Anúncio

Anúncio Module
Collapse
No announcement yet.

duvida- prejuizo fiscal e contabil

Page Title Module
Mover Remover Collapse
X
Conversation Detail Module
Collapse
  • Filtrar
  • Hora
  • Mostrar
Limpar Tudo
new posts
  • SIMPATICO
    • 25/11/06
    • 1667

    duvida- prejuizo fiscal e contabil

    turma
    tem exercicios de contaba, que vc compensa 30% do prejuizo fiscal na hora de calcular o IR... porem se for prejuizo contabil vc nao compensa.... certo?
    minha duvida boba eh: como distinguir um prejuizo do outro?
    o que esta em prejuizo acumulado é o contabil. eh isto? e o prejuizo fiscal?
    alguem teria duas questoes simples para explicar?
    abs
  • Guest's Avatar
    Visitante

    #2
    Re: duvida- prejuizo fiscal e contabil

    Oi simpático,

    Aqui a questão principal é a briga que tem entre a receita que quer legislar sobre contabilidade. Tanto que as alterações da 6.404 trouxeram expressamente que os ajustes fiscais deveriam ser feitos todos a parte em livros auxiliares, para acabar com a bagunça.

    Então o que a empresa faz, apura o resultado contábil, faz a DRE normal e monta seu balanço. Mas ela precisa pagar IR então ela tem o livro LALUR, que é a apuração do lucro real para fins de pgto de IR. Esse livro tem a parte A e B. Então a receita admite algumas compensações e outras não, que são as famosas adições e exclusões. A cada período ela então apura o seu prejuizo fiscal. Só que o limite de compensação é de 30% do lucro real, ou seja ela não pode ter um monte de deduções e simplesmente não pagar imposto. O que ela não abate no trimestre ela guarda para o próximo, esse é o prejuízo fiscal.

    Eu tenho 2 questões disso aqui, a FCC que gosta, preciso achar elas e as anotações do meu caderno, assim que conseguir te mando. Ajudei? ABçs, Patricia

    Comentário

    • Juliana X.
      • 28/11/06
      • 87

      #3
      Re: duvida- prejuizo fiscal e contabil

      Questão relacionada:

      Questão 14: Em auditoria da demonstração de resultado da Cia. Brusque, o profissional encarregado
      obteve as seguintes informações dos registros contábeis e fiscais da sociedade, relativas ao exercício findo
      em 31/12/2008 (valores em R$):
      Lucro do exercício antes dos tributos sobre a renda e das participações ................... 550.000,00
      Prejuízo contábil acumulado .................................................. ........................................ 30.000,00
      Prejuízo fiscal acumulado .................................................. ............................................ 55.000,00
      Provisão para o imposto de renda das pessoas jurídicas ............................................ 115.000,00
      Provisão para a contribuição social sobre o lucro líquido .............................................. 60.000,00
      Pelos estatutos da sociedade, as percentagens de participação dos empregados e dos administradores no
      lucro são, respectivamente, 10% e 5%. A companhia efetuou uma distribuição para os administradores e o
      auditor concluiu que o valor calculado pela companhia estava correto. O valor calculado corretamente foi,
      em reais, de:
      a) 14.850,00
      b) 15.525,00
      c) 16.125,00
      d) 16.500,00
      e) 17.250,00


      DRE
      LAIR 550.000
      (-) Provisão p/ IR 115.000
      (-) Provisão p/ CSLL 60.000
      Lucro Liquido 375.000
      (-) Prejuízo Acumulado 30.000 (Só podemos compensar 30% em cada exercício)
      Lucro Líquido 345.000
      Part. Empregados 34.500
      Part. Administradores(345.00 -34.500) 15.525

      Comentário

      • Layla
        • 12/11/07
        • 398

        #4
        Re: duvida- prejuizo fiscal e contabil

        Postado Originalmente por SIMPATICO Ver Post
        turma
        tem exercicios de contaba, que vc compensa 30% do prejuizo fiscal na hora de calcular o IR... porem se for prejuizo contabil vc nao compensa.... certo?
        minha duvida boba eh: como distinguir um prejuizo do outro?
        o que esta em prejuizo acumulado é o contabil. eh isto? e o prejuizo fiscal?
        alguem teria duas questoes simples para explicar?
        abs
        Olá Simpatico!

        Prejuízo contábil, é o apurado pela contabilidade na Demonstração de Resultado do Exercício, e o prejuízo fiscal, apurado na demonstração do lucro real.

        A absorção do prejuízo contábil segue as determinações da legislação societária, enquanto as regras de compensação de prejuízos fiscais são determinadas pela legislação do imposto de renda.

        O prejuízo compensável para efeito de tributação é o que for apurado na demonstração do lucro real.

        Este prejuízo é o que será registrado na parte B do Lalur, para compensação nos períodos subseqüentes (independentemente da compensação ou absorção de prejuízo contábil).

        A utilização desse prejuízo para compensação com lucro real apurado posteriormente em períodos de apuração subseqüentes poderá ser efetuada total (100% opcional anual) ou parcialmente, independentemente de prazo, devendo ser observado apenas em cada período de apuração de compensação o limite de 30% (para opcional trimestral), do respectivo lucro líquido ajustado (lucro líquido do período + adições – exclusões).

        Qto ao exercíco, a colega Juliana já colocou um exemplo acima.

        Abraço!

        Comentário

        • SIMPATICO
          • 25/11/06
          • 1667

          #5
          Re: duvida- prejuizo fiscal e contabil

          Postado Originalmente por Schuouri
          não sei do que você tá falando , mas compensa prejuízo antes de calcular as participações
          Nao é disto que estou falando Amigo. Estou falando de compensacao para calculo do IR. e nao para calculo das participacoes. ok?

          Comentário

          • SIMPATICO
            • 25/11/06
            • 1667

            #6
            Re: duvida- prejuizo fiscal e contabil

            Postado Originalmente por Juliana X. Ver Post
            Questão relacionada:

            Questão 14: Em auditoria da demonstração de resultado da Cia. Brusque, o profissional encarregado
            obteve as seguintes informações dos registros contábeis e fiscais da sociedade, relativas ao exercício findo
            em 31/12/2008 (valores em R$):
            Lucro do exercício antes dos tributos sobre a renda e das participações ................... 550.000,00
            Prejuízo contábil acumulado .................................................. ........................................ 30.000,00
            Prejuízo fiscal acumulado .................................................. ............................................ 55.000,00
            Provisão para o imposto de renda das pessoas jurídicas ............................................ 115.000,00
            Provisão para a contribuição social sobre o lucro líquido .............................................. 60.000,00
            Pelos estatutos da sociedade, as percentagens de participação dos empregados e dos administradores no
            lucro são, respectivamente, 10% e 5%. A companhia efetuou uma distribuição para os administradores e o
            auditor concluiu que o valor calculado pela companhia estava correto. O valor calculado corretamente foi,
            em reais, de:
            a) 14.850,00
            b) 15.525,00
            c) 16.125,00
            d) 16.500,00
            e) 17.250,00


            DRE
            LAIR 550.000
            (-) Provisão p/ IR 115.000
            (-) Provisão p/ CSLL 60.000
            Lucro Liquido 375.000
            (-) Prejuízo Acumulado 30.000 (Só podemos compensar 30% em cada exercício)
            Lucro Líquido 345.000
            Part. Empregados 34.500
            Part. Administradores(345.00 -34.500) 15.525
            Obrigado Ju
            neste questao a banca deixa bem facil o lucro contabil e o fiscal. Numa questao que eu tinha visto (tentei acha-la mas nao consegui) ele dava o prejuizo no balancete... ou seja, o prejuizo acumulado contabil.
            mas valeu.

            Comentário

            • SIMPATICO
              • 25/11/06
              • 1667

              #7
              Re: duvida- prejuizo fiscal e contabil

              Postado Originalmente por Layla Ver Post
              Olá Simpatico!

              Prejuízo contábil, é o apurado pela contabilidade na Demonstração de Resultado do Exercício, e o prejuízo fiscal, apurado na demonstração do lucro real.

              A absorção do prejuízo contábil segue as determinações da legislação societária, enquanto as regras de compensação de prejuízos fiscais são determinadas pela legislação do imposto de renda.

              O prejuízo compensável para efeito de tributação é o que for apurado na demonstração do lucro real.

              Este prejuízo é o que será registrado na parte B do Lalur, para compensação nos períodos subseqüentes (independentemente da compensação ou absorção de prejuízo contábil).

              A utilização desse prejuízo para compensação com lucro real apurado posteriormente em períodos de apuração subseqüentes poderá ser efetuada total (100% opcional anual) ou parcialmente, independentemente de prazo, devendo ser observado apenas em cada período de apuração de compensação o limite de 30% (para opcional trimestral), do respectivo lucro líquido ajustado (lucro líquido do período + adições – exclusões).

              Abraço!
              Obrigado Layla e amigos.
              Era exatamente isto que eu tinha duvida. valeu mesmo.
              abs

              Comentário

              • SIMPATICO
                • 25/11/06
                • 1667

                #8
                Re: duvida- prejuizo fiscal e contabil

                Postado Originalmente por Pavoni Ver Post
                Oi simpático,

                Aqui a questão principal é a briga que tem entre a receita que quer legislar sobre contabilidade. Tanto que as alterações da 6.404 trouxeram expressamente que os ajustes fiscais deveriam ser feitos todos a parte em livros auxiliares, para acabar com a bagunça.

                Então o que a empresa faz, apura o resultado contábil, faz a DRE normal e monta seu balanço. Mas ela precisa pagar IR então ela tem o livro LALUR, que é a apuração do lucro real para fins de pgto de IR. Esse livro tem a parte A e B. Então a receita admite algumas compensações e outras não, que são as famosas adições e exclusões. A cada período ela então apura o seu prejuizo fiscal. Só que o limite de compensação é de 30% do lucro real, ou seja ela não pode ter um monte de deduções e simplesmente não pagar imposto. O que ela não abate no trimestre ela guarda para o próximo, esse é o prejuízo fiscal.

                Eu tenho 2 questões disso aqui, a FCC que gosta, preciso achar elas e as anotações do meu caderno, assim que conseguir te mando. Ajudei? ABçs, Patricia
                valeu Patricia.
                Ajudou e muito. Alias, todos ajudaram. rsrs
                obrigado pelas explicacoes.
                agradeco de coracao
                abs

                Comentário

                • Guest's Avatar
                  Visitante

                  #9
                  Re: duvida- prejuizo fiscal e contabil

                  Olha,não levem a mal,tá certinho o que foi exposto, é o que vai ter que usar na prova,mas só a título de curiosidade, estão questionando esse absurdo do limite de 30%, é um verdadeiro empréstimo compulsório disfarçado...

                  Comentário

                  • Lucas Salvetti
                    • 16/03/09
                    • 1736

                    #10
                    Re: duvida- prejuizo fiscal e contabil

                    Postado Originalmente por betula Ver Post
                    Olha,não levem a mal,tá certinho o que foi exposto, é o que vai ter que usar na prova,mas só a título de curiosidade, estão questionando esse absurdo do limite de 30%, é um verdadeiro empréstimo compulsório disfarçado...
                    betula, a idéia dos 30% é não incentivar que as empresas dêem prejuizo, simulando estouro de caixa e tudo o mais. Pense, se fosse possível compensar sempre os 100%, que impresa ia querer dar lucro?

                    Comentário

                    • Lucas Salvetti
                      • 16/03/09
                      • 1736

                      #11
                      Re: duvida- prejuizo fiscal e contabil

                      me embaralhei com esse tópico.. (rs)

                      confirmem:
                      Prejuízo fiscal --> utilizado no calculo do lalur (30% no máximo para compensar)
                      Prejuízo contábil --> faz parte da conta lucros/prejuízos acumulados e é abatido do LLE.

                      isso ? é que na figura ali da colega tá entre parenteses os 30% máx, mas não vai ao caso já que o utilizado é o preju contábil, correto ?

                      se me enganei, diz ae!

                      valeu

                      Comentário

                      • robertamsig
                        • 26/04/09
                        • 197

                        #12
                        Re: duvida- prejuizo fiscal e contabil

                        Olha o jeito mais fácil:

                        Prejuízo contábil --> faz parte da conta lucros/prejuízos acumulados e é abatido do LLE.

                        Prejuízo fiscal --> o prejuízo contábil, menos o ajute da receita.

                        Esse ajuste são as despesas que a receita não considera como receita para definição do resultado da empresa. Ou seja, o contador tem que preencher o livro lalur, onde ele vai colocar as adições e exclusões. Por exemplo, alimentação do diretor com clientes, a receita não considera isso como um gasto relevante, nota fiscal de bebida alcolica, comprovante de despesa sem ser em documento fiscal (ex. nota de balção nota de pedido) Esses tipos de gastos devem ser excluidos so resultado, ou seja adicionados ao resultado do exercio. Assim o resultado que as vezes tem prejuizo contabil na verdade é lucro. A receita faz isso pois senão despesas absurdas seriam consideras. Ai sim se no exercicio X1 depois de todos os ajustes vc ainda teve prejuizo, supondo R$ 100.000,00, já no exercico X2 também depois dos ajustes vc já teve um lucro de R$ 50.000,00. Não seria justo vc não compensar um com o outro. Mas para as empresas não forçar prejuizos absurdo a receita estabelece esse limite de 30%. Ou seja 30% dos 50.000,00

                        Comentário

                        • robertamsig
                          • 26/04/09
                          • 197

                          #13
                          Re: duvida- prejuizo fiscal e contabil

                          Questão que o Silvio Sande deu: Acho que fica facil entender.

                          Dados extraidos da contabilidade e do Livro de Apuração do Lucro Real (LALUR) da Cia. Peloponeso, referentes ao período de apuração anual encerrado em 31/12/2005:

                          Lucro Liquido antes do Imposto de renda ...... 300.000
                          Adições, conforme LALUR, parte A.....125.000
                          Exclusões, conforme LALUR, parte A ...50.000
                          Prejuizo fiscal de periodos anteriores, conforme LALUR parte B .... 187.500,00

                          Calcule o LUcro Real para a apuração do IR:
                          a)137.500
                          b)212.500
                          c)237.500
                          d)262.500
                          e)312.500

                          Comentário

                          • robertamsig
                            • 26/04/09
                            • 197

                            #14
                            Re: duvida- prejuizo fiscal e contabil

                            Normalmente a banca já te da o total de exclusão e o total de adição.

                            Então 1º - Calcular o resultado fiscal.

                            = Lucro contábil ...300.000
                            + Adições .....125.000
                            - Exclusões ...50.000
                            = Lucro Fiscal .....375.000

                            Posso compensar 30% do resultado com prejuizos fiscal anterior. nesse caso eu tenho 187.500. Não confunde é 30% do lucro do exercicio atual.

                            = 375.000 * 0,30 = 112.500.

                            Verifico se o saldo que tenho dá, se não compenso somente o saldo que tenho.

                            Neste caso posso compensar tudo,

                            Então o Lucro Real ( ou seja Lucro Fiscal)

                            = 375.000 - 112.500 = 262.500

                            Ainda tenho um lucro para compensar no exercicio seguinte de 75.000

                            Comentário

                            • Luciano Ribeiro (O PEIXE)
                              • 25/11/06
                              • 3963

                              #15
                              Re: duvida- prejuizo fiscal e contabil

                              O prejuízo fiscal vc obtem quando faz a apuração pelo lalur onde em cima da legislação do IR vc aplica as adiçoes e deduções permitidas permitidas em lei.
                              Os valores que vc encontra no BP, lucro ou preju, são contabeis. Veja que ao apurar esses valores pelo lucro real tanto podem aparecer prejuízo fiscal qdo há lucro contábil, como tb haver lucro fiscal qdo há preju contábil. Por isso precisa-se apurar:

                              10 - ADIÇÕES AO LUCRO LÍQUIDO



                              Na determinação do lucro real, serão adicionados ao lucro líquido do período de apuração :



                              I - as despesas deduzidas na apuração do lucro líquido que, de acordo com a legislação tributária, não sejam dedutíveis n determinação do lucro real, tais como :



                              a ) a Contribuição Social sobre o Lucro;



                              b ) as multas por infrações fiscais, salvo as de natureza compensatória e as impostas por infrações que não resultem falta ou insuficiência de pagamento de tributos ou contribuição;



                              c ) as despesas de depreciação, amortização, manutenção, reparo, conservação, impostos, taxas, seguros e quaisquer outros gastos com bens móveis e imóveis, exceto se intrinsecamente relacionados com a produção de bens ou serviços ;



                              d ) as contraprestações de arrendamento mercantil e do aluguel de bens imóveis, exceto quando relacionados intrinsecamente com a produção ou comercialização dos bens e serviços;



                              e ) as despesas com alimentação dos sócios, acionistas e administradores;



                              f ) as contribuições não compulsórias, exceto as destinadas a custear seguros, planos de saúde e benefícios complementares assemelhados aos da previdência social , instituídos em favor dos empregados e dirigentes da pessoa jurídica;



                              g ) as doações, exceto as efetuadas em favor de instituições de ensino e pesquisa sem finalidade lucrativa e cuja criação tenha sido autorizada por lei federal, até o limite de 1,5% do lucro operacional, antes de computada a sua dedução e as efetuadas a entidades civis sem fins lucrativos que prestem serviços gratuitos em benefício de empregados da pessoa jurídica doadora e seus dependentes, ou em benefício da comunidade onde atuem, até o limite de 2% do lucro operacional, antes de computada a sua dedução, e as efetuadas aos projetos de natureza cultural, aprovados pela Comissão Nacional de Cultura;



                              h ) a amortização de ágio na aquisição de participações societárias sujeitas à avaliação pela equivalência patrimonial, cujo valor deve ser registrado na parte"B"do Lalur para ser computado no lucro real no período em que ocorrer a alienação ou liquidação do investimento ;



                              i ) o prejuízo na alienação ou baixa de investimentos adquiridos mediante incentivo fiscal de dedução do imposto de renda;



                              j ) as perdas decorrentes de créditos não liquidados, que houverem sido computadas no resultado sem observância dos limites previstos na legislação;



                              l ) as perdas no recebimento de créditos com pessoa jurídica que seja controladora, controlada, coligada ou interligada, ou com pessoa física que seja acionista controlador, sócio, titular ou administrador da pessoa jurídica credora ou parente até terceiro grau;



                              m) a remuneração indireta de sócios, dirigentes ou administradores, quando não identificados os beneficiários, bem como o imposto de renda incidente na fonte sobre essa remuneração;



                              n ) o resultado negativo apurado em sociedade em conta de participação.



                              II - o valor das provisões não dedutíveis, exceto as seguintes :



                              a ) provisão para pagamento de férias e décimo terceiro salário;



                              b ) provisões técnicas das companhias de seguros e capitalização , bem como das entidades de previdência privada, cuja constituição é exigida pela legislação especial a elas aplicável.



                              III - o resultado negativo da avaliação de investimentos pela equivalência patrimonial ;



                              IV - o valor da reserva de reavaliação que for realizada no período base em virtude de sua capitalização (exceto no caso de reavaliação de imóveis e de patentes e direitos de exploração de patentes decorrentes de pesquisa ou tecnologia desenvolvida no País) ou mediante depreciação, amortização, exaustão, alienação ou baixa por perecimento dos bens reavaliados;



                              V - a parcela dos lucros decorrentes de contratos com entidades governamentais, que haja sido excluída na determinação do lucro real em períodos anteriores, proporcional ao valor das receitas recebidas no período de apuração;



                              VI - os encargos de depreciação, apropriados contabilmente, correspondente a bem que tenha sido objeto de depreciação acelerada a título de incentivo fiscal, a partir do período-base em que a soma da depreciação acumulada normal, registrada na escrituração comercial, com a depreciação acumulada incentivada registrada no Lalur, atingir 100% do custo de aquisição do bem;



                              VII - o valor da reserva especial do ativo permanente (art. 2º da Lei Nº 8.200/91) proporcional ao valor dos bens submetidos a essa correção especial, que hajam sido realizados no período mediante depreciação, amortização, exaustão, alienação ou baixa por perecimento;



                              VIII - as despesas com brindes;



                              IX - os juros remuneratórios do capital próprio, que excederem aos limites de dedutibilidade ou que houverem sido contabilizados sem observância dos limites e condições previstos na legislação ;



                              X - as perdas ocorridas em operações no mercado de renda variável, na parte que exceder aos ganhos líquidos auferidos em operações dessa natureza, bem como as perdas incorridas em operações iniciadas e encerradas no mesmo dia (day-trade);



                              XI - demais resultados, rendimentos, receitas e quaisquer outros valores não incluídos na apuração do resultado e que, de acordo com a legislação vigente, devam ser computados na determinação do lucro real.



                              11 - EXCLUSÕES DO LUCRO LÍQUIDO



                              Na determinação do lucro real, poderão ser excluídos do lucro líquido do período de apuração :



                              I - o resultado positivo da avaliação de investimentos pelo valor do patrimônio líquido ;



                              II - os lucros e dividendos derivados de investimentos avaliados pelo custo de aquisição, que tenham sido computados como receita;



                              III - o valor das provisões não dedutíveis que tenham sido adicionadas na determinação da base de cálculo de período de apuração anterior e que tenham sido baixadas no período de apuração por utilização ou reversão;



                              IV - a parcela dos lucros decorrentes de contratos de construção por empreitada ou de fornecimento de bens ou serviços celebrados com entidades governamentais, proporcional ao valor das receitas desses contratos, computadas na apuração do resultado e não recebidas até a data do encerramento do período-base;



                              V - a amortização de deságio obtido na aquisição de participações societárias sujeitas a avaliação pela equivalência patrimonial, cujo valor deve ser registrado em conta de controle na parte "B"do Lalur, para ser computado no lucro real do período em que ocorrer a alienação ou baixa do investimento;



                              VI - a diferença entre o valor de mercado e o valor contábil de bens e direitos recebidos a título de devolução de participação no capital social de outra sociedade, que tenha sido creditada ao resultado ;



                              VII - o resultado positivo correspondente às operações realizadas pelas sociedades cooperativas com seus associados;



                              VIII - a reversão do saldo remanescente da provisão para o imposto de renda sobre o lucro inflacionário com tributação diferida, quando houver sido exercida a opção para a tributação antecipada com o benefício da redução da alíquota do imposto;



                              IX - as perdas em operações de renda variável, que tenham sido adicionadas ao lucro líquido de período anterior, por trem excedido aos ganhos auferidos em operações, da mesma natureza, até o limite da diferença positiva entre ganhos e perdas decorrentes de operações no mesmo mercado, computados no resultado do período;



                              X - os encargos financeiros registrados como receita, incidentes sobre créditos vencidos e não recebidos, após decorridos dois meses do vencimentos do crédito;



                              XI - a depreciação acelerada incentivada;



                              XII - o ganho de capital auferido na alienação de bens do ativo permanente no período, cujo preço deva ser recebido no todo ou em parte, após o término do ano-calendário subseqüente ao das contratação, se houver opção pelo diferimento da tributação;



                              XIII - os rendimentos e ganhos de capital nas transferências de imóveis desapropriados para fins de reforma agrária, quando auferidos pelo desapropriado;



                              XIV - os dividendos anuais mínimos distribuídos pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento;



                              XV - demais rendimentos, receitas, resultados e outros valores computados a crédito de conta de resultado e que, de acordo com a legislação vigente, não são computados no lucro real.



                              12 - COMPENSAÇÃO DE PREJUÍZOS



                              Na determinação da base de cálculo do imposto de renda, o lucro real apurado, depois das adições e exclusões ao lucro líquido, quando positivo, poderá ser reduzido pela compensação de prejuízos fiscais, apurados em períodos anteriores, inclusive em trimestres anteriores do mesmo ano-calendário.



                              Para a compensação dos prejuízos fiscais anteriores, não existe um prazo, porém, essa compensação, em cada período de apuração, somente poderá ser efetuada até o limite de 30% do lucro real e desde que entre a data da apuração e da compensação não tenha ocorrido, cumulativamente, modificação do controle societário e do ramo de atividade.



                              Os prejuízos não operacionais só podem ser compensados com os lucros da mesma natureza, observando-se o limite de 30%.



                              Os valores dos prejuízos discais, operacionais e não operacionais, devem ser controlados na parte "B"do Lalur.



                              13 - BASE DE CÁLCULO



                              A base de cálculo do imposto, determinada segundo a lei vigente na data de ocorrência do fato gerador, é o lucro real correspondente ao período de apuração.



                              14 - ALÍQUOTA



                              A alíquota do imposto de renda, qualquer que seja a sua atividade ou período de apuração, incidente sobre a base de cálculo do imposto, é quinze por cento.

                              Comentário



                              Working...
                              X