Anúncio

Anúncio Module
Collapse
No announcement yet.

Qual a diferença entre os tipos de "juros"

Page Title Module
Mover Remover Collapse
X
Conversation Detail Module
Collapse
  • Filtrar
  • Hora
  • Mostrar
Limpar Tudo
new posts
  • rvm1*
    • 25/11/06
    • 20

    Qual a diferença entre os tipos de "juros"

    Olá Prof tudo bem??!! Estou com uma dúvida e se o senhor puder me ajudar...
    Qual a diderença entre:

    Juros ativos a receber (AC)
    Juros ativos a vencer (PC)
    Juros a vencer (AC)
    Juros passivos a vencer (AC)
    Juros passivos a receber, este existe???

    Se o senhor puder diferenciar estes "juros" para mim...Obrigado
  • alipiorf
    • 23/02/07
    • 100

    #2
    Re: Qual a diferença entre os tipos de "juros"

    Postado Originalmente por rvm1*
    Olá Prof tudo bem??!! Estou com uma dúvida e se o senhor puder me ajudar...
    Qual a diderença entre:

    Juros ativos a receber (AC)
    Juros ativos a vencer (PC)
    Juros a vencer (AC)
    Juros passivos a vencer (AC)
    Juros passivos a receber, este existe???

    Se o senhor puder diferenciar estes "juros" para mim...Obrigado
    Tudo bem, rvm1*? Como vão os estudos? Primeiramente, quero te pedir desculpas pela demora em responder seus questionamentos. Vamos a eles.

    Os juros ativos a vencer são classificados no grupo Resultado de Exercícios Futuros, que fica do lado do Passivo no Balanço Patrimonial. Corresponde, portanto, a uma conta patrimonial, de saldo credor. Ela serve para abrigar os juros decorrentes de aplicações financeiras com rendimentos prefixados. Ex: aplicações em CDB. Rendimentos prefixados são aqueles em que o investidor, na data de sua aplicação, sabe quanto irá auferir em rendimentos. Portanto, correpondem a receitas líquidas e certas, independentemente do prazo de investimentos. Contudo, o regime de competência impede que tais receitas sejam registradas diretamente numa conta de receita. Por força disso, a empresa investidora terá que registrá-los provisoriamente numa conta patrimonial, chamada juros ativos a vencer. Ao final do exercício a parte dos rendimentos de sua competência deverá ser "descarregada" para uma conta de resultado: juros ativos. Em relação aos juros ativos a receber, conforme você referenciou em seu questionamento, correspondem a uma conta do Ativo. Esta conta irá abrigar os juros ganhos, mas ainda não recebidos. Justificamos. Em relação às receitas de uma entidade empresarial, sabemos que podemos contabilizá-las pelo regime de competência ou de caixa. Se as contabilizarmos pelo regime de competência, teremos de distinguir, dentre o universo das receitas da entidade, as receitas ganhas e não ganhas, de um lado, das receitas recebidas e não recebidas, de outro lado. As receitas ganhas correspondem àquelas em que o seu fato gerador já ocorreu enquanto as não ganhas são as que não se realizou o respectivo fato gerador. Exemplifiquemos com as receitas de um aluguel, relativo a um imóvel que supostamente uma empresa aluga para terceiros. Nestas condições, o fato gerador do aluguel é a efetiva prestação do serviço de aluguel. Dessa forma, no primeiro dia de um determinado mês de um ano qualquer, a prestação do serviço de aluguel, correspondente ao mesmo mês, ainda não se realizou. Dizemos, então, que seu fato gerador ainda não ocorreu. Conseqüentemente, a receita de aluguel AINDA NÃO FOI GANHA. No dia 30 do mesmo mês, contudo, a prestação do serviço de aluguel já ocorreu. Conseqüentemente, podemos dizer que a receita de aluguel JÁ FOI GANHA. Já ocorreu, portanto, o seu fato gerador. Por outro lado, independentemente da ocorrência ou não do fato gerador – isto é, independentemente de a receita de aluguel ter sido ganha ou não – podemos RECEBER ANTECIPADAMENTE OU NÃO O VALOR CORRESPONDENTE AO ALUGUEL. Estamos falando do valor financeiro, do dinheiro relativo ao custo do aluguel para o inquilino. Esse valor financeiro poderá, portanto, entrar no caixa da empresa ANTERIORMENTE À OCORRÊNCIA DO FATO GERADOR, isto é, antes do início do mês correspondente (há pessoas que preferem pagar o aluguel de forma antecipada), OU POSTERIORMENTE À SUA OCORRÊNCIA (há pessoas que preferem pagar o aluguel no início do mês subseqüente). No primeiro caso, estaremos diante de uma receita de aluguel recebida antecipadamente; enquanto no segundo teremos uma receita, vamos dizer, “normal”, em virtude de ela suceder à realização de seu fato gerador (neste último caso, dizemos receita “normal” em razão de normalmente o recebimento de uma prestação de um serviço – como o é o aluguel – vir após a prestação). Estabelecidos estes pressupostos, vamos colocar a seguinte situação: uma empresa, que faz a escrituração de suas operações pelo regime de competência, alugou um imóvel para o Sr. Fulano de Tal o qual paga o aluguel do mês sempre no dia 10 do mês seguinte. O Aluguel de dezembro é de $ 1.000,00 u.m. e deverá ser recebido no mês subseqüente, isto é, no dia 10 do mês de janeiro. Em 31 de dezembro a empresa deverá fazer o seguinte lançamento:

    D – aluguéis a receber
    C – aluguéis ativos

    Neste exemplo temos uma receita que foi GANHA (porque já ocorreu o seu fato gerador, isto é, a prestação do serviço de aluguel), mas AINDA NÃO FOI RECEBIDA. Por força do regime de competência (e, conseqüentemente, pelo fato de a receita já ter sido ganha) perceba que houve o registro da receita de aluguel na conta “aluguéis ativos” alterando, portanto, o resultado do exercício, que é “puxado para cima”. Em contrapartida, o direito ao recebimento do valor financeiro está registrado numa conta do Ativo: aluguéis a receber. Quando, no dia 10 de janeiro, houver o recebimento efetivo do aluguel deveremos fazer o seguinte lançamento:
    D- caixa ou bancos
    C- aluguéis a receber
    O registro corresponde a um fato permutativo que não irá influenciar, portanto, o resultado do novo exercício financeiro. Retomando o seu questionamento, diríamos que os juros ativos a receber correspondem aos juros que se encontram na mesma situação do aluguel, tomado por nós como referência. Basta que troquemos as contas:
    D – juros ativos a receber
    C – juros ativos
    Em relação aos juros passivos a vencer, funcionam de forma similar às despesas pagas antecipadamente. Estas últimas correspondem às despesas pagas, mas cujos fatos geradores ainda não tenham ocorrido. Ex: prêmios de seguros pagos. Com efeito, podemos dizer que os juros passivos a vencer correspondem a despesas com juros (pagos antecipadamente) que ficam como que “armazenados” numa conta patrimonial de mesmo nome aguardando serem “descarregadas” numa conta efetiva de despesa (juros passivos), fato que modificará, para menos, a situação líquida da empresa considerada. Eles ocorrem, p. exemplo, no desconto de duplicatas. No momento do registro desta operação são contabilizados os juros (passivos a vencer) correspondentes aos juros pagos antecipadamente. No encerramento do exercício, tais juros serão “descarregados” na conta juros passivos proporcional ao período considerado. Esta operação decorre do regime de competência.
    Quanto aos juros a vencer correspondem a um termo genérico que poderá está se referindo tanto aos JUROS ATIVOS A VENCER quanto aos JUROS PASSIVOS A VENCER. Assim, estes dois últimos termos são espécies daquele primeiro. Quanto aos Juros Passivos a Receber, não tenho conhecimento dessa conta em Contabilidade. Fiz uma breve pesquisa e não consegui resultado algum. Creio que os termos “passivos” (juros passivos, isto é, juros pagos) e “a receber” (significando algo a receber) são contraditórios: o primeiro indica um elemento negativo enquanto o último um elemento positivo. Contudo, peço aos demais colegas do fórum que esclareçam melhor a questão se tiverem algo a acrescentar.
    Grande abraço.

    Comentário

    • rvm1*
      • 25/11/06
      • 20

      #3
      Obrigado

      Obrigado professor pela atenção. RVM1*

      Comentário


      Aguarde...
      X