Anúncio

Anúncio Module
Collapse
No announcement yet.

Continuidade e seus reflexos no Parecer de Auditoria

Page Title Module
Mover Remover Collapse
X
Conversation Detail Module
Collapse
  • Filtro
  • Tempo
  • Mostrar
Limpar Tudo
new posts
  • Leandro
    • 24/01/07
    • 270

    Continuidade e seus reflexos no Parecer de Auditoria

    Gostaria de saber: se há um consenso firmado sobre a emissão de parecer de auditoria com Ressalva ou Parágrafo de Ênfase. Coloco 03 questões a respeito que tratam do Assunto.
    Entendo que se a Administração proceder o registro dos efeitos sobre ativos decorrentes da perda da continuidade não caberia a emissão do Parecer Adverso, alternando entre Ressalva e Parágrafo de Ênfase.
    Manifeste sua opinião (obs. a questão número 04).

    01) Auditor Fiscal do Tesouro do Estado – RN – 2005 - FCC
    Na constatação de evidências de riscos na continuidade normal das atividades da entidade, o auditor independente deverá emitir parecer:
    a) com abstenção de opinião. b) sem ressalva e sem parágrafo de ênfase.
    c) com ressalva e com parágrafo de ênfase. d) sem ressalva e com parágrafo de ênfase.
    e) adverso e com parágrafo de ênfase.
    Gabarito: C

    02) Analista Técnico da Susep – Esaf 2002
    Após a data de fechamento, mas antes da emissão de seu parecer, o auditor independente constatou que a matriz da empresa que ele audita requereu concordata. Esse fato pode afetar a continuidade operacional de seu cliente que é dependente financeiramente da matriz. A administração da empresa apresentou adequada interpretação nas demonstrações contábeis; diante dessa situação, o auditor deve emitir um parecer
    a) com ressalva e parágrafo de ênfase. b) com abstenção de opinião.
    c) adverso com parágrafo de descontinuidade. d) sem ressalva com parágrafo de ênfase.
    e) de incerteza com parágrafo de descontinuidade.
    Gabarito: D

    03) Analista Ministerial - FCC
    A elaboração do Parecer dos Auditores Independentes deve atender, conforme as Normas Brasileiras de Contabilidade, à exigência seguinte:
    a) Ocorrendo limitação na extensão do seu trabalho o auditor pode emitir parecer sem ressalva, independentemente dos efeitos que tenham ocasionado nas demonstrações contábeis.
    b) A limitação na extensão do trabalho deve conduzir à opinião com ressalva, somente.
    c) O auditor deve emitir parecer com abstenção de opinião quando verificar que as demonstrações contábeis estão incorretas ou incompletas em tal magnitude que impossibilite a emissão do parecer com ressalva.
    d) A abstenção de opinião em relação às demonstrações contábeis elimina a responsabilidade do auditor de mencionar, no parecer, qualquer desvio relevante que possa influenciar a decisão do usuário dessas demonstrações.
    e) Quando ocorrer incerteza em relação a fato relevante, cujo desfecho poderá afetar significativamente a posição patrimonial e financeira da entidade, bem como os resultados das suas operações, o auditor deve adicionar um parágrafo de ênfase em seu parecer.
    Gabarito: E.

    Gostaria de saber por que não caberiam as demais alternativas elencadas?
    04) Auditor Tributário de SP – FCC
    No exame das demonstrações contábeis de uma entidade, o risco de continuidade normal das atividades desta deve ser objeto de atenção dos auditores independentes.
    É um dos indicadores desse risco:
    a) passivo exigível em valor superior ao do patrimônio líquido.
    b) existência de empréstimos e financiamentos de curto prazo para financiar o giro.
    c) índices financeiros adversos de forma contínua.
    d) investimento operacional em giro negativo.
    e) flutuações cíclicas do resultado em função de sazonalidade das vendas.
    Gabarito: C

    Para facilitar a compreensão, favor abordar assunto manifestando o número da questão.
    Grato,
  • rodrigo07
    • 03/12/06
    • 1650

    #2
    Re: Continuidade e seus reflexos no Parecer de Auditoria

    Postado Originalmente por Leandro
    Gostaria de saber: se há um consenso firmado sobre a emissão de parecer de auditoria com Ressalva ou Parágrafo de Ênfase. Coloco 03 questões a respeito que tratam do Assunto.
    Entendo que se a Administração proceder o registro dos efeitos sobre ativos decorrentes da perda da continuidade não caberia a emissão do Parecer Adverso, alternando entre Ressalva e Parágrafo de Ênfase.
    Leandro,

    Parecer demonstra a opinião do auditor qto a correção das demonstrações contábeis. Se há indícios de descontinuidade mas tal fato está corretamente indicado nas demosntrações financeiras não há pq emitir um parecer com ressalva ou adverso. Na situação de descontinuidade cabe sim um parágrafo de ênfase.

    Só para ficar claro: ao se examinar o tipo de parecer a ser emitido tem com critério a correção das demosntrações financeiras. Não é pq tem descontinuidade que tem q emitir parecer com ressalva ou adverso.

    []'s, rod

    Comentário

    • Leandro
      • 24/01/07
      • 270

      #3
      Re: Continuidade e seus reflexos no Parecer de Auditoria

      Concordo em genero, número e grau.
      Coloquei só pra ver se ia dar polemica e se alguém tinha opiniãop contrária, mas pelo visto ...
      Valeu.

      Comentário

      Working...
      X