Announcement

Collapse
No announcement yet.

ICMS/SP- Como venci, principais erros, trajetória e bibliografia

Collapse
X
  • Filter
  • Hora
  • Mostrar
Limpar tudo
new posts
  • Mestre
    • 29/11/11
    • 46

    ICMS/SP- Como venci, principais erros, trajetória e bibliografia

    Serei redundante a outros colegas mas não vejo outra forma de iniciar meu depoimento sem mencionar que ao FINAL, tudo VALEU A PENA.

    Eu cometi inúmeros erros na minha preparação sendo muitos deles por conta de ser um estudante solitário na maior parte da jornada e vou relatá-los um a um para que de alguma forma os leitores os identifiquem e os evitem.

    Bom: partamos do princípio. Nunca tratei o concurso como a solução dos meus problemas. Na verdade eu o tratava como uma alternativa, uma opção, caso algum dia eu ficasse sem emprego, e aí pensava que, se eu de fato perdesse o emprego, estudaria dedicado por pouco tempo e passaria em alguma coisa. Esse raciocínio traz vários equívocos. O primeiro deles é o de que uma preparação para concurso requer foco. Não que não seja possível trabalhar e estudar, mas é necessário respirar e transpirar concurso sempre. Outro equívoco é o de pensar que estudando um pouco seria possível passar em algum concurso. Isso é uma meia verdade. Estudando pouco dificilmente será possível ser aprovado em algum concurso de ponta, a não ser que a pessoa seja muito fora da curva e esse não é o meu caso. Em linha a esse raciocínio eu não considerava que os bons concursos têm sua periodicidade, ou seja, nós esperamos o concurso e não ele espera por nós. Ainda que eu estivesse preparado, quem falou que haveria um concurso a curto prazo? Pois então... mais um erro.

    Na época em que eu pensei em iniciar os estudos eu era assistente de auditoria independente e pensava que não deveria me preocupar muito em estudar contabilidade e auditoria, pois já sabia o suficiente. Realmente eu sabia demais e tive grande facilidade nos estudos, mas eu não sabia contabilidade e auditoria como as bancas cobravam. Esse é um erro que cometi no começo: você não precisa ser bom em determinado assunto para ir bem em uma prova, mas você precisa saber exatamente como a banca exigirá aquele assunto. São coisas totalmente distintas. Com isso em mente, quando eu já era semi-sênior de auditoria recebi a proposta de ser sênior em consultoria tributária, pensando que assim teria mais proximidade dos tributos e poderia aproveitar a bolsa de estudos que a empresa concedia para eu cursar direito. ESSE FOI MEU MAIOR ERRO. Eu acreditei que o curso de direito ajudaria a ter um desempenho muito melhor nestas disciplinas. GRANDE BESTEIRA! Perdi um ano e meio da minha preparação por conta da faculdade e o que me agregou para fins de preparação? Praticamente nada.

    Tudo começou a mudar em 2007 quando fiz um curso para carreiras fiscais no LFG e comecei a ter contato com outras pessoas e com professores direcionados. Toda a informação que eu já tinha na cabeça começou a ser direcionada para a prova e aí o foco ficou mais bem definido. Passei a comprar materiais corretos e a coisa começou a fazer sentido.

    Em 2008, mudei de emprego e de cidade, pois com meus estudos para concurso a minha melhoria profissional foi absurda: sabia legislações na ponta da língua e conhecia muito bem os tributos. Nessa época eu já era gerente e tinha um salário muito bom, equiparado ou maior do que o do cargo de AFR, mas o desejo nunca apagou.

    Fiz a prova em para AFR 2009 sem muita pretensão e fiz 56% da prova e isso me chamou a atenção, pensando que se eu estudasse um pouco mais daria pé, em que pese esse salto de 20% na pontuação seja o mais complicado, pois é a sintonia fina do candidato.

    Até 2011, fui estudando bem devagar, até que em março conheci um cara que é AFRF. O cara é super comum e havia sido aprovado em 2005. Aí pensei comigo: se ele pode eu também posso. Aí resolvi passar logo em um concurso: comprei vários materiais até encontrar os adequados, intensifiquei os estudos e planejei os mínimos detalhes para uma possível prova em 2012. Neste momento o trabalho ficou para segundo plano. Embora eu continuasse viajando muito, gravei em áudio o CTN (encontrei na internet) e a CF (peguei no site do planalto). A ideia era não perder tempo. Comprei um Iphone para levar material em pdf comigo e poder ler em qualquer lugar (esperando em recepção de empresas, viagem de avião, aeroportos, recepção de médico, fila) e assim todo tempo era hora de estudar. Material de leitura eu levava para estudar a noite no hotel e levava junto uma luminária 110V e outra 220V, pois no começo lembro de ter perdido alguma concentração com a escuridão de alguns quartos de hotel. Sair para jantar com os colegas de trabalho durante a semana, nunca mais. Só comia no quarto e quanto mais rápido melhor. TV? Esquece. Não agrega nada. O negócio era foco total. E sábado e domingo? Sempre estudando, exceto sábado a noite para sair um pouco com a família (esposa e duas filhas pequenas).

    Fui nesse ritmo até a divulgação do edital. Quando saiu o edital, fiquei apavorado ao ver que teria que estudar economia, finanças públicas e TI. Tive que planejar todos os passos. Tirei janeiro para encerrar todos os trabalhos que eu tinha pendente na consultoria e de fevereiro até o dia da prova não trabalhei, apenas estudei. Eu tinha mais de 100 dias de férias para tirar e usei 50 para dar um foco final. Isso fez toda a diferença. Existem informações que devem estar na “ponta da língua” na hora da prova e isso só se faz decorando na véspera.

    GOLPE DE MESTRE

    É impressionante como vejo candidatos lendo livros, aulas em PDF, vídeos ou apostilas por mais de 10 vezes. Se você está fazendo isso e ainda não entendeu a matéria alguma coisa está errada. O Golpe de Mestre é o seguinte: leia uma vez o tema para que possa entendê-lo de uma forma geral. Por que na primeira leitura não vale a pena fazer um resumo? Porque a sua dúvida na página 1 pode ser esclarecida na página 8 e se tornar até mesmo uma coisa banal para seu estudo. Na segunda leitura, faça um resumo ou esquema apenas daquilo que você não entendeu ou possui dúvidas ou mesmo o que merece ser guardado. E o resto? Esquece. Você mesmo já chegou à conclusão de que já sabe esse resto. Mas seja humilde e não seja preguiçoso. A soberba é o que mais derruba candidatos. É aquele negócio de achar que sabe contabilidade só porque se formou em Ciências Contábeis. Aí que mora o perigo.

    Desse resumo ou esquema preparado, assim que você perceber que entendeu o assunto risque-o também, até que este resumo seja mínimo e a teoria forçosamente esteja na sua cabeça. Aí é só partir para a resolução de exercícios. Quando você encontrar uma questão de prova da banca que você não acertou, imprima, recorte e coloque junto com seus resumos. Toda vez que for ler seus resumos leia também a questão. Aí o seu material estará completo e ninguém mais te pega. NÃO ESQUEÇA: FAÇA SEMPRE AS PROVAS ATUAIS DA BANCA PARA FICAR ATUALIZADO COM AS NOVAS TENDÊNCIAS.


    PREPARAÇÃO

    Como minha vida sempre foi nômade por conta da auditoria e da consultoria, eu tive que arranjar tempo, sendo este o bem mais precioso nessas profissões. Quem conhece alguém destas profissões sabe que o negócio é corrido: sai cedo de casa sem hora para voltar. Como já mencionei no decorrer da narrativa, minhas horas de estudo disponíveis eram no período noturno, geralmente das 20 às 0h, e nos finais de semana. Tive períodos de passar a noite trabalhando (até mesmo virar a noite) e alguns clientes que pediam coisas para passarmos os feriados e fds trabalhando...afff

    No período noturno eu costumava estudar duas matérias por dia e aos finais de semana eu estudava duas matérias na manhã do sábado e depois do almoço sempre fazia uma prova de português da FCC, para já ir acostumando a concentração na leitura após o almoço, assim como seria na prova e, após isso, mais duas matérias. No domingo a mesma coisa, contudo acrescentava mais duas matérias no período noturno.

    Eu resolvi apostar desde o começo que a banca seria a FCC e por isso sempre estudei pelas provas e materiais dessa banca. Em alguns momentos as apostas são essenciais, como decidir por não estudar alguma matéria ou até mesmo o contrário, estudar coisas que ainda não caem na prova. Para a prova de AFR acho isso desnecessário pois o que interessa mesmo é saber Legislação, Tributário e contabilidade.

    Preparação por matéria:

    Português

    Como eu já mencionei, todo sábado e domingo após o almoço eu fazia uma prova de português da FCC para treinar como seria fazer uma prova de português com sono ou desconcentrado. Aqui é muito importante que você sempre anote o tempo e sua variação entre as provas, para saber o que mais te atrapalha. Eu não aconselho a fazer as provas de português das provas fiscais anteriores (AFR 2006, 2009 ou 2013 e ISS-SP 2007 e 2012) até ter feito exaustivamente outras provas da banca. Se você começar pelas provas fiscais achará as mesmas impossíveis de fazer, mas se feitas posteriormente, verá que é apenas uma forma diferente de cobrar a matéria pela banca e que não é tão difícil.

    Material: comecei pelo livro do Décio Sena (Português FCC), e depois pelo Português FCC, da Lilian Furtado. Esse livro da Lilian, embora tenha uma teoria resumida, possui mais de 80% da teoria que você precisa saber para as provas da FCC. No final, fiz um curso do Marcondes Júnior no LFG para ficar com a matéria fresca na cabeça no dia da prova.

    Raciocínio Crítico

    Essa matéria é para testar a atenção na leitura. Não tem muito segredo, mas ainda assim comprei o material do Arthur Lima no Estratégia Concursos, para ver qual era esse bicho e me ajudou bastante.

    ATUALIDADES

    A maneira como foi cobrada essa matéria foi lamentável na prova AFR13. A FCC pisou feio na bola. Acredito que pediram conceitos muito específicos do cotidiano, entrando em questões partidárias e cinematográficas. O engraçado é que dias antes a banca havia preparado uma prova super inteligente para o concurso de Defensoria e depois escorregou desse jeito. Mas bola pra frente, vamos reclamar para quem, não é mesmo?

    Aqui eu aconselho o candidato a se cadastrar no site “saber atualidades” pois eles enviam ao seu e-mail as notícias mais importantes de tempos em tempos, sem excesso. Aconselho ainda a fazer tópicos, na forma de resumos quando veicularem notícias importantes nos principais sites. Há ainda alguns sites específicos como o UOL atualidades e tantos outros para vestibulares que ajudam muito. São eles:

    http://educacao.uol.com.br/disciplin...as-do-enem.htm

    http://vestibular.uol.com.br/resumo-...ades/index.htm

    http://guiadoestudante.abril.com.br/...r-710925.shtml

    MATEMÁTICA FINANCEIRA

    Eu estava muito bem preparado e tranqüilo nessa matéria mas eu havia estrategicamente optado um dia antes da prova em não fazê-la pois eu estava levando mais de 3 minutos para resolver cada questão por causa das contas, o que poderia comprometer outra matéria. Por fim, quem teve tempo pôde ganhar alguns pontinhos pois essa matéria estava muito fácil na prova.

    Aqui eu estudei pelo livro de “Matemática Financeira FCC” do Wagner Carvalho. Se você optar por arriscar que a banca do próximo concurso será a FCC não vejo necessidade de buscar outro material, sempre se atualizando fazendo as provas mais recentes da FCC pois o livro contém questões até 2009.

    ESTATÍSTICA

    Desde o começo eu havia decidido em não fazer essa matéria na prova, mas nem por isso eu não estudei. Eu já tinha um material antigo do Sérgio Carvalho que deu uma boa noção dos conceitos e depois eu comprei o livro de Estatística FCC do Pedro Bello.

    Você pode estar se perguntando o porquê de estudar uma matéria que eu não planejava fazer a prova mas a resposta é simples: se tivesse outra matéria impossível de fazer ou que estivesse com um grau de dificuldade altíssimo, aí eu agarraria em estatística para garantir uns pontinhos. No fim eu acabei não fazendo, mas ouvi comentários que estava muito fácil.

    INGLÊS
    Como eu nunca havia feito um curso de inglês, mas também não sou um zero à esquerda, eu fazia o seguinte: sempre que eu tinha uns 15 minutos eu entrava no site da CNN, do NYT ou do WPJ e lia uma reportagem, pois assim eu estudava inglês e atualidades de uma vez só. Eu anotava todas as palavras que eu não sabia e fiz um dicionário pessoal. Isso forçava o cérebro a se virar e decorar aquilo de uma forma ou de outra. Poucos dias antes da prova eu comprei as aulas da Ena Glaucia Smith (Estratégia Concursos) e era o que me faltava. Acertei 9 das 10.

    ECONOMIA

    Essa matéria eu acredito que tenha sido inserida para nivelar novos concurseiros com os mais experientes e também para ver como você se sai estudando um extenso material em tão pouco tempo. Nos primeiros dias o negócio parece ser de outro planeta, mas depois se percebe que há um raciocínio lógico baseado em poucos conceitos e aí tudo fica mais fácil. Eu penso que na prova o pessoal perdeu um pouco a linha, por pedirem no edital apenas noções gerais e ter cobrado conceitos mais difíceis do que nas provas específicas para economistas. Fazer o quê? Às vezes as bancas dão umas dessas.

    O material recomendado aqui são as aulas em PDF do Héber Carvalho (Estratégia Concursos).

    APU

    Até sair o edital eu nunca havia estudado essa matéria. Era tudo novo para mim. Então fechei os olhos e comprei o primeiro material disponível que eu achei, pois não era mais tempo de saber se o material era bom ou não (até hoje não sei) mas alguma coisa eu deveria absorver. O material adquirido foi aulas em pdf do Rodrigo Rennó (Estratégia concursos). No fim das contas fui bem.

    DIREITO

    DIREITO CONSTITUCIONAL

    Como eu já citei anteriormente, eu baixei a CF em áudio no site do Planalto e ouvia frequentemente quando eu estava em trânsito. Adicionalmente adquiri o livro de Resumo de Direito Constitucional do Vicente Paulo e do Marcelo Alexandrino.

    Ainda assim é importante ter uma CF impressa e ler sempre que possível, pois muita coisa da FCC é literal mesmo, às vezes trocando uma palavra para confundir.

    DIREITO TRIBUTÁRIO

    Aqui não tem jeito, tem que decorar o CTN. Essa é a premissa básica. Mas não precisa ser tudo: concentre-se nos artigos 3 a 15 e 96 e ss.

    Adicionalmente eu li o livro do Eduardo Sabbag mas em uma edição anterior (8ª edição), onde o livro ainda era fino (300 páginas). Para as provas fiscais da FCC não há necessidade de estudar jurisprudências ou longas doutrinas. Você precisará apenas de conceitos básicos.

    Se você estiver com tempo e quiser se garantir de uma eventual surpresa, o livro de Direito Tributário Esquematizado do Ricardo Alexandre é bem completo e poderá servir para eventuais consultas posteriores.
    Não esquecer de decorar os arts 145 e ss da CF.

    DIREITO PENAL
    Aqui eu li apenas o código penal na parte dos crimes contra a administração pública (art.312 e ss)

    DIREITO CIVIL

    Apenas li no código civil as partes referentes à sucessão, pois poderia ser base para a prova de legislação (ITCMD) como foi em 2009. No fim das contas nem precisou. Se você comprar o livro de exercícios comentados do Rosa e do Salaberry, nem precisa ler o Código Civil.

    AUDITORIA

    Aqui a coisa mudou muito. Eu trabalhei um longo período em auditoria externa e sempre estive muito próximo dessa atividade, mas o que a FCC vem fazendo não tem muito a ver com estes conceitos desta matéria. Eu vinha estudando pelo livro de Auditoria do Davi Barreto e lendo os normativos do Ibracon, mas depois que eu vi a prova de auditoria aplicada pela FCC no ISS-SP 2012 sabia que a coisa nunca mais seria a mesma. Até 2009 bastava uma simples lida em qualquer apostila, livro, aula em Pdf e bons pontos seriam garantidos. Hoje a prova é mais contábil do que de auditoria, e em nível elevadíssimo. Acredito que isso forçará que os autores preparem livros melhores, mas até o momento aconselho o do Davi Barreto.

    CONTABILIDADE

    Aqui é onde o bicho pega para muita gente, mas não tem segredo. No começo eu estudei por materiais diversos até chegar ao Livro de Contabilidade Avançada do Ricardo Ferreira. O livro me fez ganhar confiança e entender a contabilidade como a banca pede e isso é importante. Estudei por ele por muito tempo mas via que quando eu fazia as provas da FCC para treinar eu ficava com 70 a 80% de acerto. Foi aí que entrou o Marcondinho, que deu algumas aulas no reta final do LFG. O Marcondinho pegou todas as questões recentes das provas da FCC, fez um resumo dos principais pontos pedidos nas provas e explicou um a um. O que eu percebi? Percebi que a FCC está passando por um período de transição na forma de cobrar as questões de contabilidade devido às alterações posteriores às Leis 11.638 e 11.941. Daí pra frente meus acertos sempre beiraram os 100%. Moral da história: o livro do Ricardo Ferreira é bom, mas os exercícios não acompanharam as alterações trazidas pela FCC.

    Resumindo: é possível estudar pelos livros do Ricardo Ferreira, mas sempre faça as provas mais recentes de contabilidade para verificar onde a banca está inovando.

    Contabilidade de Custos: essa é uma matéria de atenção, para ganhar pontos. Aqui não há necessidade de muita técnica e os conceitos são poucos e repetitivos. Se a prova for da FCC, o livro de Contabilidade de Custos da FCC é mais do que suficiente para gabaritar.

    Legislação

    Essa é uma das matérias que faz a diferença e por isso eu arranjava tempo de estudar todo santo dia pelo menos uma hora. Para começar, vale a pena comprar o livro do José Rosa para quebrar o gelo. O livro é bem simples e de linguagem fácil, mas não se iluda que apenas ele te aprovará. Como eu gabaritei essa matéria, não sei onde exagerei, mas fiz o seguinte: lia alguma parte do RICMS e das leis do IPVA, ITCMD e PAT todo santo dia. Quando eu sentava para estudar, no princípio lia o livro “Curso básico de ICMS” do José Rosa e depois comecei a ler o livro de ST do mesmo autor. No fim da preparação cheguei a fazer um curso com o Tudão (bom professor) mas eu já estava tão bom que nada me adicionou.

    Para o PAT faça esquemas. Entenda o fluxo dos processos. Fica mais fácil do que decorar todos os normativos, senão a tendência é que você misture conceitos na hora da prova.

    Para fins do ITCMD, eu aconselho a estudar a parte do código civil que fala sobre sucessão (arts. 1829 e SS). Muitos conceitos foram explorados na prova de 2009 e pode voltar a ser cobrado.

    Por fim, fica a dica para comprarem o livro de exercício do Rosa e do Salaberry, que embora em alguns momentos eu acho que eles perdem um pouco o foco, mas é um livro excelente para lembrar a matéria.

    PROVAS

    As provas de AFR possuem uma estratégia específica e quem não a percebe desde o início dos estudos, fica para trás.

    Como já mencionado, vamos expor o peso de cada matéria:

    Legislação Tributária do Estado de SP..........65
    Contabilidade Avançada e Custos.................65
    Direito Tributário........................................ ..50
    Português......................................... .............30
    Economia e Fin. Pub......................................20
    Direito........................................... ................20
    TI................................................ ...................20
    Raciocínio Crítico.........................................10
    Atualidades....................................... ...........10
    Auditoria......................................... ..............10
    APU............................................... ................10
    Inglês............................................ .................10
    Matemática / Estatística...............................10
    Direito Constitucional...................................1 0
    Total............................................. ................340

    Perceba que o foco dos estudos deve ser direcionado para as matérias de legislação, tributário e contabilidade, que corresponde a mais de 50% dos pontos da prova, ou seja, o que aprova é saber muito bem essas 3 matérias. Nas demais, basta ser razoável.

    P1

    Essa prova é a mais estratégica de todas. É universal o entendimento de que você não terá tempo para fazê-la completamente como queria. Você pode até fazê-la inteira, mas com o tempo disponível, a precipitação e a ansiedade deve ser contida sob pena de perder vários pontos. Aqui você deve ter calma e fazer a prova bem concentrado. Esquece o mundo lá fora, esquece seu vizinho comendo salgadinhos e chocolate toda hora (até porque esse já tá fora: não dá tempo de sentir fome nessa prova). Esteja psicologicamente envolvido pela prova. É teste de frieza e concentração e por isso temos diversos assuntos: raciocínio crítico, cálculos, atualidades, ingês, economia...sacou? O intuito é fazer o candidato estressar e se perder nos raciocínios e acelera e desacelera de cálculo para texto.

    O meu esquema foi estipular tempos, para que minha ansiedade não me deixasse extrapolar alguma matéria ou não fazer o que havia planejado. Estipulei os seguintes tempos e na seguinte ordem:

    Economia.................50min
    Atualidades..............20min
    APU..........................20min
    RC............................25min
    Inglês.......................25min
    Português...............1h05min
    Matfin/Estatística...15min
    Gabarito.................20min

    No fim das contas eu acabei usando o tempo de Matfin/estatística para português, pois estava quente no assunto e achei que saindo da linha textual para contas eu poderia perder tempo, além do que eu estava levando mais de 3 minutos para resolver cada questão de Matemática nos meus preparativos.

    Mas como controlar o tempo exatamente se eu não posso usar relógio digital? Simples! Coloque o relógio analógico (de ponteiros) no meio dia e a hora que começar a prova você solta.


    P2
    Essa prova é para relaxar. Depois da cacetada que você leva na P1, assim aqui o pessoal tira de letra, mas é muito importante, por isso mesmo, pontuar bem, até para chegar com menos pressão na P3 e cobrir alguma eventual deficiência na P1.

    Não precisa elaborar algum planejamento de tempo ou algo semelhante, apenas concentre-se para perder questões bobas.

    P3

    Aqui você deve estar no melhor do seu preparo. Embora seja a última prova e você já estar cansado físico e mentalmente, essa é a hora de separar os candidatos prontos dos candidatos novatos, os homens dos meninos. Aqui tem que colocar o melhor para fora, mostrar confiança e conhecimento. Essa é a prova que realmente aprova e qualifica.

    Não há necessidade de controle de tempo, mas precisa ter controle de ansiedade. É normal que nos minutos finais da prova apareça a ansiedade de querer se livrar logo dela, mas você deve aproveitar cada minuto que reste para revisar e verificar se não bobeou em alguma questão. Ora bolas, não serão alguns minutos revisando que estressarão alguém que se prepara há anos não é mesmo? Então paciência e aproveite todo o tempo.

    Pós Prova

    Um dos sentimentos mais inexplicáveis é após a prova. É um sentimento de que você fez o que poderia ser feito e que agora está nas mãos de Deus.
    É estranho chegar em casa, após tanta disciplina, e não ter que estudar...Fica um vazio enorme. Parece que alguma coisa está errada.

    No dia seguinte, quando sai o gabarito e você verifica que fez um boa pontuação...isso é indescritível. É uma euforia danada para toda a família. É contagiante. Bem mais do que ver seu nome no DOE, pois nesse momento você já meio que espera um bom resultado.

    De qualquer forma, espero poder ter ajudado de alguma forma e se quiserem apoio no planejamento ou nos estudos, estarei à disposição para ajuda-los.
  • lolla auditora
    • 23/06/11
    • 24

    #2
    Re: ICMS/SP- Como venci, principais erros, trajetória e bibliografia

    Olá Mestre!

    Muito bom o seu depoimento, a sua trajetória, e em especial, a sua estratégia de estudo.
    O mundo dos concursos parece um território a parte do mundo real, em que você se envolve e nem todos entende.
    Assim, foi bom ver como você conquistou o seu objetivo, fruto de dedicação e foco.

    Parabéns!

    Lolla

    Comentário

    • jneto91
      • 05/10/11
      • 1049

      #3
      Re: ICMS/SP- Como venci, principais erros, trajetória e bibliografia

      Gostei muito.

      E só um ponto que fiquei curioso: como fazia em relação à resolução de questões?

      Comentário

      • annie hall
        • 09/04/09
        • 410

        #4
        Re: ICMS/SP- Como venci, principais erros, trajetória e bibliografia

        Obrigada pelo depoimento. Tinha escrito MUITA coisa mas a internet caiu quando enviei e perdi tudo, parabéns para mim. No geral, disse que temos a mesma visão com a coisa de ter um bom emprego e querer um cargo público apenas como opção. Eu acho que faz muita diferença na tranquilidade isso.

        Eu tinha feito umas 20 perguntas e não vou lembrar de todas. Se lembrar eu posto depois, tá bem?

        Comentário

        • MTurini
          • 06/01/11
          • 24

          #5
          Re: ICMS/SP- Como venci, principais erros, trajetória e bibliografia

          Parabéns, Mestre, vc é um exemplo e um vencedor!

          Agradeço o seu depoimento. Isso nos motiva muito, nós que ainda estamos nesta jornada precisamos disso!

          Escreva para nós o material utilizado em D. Administrativo (não consta na sua bibliografia).

          Fique com Deus.

          Comentário

          • Mestre
            • 29/11/11
            • 46

            #6
            Re: ICMS/SP- Como venci, principais erros, trajetória e bibliografia

            Originally posted by annie hall View Post
            Obrigada pelo depoimento. Tinha escrito MUITA coisa mas a internet caiu quando enviei e perdi tudo, parabéns para mim. No geral, disse que temos a mesma visão com a coisa de ter um bom emprego e querer um cargo público apenas como opção. Eu acho que faz muita diferença na tranquilidade isso.

            Eu tinha feito umas 20 perguntas e não vou lembrar de todas. Se lembrar eu posto depois, tá bem?
            Combinado!

            Comentário

            • Mestre
              • 29/11/11
              • 46

              #7
              Re: ICMS/SP- Como venci, principais erros, trajetória e bibliografia

              Originally posted by MTurini View Post
              Parabéns, Mestre, vc é um exemplo e um vencedor!

              Agradeço o seu depoimento. Isso nos motiva muito, nós que ainda estamos nesta jornada precisamos disso!

              Escreva para nós o material utilizado em D. Administrativo (não consta na sua bibliografia).

              Fique com Deus.
              Olá MTurini. Para D. Administrativo eu foquei muito na legislação (CF - art 37 e ss e nas leis específicas). Como doutrina eu usei os livros do Gustavo Barchet (Direito Administrativo FCC e Resumo de direito administrativo).

              Aqui é o mesmo esquema que coloquei acima: lê uma vez e na segunda leitura já faz um resumo, que será seu guia.

              Tenho também bons materiais em PDF. Passe-me um MP com seu e-mail que eu te encaminho,ok?

              Comentário

              • etxaberri
                • 01/02/13
                • 176

                #8
                Re: ICMS/SP- Como venci, principais erros, trajetória e bibliografia

                Belo depoimento! Parabéns.

                Comentário

                • Mestre
                  • 29/11/11
                  • 46

                  #9
                  Re: ICMS/SP- Como venci, principais erros, trajetória e bibliografia

                  Originally posted by jneto91 View Post
                  Gostei muito.

                  E só um ponto que fiquei curioso: como fazia em relação à resolução de questões?
                  Olá Jneto91. Eu fazia todas as questões da banca que eu encontrava pela frente em provas novas e antigas (PCI Concursos). Importante sempre olhar o site da banca para saber se publicaram alguma prova nova, pois as bancas adoram tendências, até para que haja inovação nas questões e evitarem cair na mesmice.

                  É muito importante fazer um banco de dados de todas as questões que você errou ou teve dificuldades em resolver, seja impresso ou no computador. Eu particularmente imprimia, recortava e colocava junto com meus resumos e as lia toda vez que lia os resumos, até ficar enjoativa.

                  Uma boa ajuda no começo é comprar livros que trazem questões comentadas da banca.

                  Comentário

                  • Elle Carlos
                    • 25/06/13
                    • 2

                    #10
                    Re: ICMS/SP- Como venci, principais erros, trajetória e bibliografia

                    Originally posted by Mestre View Post
                    Serei redundante a outros colegas mas não vejo outra forma de iniciar meu depoimento sem mencionar que ao FINAL, tudo VALEU A PENA.

                    Eu cometi inúmeros erros na minha preparação sendo muitos deles por conta de ser um estudante solitário na maior parte da jornada e vou relatá-los um a um para que de alguma forma os leitores os identifiquem e os evitem.

                    Bom: partamos do princípio. Nunca tratei o concurso como a solução dos meus problemas. Na verdade eu o tratava como uma alternativa, uma opção, caso algum dia eu ficasse sem emprego, e aí pensava que, se eu de fato perdesse o emprego, estudaria dedicado por pouco tempo e passaria em alguma coisa. Esse raciocínio traz vários equívocos. O primeiro deles é o de que uma preparação para concurso requer foco. Não que não seja possível trabalhar e estudar, mas é necessário respirar e transpirar concurso sempre. Outro equívoco é o de pensar que estudando um pouco seria possível passar em algum concurso. Isso é uma meia verdade. Estudando pouco dificilmente será possível ser aprovado em algum concurso de ponta, a não ser que a pessoa seja muito fora da curva e esse não é o meu caso. Em linha a esse raciocínio eu não considerava que os bons concursos têm sua periodicidade, ou seja, nós esperamos o concurso e não ele espera por nós. Ainda que eu estivesse preparado, quem falou que haveria um concurso a curto prazo? Pois então... mais um erro.

                    Na época em que eu pensei em iniciar os estudos eu era assistente de auditoria independente e pensava que não deveria me preocupar muito em estudar contabilidade e auditoria, pois já sabia o suficiente. Realmente eu sabia demais e tive grande facilidade nos estudos, mas eu não sabia contabilidade e auditoria como as bancas cobravam. Esse é um erro que cometi no começo: você não precisa ser bom em determinado assunto para ir bem em uma prova, mas você precisa saber exatamente como a banca exigirá aquele assunto. São coisas totalmente distintas. Com isso em mente, quando eu já era semi-sênior de auditoria recebi a proposta de ser sênior em consultoria tributária, pensando que assim teria mais proximidade dos tributos e poderia aproveitar a bolsa de estudos que a empresa concedia para eu cursar direito. ESSE FOI MEU MAIOR ERRO. Eu acreditei que o curso de direito ajudaria a ter um desempenho muito melhor nestas disciplinas. GRANDE BESTEIRA! Perdi um ano e meio da minha preparação por conta da faculdade e o que me agregou para fins de preparação? Praticamente nada.

                    Tudo começou a mudar em 2007 quando fiz um curso para carreiras fiscais no LFG e comecei a ter contato com outras pessoas e com professores direcionados. Toda a informação que eu já tinha na cabeça começou a ser direcionada para a prova e aí o foco ficou mais bem definido. Passei a comprar materiais corretos e a coisa começou a fazer sentido.

                    Em 2008, mudei de emprego e de cidade, pois com meus estudos para concurso a minha melhoria profissional foi absurda: sabia legislações na ponta da língua e conhecia muito bem os tributos. Nessa época eu já era gerente e tinha um salário muito bom, equiparado ou maior do que o do cargo de AFR, mas o desejo nunca apagou.

                    Fiz a prova em para AFR 2009 sem muita pretensão e fiz 56% da prova e isso me chamou a atenção, pensando que se eu estudasse um pouco mais daria pé, em que pese esse salto de 20% na pontuação seja o mais complicado, pois é a sintonia fina do candidato.

                    Até 2011, fui estudando bem devagar, até que em março conheci um cara que é AFRF. O cara é super comum e havia sido aprovado em 2005. Aí pensei comigo: se ele pode eu também posso. Aí resolvi passar logo em um concurso: comprei vários materiais até encontrar os adequados, intensifiquei os estudos e planejei os mínimos detalhes para uma possível prova em 2012. Neste momento o trabalho ficou para segundo plano. Embora eu continuasse viajando muito, gravei em áudio o CTN (encontrei na internet) e a CF (peguei no site do planalto). A ideia era não perder tempo. Comprei um Iphone para levar material em pdf comigo e poder ler em qualquer lugar (esperando em recepção de empresas, viagem de avião, aeroportos, recepção de médico, fila) e assim todo tempo era hora de estudar. Material de leitura eu levava para estudar a noite no hotel e levava junto uma luminária 110V e outra 220V, pois no começo lembro de ter perdido alguma concentração com a escuridão de alguns quartos de hotel. Sair para jantar com os colegas de trabalho durante a semana, nunca mais. Só comia no quarto e quanto mais rápido melhor. TV? Esquece. Não agrega nada. O negócio era foco total. E sábado e domingo? Sempre estudando, exceto sábado a noite para sair um pouco com a família (esposa e duas filhas pequenas).

                    Fui nesse ritmo até a divulgação do edital. Quando saiu o edital, fiquei apavorado ao ver que teria que estudar economia, finanças públicas e TI. Tive que planejar todos os passos. Tirei janeiro para encerrar todos os trabalhos que eu tinha pendente na consultoria e de fevereiro até o dia da prova não trabalhei, apenas estudei. Eu tinha mais de 100 dias de férias para tirar e usei 50 para dar um foco final. Isso fez toda a diferença. Existem informações que devem estar na “ponta da língua” na hora da prova e isso só se faz decorando na véspera.

                    GOLPE DE MESTRE

                    É impressionante como vejo candidatos lendo livros, aulas em PDF, vídeos ou apostilas por mais de 10 vezes. Se você está fazendo isso e ainda não entendeu a matéria alguma coisa está errada. O Golpe de Mestre é o seguinte: leia uma vez o tema para que possa entendê-lo de uma forma geral. Por que na primeira leitura não vale a pena fazer um resumo? Porque a sua dúvida na página 1 pode ser esclarecida na página 8 e se tornar até mesmo uma coisa banal para seu estudo. Na segunda leitura, faça um resumo ou esquema apenas daquilo que você não entendeu ou possui dúvidas ou mesmo o que merece ser guardado. E o resto? Esquece. Você mesmo já chegou à conclusão de que já sabe esse resto. Mas seja humilde e não seja preguiçoso. A soberba é o que mais derruba candidatos. É aquele negócio de achar que sabe contabilidade só porque se formou em Ciências Contábeis. Aí que mora o perigo.

                    Desse resumo ou esquema preparado, assim que você perceber que entendeu o assunto risque-o também, até que este resumo seja mínimo e a teoria forçosamente esteja na sua cabeça. Aí é só partir para a resolução de exercícios. Quando você encontrar uma questão de prova da banca que você não acertou, imprima, recorte e coloque junto com seus resumos. Toda vez que for ler seus resumos leia também a questão. Aí o seu material estará completo e ninguém mais te pega. NÃO ESQUEÇA: FAÇA SEMPRE AS PROVAS ATUAIS DA BANCA PARA FICAR ATUALIZADO COM AS NOVAS TENDÊNCIAS.


                    PREPARAÇÃO

                    Como minha vida sempre foi nômade por conta da auditoria e da consultoria, eu tive que arranjar tempo, sendo este o bem mais precioso nessas profissões. Quem conhece alguém destas profissões sabe que o negócio é corrido: sai cedo de casa sem hora para voltar. Como já mencionei no decorrer da narrativa, minhas horas de estudo disponíveis eram no período noturno, geralmente das 20 às 0h, e nos finais de semana. Tive períodos de passar a noite trabalhando (até mesmo virar a noite) e alguns clientes que pediam coisas para passarmos os feriados e fds trabalhando...afff

                    No período noturno eu costumava estudar duas matérias por dia e aos finais de semana eu estudava duas matérias na manhã do sábado e depois do almoço sempre fazia uma prova de português da FCC, para já ir acostumando a concentração na leitura após o almoço, assim como seria na prova e, após isso, mais duas matérias. No domingo a mesma coisa, contudo acrescentava mais duas matérias no período noturno.

                    Eu resolvi apostar desde o começo que a banca seria a FCC e por isso sempre estudei pelas provas e materiais dessa banca. Em alguns momentos as apostas são essenciais, como decidir por não estudar alguma matéria ou até mesmo o contrário, estudar coisas que ainda não caem na prova. Para a prova de AFR acho isso desnecessário pois o que interessa mesmo é saber Legislação, Tributário e contabilidade.

                    Preparação por matéria:

                    Português

                    Como eu já mencionei, todo sábado e domingo após o almoço eu fazia uma prova de português da FCC para treinar como seria fazer uma prova de português com sono ou desconcentrado. Aqui é muito importante que você sempre anote o tempo e sua variação entre as provas, para saber o que mais te atrapalha. Eu não aconselho a fazer as provas de português das provas fiscais anteriores (AFR 2006, 2009 ou 2013 e ISS-SP 2007 e 2012) até ter feito exaustivamente outras provas da banca. Se você começar pelas provas fiscais achará as mesmas impossíveis de fazer, mas se feitas posteriormente, verá que é apenas uma forma diferente de cobrar a matéria pela banca e que não é tão difícil.

                    Material: comecei pelo livro do Décio Sena (Português FCC), e depois pelo Português FCC, da Lilian Furtado. Esse livro da Lilian, embora tenha uma teoria resumida, possui mais de 80% da teoria que você precisa saber para as provas da FCC. No final, fiz um curso do Marcondes Júnior no LFG para ficar com a matéria fresca na cabeça no dia da prova.

                    Raciocínio Crítico

                    Essa matéria é para testar a atenção na leitura. Não tem muito segredo, mas ainda assim comprei o material do Arthur Lima no Estratégia Concursos, para ver qual era esse bicho e me ajudou bastante.

                    ATUALIDADES

                    A maneira como foi cobrada essa matéria foi lamentável na prova AFR13. A FCC pisou feio na bola. Acredito que pediram conceitos muito específicos do cotidiano, entrando em questões partidárias e cinematográficas. O engraçado é que dias antes a banca havia preparado uma prova super inteligente para o concurso de Defensoria e depois escorregou desse jeito. Mas bola pra frente, vamos reclamar para quem, não é mesmo?

                    Aqui eu aconselho o candidato a se cadastrar no site “saber atualidades” pois eles enviam ao seu e-mail as notícias mais importantes de tempos em tempos, sem excesso. Aconselho ainda a fazer tópicos, na forma de resumos quando veicularem notícias importantes nos principais sites. Há ainda alguns sites específicos como o UOL atualidades e tantos outros para vestibulares que ajudam muito. São eles:

                    http://educacao.uol.com.br/disciplin...as-do-enem.htm

                    http://vestibular.uol.com.br/resumo-...ades/index.htm

                    http://guiadoestudante.abril.com.br/...r-710925.shtml

                    MATEMÁTICA FINANCEIRA

                    Eu estava muito bem preparado e tranqüilo nessa matéria mas eu havia estrategicamente optado um dia antes da prova em não fazê-la pois eu estava levando mais de 3 minutos para resolver cada questão por causa das contas, o que poderia comprometer outra matéria. Por fim, quem teve tempo pôde ganhar alguns pontinhos pois essa matéria estava muito fácil na prova.

                    Aqui eu estudei pelo livro de “Matemática Financeira FCC” do Wagner Carvalho. Se você optar por arriscar que a banca do próximo concurso será a FCC não vejo necessidade de buscar outro material, sempre se atualizando fazendo as provas mais recentes da FCC pois o livro contém questões até 2009.

                    ESTATÍSTICA

                    Desde o começo eu havia decidido em não fazer essa matéria na prova, mas nem por isso eu não estudei. Eu já tinha um material antigo do Sérgio Carvalho que deu uma boa noção dos conceitos e depois eu comprei o livro de Estatística FCC do Pedro Bello.

                    Você pode estar se perguntando o porquê de estudar uma matéria que eu não planejava fazer a prova mas a resposta é simples: se tivesse outra matéria impossível de fazer ou que estivesse com um grau de dificuldade altíssimo, aí eu agarraria em estatística para garantir uns pontinhos. No fim eu acabei não fazendo, mas ouvi comentários que estava muito fácil.

                    INGLÊS
                    Como eu nunca havia feito um curso de inglês, mas também não sou um zero à esquerda, eu fazia o seguinte: sempre que eu tinha uns 15 minutos eu entrava no site da CNN, do NYT ou do WPJ e lia uma reportagem, pois assim eu estudava inglês e atualidades de uma vez só. Eu anotava todas as palavras que eu não sabia e fiz um dicionário pessoal. Isso forçava o cérebro a se virar e decorar aquilo de uma forma ou de outra. Poucos dias antes da prova eu comprei as aulas da Ena Glaucia Smith (Estratégia Concursos) e era o que me faltava. Acertei 9 das 10.

                    ECONOMIA

                    Essa matéria eu acredito que tenha sido inserida para nivelar novos concurseiros com os mais experientes e também para ver como você se sai estudando um extenso material em tão pouco tempo. Nos primeiros dias o negócio parece ser de outro planeta, mas depois se percebe que há um raciocínio lógico baseado em poucos conceitos e aí tudo fica mais fácil. Eu penso que na prova o pessoal perdeu um pouco a linha, por pedirem no edital apenas noções gerais e ter cobrado conceitos mais difíceis do que nas provas específicas para economistas. Fazer o quê? Às vezes as bancas dão umas dessas.

                    O material recomendado aqui são as aulas em PDF do Héber Carvalho (Estratégia Concursos).

                    APU

                    Até sair o edital eu nunca havia estudado essa matéria. Era tudo novo para mim. Então fechei os olhos e comprei o primeiro material disponível que eu achei, pois não era mais tempo de saber se o material era bom ou não (até hoje não sei) mas alguma coisa eu deveria absorver. O material adquirido foi aulas em pdf do Rodrigo Rennó (Estratégia concursos). No fim das contas fui bem.

                    DIREITO

                    DIREITO CONSTITUCIONAL

                    Como eu já citei anteriormente, eu baixei a CF em áudio no site do Planalto e ouvia frequentemente quando eu estava em trânsito. Adicionalmente adquiri o livro de Resumo de Direito Constitucional do Vicente Paulo e do Marcelo Alexandrino.

                    Ainda assim é importante ter uma CF impressa e ler sempre que possível, pois muita coisa da FCC é literal mesmo, às vezes trocando uma palavra para confundir.

                    DIREITO TRIBUTÁRIO

                    Aqui não tem jeito, tem que decorar o CTN. Essa é a premissa básica. Mas não precisa ser tudo: concentre-se nos artigos 3 a 15 e 96 e ss.

                    Adicionalmente eu li o livro do Eduardo Sabbag mas em uma edição anterior (8ª edição), onde o livro ainda era fino (300 páginas). Para as provas fiscais da FCC não há necessidade de estudar jurisprudências ou longas doutrinas. Você precisará apenas de conceitos básicos.

                    Se você estiver com tempo e quiser se garantir de uma eventual surpresa, o livro de Direito Tributário Esquematizado do Ricardo Alexandre é bem completo e poderá servir para eventuais consultas posteriores.
                    Não esquecer de decorar os arts 145 e ss da CF.

                    DIREITO PENAL
                    Aqui eu li apenas o código penal na parte dos crimes contra a administração pública (art.312 e ss)

                    DIREITO CIVIL

                    Apenas li no código civil as partes referentes à sucessão, pois poderia ser base para a prova de legislação (ITCMD) como foi em 2009. No fim das contas nem precisou. Se você comprar o livro de exercícios comentados do Rosa e do Salaberry, nem precisa ler o Código Civil.

                    AUDITORIA

                    Aqui a coisa mudou muito. Eu trabalhei um longo período em auditoria externa e sempre estive muito próximo dessa atividade, mas o que a FCC vem fazendo não tem muito a ver com estes conceitos desta matéria. Eu vinha estudando pelo livro de Auditoria do Davi Barreto e lendo os normativos do Ibracon, mas depois que eu vi a prova de auditoria aplicada pela FCC no ISS-SP 2012 sabia que a coisa nunca mais seria a mesma. Até 2009 bastava uma simples lida em qualquer apostila, livro, aula em Pdf e bons pontos seriam garantidos. Hoje a prova é mais contábil do que de auditoria, e em nível elevadíssimo. Acredito que isso forçará que os autores preparem livros melhores, mas até o momento aconselho o do Davi Barreto.

                    CONTABILIDADE

                    Aqui é onde o bicho pega para muita gente, mas não tem segredo. No começo eu estudei por materiais diversos até chegar ao Livro de Contabilidade Avançada do Ricardo Ferreira. O livro me fez ganhar confiança e entender a contabilidade como a banca pede e isso é importante. Estudei por ele por muito tempo mas via que quando eu fazia as provas da FCC para treinar eu ficava com 70 a 80% de acerto. Foi aí que entrou o Marcondinho, que deu algumas aulas no reta final do LFG. O Marcondinho pegou todas as questões recentes das provas da FCC, fez um resumo dos principais pontos pedidos nas provas e explicou um a um. O que eu percebi? Percebi que a FCC está passando por um período de transição na forma de cobrar as questões de contabilidade devido às alterações posteriores às Leis 11.638 e 11.941. Daí pra frente meus acertos sempre beiraram os 100%. Moral da história: o livro do Ricardo Ferreira é bom, mas os exercícios não acompanharam as alterações trazidas pela FCC.

                    Resumindo: é possível estudar pelos livros do Ricardo Ferreira, mas sempre faça as provas mais recentes de contabilidade para verificar onde a banca está inovando.

                    Contabilidade de Custos: essa é uma matéria de atenção, para ganhar pontos. Aqui não há necessidade de muita técnica e os conceitos são poucos e repetitivos. Se a prova for da FCC, o livro de Contabilidade de Custos da FCC é mais do que suficiente para gabaritar.

                    Legislação

                    Essa é uma das matérias que faz a diferença e por isso eu arranjava tempo de estudar todo santo dia pelo menos uma hora. Para começar, vale a pena comprar o livro do José Rosa para quebrar o gelo. O livro é bem simples e de linguagem fácil, mas não se iluda que apenas ele te aprovará. Como eu gabaritei essa matéria, não sei onde exagerei, mas fiz o seguinte: lia alguma parte do RICMS e das leis do IPVA, ITCMD e PAT todo santo dia. Quando eu sentava para estudar, no princípio lia o livro “Curso básico de ICMS” do José Rosa e depois comecei a ler o livro de ST do mesmo autor. No fim da preparação cheguei a fazer um curso com o Tudão (bom professor) mas eu já estava tão bom que nada me adicionou.

                    Para o PAT faça esquemas. Entenda o fluxo dos processos. Fica mais fácil do que decorar todos os normativos, senão a tendência é que você misture conceitos na hora da prova.

                    Para fins do ITCMD, eu aconselho a estudar a parte do código civil que fala sobre sucessão (arts. 1829 e SS). Muitos conceitos foram explorados na prova de 2009 e pode voltar a ser cobrado.

                    Por fim, fica a dica para comprarem o livro de exercício do Rosa e do Salaberry, que embora em alguns momentos eu acho que eles perdem um pouco o foco, mas é um livro excelente para lembrar a matéria.

                    PROVAS

                    As provas de AFR possuem uma estratégia específica e quem não a percebe desde o início dos estudos, fica para trás.

                    Como já mencionado, vamos expor o peso de cada matéria:

                    Legislação Tributária do Estado de SP..........65
                    Contabilidade Avançada e Custos.................65
                    Direito Tributário........................................ ..50
                    Português......................................... .............30
                    Economia e Fin. Pub......................................20
                    Direito........................................... ................20
                    TI................................................ ...................20
                    Raciocínio Crítico.........................................10
                    Atualidades....................................... ...........10
                    Auditoria......................................... ..............10
                    APU............................................... ................10
                    Inglês............................................ .................10
                    Matemática / Estatística...............................10
                    Direito Constitucional...................................1 0
                    Total............................................. ................340

                    Perceba que o foco dos estudos deve ser direcionado para as matérias de legislação, tributário e contabilidade, que corresponde a mais de 50% dos pontos da prova, ou seja, o que aprova é saber muito bem essas 3 matérias. Nas demais, basta ser razoável.

                    P1

                    Essa prova é a mais estratégica de todas. É universal o entendimento de que você não terá tempo para fazê-la completamente como queria. Você pode até fazê-la inteira, mas com o tempo disponível, a precipitação e a ansiedade deve ser contida sob pena de perder vários pontos. Aqui você deve ter calma e fazer a prova bem concentrado. Esquece o mundo lá fora, esquece seu vizinho comendo salgadinhos e chocolate toda hora (até porque esse já tá fora: não dá tempo de sentir fome nessa prova). Esteja psicologicamente envolvido pela prova. É teste de frieza e concentração e por isso temos diversos assuntos: raciocínio crítico, cálculos, atualidades, ingês, economia...sacou? O intuito é fazer o candidato estressar e se perder nos raciocínios e acelera e desacelera de cálculo para texto.

                    O meu esquema foi estipular tempos, para que minha ansiedade não me deixasse extrapolar alguma matéria ou não fazer o que havia planejado. Estipulei os seguintes tempos e na seguinte ordem:

                    Economia.................50min
                    Atualidades..............20min
                    APU..........................20min
                    RC............................25min
                    Inglês.......................25min
                    Português...............1h05min
                    Matfin/Estatística...15min
                    Gabarito.................20min

                    No fim das contas eu acabei usando o tempo de Matfin/estatística para português, pois estava quente no assunto e achei que saindo da linha textual para contas eu poderia perder tempo, além do que eu estava levando mais de 3 minutos para resolver cada questão de Matemática nos meus preparativos.

                    Mas como controlar o tempo exatamente se eu não posso usar relógio digital? Simples! Coloque o relógio analógico (de ponteiros) no meio dia e a hora que começar a prova você solta.


                    P2
                    Essa prova é para relaxar. Depois da cacetada que você leva na P1, assim aqui o pessoal tira de letra, mas é muito importante, por isso mesmo, pontuar bem, até para chegar com menos pressão na P3 e cobrir alguma eventual deficiência na P1.

                    Não precisa elaborar algum planejamento de tempo ou algo semelhante, apenas concentre-se para perder questões bobas.

                    P3

                    Aqui você deve estar no melhor do seu preparo. Embora seja a última prova e você já estar cansado físico e mentalmente, essa é a hora de separar os candidatos prontos dos candidatos novatos, os homens dos meninos. Aqui tem que colocar o melhor para fora, mostrar confiança e conhecimento. Essa é a prova que realmente aprova e qualifica.

                    Não há necessidade de controle de tempo, mas precisa ter controle de ansiedade. É normal que nos minutos finais da prova apareça a ansiedade de querer se livrar logo dela, mas você deve aproveitar cada minuto que reste para revisar e verificar se não bobeou em alguma questão. Ora bolas, não serão alguns minutos revisando que estressarão alguém que se prepara há anos não é mesmo? Então paciência e aproveite todo o tempo.

                    Pós Prova

                    Um dos sentimentos mais inexplicáveis é após a prova. É um sentimento de que você fez o que poderia ser feito e que agora está nas mãos de Deus.
                    É estranho chegar em casa, após tanta disciplina, e não ter que estudar...Fica um vazio enorme. Parece que alguma coisa está errada.

                    No dia seguinte, quando sai o gabarito e você verifica que fez um boa pontuação...isso é indescritível. É uma euforia danada para toda a família. É contagiante. Bem mais do que ver seu nome no DOE, pois nesse momento você já meio que espera um bom resultado.

                    De qualquer forma, espero poder ter ajudado de alguma forma e se quiserem apoio no planejamento ou nos estudos, estarei à disposição para ajuda-los.
                    Valeu, Mestre. Com certeza esses detalhes fazem a grande diferença entre aprovação e reprovação!

                    Comentário

                    • aguialemos
                      • 25/02/09
                      • 46

                      #11
                      Re: ICMS/SP- Como venci, principais erros, trajetória e bibliografia

                      Parabens, vc é um vencedor. O seu tempo de preparo foi quanto tempo. Eu como vc, sou uma pessoa que não tenho tempo e sempre no final do dia fico bastante chateada, pq tem dias que consigo cumprir minh meta de estudos, outras vezes não. Vc passou quanto tempo se preparando mesmo, pra se sentir pronto, preparado

                      Comentário

                      • M a r i a n a
                        • 31/05/13
                        • 21

                        #12
                        Re: ICMS/SP- Como venci, principais erros, trajetória e bibliografia

                        Quero dizer a você que fiquei tocada com sua trajetória. Parabéns!
                        Você conseguiu me fazer enxergar pontos até então nebulosos.
                        Absorvi dicas que compartilhou e me senti reenergizada.
                        Muito obrigada e, mais uma vez, meus parabéns!



                        Comentário

                        • jneto91
                          • 05/10/11
                          • 1049

                          #13
                          Re: ICMS/SP- Como venci, principais erros, trajetória e bibliografia

                          Originally posted by Mestre View Post
                          Olá Jneto91. Eu fazia todas as questões da banca que eu encontrava pela frente em provas novas e antigas (PCI Concursos). Importante sempre olhar o site da banca para saber se publicaram alguma prova nova, pois as bancas adoram tendências, até para que haja inovação nas questões e evitarem cair na mesmice.

                          É muito importante fazer um banco de dados de todas as questões que você errou ou teve dificuldades em resolver, seja impresso ou no computador. Eu particularmente imprimia, recortava e colocava junto com meus resumos e as lia toda vez que lia os resumos, até ficar enjoativa.

                          Uma boa ajuda no começo é comprar livros que trazem questões comentadas da banca.
                          Valeu!

                          Então você não usou sites como Questões de Concursos ou softwares como o Super Provas? Ficou só na resolução das provas anteriores, mesmo?

                          Comentário

                          • Mestre
                            • 29/11/11
                            • 46

                            #14
                            Re: ICMS/SP- Como venci, principais erros, trajetória e bibliografia

                            Originally posted by aguialemos View Post
                            Parabens, vc é um vencedor. O seu tempo de preparo foi quanto tempo. Eu como vc, sou uma pessoa que não tenho tempo e sempre no final do dia fico bastante chateada, pq tem dias que consigo cumprir minh meta de estudos, outras vezes não. Vc passou quanto tempo se preparando mesmo, pra se sentir pronto, preparado
                            Olá aguialemos! A questão de não ter tempo é bem relativa, pois eu percebi que quanto menos tempo eu tinha, mas concentrado eu estudava. Por isso é sempre importante, ainda que tenha tempo de sobra, que estipule um tempo para cada matéria.

                            Eu comecei a estudar em 2003, mas até 2007 eu ia muito devagar, estudava como passatempo. No começo de 2011 resolvi passar e dedicava cada minuto livre (embora pouco) nos estudos. Mas não posso dizer que nesse momento eu comecei do zero, pois aquele pouquinho que eu estudava antes fez grande diferença.

                            Então eu penso assim: ainda que tenha pouco tempo para estudar, estude. Leia um resumo. Parece que você não aprendeu nada, mas o cérebro continuará processando aquela informação.

                            Acho que nenhum concurseiro se considera pronto. Na véspera da prova, por mais que você tenha se preparado, sempre ficará com a impressão de que falta algo. Por isso é importante fazer provas da banca. Além de aprender, ela te mostra o resultado dos seus estudos. Quando eu começava a acertar 80% de uma disciplina na prova era sinal de que estava no caminho certo.

                            Faça esse teste: se estiver indo bem nas provas da banca, mantenha o modo de estudo. Caso contrário, pode ser hora de rever.

                            Comentário

                            • Mestre
                              • 29/11/11
                              • 46

                              #15
                              Re: ICMS/SP- Como venci, principais erros, trajetória e bibliografia

                              Originally posted by jneto91 View Post
                              Valeu!

                              Então você não usou sites como Questões de Concursos ou softwares como o Super Provas? Ficou só na resolução das provas anteriores, mesmo?
                              No meu caso usei só as provas anteriores mesmo. Nunca utilizei estes sites, então não consigo avaliá-los.

                              Se lá tiver uma coletânea de questões organizadas por banca e for atualizado com provas recentes, acho bem interessante.

                              Comentário

                              • Holmes
                                • 11/12/12
                                • 52

                                #16
                                Re: ICMS/SP- Como venci, principais erros, trajetória e bibliografia

                                Mestre, parabéns.
                                Tenho uma trajetória bem parecida com a sua. Trabalhei em empresa de auditoria externa na consultoria tributária desde 2001, tentava o ICMS desde 2006 e passei agora em 2013. Quem sabe não trabalhamos na mesma empresa?
                                Pedi demissão do emprego em dez/12 e fiquei só estudando, o que me ajudou muito.

                                Comentário

                                • VanessaS
                                  • 19/11/12
                                  • 3

                                  #17
                                  Re: ICMS/SP- Como venci, principais erros, trajetória e bibliografia

                                  [/LATEX][/LATEX]
                                  Originally posted by Mestre View Post
                                  Serei redundante a outros colegas mas não vejo outra forma de iniciar meu depoimento sem mencionar que ao FINAL, tudo VALEU A PENA.

                                  Eu cometi inúmeros erros na minha preparação sendo muitos deles por conta de ser um estudante solitário na maior parte da jornada e vou relatá-los um a um para que de alguma forma os leitores os identifiquem e os evitem.

                                  Bom: partamos do princípio. Nunca tratei o concurso como a solução dos meus problemas. Na verdade eu o tratava como uma alternativa, uma opção, caso algum dia eu ficasse sem emprego, e aí pensava que, se eu de fato perdesse o emprego, estudaria dedicado por pouco tempo e passaria em alguma coisa. Esse raciocínio traz vários equívocos. O primeiro deles é o de que uma preparação para concurso requer foco. Não que não seja possível trabalhar e estudar, mas é necessário respirar e transpirar concurso sempre. Outro equívoco é o de pensar que estudando um pouco seria possível passar em algum concurso. Isso é uma meia verdade. Estudando pouco dificilmente será possível ser aprovado em algum concurso de ponta, a não ser que a pessoa seja muito fora da curva e esse não é o meu caso. Em linha a esse raciocínio eu não considerava que os bons concursos têm sua periodicidade, ou seja, nós esperamos o concurso e não ele espera por nós. Ainda que eu estivesse preparado, quem falou que haveria um concurso a curto prazo? Pois então... mais um erro.

                                  Na época em que eu pensei em iniciar os estudos eu era assistente de auditoria independente e pensava que não deveria me preocupar muito em estudar contabilidade e auditoria, pois já sabia o suficiente. Realmente eu sabia demais e tive grande facilidade nos estudos, mas eu não sabia contabilidade e auditoria como as bancas cobravam. Esse é um erro que cometi no começo: você não precisa ser bom em determinado assunto para ir bem em uma prova, mas você precisa saber exatamente como a banca exigirá aquele assunto. São coisas totalmente distintas. Com isso em mente, quando eu já era semi-sênior de auditoria recebi a proposta de ser sênior em consultoria tributária, pensando que assim teria mais proximidade dos tributos e poderia aproveitar a bolsa de estudos que a empresa concedia para eu cursar direito. ESSE FOI MEU MAIOR ERRO. Eu acreditei que o curso de direito ajudaria a ter um desempenho muito melhor nestas disciplinas. GRANDE BESTEIRA! Perdi um ano e meio da minha preparação por conta da faculdade e o que me agregou para fins de preparação? Praticamente nada.

                                  Tudo começou a mudar em 2007 quando fiz um curso para carreiras fiscais no LFG e comecei a ter contato com outras pessoas e com professores direcionados. Toda a informação que eu já tinha na cabeça começou a ser direcionada para a prova e aí o foco ficou mais bem definido. Passei a comprar materiais corretos e a coisa começou a fazer sentido.

                                  Em 2008, mudei de emprego e de cidade, pois com meus estudos para concurso a minha melhoria profissional foi absurda: sabia legislações na ponta da língua e conhecia muito bem os tributos. Nessa época eu já era gerente e tinha um salário muito bom, equiparado ou maior do que o do cargo de AFR, mas o desejo nunca apagou.

                                  Fiz a prova em para AFR 2009 sem muita pretensão e fiz 56% da prova e isso me chamou a atenção, pensando que se eu estudasse um pouco mais daria pé, em que pese esse salto de 20% na pontuação seja o mais complicado, pois é a sintonia fina do candidato.

                                  Até 2011, fui estudando bem devagar, até que em março conheci um cara que é AFRF. O cara é super comum e havia sido aprovado em 2005. Aí pensei comigo: se ele pode eu também posso. Aí resolvi passar logo em um concurso: comprei vários materiais até encontrar os adequados, intensifiquei os estudos e planejei os mínimos detalhes para uma possível prova em 2012. Neste momento o trabalho ficou para segundo plano. Embora eu continuasse viajando muito, gravei em áudio o CTN (encontrei na internet) e a CF (peguei no site do planalto). A ideia era não perder tempo. Comprei um Iphone para levar material em pdf comigo e poder ler em qualquer lugar (esperando em recepção de empresas, viagem de avião, aeroportos, recepção de médico, fila) e assim todo tempo era hora de estudar. Material de leitura eu levava para estudar a noite no hotel e levava junto uma luminária 110V e outra 220V, pois no começo lembro de ter perdido alguma concentração com a escuridão de alguns quartos de hotel. Sair para jantar com os colegas de trabalho durante a semana, nunca mais. Só comia no quarto e quanto mais rápido melhor. TV? Esquece. Não agrega nada. O negócio era foco total. E sábado e domingo? Sempre estudando, exceto sábado a noite para sair um pouco com a família (esposa e duas filhas pequenas).

                                  Fui nesse ritmo até a divulgação do edital. Quando saiu o edital, fiquei apavorado ao ver que teria que estudar economia, finanças públicas e TI. Tive que planejar todos os passos. Tirei janeiro para encerrar todos os trabalhos que eu tinha pendente na consultoria e de fevereiro até o dia da prova não trabalhei, apenas estudei. Eu tinha mais de 100 dias de férias para tirar e usei 50 para dar um foco final. Isso fez toda a diferença. Existem informações que devem estar na “ponta da língua” na hora da prova e isso só se faz decorando na véspera.

                                  GOLPE DE MESTRE

                                  É impressionante como vejo candidatos lendo livros, aulas em PDF, vídeos ou apostilas por mais de 10 vezes. Se você está fazendo isso e ainda não entendeu a matéria alguma coisa está errada. O Golpe de Mestre é o seguinte: leia uma vez o tema para que possa entendê-lo de uma forma geral. Por que na primeira leitura não vale a pena fazer um resumo? Porque a sua dúvida na página 1 pode ser esclarecida na página 8 e se tornar até mesmo uma coisa banal para seu estudo. Na segunda leitura, faça um resumo ou esquema apenas daquilo que você não entendeu ou possui dúvidas ou mesmo o que merece ser guardado. E o resto? Esquece. Você mesmo já chegou à conclusão de que já sabe esse resto. Mas seja humilde e não seja preguiçoso. A soberba é o que mais derruba candidatos. É aquele negócio de achar que sabe contabilidade só porque se formou em Ciências Contábeis. Aí que mora o perigo.

                                  Desse resumo ou esquema preparado, assim que você perceber que entendeu o assunto risque-o também, até que este resumo seja mínimo e a teoria forçosamente esteja na sua cabeça. Aí é só partir para a resolução de exercícios. Quando você encontrar uma questão de prova da banca que você não acertou, imprima, recorte e coloque junto com seus resumos. Toda vez que for ler seus resumos leia também a questão. Aí o seu material estará completo e ninguém mais te pega. NÃO ESQUEÇA: FAÇA SEMPRE AS PROVAS ATUAIS DA BANCA PARA FICAR ATUALIZADO COM AS NOVAS TENDÊNCIAS.


                                  PREPARAÇÃO

                                  Como minha vida sempre foi nômade por conta da auditoria e da consultoria, eu tive que arranjar tempo, sendo este o bem mais precioso nessas profissões. Quem conhece alguém destas profissões sabe que o negócio é corrido: sai cedo de casa sem hora para voltar. Como já mencionei no decorrer da narrativa, minhas horas de estudo disponíveis eram no período noturno, geralmente das 20 às 0h, e nos finais de semana. Tive períodos de passar a noite trabalhando (até mesmo virar a noite) e alguns clientes que pediam coisas para passarmos os feriados e fds trabalhando...afff

                                  No período noturno eu costumava estudar duas matérias por dia e aos finais de semana eu estudava duas matérias na manhã do sábado e depois do almoço sempre fazia uma prova de português da FCC, para já ir acostumando a concentração na leitura após o almoço, assim como seria na prova e, após isso, mais duas matérias. No domingo a mesma coisa, contudo acrescentava mais duas matérias no período noturno.

                                  Eu resolvi apostar desde o começo que a banca seria a FCC e por isso sempre estudei pelas provas e materiais dessa banca. Em alguns momentos as apostas são essenciais, como decidir por não estudar alguma matéria ou até mesmo o contrário, estudar coisas que ainda não caem na prova. Para a prova de AFR acho isso desnecessário pois o que interessa mesmo é saber Legislação, Tributário e contabilidade.

                                  Preparação por matéria:

                                  Português

                                  Como eu já mencionei, todo sábado e domingo após o almoço eu fazia uma prova de português da FCC para treinar como seria fazer uma prova de português com sono ou desconcentrado. Aqui é muito importante que você sempre anote o tempo e sua variação entre as provas, para saber o que mais te atrapalha. Eu não aconselho a fazer as provas de português das provas fiscais anteriores (AFR 2006, 2009 ou 2013 e ISS-SP 2007 e 2012) até ter feito exaustivamente outras provas da banca. Se você começar pelas provas fiscais achará as mesmas impossíveis de fazer, mas se feitas posteriormente, verá que é apenas uma forma diferente de cobrar a matéria pela banca e que não é tão difícil.

                                  Material: comecei pelo livro do Décio Sena (Português FCC), e depois pelo Português FCC, da Lilian Furtado. Esse livro da Lilian, embora tenha uma teoria resumida, possui mais de 80% da teoria que você precisa saber para as provas da FCC. No final, fiz um curso do Marcondes Júnior no LFG para ficar com a matéria fresca na cabeça no dia da prova.

                                  Raciocínio Crítico

                                  Essa matéria é para testar a atenção na leitura. Não tem muito segredo, mas ainda assim comprei o material do Arthur Lima no Estratégia Concursos, para ver qual era esse bicho e me ajudou bastante.

                                  ATUALIDADES

                                  A maneira como foi cobrada essa matéria foi lamentável na prova AFR13. A FCC pisou feio na bola. Acredito que pediram conceitos muito específicos do cotidiano, entrando em questões partidárias e cinematográficas. O engraçado é que dias antes a banca havia preparado uma prova super inteligente para o concurso de Defensoria e depois escorregou desse jeito. Mas bola pra frente, vamos reclamar para quem, não é mesmo?

                                  Aqui eu aconselho o candidato a se cadastrar no site “saber atualidades” pois eles enviam ao seu e-mail as notícias mais importantes de tempos em tempos, sem excesso. Aconselho ainda a fazer tópicos, na forma de resumos quando veicularem notícias importantes nos principais sites. Há ainda alguns sites específicos como o UOL atualidades e tantos outros para vestibulares que ajudam muito. São eles:

                                  http://educacao.uol.com.br/disciplin...as-do-enem.htm

                                  http://vestibular.uol.com.br/resumo-...ades/index.htm

                                  http://guiadoestudante.abril.com.br/...r-710925.shtml

                                  MATEMÁTICA FINANCEIRA

                                  Eu estava muito bem preparado e tranqüilo nessa matéria mas eu havia estrategicamente optado um dia antes da prova em não fazê-la pois eu estava levando mais de 3 minutos para resolver cada questão por causa das contas, o que poderia comprometer outra matéria. Por fim, quem teve tempo pôde ganhar alguns pontinhos pois essa matéria estava muito fácil na prova.

                                  Aqui eu estudei pelo livro de “Matemática Financeira FCC” do Wagner Carvalho. Se você optar por arriscar que a banca do próximo concurso será a FCC não vejo necessidade de buscar outro material, sempre se atualizando fazendo as provas mais recentes da FCC pois o livro contém questões até 2009.

                                  ESTATÍSTICA

                                  Desde o começo eu havia decidido em não fazer essa matéria na prova, mas nem por isso eu não estudei. Eu já tinha um material antigo do Sérgio Carvalho que deu uma boa noção dos conceitos e depois eu comprei o livro de Estatística FCC do Pedro Bello.

                                  Você pode estar se perguntando o porquê de estudar uma matéria que eu não planejava fazer a prova mas a resposta é simples: se tivesse outra matéria impossível de fazer ou que estivesse com um grau de dificuldade altíssimo, aí eu agarraria em estatística para garantir uns pontinhos. No fim eu acabei não fazendo, mas ouvi comentários que estava muito fácil.

                                  INGLÊS
                                  Como eu nunca havia feito um curso de inglês, mas também não sou um zero à esquerda, eu fazia o seguinte: sempre que eu tinha uns 15 minutos eu entrava no site da CNN, do NYT ou do WPJ e lia uma reportagem, pois assim eu estudava inglês e atualidades de uma vez só. Eu anotava todas as palavras que eu não sabia e fiz um dicionário pessoal. Isso forçava o cérebro a se virar e decorar aquilo de uma forma ou de outra. Poucos dias antes da prova eu comprei as aulas da Ena Glaucia Smith (Estratégia Concursos) e era o que me faltava. Acertei 9 das 10.

                                  ECONOMIA

                                  Essa matéria eu acredito que tenha sido inserida para nivelar novos concurseiros com os mais experientes e também para ver como você se sai estudando um extenso material em tão pouco tempo. Nos primeiros dias o negócio parece ser de outro planeta, mas depois se percebe que há um raciocínio lógico baseado em poucos conceitos e aí tudo fica mais fácil. Eu penso que na prova o pessoal perdeu um pouco a linha, por pedirem no edital apenas noções gerais e ter cobrado conceitos mais difíceis do que nas provas específicas para economistas. Fazer o quê? Às vezes as bancas dão umas dessas.

                                  O material recomendado aqui são as aulas em PDF do Héber Carvalho (Estratégia Concursos).

                                  APU

                                  Até sair o edital eu nunca havia estudado essa matéria. Era tudo novo para mim. Então fechei os olhos e comprei o primeiro material disponível que eu achei, pois não era mais tempo de saber se o material era bom ou não (até hoje não sei) mas alguma coisa eu deveria absorver. O material adquirido foi aulas em pdf do Rodrigo Rennó (Estratégia concursos). No fim das contas fui bem.

                                  DIREITO

                                  DIREITO CONSTITUCIONAL

                                  Como eu já citei anteriormente, eu baixei a CF em áudio no site do Planalto e ouvia frequentemente quando eu estava em trânsito. Adicionalmente adquiri o livro de Resumo de Direito Constitucional do Vicente Paulo e do Marcelo Alexandrino.

                                  Ainda assim é importante ter uma CF impressa e ler sempre que possível, pois muita coisa da FCC é literal mesmo, às vezes trocando uma palavra para confundir.

                                  DIREITO TRIBUTÁRIO

                                  Aqui não tem jeito, tem que decorar o CTN. Essa é a premissa básica. Mas não precisa ser tudo: concentre-se nos artigos 3 a 15 e 96 e ss.

                                  Adicionalmente eu li o livro do Eduardo Sabbag mas em uma edição anterior (8ª edição), onde o livro ainda era fino (300 páginas). Para as provas fiscais da FCC não há necessidade de estudar jurisprudências ou longas doutrinas. Você precisará apenas de conceitos básicos.

                                  Se você estiver com tempo e quiser se garantir de uma eventual surpresa, o livro de Direito Tributário Esquematizado do Ricardo Alexandre é bem completo e poderá servir para eventuais consultas posteriores.
                                  Não esquecer de decorar os arts 145 e ss da CF.

                                  DIREITO PENAL
                                  Aqui eu li apenas o código penal na parte dos crimes contra a administração pública (art.312 e ss)

                                  DIREITO CIVIL

                                  Apenas li no código civil as partes referentes à sucessão, pois poderia ser base para a prova de legislação (ITCMD) como foi em 2009. No fim das contas nem precisou. Se você comprar o livro de exercícios comentados do Rosa e do Salaberry, nem precisa ler o Código Civil.

                                  AUDITORIA

                                  Aqui a coisa mudou muito. Eu trabalhei um longo período em auditoria externa e sempre estive muito próximo dessa atividade, mas o que a FCC vem fazendo não tem muito a ver com estes conceitos desta matéria. Eu vinha estudando pelo livro de Auditoria do Davi Barreto e lendo os normativos do Ibracon, mas depois que eu vi a prova de auditoria aplicada pela FCC no ISS-SP 2012 sabia que a coisa nunca mais seria a mesma. Até 2009 bastava uma simples lida em qualquer apostila, livro, aula em Pdf e bons pontos seriam garantidos. Hoje a prova é mais contábil do que de auditoria, e em nível elevadíssimo. Acredito que isso forçará que os autores preparem livros melhores, mas até o momento aconselho o do Davi Barreto.

                                  CONTABILIDADE

                                  Aqui é onde o bicho pega para muita gente, mas não tem segredo. No começo eu estudei por materiais diversos até chegar ao Livro de Contabilidade Avançada do Ricardo Ferreira. O livro me fez ganhar confiança e entender a contabilidade como a banca pede e isso é importante. Estudei por ele por muito tempo mas via que quando eu fazia as provas da FCC para treinar eu ficava com 70 a 80% de acerto. Foi aí que entrou o Marcondinho, que deu algumas aulas no reta final do LFG. O Marcondinho pegou todas as questões recentes das provas da FCC, fez um resumo dos principais pontos pedidos nas provas e explicou um a um. O que eu percebi? Percebi que a FCC está passando por um período de transição na forma de cobrar as questões de contabilidade devido às alterações posteriores às Leis 11.638 e 11.941. Daí pra frente meus acertos sempre beiraram os 100%. Moral da história: o livro do Ricardo Ferreira é bom, mas os exercícios não acompanharam as alterações trazidas pela FCC.

                                  Resumindo: é possível estudar pelos livros do Ricardo Ferreira, mas sempre faça as provas mais recentes de contabilidade para verificar onde a banca está inovando.

                                  Contabilidade de Custos: essa é uma matéria de atenção, para ganhar pontos. Aqui não há necessidade de muita técnica e os conceitos são poucos e repetitivos. Se a prova for da FCC, o livro de Contabilidade de Custos da FCC é mais do que suficiente para gabaritar.

                                  Legislação

                                  Essa é uma das matérias que faz a diferença e por isso eu arranjava tempo de estudar todo santo dia pelo menos uma hora. Para começar, vale a pena comprar o livro do José Rosa para quebrar o gelo. O livro é bem simples e de linguagem fácil, mas não se iluda que apenas ele te aprovará. Como eu gabaritei essa matéria, não sei onde exagerei, mas fiz o seguinte: lia alguma parte do RICMS e das leis do IPVA, ITCMD e PAT todo santo dia. Quando eu sentava para estudar, no princípio lia o livro “Curso básico de ICMS” do José Rosa e depois comecei a ler o livro de ST do mesmo autor. No fim da preparação cheguei a fazer um curso com o Tudão (bom professor) mas eu já estava tão bom que nada me adicionou.

                                  Para o PAT faça esquemas. Entenda o fluxo dos processos. Fica mais fácil do que decorar todos os normativos, senão a tendência é que você misture conceitos na hora da prova.

                                  Para fins do ITCMD, eu aconselho a estudar a parte do código civil que fala sobre sucessão (arts. 1829 e SS). Muitos conceitos foram explorados na prova de 2009 e pode voltar a ser cobrado.

                                  Por fim, fica a dica para comprarem o livro de exercício do Rosa e do Salaberry, que embora em alguns momentos eu acho que eles perdem um pouco o foco, mas é um livro excelente para lembrar a matéria.

                                  PROVAS

                                  As provas de AFR possuem uma estratégia específica e quem não a percebe desde o início dos estudos, fica para trás.

                                  Como já mencionado, vamos expor o peso de cada matéria:

                                  Legislação Tributária do Estado de SP..........65
                                  Contabilidade Avançada e Custos.................65
                                  Direito Tributário........................................ ..50
                                  Português......................................... .............30
                                  Economia e Fin. Pub......................................20
                                  Direito........................................... ................20
                                  TI................................................ ...................20
                                  Raciocínio Crítico.........................................10
                                  Atualidades....................................... ...........10
                                  Auditoria......................................... ..............10
                                  APU............................................... ................10
                                  Inglês............................................ .................10
                                  Matemática / Estatística...............................10
                                  Direito Constitucional...................................1 0
                                  Total............................................. ................340

                                  Perceba que o foco dos estudos deve ser direcionado para as matérias de legislação, tributário e contabilidade, que corresponde a mais de 50% dos pontos da prova, ou seja, o que aprova é saber muito bem essas 3 matérias. Nas demais, basta ser razoável.

                                  P1

                                  Essa prova é a mais estratégica de todas. É universal o entendimento de que você não terá tempo para fazê-la completamente como queria. Você pode até fazê-la inteira, mas com o tempo disponível, a precipitação e a ansiedade deve ser contida sob pena de perder vários pontos. Aqui você deve ter calma e fazer a prova bem concentrado. Esquece o mundo lá fora, esquece seu vizinho comendo salgadinhos e chocolate toda hora (até porque esse já tá fora: não dá tempo de sentir fome nessa prova). Esteja psicologicamente envolvido pela prova. É teste de frieza e concentração e por isso temos diversos assuntos: raciocínio crítico, cálculos, atualidades, ingês, economia...sacou? O intuito é fazer o candidato estressar e se perder nos raciocínios e acelera e desacelera de cálculo para texto.

                                  O meu esquema foi estipular tempos, para que minha ansiedade não me deixasse extrapolar alguma matéria ou não fazer o que havia planejado. Estipulei os seguintes tempos e na seguinte ordem:

                                  Economia.................50min
                                  Atualidades..............20min
                                  APU..........................20min
                                  RC............................25min
                                  Inglês.......................25min
                                  Português...............1h05min
                                  Matfin/Estatística...15min
                                  Gabarito.................20min

                                  No fim das contas eu acabei usando o tempo de Matfin/estatística para português, pois estava quente no assunto e achei que saindo da linha textual para contas eu poderia perder tempo, além do que eu estava levando mais de 3 minutos para resolver cada questão de Matemática nos meus preparativos.

                                  Mas como controlar o tempo exatamente se eu não posso usar relógio digital? Simples! Coloque o relógio analógico (de ponteiros) no meio dia e a hora que começar a prova você solta.


                                  P2
                                  Essa prova é para relaxar. Depois da cacetada que você leva na P1, assim aqui o pessoal tira de letra, mas é muito importante, por isso mesmo, pontuar bem, até para chegar com menos pressão na P3 e cobrir alguma eventual deficiência na P1.

                                  Não precisa elaborar algum planejamento de tempo ou algo semelhante, apenas concentre-se para perder questões bobas.

                                  P3

                                  Aqui você deve estar no melhor do seu preparo. Embora seja a última prova e você já estar cansado físico e mentalmente, essa é a hora de separar os candidatos prontos dos candidatos novatos, os homens dos meninos. Aqui tem que colocar o melhor para fora, mostrar confiança e conhecimento. Essa é a prova que realmente aprova e qualifica.

                                  Não há necessidade de controle de tempo, mas precisa ter controle de ansiedade. É normal que nos minutos finais da prova apareça a ansiedade de querer se livrar logo dela, mas você deve aproveitar cada minuto que reste para revisar e verificar se não bobeou em alguma questão. Ora bolas, não serão alguns minutos revisando que estressarão alguém que se prepara há anos não é mesmo? Então paciência e aproveite todo o tempo.

                                  Pós Prova

                                  Um dos sentimentos mais inexplicáveis é após a prova. É um sentimento de que você fez o que poderia ser feito e que agora está nas mãos de Deus.
                                  É estranho chegar em casa, após tanta disciplina, e não ter que estudar...Fica um vazio enorme. Parece que alguma coisa está errada.

                                  No dia seguinte, quando sai o gabarito e você verifica que fez um boa pontuação...isso é indescritível. É uma euforia danada para toda a família. É contagiante. Bem mais do que ver seu nome no DOE, pois nesse momento você já meio que espera um bom resultado.

                                  De qualquer forma, espero poder ter ajudado de alguma forma e se quiserem apoio no planejamento ou nos estudos, estarei à disposição para ajuda-los.
                                  Adorei o depoimento. Desculpe a minha ignorância, mas o que significa "ss" em: Aqui eu li apenas o código penal na parte dos crimes contra a administração pública (art.312 e ss)?

                                  Comentário

                                  • andredalberto
                                    • 08/08/10
                                    • 167

                                    #18
                                    Re: ICMS/SP- Como venci, principais erros, trajetória e bibliografia

                                    Fala Mestre, poderia falar sobre como vc fazia seus resumos?
                                    se fazia no estilo que o Alexandre Meirelles explicava usando desenhos e td mais.
                                    se possivel, poderia colocar uma foto de algum resumo que vc tenha feito?
                                    obrigado e parabens pela aprovação.

                                    Comentário

                                    • Loteria
                                      • 10/01/14
                                      • 470

                                      #19
                                      Re: ICMS/SP- Como venci, principais erros, trajetória e bibliografia

                                      Alguem sabe se o Mestre continua aparecendo por aqui?

                                      Bom, vou fazer uma pergunta.

                                      Mestre,

                                      Como vc distribuía o estudo ao longo da semana, vc montava um cronograma fixo ou estudava utilizando ciclos?

                                      Obrigado e parabéns pela aprovação

                                      Comentário

                                      • marigraniel
                                        • 20/01/13
                                        • 124

                                        #20
                                        Re: ICMS/SP- Como venci, principais erros, trajetória e bibliografia

                                        Mestre, parabéns pela trajetória, e obrigada por compartilhar conosco tantas informações úteis. Só uma coisa: como você fazia suas revisões? Por meio de resumos? Se sim, como fazia esses resumos? Pode detalhar pra nós?

                                        Sobre a resolução de questões: eu vou começar do 0 em todas as matérias, então não tem como resolver provas, pois os assuntos abordados nas provas são, na maioria das vezes, algo que eu ainda não vi, então, onde eu encontro questões sobre tópicos que eu acabei de estudar, por exemplo: ''DIREITO CONSTITUCIONAL Conceitos de teoria do Estado. '' Onde eu encontro questões sobre esses ''sub-tópicos'' das matérias do edital? Muito obrigada, desde já.

                                        Comentário

                                        • Nanikita
                                          • 30/07/12
                                          • 2

                                          #21
                                          Re: ICMS/SP- Como venci, principais erros, trajetória e bibliografia

                                          Parabéns e muito obrigada pela disposição de dividir conosco sua trajetória, certamente é um incentivo muito bem vindo.
                                          Comecei a olhar a carreira fiscal quando entrei como tefe na Sefaz, estudei por um ano para a prova e percebi que somente tive acesso a vitrine de possibilidades e enganos que há nesse mundo concurseiro. Será com base na dicas dessas histórias de sucesso que quero escrever a minha. Sucesso Mestre!

                                          Comentário

                                          • Leia_Souza
                                            • 24/07/13
                                            • 13

                                            #22
                                            Re: ICMS/SP- Como venci, principais erros, trajetória e bibliografia

                                            Bom dia Mestre!

                                            Obrigada pelas dicas, foram de muita ajuda para nos manter motivados.

                                            Comentário

                                            • Loteria
                                              • 10/01/14
                                              • 470

                                              #23
                                              Alguém sabe do Mestre??


                                              obrigado

                                              Comentário

                                              • paulojorge
                                                • 09/09/14
                                                • 38

                                                #24
                                                Mestre, já faz um bom tempo que escreveu isso, mas acredite : dá forças para quem se perdeu no caminho.
                                                Parabéns, sempre !
                                                Paulo

                                                Comentário

                                                • Mei2014
                                                  • 01/10/14
                                                  • 1

                                                  #25
                                                  Mestre , sobre contabilidade , iniciei meus estudos por video aulas de Silvio Sande pq vi que o senhor comentou só sobre didática para quem já tem um certo conhecimento , correto ?

                                                  Comentário


                                                  Working...
                                                  X