Anúncio

Collapse
No announcement yet.

SEFAZ-PI

Collapse
X
  • Filtrar
  • Hora
  • Mostrar
Limpar Tudo
new posts
  • macmaximo
    • 25/11/06
    • 15

    SEFAZ-PI

    CONCURSO SEFAZ-PI TÁ SAINDO VAMOS ESTUDAR!!!!
  • thatynha
    • 25/11/06
    • 164

    #2
    Galerinha mais estudiosa!!!

    Andei pesquisando e houveram dois concursos em 2001 do SEFAZ-PI feito pela ESAF.
    Um para o Cargo Agente Fiscal de Tributos Estaduais conforme já descrevi acima e outro para os cargos de DE AUDITOR, TÉCNICO DE CONTROLE INTERNO, AGENTE TRIBUTÁRIO ESTADUAL, AUXILIAR TRIBUTÁRIO ESTADUAL E ARRECADADOR TRIBUTÁRIO ESTADUAL

    Segue os dados do Edital:


    SECRETARIA DE FAZENDA DO PIAUÍ

    MINISTÉRIO DA FAZENDA
    SECRETARIA EXECUTIVA
    ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO FAZENDÁRIA - ESAF

    EDITAL ESAF Nº 77, de 25 de outubro de 2001

    CONCURSO PÚBLICO PARA OS CARGOS DE AUDITOR, TÉCNICO DE CONTROLE INTERNO, AGENTE TRIBUTÁRIO ESTADUAL, AUXILIAR TRIBUTÁRIO ESTADUAL E ARRECADADOR TRIBUTÁRIO ESTADUAL

    A DIRETORA-GERAL DA ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO FAZENDÁRIA, no uso de suas atribuições legais e, em cumprimento ao estabelecido no Contrato firmado entre o Estado do Piauí e esta Escola, divulga e estabelece normas específicas para abertura das inscrições e a realização de Concurso Público destinado a selecionar candidatos para o provimento de cargos de Auditor, Técnico de Controle Interno, Agente Tributário Estadual, Auxiliar Tributário Estadual e Arrecadador Tributário Estadual, do Quadro de Pessoal da Secretaria da Fazenda do Estado do Piauí, observadas as disposições constitucionais referentes ao assunto e, ainda, os termos da Lei nº 3.378, de 11 de dezembro de 1975, da Lei Delegada nº 94, de 20 de junho de 1973 e do Decreto nº 1.701, de 14 de novembro de 1973 e, em particular, as normas contidas neste Edital.
    1 - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES
    1.1 - O concurso será assim constituído:
    a) Para os cargos de Auditor e Técnico de Controle Interno:
    - Prova a.1 - Objetiva de Conhecimentos Gerais - de caráter eliminatório e classificatório, valendo, no máximo, 50 pontos ponderados;
    - Prova a.2 - Objetiva de Conhecimentos Específicos - de caráter eliminatório e classificatório, valendo, no máximo, 75 pontos ponderados.
    b) Para os cargos de Agente, Auxiliar e Arrecadador Tributário Estadual:
    - Prova b.1 - Objetiva de Conhecimentos Gerais - de caráter eliminatório e classificatório, valendo, no máximo, 40 pontos ponderados;
    Prova b.2 - Objetiva de Conhecimentos Específicos - de caráter eliminatório e classificatório, valendo, no máximo, 60 pontos ponderados.
    1.2 - As vagas a serem providas, para os cargos de Auditor e de Técnico de Controle Interno, conforme subitem 1.4, poderão ser distribuídas pelas Unidades da Secretaria da Fazenda do Estado do Piauí, sediadas em Teresina-PI e/ou nos municípios onde houver Diretorias Regionais Fazendárias.
    1.3 – As vagas para os cargos de Agente Tributário Estadual, Auxiliar Tributário Estadual e Arrecadador Tributário Estadual serão preenchidas com rigorosa obediência à ordem de classificação, a qual também definirá a lotação do candidato aprovado na respectiva Unidade Fazendária.
    1.3.1 – Quando da nomeação dos candidatos aprovados, o Secretário da Fazenda do Estado do Piauí expedirá portaria contendo a quantidade de vagas em cada Unidade Fazendária, de acordo com a carência de pessoal e necessidade do serviço.
    1.3.2 – A recusa do candidato aprovado em ser lotado na Unidade Fazendária definida pela sua classificação, caracterizará a desistência do processo seletivo.
    1.3.3 - Preenchidas as vagas indicadas no subitem 1.4, aquelas que vierem a surgir no decorrer da validade do concurso serão preenchidas por necessidade do serviço.
    1.4 - Os cargos, os respectivos números de vagas, a escolaridade e o valor da taxa são os estabelecidos no quadro a seguir:
    Número de vagas
    Cargo Ampla Portadores de Escolaridade Valor da
    Concorrência deficiência Taxa (R$)
    Auditor 11 01 Curso superior concluído em Ciências Contábeis. 33,00
    Técnico de Controle Interno 20 02 Curso superior concluído 33,00
    Agente Tributário Estadual 80 04 2º grau concluído 22,00
    Auxiliar Tributário Estadual 105 06 2º grau concluído 22,00
    Arrecadador Tributário Estadual 83 05 2º grau concluído 22,00


    1.5 - Ao número de vagas definido no subitem 1.4 serão acrescidas aquelas que vierem a vagar, por cargo, durante o prazo de validade do concurso estabelecido no subitem 12.6.
    1.6 – O regime jurídico de trabalho será o estatutário, regido pela Lei Complementar nº 13, de 13/01/94 – Estatuto dos Servidores Públicos Civis do Estado do Piauí.
    2 - DA REMUNERAÇÃO INICIAL DOS CARGOS:
    - Auditor - até R$ 4.184,56
    - Técnico de Controle Interno: até R$ 2.864,22
    - Agente Tributário Estadual - até R$ 814,90
    - Auxiliar Tributário Estadual - até R$ 813,87
    - Arrecadador Tributário Estadual - até R$ 812,33

    3 - DAS ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS:
    3.1 – AUDITOR: Executar atividades de auditoria do Poder Executivo; examinar a arrecadação e o recolhimento da receita tributária das Diretorias Regionais da SEFAZ-PI, bem como a receita proveniente das atividades específicas dos Órgãos da Administração Direta e Indireta do Estado; examinar a realização da despesa estadual em todas as suas fases; verificar o cumprimento de contratos, convênios, acordos e ajustes e de outros atos de que resulte o nascimento ou a extinção de direitos e obrigações para o Estado; realizar auditorias contábeis, administrativas, financeiras, orçamentárias, operacionais e patrimoniais, nos órgãos da administração direta e indireta do Estado; verificar a exatidão das contas e a execução do orçamento; fiscalizar a guarda e a aplicação de dinheiro, valores e outros bens do Estado confiados aos dirigentes dos Órgãos da Administração Direta e Indireta do Estado; elaborar relatórios e pareceres dos exames, das avaliações, das análises e das verificações realizadas; executar levantamentos, perícias e exames contábeis e físicos, destinados a instruir processo administrativo; orientar, supervisionar e fiscalizar atividades relacionadas à contabilidade e ao sistema de controle interno; executar outras tarefas correlatas que lhe sejam delegadas.
    3.2 – TÉCNICO DE CONTROLE INTERNO:
    Elaborar normas gerais da administração financeira e contabilidade; participar da elaboração do plano de contas da administração direta e opinar sobre os planos de contas da administração indireta; participar da elaboração da contabilidade do Estado; elaborar a prestação de contas anual que o Governador apresenta à Assembléia Legislativa; Controlar a dívida fundada interna e externa do Estado; acompanhar as atividades econômico-financeiras das Empresas: Públicas, Sociedades de Economia Mista e outras organizações de cujo capital o tesouro estadual participe direta ou indiretamente; orientar e coordenar as atividades dos órgãos em matéria de contabilidade e administração financeira; desenvolver atividades relacionadas à programação financeira do Estado; controlar os convênios que têm contrapartida do Estado; realizar estudos para a elaboração da proposta orçamentária da Secretaria da Fazenda, bem como acompanhar sua execução; colaborar nas atividades de auditoria; executar outras tarefas correlatas que lhe sejam delegadas.
    3.3 – AGENTE TRIBUTÁRIO ESTADUAL:
    Executar as atividades de fiscalização, arrecadação e controle dos tributos estaduais junto às Unidades Arrecadadoras, Postos Fiscais e Centros Tributários Estaduais e apoiar as ações fiscais, em geral; executar as diversas atividades burocráticas junto às Unidades Arrecadadoras, Postos Fiscais e Centros Tributários Estaduais; proceder à lavratura de termos fiscais e intimações; fazer a apreensão de mercadorias em situação fiscal irregular e lavrar o respectivo termo; executar outras atividades correlatas que lhe sejam delegadas.
    3.4 – AUXILIAR TRIBUTÁRIO ESTADUAL:
    Auxiliar na fiscalização, arrecadação e controle dos tributos estaduais junto às Unidades Arrecadadoras, Postos Fiscais e Centros Tributários Estaduais ou em volantes fiscais e blitz; auxiliar na execução das diversas atividades burocráticas junto às Unidades Arrecadadoras, Postos Fiscais e Centros Tributários Estaduais; auxiliar na apreensão de mercadorias em situação fiscal irregular e na lavratura de termos fiscais e intimações; executar outras atividades correlatas que lhe sejam delegadas.
    3.5 – ARRECADADOR TRIBUTÁRIO ESTADUAL: Arrecadar tributos junto às Unidades Arrecadadoras, Postos Fiscais, feiras, mercados e outros locais; executar a fiscalização de mercadoria em trânsito nos Postos Fiscais e em volantes fiscais e blitz; executar atividades burocráticas vinculadas à função de fiscalização e arrecadação; proceder à lavratura de termos fiscais e intimações; emitir Notas Fiscais Avulsas e Documentos de Arrecadação Estadual – DAR; efetuar o cálculo de tributos estaduais e de multas; conferir mercadorias em depósitos ou em circulação; apreender mercadorias em situação fiscal irregular e lavrar o respectivo termo; executar outras atividades correlatas que lhe sejam delegadas.
    7 - DAS PROVAS
    7.1 - Serão aplicadas duas provas objetivas, eliminatórias e classificatórias, de Conhecimentos Gerais e Específicos, relativas às disciplinas constantes do quadro a seguir, cujos programas constam deste Edital (Anexo I) e do Manual do Candidato:


    Cargo AUDITOR

    Disciplinas
    a1 Conhecimetos Gerais
    Língua Portuguesa 15
    Matemática Financeira 05
    Direito Penal 05
    Direito Administrativo 05
    Direito Constitucional 05
    Direito Civil 05
    Conhecimentos de Informática 10 75
    a.2 Conhecimentos específicos
    Contabilidade Geral 10
    Contabilidade Pública 05
    Auditoria 15
    Administração Financeira e Orçamentária 15
    Finanças Públicas 05

    TÉCNICO DE CONTROLE INTERNO
    a.1Conhecimentos Gerais
    Língua Portuguesa 15
    Matemática Financeira 06
    Direito Penal 06
    Direito Administrativo 06
    Direito Constitucional 06
    Economia 06
    Noções de Informática 05

    a.2 Conhecimentos Específicos
    Contabilidade Geral 15
    Orçamento e Contabilidade Pública 20
    Finanças Públicas 15

    AGENTE,AUXILIAR E ARRECADADOR TRIBUTÁRIO ESTADUAL
    b.1 Conhecimentos Gerais

    Língua Portuguesa 10
    Matemática 06
    Noções de Direito
    (Administrativo e Financeiro) 09
    Noções de Direito Comercial 05
    Noções de Direito Constitucional 05
    Noções de Direito Penal 05

    b.2 Conhecimentos Específicos
    Noções de Contabilidade 10
    Noções de Informática 05
    Noções de Direito Tributário 10
    Legislação Tributária Estadual 15

    Vejam o último edital completo no link abaixo:
    http://concursos.correioweb.com.br/ante ... odigo=1068

    Comentário

    • macmaximo
      • 25/11/06
      • 15

      #3
      Olha o Plano de cargos:

      http://www.comepi.pi.gov.br/diario/2005 ... 4d39e1.pdf

      http://www.comepi.pi.gov.br/diario/2005 ... 845f3a.pdf

      http://www.comepi.pi.gov.br/diario/2005 ... 414921.pdf

      http://www.comepi.pi.gov.br/diario/2005 ... 2a0cd0.pdf

      e quem trabalha aqui no PF é técnico, em poucos PF tem ficais eles ficam mais na capital.

      Qualquer dúvida estamos aí.

      Comentário

      • matalivroPI
        • 31/01/07
        • 1

        #4
        Pessoal,
        Sou da Sefaz-PI, nível médio. Acredito que deva fazer alguns esclarecimentos:
        1)Da possibilidade do concurso: Realmente existe a chance de que haja, no entanto, conversando com um Auditor, coordenador, fui informado de que o secretário anda titubeante quanto à realização do certame, já que esta com receio de que a reforma tributária afete a necessidade de novos fiscais. Por outro lado, pedi que uma fonte bem próx da Ex-secretaria de ADm, Regina Sousa, colhesse informações a esse respeito (isso já em meados de janeiro). O rapaz me disse que ela garatiu que a chance de haver seria grande, pois já que o concurso anterior havia vencido e como o Estado estava precisando, seria natural que se fizesse, mesmo sem previsão de vagas, para que se chamasse de acordo com a demanda.
        2) Do salário: Hoje deve ser um pouco menos de 7 mil, mas existe a gratificação pela arrecadação, que varia a cada trimestre. Mas dificilmente um Auditor nao tem um cargo de comissao aqui no estado. vou verificar e irformo depois com mais precisao.
        3) Do local e dos horários de trabalho: Aqui no Piauí nem 5% dos Fiscais trabalham em plantão, e muito menos no interior. Quem manda na Sefaz é fiscal, e so não vêm pra capital os que nao querem... na imensa maioria dos postos, são os técnicos, nivel médio, com cargo de supervisao, quem mandam em PF, o que nao interessa pra fiscal.

        Comentário

        • macmaximo
          • 25/11/06
          • 15

          #5
          valor do salário de acordo com Plano:

          http://www.comepi.pi.gov.br/diario/2006 ... 6feb0b.pdf


          abç.

          as outras informações foram divulgadas posteriormente.

          Comentário

          • Auditor_PI
            • 16/05/07
            • 128

            #6
            Re: Legislação

            LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA ESTADUAL: 1. Do Imposto: Das Disposições Iniciais. 2. Da Incidência e Do Fato Gerador. 3. Da Imunidade. 4. Da não Incidência. 5. Dos Incentivos. 6. Das Isenções e Demais Benefícios Fiscais. 7. Do Diferimento. 8. Da Suspensão. 9. Da Sujeição Passiva. 10. Dos Contribuintes. 11. Dos Responsáveis. 12. Do Estabelecimento. 13. Do Domicílio Tributário. 14. Da Obrigação Principal. 15. Do Cálculo do Imposto: das Alíquotas. 16. Da Base de Cálculo. 17. Da Sistemática de Apuração. 18. Das Disposições sobre a não Cumulatividade. 19. Do Crédito do Imposto. 20. Da Vedação do Crédito e do Estorno do Crédito. 21.Do Recolhimento do Imposto e dos Prazos. 22.Das Disposições Gerais. 23. Dos Acréscimos Moratórios.24.Da Correção Monetária. 25. Da Restituição do Imposto. 26. Das Obrigações Acessórias. 27.Do Cadastro de Contribuintes.28.Do Documento e da Escrita Fiscal. 29. Da Fiscalização. 30. Das Disposições Gerais. 31. Das Infrações e Penalidades.32. Das Infrações. 33. Da Denúncia Espontânea. 34. Da Reincidência.35.Das Penalidades.36. Das Disposições Gerais. 37. Das Multas Relativas à Obrigação Principal. 38. Das Multas Relativas às Obrigações Acessórias. 39. Da Redução das Multas. 40. Da Retenção, da Devolução, da Liberação e Leilão das Mercadorias e Bens. 41. Do Crime de Sonegação Fiscal. 42. Das Disposições Gerais, Finais e Transitórias. 43. Da Caracterização da Microempresa.43. Da Exclusão do Regime. 44. Do Tratamento Tributário; Do Registro. 45. Do Cadastramento e do Recadastramento. 46. Dos Benefícios Fiscais e da Sistemática Simplificada. 47. Das Obrigações Tributárias Acessórias. 47. Do Desenquadramento e do Cancelamento. 48. Das Penalidades. 49. Das Disposições Gerais. (Fontes: LEI Nº 4.257, DE 06 DE JANEIRO DE 1989 e suas alterações até 31/01/2001. LEI Nº 3.216, DE 09 DE JUNHO DE 1973 e suas alterações até 31/01/2001. LEI Nº 4.500, DE 10 DE SETEMBRO DE 1992 e suas alterações até 31/01/2001). REGULAMENTO DO ICMS, APROVADO PELO DECRETO Nº 7.560, DE 13 DE ABRIL DE 1989 e suas alterações até 31/07/2001. REGULAMENTO DO ICMS, APROVADO PELO DECRETO Nº 6.551, DE 27 DE DEZEMBRO DE 1985 e suas alterações até 31/07/2001. REGULAMENTO DA LEI Nº 3.216, APROVADO PELO DECRETO Nº 1.697, DE 07 DE NOVEMBRO DE 1973 e suas alterações até 31/07/2001. DOCUMENTOS FISCAIS, DECRETO N 9.740, DE 27 DE JUNHO DE 1997 e suas alterações até 31/07/2001. 50. Microempresa. Decreto nº 8.854, de 03 de fevereiro de 1993 e suas alterações até 31/07/2001. Do Imposto. Da Incidência e do Fato Gerador. Da Imunidade; Da não Incidência. Dos Incentivos. Das Isenções e Demais Benefícios Fiscais. Do Diferimento. Da Suspensão. Da Sujeição Passiva. Dos Contribuintes. Dos Responsáveis. Da Substituição Tributária. Do Contribuinte Substituto nas Operações Internas. Do Contribuinte Substituto em Operações Interestaduais. Da Antecipação do Imposto. Da Base de Cálculo. Da Apuração e do Recolhimento do Imposto Retido ou Antecipado. 51. Do Imposto pago em Substituição Tributária e da Vedação do Crédito Fiscal; Do Ressarcimento do Imposto. 52. Das Obrigações Acessórias. Da Emissão e Da Escrituração dos Documentos Fiscais pelo Contribuinte Substituto. Da Emissão e Escrituração dos Documentos Fiscais pelo Contribuinte Substituído. 53. Da Fiscalização e da Aplicação das Normas Tributárias 54. Do Estoque de Mercadorias Existentes no Dia Anterior ao regime. 55. Das Disposições Gerais. 56. Do Estabelecimento. 57. Da Obrigação Principal. Do Cálculo do Imposto. Das Alíquotas. Da Base de Cálculo. Da Base de Cálculo Efetiva. Da Base de Cálculo Estimada. Da Base de Cálculo Reajustável. Da Base de Cálculo Arbitrada. Da Sistemática de Apuração. Das Normas Gerais de Apuração. 58. Do Crédito Fiscal Efetivo. Da Vedação do Crédito. Da Manutenção do Crédito. Do Crédito Tributário do Estado. Do Pagamento. Dos Prazos de Recolhimento. Do Parcelamento do Pagamento.. Dos Acréscimos Moratórios. Da Atualização Monetária. Da Restituição do Imposto. das Obrigações Acessórias. 59. Do Cadastro de Contribuintes. Da Inscrição. Da Obrigatoriedade. Da Natureza. Classe e Atividade Econômica. 60. Das Categorias Cadastrais e Dos Regimes de Pagamento. Do Número de Inscrição. Da ficha de Inscrição do Contribuinte. Do Pedido de Inscrição. Da Concessão da Inscrição. Da Suspensão e do Cancelamento. Da Baixa. Da Reativação da Inscrição. Da Ficha de Atualização Cadastral. 61. Das Infrações e Penalidades. Das Infrações. Da Denúncia Espontânea. Da Reincidência. Das Penalidades. Das Disposições Gerais. Das Multas Relativas à Obrigação Principal. Das Multas Relativas as Obrigações Acessórias. Da Redução das Multas. Da Retenção. Da Devolução da Liberação e Leilão de Mercadorias e Bens. 62. Do Crime de Sonegação Fiscal. Das Disposições Gerais, Finais e Transitórias. 63. Do Crédito Tributário do Estado. Da Definição de Lançamento. Da Extinção do Crédito Tributário. Da Transação com o Crédito Tributário. Da Suspensão do Crédito Tributário. Da Restituição do Crédito Tributário. 64.Das Operações com Depósito Fechado. Das Operações com Armazém Geral. Das Operações de Vendas à Ordem ou para Entrega Futura. Das Operações Realizadas Fora do Estabelecimento. 65. Das Operações em Remessa para Industrialização. Das Operações Relativas a Mercadorias Remetidas para Exposição ou Feira. Das Operações de Remessa de Mercadorias ou Bens do Ativo Fixo para Conserto, Reparo e/ou Manutenção ou Similar. 66. Dos Livros Fiscais. Dos Livros em Geral (todos os livros fiscais). Dos Documentos de Informações Econômico – Fiscais. Da Guia de Informação das Operações e Prestações Interestaduais. Da Guia de Informação Mensal do ICMS – GIM. Do Resumo de Utilização de Documentos Fiscais. Das Disposições Especiais. Dos Regimes Especiais de Emissão de Documentos e Escrituração de Livros Fiscais. Da Escrituração dos Livros por Processo Mecanizado. Da Fiscalização. Das Disposições Gerais, Finais e Transitórias. Dos Documentos Fiscais Relativos à Circulação de Mercadorias (todos os documentos fiscais). 67. Microempresa: Da Caracterização. Da Exclusão do Regime. Do Tratamento Tributário. Do Registro. Do Cadastramento e do Recadastramento. Dos Benefícios Fiscais e da Sistemática simplificada. Das Obrigações Tributárias Acessórias. Do Desenquadramento e do Cancelamento. Das Penalidades. Das Disposições Gerais. 68. I.P.V.A. - Lei nº 4.548, de 13 de dezembro de 1992 e suas alterações até 31/01/2001. Do Imposto e do Fato Gerador. Da Incidência. Da Imunidade. Das Isenções. Dos Contribuintes e dos Responsáveis. Do Lançamento. Da Base de Cálculo. Das Alíquotas. Do Cálculo do Imposto e dos Prazos de Recolhimento. Das Multas e dos Acréscimos Moratórios. Da Fiscalização. Da Repartição da Receita. Das Disposições Finais. 69. ITCMD - Lei nº 4.261, de 01 de fevereiro de 1989 e suas alterações até 31/01/2001. Das Disposições Gerais. Da Incidência. Da Imunidade e da Não Incidência. Da Base de Cálculo e da Alíquota. Dos Contribuintes e Responsáveis. Do Domicílio Tributário. Dos Prazos para Recolhimento. Das Multas Moratórias. Da Fiscalização. Das Reclamações e dos Recursos. Das Disposições Finais. 70. Taxas Estaduais - Lei nº 4.254, de 27 de dezembro de 1988 e suas alterações até 31/01/2001. Da Incidência. Das Isenções. Da Base de Cálculo e Da Alíquota. Do Local, Forma e Prazos de Pagamento. Dos Contribuintes. Da Exigência e Da Fiscalização. Das penalidades. Das Disposições Finais. 71. Processo Administrativo Fiscal - Lei nº 3.216, de 09 de junho de 1973 e suas alterações até 31/07/2001. Regulamento da Lei Nº 3.216/73, aprovado pelo Decreto Nº 1.697, de 07 de novembro de 1973 e suas alterações até 31/07/2001. Do Processo Administrativo Fiscal. Da Disposição Preliminar. Do Processo Fiscal. Dos Atos e Termos Processuais. Dos Prazos. Do Procedimento (Auto de Infração). Da Intimação. Da Competência. Do Julgamento de Primeira Instância. Do Julgamento de Segunda Instância. Da Eficácia e Execução das Decisões. Do Processo de Consulta. Das Nulidades. Das Certidões Negativas.

            Toda a legislação destacada em vermelho você encontra do site: http://www.sefaz.pi.gov.br/

            Postado Originalmente por Railander dos Concursos
            Pessoal, já que o concurso é certo alguém poderia colocar aqui o número das leis e decretos dos impostos estaduais.


            Atenciosamente

            Comentário

            • Auditor_PI
              • 16/05/07
              • 128

              #7
              Vencimento básico de R$ 3.419,19 mais GIA (Gratificação de Incremento de Arrecadação) de até R$ 2.000,00.

              Obs: Não espere atingir o teto máximo da GIA. Desde que foi instituída a GIA até agora, o máximo que atingiu foi 35% do teto. Espere algo em torno de 15% a 20% do teto.

              No último concurso foram cobradas as seguintes matérias:

              Português
              Matemática Financeira
              Direito Penal
              Direito Administrativo
              Direito Constitucional
              Economia
              Informática
              Contabilidade Geral
              Orçamento e Contabilidade Pública
              Finanças Públicas

              Acredito que vai entrar Ética no lugar de Direito Penal e o restante será mantido.

              Veja o plano de cargos e salários nos links:

              http://www.comepi.pi.gov.br/diario/2...f4334d39e1.pdf
              http://www.comepi.pi.gov.br/diario/2...df55845f3a.pdf
              http://www.comepi.pi.gov.br/diario/2...e48e414921.pdf
              http://www.comepi.pi.gov.br/diario/2...01da7ef506.pdf
              http://www.comepi.pi.gov.br/diario/2...c3852a0cd0.pdf

              E a remuneração:

              http://www.comepi.pi.gov.br/diario/2...66996feb0b.pdf
              http://www.comepi.pi.gov.br/diario/2...cd874533aa.pdf

              Postado Originalmente por *concurseira-ce*
              Olá pessoal!!!

              Alguém saberia me informar qual seria a remuneração para esse cargo de analista do tesouro estadual?
              Quais as possiveis matérias q serão cobradas nesse certame?! Seria parecido com as matérias q cairam pra auditor governamental da CGE?!

              Ficaria muito agradecida pelas informações...

              Grande Abraço a todos

              Comentário

              • pró-ativo
                • 25/11/06
                • 157

                #8
                Já está na página da Nucepe:
                http://www.nucepe.pi.gov.br/multiplo2007.php

                Postado Originalmente por DELTA X
                Alguém poderia disponibilizar o edital que saiu hoje ?

                Comentário

                • Auditor_PI
                  • 16/05/07
                  • 128

                  #9
                  Re: oi

                  Tem a GIA (gratificação de incremento de arrecadação). O teto máximo da GIA é de R$ 2.000,00 mas o governo só está pagando algo em torno de 15% a 20% desse valor.


                  [quote=O PEIXE]será que tem mais alguma laminha ou só são os 3 contos mesmo?


                  [quote="pró-ativo":2ryg6qe5]Já está na página da Nucepe:
                  [url="http://www.nucepe.pi.gov.br/multiplo2007.php"]http://www.nucepe.pi.gov.br/multiplo2007.php[/url]

                  Postado Originalmente por "DELTA X":2ryg6qe5
                  Alguém poderia disponibilizar o edital que saiu hoje ?
                  [/quote:2ryg6qe5][/quote:2ryg6qe5]

                  Comentário

                  • Auditor_PI
                    • 16/05/07
                    • 128

                    #10
                    A progressão de uma referência para outra ocorre a cada 2 anos conforme arts. 17 a 20 da Lei Complementar nº 062 de 26/12/2005.

                    Postado Originalmente por vandes
                    Ei Auditor_PI como é esse esquema de classes: I, II, III e Especial

                    É por tempo? De quanto em quanto tempo a pessoa é promovida?

                    obrigado.

                    Comentário

                    • Auditor_PI
                      • 16/05/07
                      • 128

                      #11
                      Postado Originalmente por cavalcanti
                      Alguma novidade para Auditor Fiscal da Receita Estadual, AFRE?
                      Existe previsao para esse cargo?
                      Pelo menos para Técnico da Fazenda Estadual acho que não haverá concurso tão cedo. A SEFAZ/PI irá terceirizar algumas funções que atualmente são exercidas pelos Técnicos.

                      Comentário

                      • macmaximo
                        • 25/11/06
                        • 15

                        #12
                        NO LIVRO DE CONTABILIDADE EM EXERCÍCIOS DA ESAF DO GRANDE RICARDO J.FERREIRA TEM A PROVA DE CONTABILIDADE DA SEFAZ/PI 2001COMENTADA SÓ O FILÉ.


                        BOA SORTE

                        Comentário

                        • TôComDeus
                          • 29/11/06
                          • 43

                          #13
                          Olá amigos piauienses,

                          Faz tempo que não aparecia, pois Sefaz-PI esfriou. Estava freqüentando a Sefin-Fortal, mas parece que lá babou, concurso somente em 2008 e olhe lá.

                          Se estou bem lembrado, nosso amigo macmaximo é nossa maior fonte de informação, pois o homem tá lá, acompanhando de perto a movimentação em torno do concurso de auditor.

                          Aqui, no CE, o pessoal que passou na Sefaz tá para perder o juízo, pois nem sinal de nomeação. Também com essa dupla dinâmica, Cid e Mauro Filho, é de se preocupar. Ocorre que esse concurso foi feito durante o governo anterior, e vocês sabem como as coisas funcionam no Brasil, troca-se o governante e muda-se tudo, não há uma política de estado, somente política de governo, e então cada governante tem a sua.

                          Aqui, existem 7.000 concursados esperando nomeação, em várias áreas de atuação. Já pensou, o sujeito passar num dos concursos mais disputados e dificeis como são os da área fiscal e depois ficar nessa angústia, é de lascar. E o pior é que esses nossos governantes acham demais pagar um salário de R$ 9.000 a um servidor público que tem uma missão mais do que essencial para o Estado, arrecadar recursos, e no entanto, lançam aqui, no nosso pobre estado, um tal de cartão corporativo, o qual dá aos detentores de cargo comissionados a possibilidade de efetuar compras sem licitação no valor de até R$ 8.000,00, é bricadeira.

                          Bem, pessoal, não vamos deixar esta sala sem movimento.

                          Valeu.

                          Comentário

                          • macmaximo
                            • 25/11/06
                            • 15

                            #14
                            NÃO É QUERENDO DESANIMAR MAS A GIA ESSE TRIMESTRE É:

                            FISCAL: R$ 263,65
                            AUXILIAR FISCAL: R$ 158,19
                            ANALISTA: R$ 176,12
                            AUXILIAR ANALISTA: R$ 158,19
                            TECNICO DA FAZENDA ESTADUA: R$ 105,46

                            EU ACHO QUE É POR ISSO QUE CHAMAM DE GIA(PEQUENO ANFIBIO)
                            POIS É ESSA MERRECA MESMO, MESMO A ARRECADAÇÃO AUMENTANDO PAULATINAMENTE, SÓ QUE O SECRETÁRIO(PELOS CAULCULOS DELE) NUNCA CHEGA AO TETO.


                            INFELIZMENTE É A REALIDADE, MAS VAMOS LUTAR PARA MUDAR ESSA REALIDADE.

                            ABRAÇO A TODOS.

                            Comentário

                            • ILUMINADO
                              • 24/07/07
                              • 80

                              #15
                              por esses dias ouvi de fiscal do estado que o concurso irá sair agora em 2008, pois havia uma pendencia judicial que se arrastava havia tempos, portanto foi dirimida essa questão e a SEFAZ chamou os últimos aprovados do ultimo certame de 2001 e o concurso já expirou faz tempo, então auditor da SEFAZ-PI pra 2008, avante!!!!!!

                              Comentário


                              Aguarde...
                              X