Anúncio

Anúncio Module
Collapse
No announcement yet.

TÉCNICA DE CHUTE PARA INICIANTES

Page Title Module
Mover Remover Collapse
X
Conversation Detail Module
Collapse
  • Filtrar
  • Hora
  • Mostrar
Limpar Tudo
new posts
  • Seu Madruga
    • 10/08/08
    • 516

    TÉCNICA DE CHUTE PARA INICIANTES

    Os concursos públicos avaliam muito mais do que capacidade intelectual ou de raciocínio do candidato. Uma prova bem montada consegue selecionar diversos tipos de aprovados. Dependendo de sua estrutura e de suas regras, selecionam-se os mais lógicos, os mais emotivos, os mais equilibrados, os mais mnemônicos, entre outros.

    Devemos nos preparar de uma maneira ampla, não apenas estudando o conteúdo, mas também a forma. O conteúdo entende-se pelas matérias em si. Já a forma é a estrutura que cerca todo o certame. É o edital, a banca, a estrutura da prova, entre outros.

    É disso que gostaria de compartilhar um pouco com você. Gostaria de falar um pouco sobre “chute”. Sim, chute. Da divisão acima, o chute estaria na parte formal de um concurso, pertenceria mais à forma do gabarito. Mas o sucesso dele depende diretamente do conteúdo das matérias adquiridos por você.

    Alguns pensam que “chutar” é para aqueles que não estudam. Ledo engano. Chutar é uma arte, uma ciência. Quanto mais preparado você estiver no dia da prova, e se souber técnicas básicas, mais questões você acertará quando chutar. Afinal, é impossível sair de uma prova sem chutar uma questão.

    Desenvolver as técnicas de chute nunca vai assegurar acertar 100% daquilo que chuta, porém não vai ficar também nos 20% normais.

    Em primeiro lugar, chutar não é superstição. É matemática pura. Mais propriamente estatística. Mas não quer dizer que não envolva sorte também. Não sou nenhum mestre no assunto. O máximo que vi foi pelas aulas do Sérgio Carvalho. Mas essas idéias não são baseadas nisso. É muito mais no bom senso, na malandragem. Como disse no início, as provas conseguem avaliar muito mais do que capacidade lógica, emocional, mnemônica ou qualquer outra, por isso, precisamos desenvolver um “contra-ataque” a essa passividade que sofremos em relação à banca. E a malandragem pode ser a nossa arma.

    Segundo, isso tudo é só uma idéia, uma teoria. Cada um adapte-a a suas próprias experiências. Assim como qualquer técnica, talvez no início não consiga lograr grandes vantagens com essa idéia. Por isso é preciso praticá-la bastante. Chutar requer tempo, o que não terá no dia da prova. Portanto, treine em seus simulados e vá para prova com suas técnicas de chute já muito bem desenvolvidas. Isso vai garantir alguns pontos que talvez demorariam meses de estudo para conquistá-los.

    Não há nenhuma fórmula mágica. Talvez eu esteja falando apenas o óbvio. Mas vamos lá então.

    O primeiro passo para um bom chute é desconstruir a prova. É entender como o examinador monta o gabarito e entender os reflexos das suas escolhas no resultado final. Além disso ele é obrigado a seguir regras mínimas na montagem do gabarito a fim de equilibrar o resultado, prevenindo de que nenhum “chutador cego” tire vantagens daqueles que estudaram muito.

    Se fôssemos montar um gráfico “número de canditados” por “nota”, uma prova ideal teria uma curva simétrica. A média seria igual à mediana, que seria igual à moda. Com isso, seriam aprovados com justiça aqueles que melhor se prepararam. Qualquer assimetria em relação a essa curva proporciona efeitos no resultado final. Veja só:

    Se a curva for assimétrica à direita é sinal que a prova foi dificil. A maioria do pessoal teve notas baixas, o que, em maiores níveis, não consegue selecionar realmente quem estudou. É comum hoje em dia vermos provas tão dificéis que acaba sobrando vagas. Ou seja, se o examinador faz uma prova muito dificil, ele corre o risco de não selecionar com justiça. Exemplo recente é a prova da FGV para o TCM-RJ (auditor). No qual apenas 18 pessoas conseguiram o mínimo.

    O contrário também é verdade. Se a curva é assimétrica à esquerda é sinal que a prova foi fácil. Muitas pessoas tiraram notas altas. Isso também não seleciona. A prova foi fácil para todo mundo, não dá pra selecionar quem estava realmente bem preparado. Isso é muito comum em provas de concurso de ensino médio, onde é comum ter que gabaritar a prova. Além de níveis de empate serem muito altos.

    Essas duas assimetrias são prejudiciais ao equilibrio na hora da seleção. O examinador sabe disso e usa dessa ferramenta de acordo com seus objetivos. A maneira mais equilibrada e justa de selecionar é quando a prova vem simétrica. Ou seja, equilibrada. Com isso, ela traz um número proporcional de questões fáceis, médias e dificéis.

    Partimos da idéia de que a prova equilibrada contém 25% de fáceis, 50% de médias e 25% de dificéis. Quando ela vem muito difícil ou fácil, é sinal que houve um desequilíbrio nessa proporção. Como disse, o examinador sabe dos efeitos disto, e os usa para melhor selecionar. No exemplo do TCM-RJ só havia 3 vagas. Por isso a prova ter vindo tão dificultosa. Se viesse muito fácil poderia haver um empate com 30 candidatos. E o que acabaria selecionando seria o critério da idade. E não é isso o que uma banca busca quando faz um concurso sério. E não tenho dúvidas da seriedade da FGV. É comum o critério de desempate em concursos muito fáceis, como os de segundo grau.

    A partir desse conhecimento é que vamos construir nossa teoria. Já adianto que a prova da Receita provavelmente não virá equilibrada. Virá levemente desequilibrada à direita, ou seja, mais dificil, porém, não impossível, como alguns pensam. Do contrário não selecionaria de forma apropriada, já que o número de vagas é alto. Quanto maior o número de vagas, mais fácil tende ser a prova. Veja os dois exemplos que já dei (TCM e concursos de 2o grau).

    Se você se preparar bem, conseguirá acertar as questões fáceis e as médias. Com isso já acertaria 75% da prova. Mas como disse, a prova não vem com aquela distribuição equilibrada. Acho que ela virá 25% fáceis, 25% médias e 50% dificéis. Dentro desse raciocínio, acertaria, então, 50% garantidos.

    Os últimos aprovados em 2005 tiveram 62%. Acredito que se o número de vagas for alta (1.000), essa média deve ficar próxima, talvez um pouco mais alto devido ao longo tempo sem concurso. Continuando. Você já tem 50% garantidos. Essa técnica é para aqueles que estudaram. É um prêmio para aqueles que se dedicaram com afinco. Quanto mais você estuda, melhor você chuta. Falta garantir mais 12% da prova. O que parece pouco. Mas leva-se anos até conseguir esse mínimo. O chute está aí para te presentear pelo seu esforço.

    Entendido esses critério, é precisa saber ainda que o examinador está obrigado a equilibrar o número de alternativas. Isso é básico. Todo mundo já sabe. E isso é feito em todos os concursos. É só ver os gabaritos. Então se a prova tem 100 questões. Vinte serão “a”, 20 “b”, etc... Ele precisa equilibrar não apenas no número geral, mas também dentro de cada matéria. Então se das 100 questões, 20 são de direito constitucional, “4” serão a, 4 “b”, etc... Essa regra é fundamental. Do contrário, como o número de candidatos é elevado, alguns se privilegiariam ao chutar apenas uma letra. Teve um concurso recente na região norte onde o gabarito inteiro era apenas a letra “a”. O Ministério Público Estadual foi acionado e entrou com uma ação pública para anular tal certame.

    Outra coisa importante, que não é regra, porém é estatisticamente mais provável. E quando estamos falando de chute, precisamos abandonar os “achismos” e traduzir tudo em número. A chance de repetir uma letra é de 20%, enquanto a chance de ser uma letra diferente é de 80%. Então, num caso isolado que tiver que chutar, sempre chute outra letra. Isso não significa que você tem 80% chances de acerto, de maneira nenhuma. Mas a estratégia não é por ai, apesar de isso ser um dos instrumentos norteadores na hora do chute.

    Mais um ponto importante a destacar é que as alternativas influenciam entre si. O gabarito é uma coisa viva, orgânica. Se saiu muitas letras “a” no começo e poucas “d”, é sinal que no final da prova virá mais letras “d”. É o princípio do equilíbrio de alternativas. Se saiu a letra “a”, é mais provável que a próxima questão não seja “a”.

    O texto está ficando muito comprido. Vou acelerar o raciocínio.

    Agora precisamos identificar quais são os tipos de questões. É aqui que o cara que estudou é coroado. Quanto mais ele sabe com certeza a resposta, melhor será o chute. Existem três tipos de questões, e é fundamental que você vá marcando-as ao longo da prova.

    A primeira são as “âncoras”. As mais importantes. Âncora é a questão que você sabe com certeza absoluta. Marcar uma questão como âncora, e errar, pode influenciar negativamente todo o chute. E lembre-se o gabarito é orgânico. É como se errasse um dos núcleos de DNA. Ao invés de nascer um bebê lindo, nasce um monstro. Muito cuidado em seu critério. É por isso que precisa treinar bastante. Quanto mais âncoras tiver, mais alto são suas chances.

    Em segundo são as questões dúbias. Essas são as piores questões. A gente sempre fica na dúvida e acaba marcando a errada. Com uma boa técnica do chute, você terá, além do seu conhecimento, mais um parâmetro para avaliar a alternativa correta. Como eu disse no inicio, o chute é uma ferramente contra as malícias do examinador. É mais um instrumento que o auxiliará a vencer a prova. Nessas questões, elimine as claramente erradas, e fique apenas com as duas possíveis alternativas.

    Em terceiro são as questões desconhecidas. Elas normalmente aparecem em matérias de exatas. Quando a gente não sabe o cálculo, é impossível chutar com um mínimo de previsão. Nessas ocasiões, é melhor adotar uma outra estratégia.

    Veja que essas técnicas abordam o lado holístico da avaliação do gabarito. Não vou adentrar a questão lógica interna de cada questão. É possível desenvolver técnicas mais profundas que analisam as alternativas dentro da questão, e não os gabaritos dentro da prova como um todo. Esse tipo de chute seria uma análise mais lógica. E não é o meu objetivo aqui.

    Agora vamos somar todos esses raciocínios em um único só, de forma prática.

    Em primeiro, você não está chutando 100% da prova, cegamente. Você já tem um desenho mínimo no gabarito. Para aqueles que se prepararam bem, fizeram com certeza 50%, essa é a sua obrigação. Digamos que 25% você escolherá, a seu arbítrio, e poderá chutar os outros 25% com consciência.

    Então vamos lá.
    Disponha o gabarito em linhas com 5 alternativas para visualizar o desenho das respostas. A maioria dos gabaritos oficiais já vem dispostos em linhas de 5, que é o ciclo de respostas a ser alternado. O gabarito perfeito teria um intervalo regular entre cada alternativa, ou seja, uma letra “a” a cada quatro alternativas. Obviamente isso não é feito, uma vez que descobrindo a primeira sequência, descobriria-se todo o resultado. Mas a tendência é haver esse equilíbrio. Essa idéia é equivalente ao princípio do equilíbrio entre o número de alternativas, é decorrência direta.

    Marque primeiro as questões âncoras. Elas serão a sua guia, cabendo a você preencher as lacunas entre elas. Deixe no gabarito indicado quais são as possíveis alternativas entre as dúbias. As desconhecidas serão as últimas a serem chutadas.

    Separe a grade de gabarito por matéria e saiba qual é o número equilibrado de questões por alternativa. Se a matéria tem 20 questões, o número será de 4 por matéria. Com todas essas informações você já é capaz de chutar eficazmente.

    Veja resumidamente o caso prático.

    São 20 questões. Tenho 10 âncoras. Cinco são dúbias. Cinco desconhecidas. Dependendo da localização dessas questões na grade, você será favorecido ou não. Se entre duas âncoras haver uma dúbia, sendo que as âncoras são “a” e “e”, e você está na dúvida de “b” ou “e”, e já tiver saído 4 letras “e”, 1 “b”, e 4 “a”, tem um forte indício que seja realmente a letra “b”. A sua chance de acertar é muito maior que os iniciais 20%. Isso é baseado em indícios, não é achismo ou apenas sorte. Temos um excesso de letras “e” (1o indício), a questão posterior é “e” (2o indício) e saíram poucas “b” (3o indício), além de que já selecionou a alternativa “b” como dúbia, uma provável candidata a alternativa correta (4o indício). Veja como todas essas idéias são parâmetros, indícios de qual a alternativa é a correta, sem realmente saber a resposta. Chutar qualquer outra alternativa seria meramente um “chute”, hehe.

    Concluindo para o texto não ficar gigante.

    Chutar vai envolver a análise de vários fatores. A soma desses fatores é que indicará qual é a alternativa mais provavel. Os fatores são a presença de âncoras próximos à questão, o número de letras que já saíram, o desenho da grade do gabarito montado por você, tanto anterior à questão, como posterior a ela, entre outros fatores já ditos. Você precisa conjugar todos esses elementos. Além da sorte. Por causa disso é necessário muita experiência, sensibilidade, conhecimento. A sorte às vezes é o resultado disso tudo. É não é tudo isso que tem um vencedor?

    Para finalizar, há casos em que é melhor chutar cegamente, como nas questões desconhecidas. Principalmente em matérias de exatas, onde não podemos fazer uma análise lógica das alternativas. Nessas deve-se guiar pelas questões âncoras conjugadas com o número de alternativa por letra. E lembre-se ainda que se a matéria exige um número mínimo, como as de matemática e estatística, às vezes é melhor garantir o mínimo do que arriscar gabaritar.

    Por exemplo, na prova de matemática e estatística da receita. Quinze questões, sendo 3 por alternativa. Se você já ancorou 3 de matemática e 3 de estatistica, que são as fáceis, suas obrigações, e os gabaritos delas saíram por exemplo 4 “c” e 2 “d”, chute cegamente todas na “b” por exemplo, que vai acertar mais 3, de graça, totalizando 9 de quinze. Uma boa nota para quem sabia apenas 6. Veja que depende também de sorte. O examinador sabe disso, portanto ele equilibra as questões fáceis para que não sejam todas “d” por exemplo, levando ao chutador profissional a chutar todas numa outra letra qualquer, ganhando 3 questões de graça, como no caso exemplificado. O examinador vai equilibrar até mesmo dentro do nível de questão, ou seja, se tem 5 fáceis, cada uma delas vai ser uma letra.

    O texto ficou enorme. Muito maior do que as proporções pensadas. Acho que até atrapalhou o entendimento. Peço desculpas. Espero tê-los coloborado para sua futura aprovação, de algum modo!

    Lembrando que tudo isso é uma teoria, apenas. Nada mais. Deve conter falhas grotescas de lógica e estatística, mas vale o princípio!
  • NandoDorneles
    • 24/04/08
    • 8

    #2
    Re: TÉCNICA DE CHUTE PARA INICIANTES

    To começando achar que o Seu madruga é o Meirelles com outro nick hehehehehe..........


    todo dia textos cheios de dicas e agora falando de estátistica, moda, mediana etc....


    Comentário

    • Valente
      • 01/12/06
      • 1289

      #3
      Re: TÉCNICA DE CHUTE PARA INICIANTES

      Sei de uma coisa, e não é achismo... William Douglas, Alex Meirelles e Sérgio Carvalho que se cuidem... eis que vem surgindo um novo guru dos concursos: Seu Madruga!!

      Madruga, por conta do texto, pendura o desse mês...

      Parabéns!! Muito bem escrito.


      []'s

      Comentário

      • Vitor Cruz (Vampiro)
        • 31/01/07
        • 5009

        #4
        Re: TÉCNICA DE CHUTE PARA INICIANTES

        Postado Originalmente por Valente
        Sei de uma coisa, e não é achismo... William Douglas, Alex Meirelles e Sérgio Carvalho que se cuidem... eis que vem surgindo um novo guru dos concursos: Seu Madruga!!

        Madruga, por conta do texto, pendura o desse mês...

        Parabéns!! Muito bem escrito.


        []'s
        Só tem talento aki no Fórum............kkk

        Muito bom Madruga....

        Podexá que com o Seu Barriga eu me entendo daqui pra frente....

        Vou investir em tu garoto!!!!

        Abração

        Comentário

        • Puerto
          • 29/11/06
          • 3

          #5
          Re: TÉCNICA DE CHUTE PARA INICIANTES

          Ótima dica !
          O texto não está longo não. Está é completo!
          Parabéns!

          Comentário

          • hakuna_matata
            • 19/08/08
            • 310

            #6
            Re: TÉCNICA DE CHUTE PARA INICIANTES

            Mto bom o texto, Seu Madruga!!!

            Se vc lançasse um livro amanhã sobre dicas para concursos, eu compraria!! rsrsrs



            aos trabalhos \/

            Comentário

            • concurseiro1979
              • 23/05/07
              • 29

              #7
              Re: TÉCNICA DE CHUTE PARA INICIANTES

              Sábio Madruga =D>

              Comentário

              • eduardo martins
                • 11/03/08
                • 84

                #8
                Re: TÉCNICA DE CHUTE PARA INICIANTES

                BOA SEU MADRUGA

                Comentário

                • ASDM
                  • 26/10/06
                  • 143

                  #9
                  Re: TÉCNICA DE CHUTE PARA INICIANTES

                  Muito bom o texto para os q estão iniciando, mas vale deixar registrado q isso não é regra, digo, se vc tem 10 questões de espanhol, não quer dizer q teremos 2 questões letra A, 2 letra B, 2 letra C, etc.

                  Exemplo dessa exceção foi a própria prova de espanhol do último concurso do AFRF, onde nela o gabarito apresentou 2 questões alternativa A, 3 questões alternativa B, 2 alternativa C, 2 alternativa D, 1 questão alternativa E (esta ainda foi anulada). Na prova, do mesmo concurso, de MF e Est. aconteceu a mesma coisa, de 15 questões 4 foram letra E, sendo q dessas 4 letra E 2 foram anuladas

                  Mas vejam, mesmo não sendo a regra, é melhor fazer de conta q é a regra hehehe, pq na hora vc não vai ter tempo pra pensar de outra maneira, por exemplo, na prova de espanhol teve 3 B e 1 E, então na próxima disciplina terá q ter menos B e mais E (sistema de compensação), vc não vai conseguir fazer isso, até pq vc não vai ter certeza q as q vc assinalou estão corretas, e tb não quer dizer q haverá a compensação já na disciplina seguinte, pode haver a compensação em qualquer parte da prova 1

                  É galera, quem disse q vida de concurseiro é fácil hehe

                  Vamos q vamos

                  Comentário

                  • ronaldo
                    • 16/12/06
                    • 2064

                    #10
                    Re: TÉCNICA DE CHUTE PARA INICIANTES

                    Melhor leitura sobre chute que já li.

                    Agora, em relação às questões tipo cespe, C ou E, qual a estratégia?

                    Ah, e esquece esse negócio de que o texto tá gigante, tem que tá gigante mesmo e bem detalhado, esmiuçado e antever as dúvidas dos leitores. Não poupe as palavras, rsrsrs.

                    Comentário

                    • ASDM
                      • 26/10/06
                      • 143

                      #11
                      Re: TÉCNICA DE CHUTE PARA INICIANTES

                      Seu Madruga por acaso vc não é o Zork???

                      Comentário

                      • Leo_1975
                        • 11/07/07
                        • 94

                        #12
                        Re: TÉCNICA DE CHUTE PARA INICIANTES

                        Seu Madruga

                        Muito interessante seu texto.
                        Só gostaria de discordar de um ponto que você citou:

                        "Se fôssemos montar um gráfico “número de canditados” por “nota”, uma prova ideal teria uma curva simétrica. A média seria igual à mediana, que seria igual à moda. Com isso, seriam aprovados com justiça aqueles que melhor se prepararam. Qualquer assimetria em relação a essa curva proporciona efeitos no resultado final."

                        Uma curva simétrica significaria não uma prova ideal, mas sim uma prova onde todos os candidatos tem o mesmo nível de preparação. Se a meta do elaborador for selecionar os melhores, então uma curva simétrica significa que ele não cumpriu sua meta. Ao contrário, se a curva for assimétrica à direita (como sempre são as provas de concurso) significa que o examinador foi criterioso ao selecionar os candidatos.

                        Um critério que eu julgo mais apropriado para classificar uma prova em bem ou mal preparada é o número de candidatos que atingem a nota de corte. Se muita gente atinge (digamos, 10 vezes o numero de vagas) é sinal de que a prova foi fraca, e pode não ter classificado os melhores dentro das vagas. Ao contrário, se os aprovados não forem em número suficiente para preencher as vagas, significa que a prova foi exageradamente difícil, e que houve desperdício de dinheiro público, pois o certame não cumpriu seu objetivo.

                        Comentário

                        • Guest's Avatar
                          Visitante

                          #13
                          Re: TÉCNICA DE CHUTE PARA INICIANTES

                          Parabéns, cara!

                          Acabou de colocar uns trezentos candidatos na sua frente!

                          Comentário

                          • Sanfoneiro
                            • 27/11/06
                            • 179

                            #14
                            Re: TÉCNICA DE CHUTE PARA INICIANTES

                            Interessante que eu já tenho uma certa afinidade neste assunto, mas geralmente acerto de 10, por exemplo 2,3. Usando essa técnica. Gostei da perspectiva de escolher letra em uma quantidade de alternativas por disciplina eu analisava no geral mesmo. Vou depois verificar se por disciplina aumenta a chance.

                            Essa técnica só funciona bem mesmo para quem se estuda. É uma vantagem. Quanto mais se estuda, aumentam-se as possibilidades de acerto da técnica.

                            Com Cespe já tenho algumas noções mas n serve para aqui.

                            Quanto à concorrência... o maior concorrente é vc. Quem estudar bem vai perceber as características da banca. Se já percebe. Está em um bom caminho.

                            Bons estudos.

                            Comentário

                            • MarcosFoz
                              • 04/05/08
                              • 58

                              #15
                              Re: TÉCNICA DE CHUTE PARA INICIANTES

                              Postado Originalmente por Super Pato
                              Parabéns, cara!

                              Acabou de colocar uns trezentos candidatos na sua frente!
                              Pato,

                              pra quem tá começando e não sabe 30 por cento da prova.. essa dica não vale de nada.

                              Quem já ta tentando Esaf e tá com mais experiência já tinha se tocado disso.

                              Comentário


                              Aguarde...
                              X