, com certeza, mas não é essencial pra quem já é organizado. Pra quem quer investir essa grana, poupa o tempo que se leva pra organizar os estudos e ainda turbina o rendimento com as dicas e os macetes do coach. Apenas recomendo que contrate um com referência, pois nem sempre um concurseiro bem sucedido possui didática legal pra se tornar um bom "técnico". Eu preferiria pagar mais caro por um que tivesse boas indicações.

    2) Não sei se é a segunda ou se já saiu a terceira edição, mas é esse aí que vc postou por último (como estudar para concursos).

    Grande abraço e sucesso nos teus objetivos.

    Comentário

    • alexgonn
      • 04/11/15
      • 2

      #32
      Parabéns pela iniciativa de compartilhar seu mérito. Há possibilidade de postar sua recomendação bibliográfica completa e jornada de estudo? Vi vários modelos dos tablet qual a polegada ideal para estudo dos pds, grato.

      Comentário

      • CAMAFALU
        • 28/03/12
        • 426

        #33
        Originally posted by renatoorigami View Post
        parabéns pela aprovação CAMAFALU, meu sonho é poder ingressar nos cargos da Receita Federal do Brasil, gostaria de saber mais detalhes sobre sua caminhada até a prova de AFRFB 2014, e sobre essas aulas de legislação tributária do tudão, sabe onde tem as aulas em vídeo? abraços e sucesso

        Muito obrigado, Renato!

        Assim, não tenho uma boa história pra contar sobre o AFRFB 2014 (rs). O concurso de 2012 trouxe provas para AT e AF no mesmo dia. Escolhi fazer pra AT por não estar me sentindo muito bem preparado e pelo maior número de vagas. Após a prova da Receita de 2012, eu estudei forte pro ICMS-SP (março/2013). Bati na trave neste, mas passei no BNDES, conforme falei no depoimento. Depois do ICMS-SP 2013 eu não voltei a estudar forte. Fiquei parado o resto de 2013, tomei posse como analista em fevereiro de 2014 e o edital do AFRFB 2014 saiu no início de março. Eu estava enferrujado e me adaptando a uma nova rotina de trabalho. Então, não consegui me preparar bem pra prova, o que resultou na minha reprovação em duas disciplinas.

        Pra tentar contribuir de alguma forma, minha dica quanto aos concursos da RFB é a seguinte: NÃO NEGLIGENCIE NENHUMA DISCIPLINA. Estude pra tirar acima de 80% em tudo. Esse é o ponto que separa os que passam com sobra dos que passam se arrastando (ou não passam).

        Os vídeos do Tudão geralmente são do Canal dos Concursos, mas ele deu uns cursos também no EVP (euvoupassar). O nome do professor é Vilson Cortês. Vc pode adicioná-lo no face e perguntar onde e quando serão os próximos cursos. Ele e o Borba são os melhores no assunto vídeo-aula que conheci.

        Abraço e bons estudos!

        Comentário

        • CAMAFALU
          • 28/03/12
          • 426

          #34
          Originally posted by alexgonn View Post
          Parabéns pela iniciativa de compartilhar seu mérito. Há possibilidade de postar sua recomendação bibliográfica completa e jornada de estudo? Vi vários modelos dos tablet qual a polegada ideal para estudo dos pds, grato.

          Obrigado, Alex!

          Cara, sinceramente, acho improdutivo eu compartilhar a bibliografia que utilizei na época, pois já estou há um tempo parado. Assim, alguma recomendação que viesse a dar agora poderia não ser a ideal HOJE. O que te indico é a fonte de onde eu buscava os melhores materiais:

          http://www.forumconcurseiros.com/for...aulas-e-cursos

          A galera discute sobre os melhores livros, cursos em PDF, vídeo-aulas etc. No geral, sempre convergem pra alguma unanimidade ou se dividem em 2 ou 3 opções.

          O Tablet que eu usava tinha 10.5 polegadas. Achava ideal pra estudar! A minha jornada era variável em função do trabalho, mas a divisão da matéria era por meio dos ciclos. O Meirelles explica o estudo por cilos no seu livro. Se quiser uma amostra, coloca "manual do concurseiro PDF" no google. Busquei agora e encontrei nesse link:

          http://suficienciacontabil.com.br/wp...-meirelles.pdf

          Grande abraço e bons estudos.

          Comentário

          • ESLEAMER
            • 12/01/16
            • 8

            #35
            Originally posted by CAMAFALU View Post
            Como muitas vezes eu vim aqui buscar inspiração para estudar, nada mais justo que contribuir também com a minha história. Caso esse relato possa ajudar alguém, já valerá muito a pena!

            A decisão

            Eu era sargento da FAB há bastante tempo. Minha especialidade era controle de tráfego aéreo, profissão que carregarei para sempre no meu coração com muito orgulho. Apesar de o trabalho ser sensacional, a carreira ($$$) e as condições a que esses profissionais precisam se submeter são completamente incompatíveis com o nível de responsabilidade inerente ao serviço. Isso gera desmotivação generalizada, o que é comprovado pelo número cada vez maior de profissionais que “pedem pra sair”. Enfim, eu poderia escrever até um livro sobre isso, mas o foco aqui é outro. (rs)

            Como eu sabia que não pretendia fazer carreira ali para sempre, fiz faculdade de Ciências Contábeis já projetando uma chance de passar em algum outro concurso. Após me formar, ainda levei um tempo razoável até conseguir encarar de fato a dura vida de concurseiro trabalhador. Porém, embora tardio para alguns, chegou o dia em que uma grande decepção que tive na FAB veio a motivar de forma definitiva a minha decisão de estudar.

            Nesse momento quero fazer uma observação: a decepção que tive na FAB não foi alimento na fase de preparação, mas apenas o que motivou a “decisão”. Penso que motivações positivas são muito mais produtivas que as negativas. Assim, eu rendia muito mais ao imaginar o quanto minha vida poderia melhorar com um novo cargo, do que ao ficar me martirizando de estar no atual emprego. Além de não ficar murmurando, sempre mantive o sentimento de gratidão diante de Deus e da vida pela oportunidade de poder pagar minhas contas e de tirar dali meu sustento e as condições necessárias para buscar um lugar melhor. Quem me conhece sabe que sempre procurei trabalhar com excelência e servir de exemplo para os colegas mais novos, principalmente porque lidava com a proteção de vidas no desempenho da profissão.

            A dificuldade do início

            Uma vez tomada a decisão de encarar o mundo dos concursos, veio a fase do “como fazer”. Gente, o início é REALMENTE muito difícil. Tão difícil que muitos já desistem logo de cara. Muitas são as perguntas: para qual concurso estudar? Como estudar? Qual material utilizar? Como manter a motivação? Como conciliar tantas disciplinas? Como não enlouquecer com tudo isso? (Rs)

            O legal é que todos os nossos concorrentes passam pela mesma coisa, né? A lição que tirei dessa dificuldade inicial é que nós vamos nos conhecendo melhor enquanto encaramos o desafio, erramos, quebramos a cara etc. Com o tempo, aprendemos a aprender, conhecemos nossos pontos fortes e fracos, o que serve e o que não serve para nós mesmos. Parece clichê, mas a verdade é que não há receita de bolo. Uns aprendem mais por livros, outros por vídeo-aulas ou PDF´s; uns estudam 12h por dia, outros não conseguem passar de 4h; uns rendem melhor estudando sem trabalhar, outros se sentem muito pressionados ao parar de trabalhar; uns gostam de fazer resumos, outros detestam; uns preferem estudar em casa, outros em uma biblioteca. O que mais importa, na verdade, é seguir acumulando conhecimento e se tornar cada vez mais competitivo. Você deve daqui a um mês, por exemplo, derrotar em uma prova quem você é hoje. A referência deve ser sempre a própria pessoa. Não adianta ficar se comparando com quem disse que passou pra NASA estudando 3 meses, pois isso é completamente infrutífero. Cada um carrega suas facilidades, dificuldades e bagagem anterior. A história dos outros deve servir de inspiração, não de comparação.

            A caminhada

            Comecei minha caminhada sem saber para onde atirar. Então, resolvi fazer um curso presencial de direito constitucional e direito administrativo pelo fato dessas duas caírem em praticamente todos os concursos. Enquanto isso, revisava em casa contabilidade e português. Depois de poucos meses, saiu o concurso do MPU em 2010. Resolvi prestar para Analista Contábil, mas não passei nem longe. Foi muito longe mesmo!! (rsrs)

            Depois de prestar outros concursos para contador de tribunal em 2010 e início de 2011, decidi que não queria ficar concorrendo apenas para esses certames com pouquíssimas vagas. Como eu não era mais um completo iniciante, já havia me familiarizado com termos como “área fiscal” e “área de controle”, por exemplo. Resolvi, então, focar na área fiscal pelo fato de o conhecimento adquirido ser aproveitado em boa parte entre um concurso e outro.

            Em meados de 2011 comecei minha preparação voltada para a área fiscal. No início de 2012 começou a rolar bizu que sairia o concurso do MDIC, cujo conteúdo era muito parecido com o da Receita Federal. Decidi, então, encarar a prova para Analista de Comércio Exterior. Fui aprovado no concurso, mas fora das vagas. Fiquei mais ou menos entre os 300, mas eram apenas umas 110 vagas. Então, nem entre os classificados eu fiquei. Mesmo não tendo passado, o fato de ter chegado perto (o lance do copo meio cheio ou meio vazio...rs) me deu bastante confiança para o edital que sairia logo em seguida: a temida Receita Federal do Brasil.

            O concurso de 2012 trouxe a novidade de provas para analista e auditor no mesmo dia. Resolvi prestar para analista pelo fato deste oferecer muito mais vagas. Como analista eu já estaria bem melhor do que estava na FAB e poderia continuar estudando caso quisesse subir mais um degrau. Em dezembro de 2012 recebi a feliz notícia de ter sido aprovado e classificado dentro dos 50% excedentes. Os boatos diziam que era praticamente garantido que seríamos nomeados, o que veio ocorrer apenas em fevereiro de 2014.

            Após o resultado da RFB, decidi focar no ICMS-SP, cuja autorização já havia saído. Sem dúvida alguma, o período entre a prova da RFB/2012 e o ICMS-SP/2013 foi o que eu mais estudei. Caí pra dentro mesmo, tirei férias nos últimos 20 dias antes da prova e cheguei o mais preparado que eu poderia. Nesse período de preparação, passei a estudar utilizando o tablet Galaxy Note, o que recomendo demaaaaaaaaaais. O estudo fica bem mais organizado por diversos motivos. Pois bem, apesar de chegar ao dia da prova com conhecimento suficiente para ser aprovado (pelo menos no meu ponto de vista), pequei em algo que não acreditei 100%: o fator tempo de prova.

            Desde que comecei nos concursos, a todo tempo ouvia sobre o quão importante era saber administrar o tempo. E isso sempre foi algo que eu fiz muito bem. Assim, por achar que me garantiria na hora da batalha, fiquei mais preocupado em acumular conhecimento do que simular as condições da prova. E deu no que deu. Nunca, eu disse NUNCA, vi nada igual ao ICMS-SP. Aquela P1 é feita pelo Satanás!! O tipo de prova elaborada para não ser feita. O que mais vi foram pessoas que estudaram dizerem que chutaram umas 20 questões das 100. Eu chutei mais ou menos nessa faixa. Saí tão tonto da prova, que acho que nem sabia voltar pro hotel, quanto mais se daria ou não pra passar. No dia seguinte, a P2 foi bem tranquila, mas a P3 foi mais um aprendizado pra mim. Eu estudei muito na última semana, pois queria revisar o máximo possível pra garantir a aprovação. Lembro que na hora do almoço eu estava muito exausto. Fui para a P3 enxergando embaçado (arrependi de não ter tomado um Red Bull...rs), fato que não me permitiu fazer a prova com a velocidade necessária. Fui muito bem em contabilidade e direito tributário (90% e 80%), mediano em legislação (66%) e acabei tendo que chutar as 10 questões de TI pela falta de tempo. Mandei tudo na “B” e errei TODAS (rs). Enfim, o resultado é que só fiz 214 pontos e fui reprovado por uma questão na P1 (só acertei 49 e o mínimo era 50). Se eu tivesse acertado mais uma da P1 e conseguido fazer a prova de TI (peso 2), acho que teria dado. Porém, cada concurso tem sua história, não é?

            Durante a preparação para o ICMS-SP, resolvi fazer também a prova do BNDES, motivado por um amigo da FAB que tinha um cunhado trabalhando no banco. Ele dizia o quão bem esse cunhado vivia no Rio de Janeiro e o quanto ele gostava da profissão. Fiquei interessado e optei por me inscrever, uma vez que “só” cairia português, língua estrangeira e específica de contabilidade (para o cargo de contador, é claro), com diversas disciplinas da área contábil. A prova do BNDES ocorreu num domingo, 3 semanas antes do ICMS-SP. No sábado à noite, eu fiquei em dúvida se valeria mesmo a pena perder um domingo inteiro fazendo prova, ao invés de estudar para o concurso no qual estava focando, uma vez que já era reta final. Aí vem outra frase conhecida do meio concurseiro: “estudante estuda, concurseiro faz concurso”. Outra que tinha ouvido antes: “não é você que escolhe o concurso, mas o concurso que te escolhe” (rs). Resolvi, então, ir fazer a prova para treinar, embora achasse que minha chance era mínima por não ter estudado nada que não cairia no ICMS-SP.

            Quero aqui retomar aquilo que falei no início sobre “acumular conhecimento”. Nos concursos que fiz para contador, tive que estudar AFO e Contabilidade pública; para a Receita Federal estudei o regulamento do Imposto de Renda praticamente todo; e na área fiscal estudei bastante contabilidade geral, contabilidade avançada (sobretudo para o ICMS-SP), contabilidade de custos, direito tributário, auditoria e matemática financeira. Tudo isso foi cobrado também no BNDES. Inclusive, uma questão discursiva que poucos esperavam veio cobrando alguns detalhes sobre imposto de renda, fato que me deu uma certa vantagem por ter estudado para a Receita Federal. Acabou que consegui ser aprovado entre os 25 primeiros, e convocado agora em março de 2015.

            Após pensar muito bem e buscar informações sobre a carreira, decidi pedir exoneração da Receita Federal e assumir como contador do BNDES. Estou adorando o ambiente de trabalho, os benefícios, a carreira, o Rio de Janeiro e a nova vida que aqui encontrei. O que posso falar do BNDES é que inicialmente é compatível com as carreiras de auditor, sendo que no longo prazo fica ainda melhor.

            Eu não entrei em maiores detalhes, mas após a prova do ICMS-SP, ainda bati na trave no ICMS-PA/2013 (reprovado por uma questão) e no AFRFB/2014 (reprovado por 3 questões). No Pará, não consegui estudar certinho por estar muito ansioso pela nomeação na Receita, enquanto para AFRFB o edital saiu na minha primeira semana de trabalho como ATRFB, fato que dificultou uma preparação mais sólida, já que eu estava me adaptando a uma nova rotina.

            Os enrolados persistentes também passam

            Aqui eu gostaria de deixar um recado aos que se parecem comigo e pensam em desistir por isso. Eu sou muito enrolado e bastante indisciplinado. Tentava mudar isso por meio de artifícios como metas mais suaves, mas quase nunca conseguia cumprir. Cheguei a fazer metas semanais com 3 níveis que eu chamava de meta desafiadora, razoável e mínima (exemplo: 35h, 25h e 18h semanais). Essas metas variavam de acordo com minha escala de trabalho. Poucas foram as vezes em que consegui bater a meta desafiadora, enquanto várias foram as vezes em que nem a mínima eu fiz. Por vários momentos, sobretudo após alguma prova, passava semanas ou meses sem estudar. Quando estudava, variava muito entre uma semana e outra. Tipo...estudava 40h numa semana e 8h na seguinte. A vantagem de manter esse controle é que eu ficava sempre me cobrando, apesar de que não adiantava muita coisa (hahahahaha).

            O que quero dizer é que os indisciplinados também passam. Demoram um pouco mais, mas passam (rs)!! O importante é SEGUIR ACUMULANDO CONHECIMENTO (estou chato com essa frase, não é? Rs). Cada um terá seu tempo e no final valerá muito a pena, gente!!! Comecei a me envolver com os concursos em 2010, e só em 2015 que dei a missão por encerrada ao ser convocado para o BNDES. Eu já estava ensaiando o retorno aos estudos agora em abril, mas graças a Deus não precisei mais voltar. Caso eu tivesse optado por permanecer na inércia do dia a dia, ou tivesse desistido diante das dificuldades, o tempo teria passado de qualquer forma e eu estaria controlando voo insatisfeito com a carreira. Hoje posso dizer que estou muito feliz e motivado a crescer dentro do banco e contribuir da melhor forma possível com o desenvolvimento do país. E estou muito feliz também por poder fazer isso dentro de uma carreira digna quanto à remuneração. Sem dúvida alguma valeu muito a pena cada hora estudada, cada momento de lazer abdicado, cada minuto em que fiquei estudando com sono ao invés de ir dormir e cada lágrima derramada diante da dificuldade e da incerteza dos resultados.

            Indicação de materiais e métodos de estudo

            Pessoal, a melhor dica que posso dar a respeito de métodos de estudo é que comprem a última edição do livro do Alexandre Meirelles. Nada que eu falar vai ser melhor do que seus ensinamentos (rs). Quem quiser uma amostra do que é o livro, basta baixar o “manual do concurseiro” publicado pelo próprio Meirelles. São umas 27 páginas em PDF, salvo engano, e fez tanto sucesso que o motivou a aprofundar o conteúdo e escrever seu livro.

            O material de estudo também varia muito com o tempo. Sempre que eu ia estudar uma nova disciplina, buscava informações recentes na bibliografia aqui do fórum. O pessoal acaba convergindo para alguma unanimidade. Quando isso não ocorria, ficava entre 2 ou 3 opções. As aulas que eu mais me divertia, sem dúvida alguma, eram as do Borba (Direito tributário e Legislação tributária) e do Vilson Cortês (Legislação tributária), vulgo “Tudão”.

            Agradecimentos

            Agradeço demais a todos que me ajudaram e apoiaram nessa dura caminhada (família, amigos e minha ex-namorada)!! Certamente teria sido muito mais difícil sem vocês. Dentre os concurseiros, meu agradecimento especial ao PJ, grande companheiro de batalha e amigo para toda a vida, e à “Sino”, que conheci inicialmente em um fórum e que depois se tornou uma grande amiga e parceira nos estudos. A todos vocês, meu muito obrigado!!!


            Parabens pelo simples e grandioso texto.

            Comentário

            • CAMAFALU
              • 28/03/12
              • 426

              #36
              Originally posted by ESLEAMER View Post



              Parabens pelo simples e grandioso texto.

              Muito obrigado, ESLEAMER. Grande abraço e sucesso nos teus objetivos!

              Comentário

              • gutera85
                • 17/04/12
                • 20

                #37
                Amigo... poderia me passar seu email para lhe perguntar algumas coisas?

                Comentário

                • CAMAFALU
                  • 28/03/12
                  • 426

                  #38
                  E-mail enviado.

                  Comentário

                  • bruno.peres
                    • 18/11/15
                    • 3

                    #39
                    CAMAFLU,
                    você saberia dizer se tem como saber da autorização do concurso do BNDES antes de sair o edital?

                    Pergunto isto porque é uma empresa estatal e não passa pelos mesmo trâmites das autarquias e fundações.

                    Agradeço se puderes me ajudar, abraço

                    Comentário

                    • bruno.peres
                      • 18/11/15
                      • 3

                      #40
                      Desculpa, queria dizer CAMAFALU

                      Comentário

                      • CAMAFALU
                        • 28/03/12
                        • 426

                        #41
                        Originally posted by bruno.peres View Post
                        CAMAFLU,
                        você saberia dizer se tem como saber da autorização do concurso do BNDES antes de sair o edital?

                        Pergunto isto porque é uma empresa estatal e não passa pelos mesmo trâmites das autarquias e fundações.

                        Agradeço se puderes me ajudar, abraço
                        Fala aí, Bruno. Td bem?

                        Cara, não sei informar, pois não acompanhei esse processo. O que sei é que no momento não existe nenhum movimento para se realizar outro concurso. Acho muito difícil que tenha ainda em 2016, mas penso que de 2017 não passa. Caso eu descubra algo sobre essa tua pergunta, eu volto aqui e edito o post.

                        Abraço, bons estudos e sucesso pra vc.

                        Comentário

                        • Maikon Antonio
                          • 08/06/16
                          • 1

                          #42
                          Cara, muito obrigado eu estava precisando disso, e parabéns por sua nomeação.

                          Comentário

                          • bruno.peres
                            • 18/11/15
                            • 3

                            #43
                            Originally posted by CAMAFALU View Post

                            Fala aí, Bruno. Td bem?

                            Cara, não sei informar, pois não acompanhei esse processo. O que sei é que no momento não existe nenhum movimento para se realizar outro concurso. Acho muito difícil que tenha ainda em 2016, mas penso que de 2017 não passa. Caso eu descubra algo sobre essa tua pergunta, eu volto aqui e edito o post.

                            Abraço, bons estudos e sucesso pra vc.
                            Cara, obrigado pela tua resposta e parabéns pela história de sucesso, é realmente inspirador!! Abraços

                            Comentário

                            • CAMAFALU
                              • 28/03/12
                              • 426

                              #44
                              Originally posted by Maikon Antonio View Post
                              Cara, muito obrigado eu estava precisando disso, e parabéns por sua nomeação.

                              Fala, Maikon. Fico feliz se ajudei de alguma forma. Abração!!

                              Comentário

                              • CAMAFALU
                                • 28/03/12
                                • 426

                                #45
                                Originally posted by bruno.peres View Post
                                Cara, obrigado pela tua resposta e parabéns pela história de sucesso, é realmente inspirador!! Abraços

                                Muito obrigado, Bruno. Grande abraço e boa sorte!

                                Comentário

                                • twillians
                                  • 09/03/12
                                  • 8

                                  #46
                                  Olá CAMAFALU,

                                  Tentei enviar uma MP, porém não consegui.
                                  Muito bacana seu depoimento e me identifiquei muito, pois tenho o BNDES como grande objetivo...
                                  Na verdade, preciso de uma grande ajuda sua, um esclarecimento acerca da carreira na estatal, pois estou em um grande dilema.
                                  Já sou servidor público no Rio e atualmente estou na metade da minha graduação em administração e já vislumbro outros concursos com remunerações superiores para antecipar a preparação.
                                  Pesquisei um pouco sobre a carreira de auditoria e controle externo dos tribunais de contas e me identifiquei muito em todos os aspectos. O BNDES sempre me interessou, pois mesmo se tratando de uma estatal, tem um ótimo plano de carreira e benefícios e até hoje nunca vi nenhum funcionário se queixar da empresa, pelo contrário, são só elogios.
                                  Pois bem, minha dúvida é com relação à carreira no BNDES, que não há muitas informações disponíveis como no caso dos tribunais de contas. O salário nos tribunais são maiores (varia de 16 à 20.000 iniciais), o BNDES deve estar em torno 11 ou 12.000 fora os benefícios excelentes.
                                  Minhas dúvidas são: como funciona a dinâmica das carreiras? As promoções são períódicas??
                                  Caso haja seleções internas, como funciona?
                                  Existem cargos comissionados para nível superior? Quais seriam e como consegui-los?
                                  É possível ter cargos comissionados ao ingressar no banco?
                                  Ao ingressar no banco é possível ser lotado no Departamento de Relacionamento e Atendimento aos Órgãos Externos de Controle como auditor ou como administrador mesmo? Os funcionários lotados nesta área recebem alguma comissão?
                                  Existem outras áreas onde possa se atuar como auditor inicialmente? Ou outras áreas que tratam de instituições fiscalizadoras do governo?
                                  Faço essas indagações devido a minha grande afinidade com a auditoria governamental e pelo fato de haver pouquíssimas informações (quase nada) sobre esse trabalho no banco.Fora que o banco é mais interessante pra mim por ser no Rio e não precisar me deslocar para outra cidade, fora os excelentes benefícios, porém os recessos e os altos salários dos tribunais de contas são bem tentadores...
                                  Peço desculpas pelas muitas perguntas e ficarei imensamente grato com o que puder me ajudar, pois estou com muitas dúvidas em qual carreira seguir.

                                  Desde já muito obrigado com o que puder esclarecer e muito sucesso!!!

                                  Comentário

                                  • CAMAFALU
                                    • 28/03/12
                                    • 426

                                    #47
                                    Originally posted by twillians View Post
                                    Olá CAMAFALU,

                                    Tentei enviar uma MP, porém não consegui.
                                    Muito bacana seu depoimento e me identifiquei muito, pois tenho o BNDES como grande objetivo...
                                    Na verdade, preciso de uma grande ajuda sua, um esclarecimento acerca da carreira na estatal, pois estou em um grande dilema.
                                    Já sou servidor público no Rio e atualmente estou na metade da minha graduação em administração e já vislumbro outros concursos com remunerações superiores para antecipar a preparação.
                                    Pesquisei um pouco sobre a carreira de auditoria e controle externo dos tribunais de contas e me identifiquei muito em todos os aspectos. O BNDES sempre me interessou, pois mesmo se tratando de uma estatal, tem um ótimo plano de carreira e benefícios e até hoje nunca vi nenhum funcionário se queixar da empresa, pelo contrário, são só elogios.
                                    Pois bem, minha dúvida é com relação à carreira no BNDES, que não há muitas informações disponíveis como no caso dos tribunais de contas. O salário nos tribunais são maiores (varia de 16 à 20.000 iniciais), o BNDES deve estar em torno 11 ou 12.000 fora os benefícios excelentes.
                                    Minhas dúvidas são: como funciona a dinâmica das carreiras? As promoções são períódicas??
                                    Caso haja seleções internas, como funciona?
                                    Existem cargos comissionados para nível superior? Quais seriam e como consegui-los?
                                    É possível ter cargos comissionados ao ingressar no banco?
                                    Ao ingressar no banco é possível ser lotado no Departamento de Relacionamento e Atendimento aos Órgãos Externos de Controle como auditor ou como administrador mesmo? Os funcionários lotados nesta área recebem alguma comissão?
                                    Existem outras áreas onde possa se atuar como auditor inicialmente? Ou outras áreas que tratam de instituições fiscalizadoras do governo?
                                    Faço essas indagações devido a minha grande afinidade com a auditoria governamental e pelo fato de haver pouquíssimas informações (quase nada) sobre esse trabalho no banco.Fora que o banco é mais interessante pra mim por ser no Rio e não precisar me deslocar para outra cidade, fora os excelentes benefícios, porém os recessos e os altos salários dos tribunais de contas são bem tentadores...
                                    Peço desculpas pelas muitas perguntas e ficarei imensamente grato com o que puder me ajudar, pois estou com muitas dúvidas em qual carreira seguir.

                                    Desde já muito obrigado com o que puder esclarecer e muito sucesso!!!

                                    Olá, twillians.

                                    Eu entendo perfeitamente as tuas dúvidas.

                                    Bom, o trabalho no BNDES é bem diferente do que vc faria como auditor de Tribunal de Contas. Ao ser convocado no concurso, vc será contratado como administrador. A lotação inicial vai depender da necessidade do banco. Caso vc seja chamado juntamente com outros administradores, haverá uma seleção entre vcs pra definir quem vai pra cada área. Porém, no decorrer da carreira vc poderá migrar para qualquer área que necessite de administradores, sempre adequando o teu interesse (perfil) ao do banco.

                                    A carreira é bem interessante. Fica difícil entrar em detalhes sobre o processo de promoção, mas o que posso afirmar é que dificilmente alguém chega no topo com menos de 30 anos de trabalho. Isso quer dizer que não ocorre o caso de alguém alcançar o maior nível em pouco tempo e depois não ter mais motivação pra crescer. Quanto aos cargos executivos, eles existem e são bem remunerados, mas o acesso a eles vai depender de vários aspectos, como perfil, experiência e concorrência (claro).

                                    Em resumo, trata-se de um excelente emprego, com uma boa expectativa de crescimento profissional. A estrutura é muito boa e permite tranquilamente que vc desempenhe suas atividades com a maior excelência possível. Os benefícios são atrativos e o sentimento predominante é de muita satisfação. Há os que amam, os que gostam e (sempre) os que reclamam, mas estes existem em todo lugar, não é? Contudo, o índice de desligamento da carreira (sobretudo de nível superior) é baixíssimo, fato que fala por si só. O banco produz muito resultado pra sociedade e o nível intelectual dos empregados, de forma geral, é altíssimo. Apesar de ser Empresa Estatal, trabalha-se muito no BNDES, a despeito da opinião pública acreditar ser o contrário. Eu, particularmente, tenho muito orgulho de fazer parte desse banco e me sinto bastante motivado a crescer dentro dele e contribuir da melhor forma possível com os seus objetivos institucionais.

                                    Comparar carreiras é muito difícil, principalmente levando em conta o longo prazo. Desculpe se não pude entrar em maiores detalhes, mas espero ter ajudado de alguma forma.

                                    Um abraço e boa sorte nos teus objetivos!

                                    Comentário


                                    Working...
                                    X