PDA

Vizualizar Versão Completa : Recursos em portugues


Páginas : [1] 2 3

dudi.c
Sun, 24/04/11, 12:06 PM
para postarmos recursos na materia de portugues.

felipe.brum
Mon, 25/04/11, 10:06 AM
Pessoal,
alguma questão para recurso?

makona
Mon, 25/04/11, 10:16 AM
NADA?!

Pra mim falta 01 de português......

Desespero....

Abraços!

LEONARDO2009
Mon, 25/04/11, 10:33 AM
Galera, também estou por uma em português. Temos que conseguir.

nobregafm
Mon, 25/04/11, 10:34 AM
Acho que podemos ir em cima daquela de interpretação dos quadrinhos e da questão do imperativo tb, todos concordam, vc erraram essas...

felipe.brum
Mon, 25/04/11, 10:38 AM
Um professor falou que cabe recurso nessa:



20 -
De fato, "nosso amor de que eu não esqueço" é o fim da picada, mas não está incorreto, "nosso amor do qual eu não esqueço(...)" é perfeitamente possível, dentro da norma culta, especialmente como letra de bolero, emendando assim: "embora em mil pedaços me tenha partido o coração...".

Brincadeiras a parte, acredito defensável a alternativa. Agora, resolveram colocar a alternativa d - Por que você optou para mim.
Soa absurda também, e o fim da picada, mas é perfeitamente possível optar para alguém - no lugar de alguém.

nobregafm
Mon, 25/04/11, 10:39 AM
Mas essa eu acertei.... não seria suficiente...:smt011

felipe.brum
Mon, 25/04/11, 10:42 AM
Pelo que ele disse, essa é a única que cabe recurso.
Vamos ver se aparece outro professor com uma visão diferente.

Fabricio Nunes
Mon, 25/04/11, 10:43 AM
Consultei rápido um professor de português na seguinte questão:

Acredito que dê para anular a questão 14 Prova branca
14 - A respeito da interpretação do quadrinho, analise as afirmativas a seguir:
I. Associando texto e imagem, é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho.
II. Na fala do homem, o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher.
III. Não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher.

A FGV deu como gabarito a Letra B: “ se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas.
Ora, se eu considero correto que não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher, como posso dizer que está correto que o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher. Para existir o TROCADILHO ele devia ter entendido o que a mulher disse.

Vejam o significado de trocadilho: s.f. Jogo de palavras semelhantes na forma mas diferentes no significado, que enseja ambiguidade; calembur, equívoco: fazer humor com trocadilhos fáceis.

Logo, só a alternativa III estária correta ( sem gaba! ) ANULAÇÃO!!!

Fabricio Nunes
Mon, 25/04/11, 10:44 AM
Comentem por favor!!!!!!!!!!!!!!!!

Fabricio Nunes
Mon, 25/04/11, 10:46 AM
Trocadilho no wikipédia:
"Os trocadilhos constituem um dos recursos retóricos mais utilizados em discursos humorísticos e publicitários. Resulta sempre da semelhança fonética ou sintática de dois enunciados cuja conjunção, comparação ou subentendido (enunciado elíptico, não referido directamente) cria um efeito inesperado, intencional ou não, aproveitando a sonoridade similar e o efeito de surpresa sobre o ouvinte ou o leitor da junção de significados díspares num mesmo contexto. Os trocadilhos mais frequentes são cacofonias em que uma determinada palavra é pronunciada de forma a parecer outra, geralmente com intenção humorística, maliciosa, obscena e/ou grosseira."

felipe.brum
Mon, 25/04/11, 10:47 AM
Só tenho minhas dúvidas se o trocadilho precisa ser intencional

thati_adm
Mon, 25/04/11, 10:48 AM
Consultei rápido um professor de português na seguinte questão:

Acredito que dê para anular a questão 14 Prova branca
14 - A respeito da interpretação do quadrinho, analise as afirmativas a seguir:
I. Associando texto e imagem, é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho.
II. Na fala do homem, o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher.
III. Não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher.

A FGV deu como gabarito a Letra B: “ se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas.
Ora, se eu considero correto que não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher, como posso dizer que está correto que o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher. Para existir o TROCADILHO ele devia ter entendido o que a mulher disse.

Vejam o significado de trocadilho: s.f. Jogo de palavras semelhantes na forma mas diferentes no significado, que enseja ambiguidade; calembur, equívoco: fazer humor com trocadilhos fáceis.

Logo, só a alternativa III estária correta ( sem gaba! ) ANULAÇÃO!!!

Concordo com vc...

Alexandre_SP
Mon, 25/04/11, 10:50 AM
Pessoal,

como formular o recurso para a questão 17 - Prova Branca?

Desde quando "pra" mim respeita a"norma culta?

Essa é a questão "Assinale a alternativa em que a alteração do verso da canção tenha sido feito com adequação à norma culta....

nobregafm
Mon, 25/04/11, 10:50 AM
É justamente essa que eu também pensei, achei a resposta da banca incoerente... temos que tentar vou consultar outro professor também para ver o que acha e vamos fundamentar bem...

felipe.brum
Mon, 25/04/11, 10:50 AM
O
trocadilho resulta de uma semelhança formal entre dois enunciados, por vezes, um deles elíptico, semelhança que pode chegar à identidade. Alguns trocadilhos relacionam uma paráfrase com seu parafraseado. Os trocadilhos elípticos não deixam de ser um tipo de ambigüidade intencional. O trocadilho pode ser intencional ou acidental, como ocorre na cacofonia.


Acho que o trocadilho na questão foi acidental.

Nacorreria
Mon, 25/04/11, 10:52 AM
Pessoal, eu vou entrar com 4 recursos, assim que estiverem prontos eu posto.


Abraços.

Bazinga
Mon, 25/04/11, 10:53 AM
Consultei rápido um professor de português na seguinte questão:

Acredito que dê para anular a questão 14 Prova branca
14 - A respeito da interpretação do quadrinho, analise as afirmativas a seguir:
I. Associando texto e imagem, é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho.
II. Na fala do homem, o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher.
III. Não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher.

A FGV deu como gabarito a Letra B: “ se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas.
Ora, se eu considero correto que não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher, como posso dizer que está correto que o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher. Para existir o TROCADILHO ele devia ter entendido o que a mulher disse.

Vejam o significado de trocadilho: s.f. Jogo de palavras semelhantes na forma mas diferentes no significado, que enseja ambiguidade; calembur, equívoco: fazer humor com trocadilhos fáceis.

Logo, só a alternativa III estária correta ( sem gaba! ) ANULAÇÃO!!!

Super concordo com vc! Vou tentar bolar um recurso aqui e mando ok? Bora entrar com recurso!

Nacorreria
Mon, 25/04/11, 10:54 AM
Pessoal,

como formular o recurso para a questão 17 - Prova Branca?

Desde quando "pra" mim respeita a"norma culta?

Essa é a questão "Assinale a alternativa em que a alteração do verso da canção tenha sido feito com adequação à norma culta....


Cara, como eu queria recorrer dessa, mas veja o enunciado, "assinale a alternativa em que A ALTERAÇÃO tenha sido feita...", o pra mim já estava na frase, não sofreu alteração.

felipe.brum
Mon, 25/04/11, 10:56 AM
Mesmo assim ele não está na norma culta.
Acho que essa merece um recurso.

Bazinga
Mon, 25/04/11, 10:59 AM
Um professor falou que cabe recurso nessa:



20 -
De fato, "nosso amor de que eu não esqueço" é o fim da picada, mas não está incorreto, "nosso amor do qual eu não esqueço(...)" é perfeitamente possível, dentro da norma culta, especialmente como letra de bolero, emendando assim: "embora em mil pedaços me tenha partido o coração...".

Brincadeiras a parte, acredito defensável a alternativa. Agora, resolveram colocar a alternativa d - Por que você optou para mim.
Soa absurda também, e o fim da picada, mas é perfeitamente possível optar para alguém - no lugar de alguém.

Concordo com vc Felipe, vamos entrar com recurso. Bola o seu que bolo o meu aqui e mandamos!

Fabricio Nunes
Mon, 25/04/11, 10:59 AM
O
trocadilho resulta de uma semelhança formal entre dois enunciados, por vezes, um deles elíptico, semelhança que pode chegar à identidade. Alguns trocadilhos relacionam uma paráfrase com seu parafraseado. Os trocadilhos elípticos não deixam de ser um tipo de ambigüidade intencional. O trocadilho pode ser intencional ou acidental, como ocorre na cacofonia.


Acho que o trocadilho na questão foi acidental.

Veja bem.....realmente o trocadilho pode ser acidental ou intencionalmas os envolvidos tem que entender o que está sendo dito ( elíptico ), esta subentendido a intenção, a brincadeira ou até mesmo a ironia! O problema é a FGV ter considerado que " III - não há elementos......e II reside um trocadilho."
Se não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher, como ele faz um trocadilho?

Exemplo: Vários amigos postaram "que estão por uma em português!" Eu pergunto: Uma piada? ISSO É UM TROCADILHO!

felipe.brum
Mon, 25/04/11, 11:14 AM
Outra que eu não entendi foi a do devia e do deveria.
devia está no pretérito imperfeito do indicativo
deveria está no futuro do pretérito do indicativo

nobregafm
Mon, 25/04/11, 11:21 AM
Fabricio, eu tb achei isso, incoerência da banca, tudo bem o trocadilho pode ser acidental, mas as pessoas envolvidas devem entender a msg, a troca, caso contrario não seria um trocadilho.... Vou tentar escrever algo tb, mas pra noite porque daqui a pouco vou trabalhar. Vou pedir ajuda a algumas pessoas que conheço e quando terminar disponibilizo por aqui.

Fabricio Nunes
Mon, 25/04/11, 11:26 AM
Fabricio, eu tb achei isso, incoerência da banca, tudo bem o trocadilho pode ser acidental, mas as pessoas envolvidas devem entender a msg, a troca, caso contrario não seria um trocadilho.... Vou tentar escrever algo tb, mas pra noite porque daqui a pouco vou trabalhar. Vou pedir ajuda a algumas pessoas que conheço e quando terminar disponibilizo por aqui.

Valeu, vamos brigar muito!

Devemos lembrar sempre que anos de estudo não pode ir por água abaixo sem uma briga muito boa!

Bazinga
Mon, 25/04/11, 11:29 AM
Acho que talvez caiba anulação da questão "Com base na leitura do texto, analise as afirmativas a seguir..."
O prof que corrigiu a prova no Forum (Dilmakav algo assim) já havia comentado que a II estava incorreta pelo início da questão, que na verdade deveria ser o contrário. Mas a banca considerou I e II corretas. Na minha opinião só a I está correta, neste caso não haveria resposta, cabe anulação não acham?? Só não sei fundamentar! ai ai alguém me ajude!

betaschmitz
Mon, 25/04/11, 11:33 AM
preciso de 2 questoes de portugues

Bazinga
Mon, 25/04/11, 11:33 AM
Preciso de 3 anulações em Portuga, será que é possível ou nem devo tentar?!!? Nossa estou muito muito chateada, pq nas demais matérias fiz 80%, teria passado não fosse pela falta de tempo pra resolver a prova de Portuga, deixei por último......:(

concurs
Mon, 25/04/11, 11:33 AM
A questão "que voce pagou para mim" tem que ser anulada pelo seguinte motivo:

o enunciado da questão fala:assinale a alternativa em que a alteração do verso acima e não de parte do verso tenha sido feita de acordo com a norma culta.
O verso é:Que voce pagou pra mim,e alteração do verso teria que ser :Que vossa excelencia pagou para mim
ou
Para que haja alguma alternativa correta, de acordo com as opções dadas pela questão,teria que ser pedido:assinale a alternativa em que a alteração de parte do verso acima tenha sido feita de acordo com a norma culta,pois o verso inteiro é:
Que vc pagou pra mim,
E em todas opções dadas,o verso inteiro não fica de acordo com a norma culta,após a alteração do VERSO,que é o que foi pedido.

PEDE_SE ,ENTÂO ANULAÇÂO Da questâo,por todas alternativas estarem erradas

Galera,dá para reescrever melhor,mas o argumento básico é esse:ele pede a alteração do verso de acordo com a norma culta e o verso alterado,não está de acordo com a norma culta,pois o verso não é só as palavras "Que vc pagou" e sim,"Que vc pagou pra mim"(sendo assim,não há alternativa correta,pois nenhuma torna o verso certo,de acordo com a norma culta)

Fabricio Nunes
Mon, 25/04/11, 11:37 AM
Estou aqui cheio de livros de português e provas da FGV e atá agora não encontrei nada que fale sobre a possibilidade do uso do "pra" na norma culta.

Tudo bem que eles colocaram no começo da questão......mas usar "pra" na norma culta acho que é apelar demais!

Oszíris
Mon, 25/04/11, 11:38 AM
Optou para mim --> a regência do verbo optar , segundo Celso Pedro Luft : quando for transitivo indireto é : optar por , optar entre

Na : sofrendo o Brasil --> causa mudança de sentido

Porque esse entretanto se referia ao parágrafo anterior

merlin
Mon, 25/04/11, 11:39 AM
Preciso de 2 questões em portuga, legislação e empresarial...

O jogo só acaba quando o juiz apita!

Pra Deus nada é impossível!

concurs
Mon, 25/04/11, 11:40 AM
Na questão que a fgv deu como certa "dela-tendencia politico..." eu me lembro que algum candidato perguntou ao prof dima se não poderia ser "sua tb o resultado e o Dima disse que era complexa essa alternativa e que poderia sim haver recurso.....galera ,agora não tenho tempo,mas procurem nas respostas do prof dima ,que acharão essa questão....e é bom já ir entrando em contato com o prof para elaborar recurso para anulaçõa dessa questão tb(eu só vou poder fazer isso á noite)

nobregafm
Mon, 25/04/11, 11:40 AM
Gente, será que terão 100 aprovados sem recursos... Torço para que não, não querendo desmerecer os colegas, mas aumentam as chances de anulação pra FGV, que anula no interesse de completar as vagas...:o

Fabricio Nunes
Mon, 25/04/11, 11:40 AM
Preciso de 3 anulações em Portuga, será que é possível ou nem devo tentar?!!? Nossa estou muito muito chateada, pq nas demais matérias fiz 80%, teria passado não fosse pela falta de tempo pra resolver a prova de Portuga, deixei por último......:(

Também fiz a mesma coisa, deixei por último porque português é o meu forte.....porém muito cansado, deu zebra!

Não desiste não....VAMOS BRIGAR ATÉ O FIM!!!!!

Lembre-se que a aprovação será uma virada na sua vida!

NÂO DESISTE!!!!

GutoAuditor
Mon, 25/04/11, 11:41 AM
Estou precisando de 3 em português.

Fabricio Nunes
Mon, 25/04/11, 11:41 AM
Ops!!! Tem um til nesse "A" aí......rsrsrs

ERIKADENT
Mon, 25/04/11, 11:42 AM
A ironia é um instrumento de literatura ou de retórica que consiste em dizer o contrário daquilo que se pensa, deixando entender uma distância intencional entre aquilo que dizemos e aquilo que realmente pensamos. Na Literatura, a ironia é a arte de gozar com alguém ou de alguma coisa, com vista a obter uma reacção do leitor, ouvinte ou interlocutor.
Ela pode ser utilizada, entre outras formas, com o objetivo de denunciar, de criticar ou de censurar algo. Para tal, o locutor descreve a realidade com termos aparentemente valorizantes, mas com a finalidade de desvalorizar. A ironia convida o leitor ou o ouvinte, a ser activo durante a leitura, para refletir sobre o tema e escolher uma determinada posição.
[editar] Tipos de ironiaA maior parte das teorias de retórica distingue três tipos de ironia: oral, dramática e de situação.
A ironia oral é a disparidade entre a expressão e a intenção: quando um locutor diz uma coisa mas pretende expressar outra, ou então quando um significado literal é contrário para atingir o efeito desejado.
A ironia dramática (ou sátira) é a disparidade entre a expressão e a compreensão/cognição: quando uma palavra ou uma ação põe uma questão em jogo e a plateia entende o significado da situação, mas a personagem não.
A ironia de situação é a disparidade existente entre a intenção e o resultado: quando o resultado de uma ação é contrário ao desejo ou efeito esperado. Da mesma maneira, a ironia infinita (cosmic irony) é a disparidade entre o desejo humano e as duras realidades do mundo externo. Certas doutrinas afirmam que a ironia de situação e a ironia infinita, não são ironias de todo
Exemplo:

-Você está intolerante hoje
-Não diga, meu amor!
É também um estilo de linguagem caracterizado por subverter o símbolo que, a princípio, representa. A ironia utiliza-se como uma forma de linguagem pré-estabelecida para, a partir e de dentro dela, contestá-la.

Foi utilizada por Sócrates, na Grécia Antiga, como ferramenta para fazer os seus interlocutures entrarem em contradição, no seu método socrático.

14 - A respeito da interpretação do quadrinho, analise as afirmativas a seguir:
I. Associando texto e imagem, é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho.
R. verdadeiro. A ironia de situação é a disparidade existente entre a intenção e o resultado: quando o resultado de uma ação é contrário ao desejo ou efeito esperado.
Fonte: Wikipédia

GutoAuditor
Mon, 25/04/11, 11:42 AM
Gente, será que terão 100 aprovados sem recursos... Torço para que não, não querendo desmerecer os colegas, mas aumentam as chances de anulação pra FGV, que anula no interesse de completar as vagas...:o

acho que não. legislação que normalmente levanta nota foi de lascar.

GutoAuditor
Mon, 25/04/11, 11:46 AM
Acho que podemos ir em cima daquela de interpretação dos quadrinhos e da questão do imperativo tb, todos concordam, vc erraram essas...

Acho que são viáveis, da prova branca:
Q1) Com base na leitura do texto
Q14) Com base na interpretação do quadrinho ...
Q17) Assinale a alternativa em que a alteração ..
Q18) A respeito da composição de Noel Rosa ...

nobregafm
Mon, 25/04/11, 11:49 AM
Erikadent, adorei seu post vou utilizá-lo para fundamentar meu recurso tb... todos mobilizados.... Vamos que em Português tem muit gente, isso aumenta bastante as chances de anulação...:o

concurs
Mon, 25/04/11, 11:53 AM
e Tb tem aquela que o prof dima disse que cabia recurso que o gabarito foi dela-da tendencia e o pro dima disse que sua cabia tb(PQ SE REFERIA A MATRIZ)...é só pedir ajuda para ele para elaborar o recurso,eu só poderei a noite.

concurs
Mon, 25/04/11, 11:56 AM
Acho que são viáveis, da prova branca:
Q1) Com base na leitura do texto
Q14) Com base na interpretação do quadrinho ...
Q17) Assinale a alternativa em que a alteração ..
Q18) A respeito da composição de Noel Rosa ...

E a 6 da prova verde:
e Tb tem aquela que o prof dima disse que cabia recurso que o gabarito foi dela-da tendencia e o pro dima disse que sua cabia tb(PQ SE REFERIA A MATRIZ)...é só pedir ajuda para ele para elaborar o recurso,eu só poderei a noite.

Fabricio Nunes
Mon, 25/04/11, 11:57 AM
Galera, uma luz no fim do túnel. Acabei de ligar para o professor FERNANDO FIGUEIREDO, ele ficou de ver a prova e pediu que eu entrasse em contato com ele até meio dia.


VAMOS BRIGAR!

nobregafm
Mon, 25/04/11, 12:01 PM
Fabricio muito boa essa agora, talvez a melhor.... Vamos aguardar que o cara nos ajude, ele é fera...

Bazinga
Mon, 25/04/11, 12:06 PM
Vou entrar com recurso nessas 3 abaixo me ajudem por favor!!

Com base na leitura do texto
A respeito da interpretação do quadrinho ...
Assinale a alternativa em que a alteração ..

GutoAuditor
Mon, 25/04/11, 12:11 PM
Consultei rápido um professor de português na seguinte questão:

Acredito que dê para anular a questão 14 Prova branca
14 - A respeito da interpretação do quadrinho, analise as afirmativas a seguir:
I. Associando texto e imagem, é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho.
II. Na fala do homem, o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher.
III. Não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher.

A FGV deu como gabarito a Letra B: “ se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas.
Ora, se eu considero correto que não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher, como posso dizer que está correto que o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher. Para existir o TROCADILHO ele devia ter entendido o que a mulher disse.

Vejam o significado de trocadilho: s.f. Jogo de palavras semelhantes na forma mas diferentes no significado, que enseja ambiguidade; calembur, equívoco: fazer humor com trocadilhos fáceis.

Logo, só a alternativa III estária correta ( sem gaba! ) ANULAÇÃO!!!

Concordo com seu comentário.

Ismael
Mon, 25/04/11, 12:13 PM
Gente, errei essa questão tbm. E, analisando com calma, verifiquei que o gabarito da banca está correto.

Quanto a assertiva III: Não é possível afirmar COM CERTEZA que o homem entendeu a mensagem, tendo em vista a sua resposta ter ignorado completamente o conselho de sua esposa - assertiva correta.

Assertiva II: é necessário diferenciar o HUMOR do trocadilho. Não se sabe se o homem usou intencionalmente de ironia (é até redundante, pois a ironia é intencional), mas, com certeza, o HUMOR da fala do personagem reside no trocadilho.

Em outras palavras, nós, leitores, entendemos o trocadilho e rimos ao ler a charge, mas o personagem, será que ele foi irônico ou o trocadilho foi sem querer? Se houve intenção no trocadilho, houve ironia; se não houve intenção, não há que se falar em ironia. O texto não deixa isso claro. A única coisa que está clara é: o humor reside no trocadilho. - Assertiva verdadeira.


Assertiva I: se a ironia não está clara no texto (veja explicação acima), logo esta alternativa está errada.

________________

Acho, contudo, que não custa nada tentar o recurso.














Comentem por favor!!!!!!!!!!!!!!!!

Bazinga
Mon, 25/04/11, 12:15 PM
Estou aqui cheio de livros de português e provas da FGV e atá agora não encontrei nada que fale sobre a possibilidade do uso do "pra" na norma culta.

Tudo bem que eles colocaram no começo da questão......mas usar "pra" na norma culta acho que é apelar demais!

Concordo, penso que o correto seria entrar em contato com a Academia Brasileira de Letras questionando se há aceitação do "pra" na norma culta no lugar de "para". Acho que é a única chance de ter mais força para fundamentar o recurso.

GutoAuditor
Mon, 25/04/11, 12:17 PM
Preciso de 3 anulações em Portuga, será que é possível ou nem devo tentar?!!? Nossa estou muito muito chateada, pq nas demais matérias fiz 80%, teria passado não fosse pela falta de tempo pra resolver a prova de Portuga, deixei por último......:(

Dá sim! Não desista! Eu também preciso de 3 pontos, vamos conseguir!

felipe.brum
Mon, 25/04/11, 12:20 PM
Concordo, penso que o correto seria entrar em contato com a Academia Brasileira de Letras questionando se há aceitação do "pra" na norma culta no lugar de "para". Acho que é a única chance de ter mais força para fundamentar o recurso.
Enviei uma pergunta pelo site da ABL. O problema é que não tem como usar a argumentação deles como fundamento. Olha o que encontrei no site:

4 – Estarão fora da atividade deste serviço os questionamentos de candidatos de concurso contra gabaritos de Bancas Examinadoras.

GutoAuditor
Mon, 25/04/11, 12:21 PM
E a 6 da prova verde:
e Tb tem aquela que o prof dima disse que cabia recurso que o gabarito foi dela-da tendencia e o pro dima disse que sua cabia tb(PQ SE REFERIA A MATRIZ)...é só pedir ajuda para ele para elaborar o recurso,eu só poderei a noite.

tem essa também? Beleza! Mais uma na lista.

GENTE VAMOS LUTAR!

Fabricio Nunes
Mon, 25/04/11, 12:31 PM
Peço aos compnheiros que briguem POR ANULAÇÔES! Assim todos são beneficiados. Uma troca de gabarito pode levar muitos pro buraco!

ERIKADENT
Mon, 25/04/11, 12:33 PM
Gente, errei essa questão tbm. E, analisando com calma, verifiquei que o gabarito da banca está correto.

Quanto a assertiva III: Não é possível afirmar COM CERTEZA que o homem entendeu a mensagem, tendo em vista a sua resposta ter ignorado completamente o conselho de sua esposa - assertiva correta.

Assertiva II: é necessário diferenciar o HUMOR do trocadilho. Não se sabe se o homem usou intencionalmente de ironia (é até redundante, pois a ironia é intencional), mas, com certeza, o HUMOR da fala do personagem reside no trocadilho.

Em outras palavras, nós, leitores, entendemos o trocadilho e rimos ao ler a charge, mas o personagem, será que ele foi irônico ou o trocadilho foi sem querer? Se houve intenção no trocadilho, houve ironia; se não houve intenção, não há que se falar em ironia. O texto não deixa isso claro. A única coisa que está clara é: o humor reside no trocadilho. - Assertiva verdadeira.


Assertiva I: se a ironia não está clara no texto (veja explicação acima), logo esta alternativa está errada.

________________

Acho, contudo, que não custa nada tentar o recurso.

Oi Ismael,

Existe um outro caminho ...
14 - A respeito da interpretação(nós deveremos interpretar) do quadrinho, analise as afirmativas a seguir:
I. Associando texto e imagem(nós devemos associar), é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento(nós devemos entender e nào os personagens) do quadrinho.

R. verdadeiro. A ironia de situação é a disparidade existente entre a intenção e o resultado: quando o resultado de uma ação é contrário ao desejo ou efeito esperado.Fonte: Wikipédia
A banca pergunta o que foi que nós entendemos, pela norma culta nào poderemos interpretar , mas entendendo que existe ironia sim.
Pessoal se mobilizem e encham a caixa de e-mail da FGV pedindo para que essa seja anulada. . Eu nào fiz essa prova , mas desejo boa sorte e lutem até o fim!

GutoAuditor
Mon, 25/04/11, 12:34 PM
peço aos compnheiros que briguem por anulaçôes! assim todos são beneficiados. Uma troca de gabarito pode levar muitos pro buraco!

concordo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
O lance é pedir anulação.

Fexeclair
Mon, 25/04/11, 12:36 PM
5
No Brasil, por exemplo, existem regras de criminal compliance... (L.81-82)
Assinale a alternativa em que a alteração do trecho acima tenha provocado INADEQUAÇÃO quanto à norma culta. Não leve em conta a alteração de sentido.
(A)
No Brasil, por exemplo, há de existir regras de criminal compliance...
(B)
No Brasil, por exemplo, haverá regras de criminal compliance...
(C)
No Brasil, por exemplo, poderão existir regras de criminal compliance...
(D)
No Brasil, por exemplo, devem existir regras de criminal compliance...
(E)
No Brasil, por exemplo, deve haver regras de criminal compliance...

Ta desculpem a ignorancia, mas na letra E , nao teria que ser DEVEM ? Marquei essa como gaba.



14
A respeito da interpretação do quadrinho, analise as afirmativas a seguir:
I. Associando texto e imagem, é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho.
II. Na fala do homem, o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher.
III. Não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher.
Assinale
(A)
se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas.
(B)
se apenas as afirmativas I e III estiverem corretas.
(C)
se nenhuma afirmativa estiver correta.
(D)
se todas as afirmativas estiverem corretas.
(E)
se apenas as afirmativas I e II estiverem corretas.

E nessa aqui , o que tem de errado na acertiva I ?

16
Assinale a alternativa em que a alteração da fala do homem do quadrinho NÃO tenha sido feita com adequação à norma culta. Não leve em conta possível alteração de sentido.
(A)
Quando vós voltardes, trazei um copo de água bem gelada para mim!
(B)
Quando tu voltares, não tragas um copo de água bem gelada para mim!
(C)
Quando vós voltardes, não tragais um copo de água bem gelada para mim!
(D)
Quando vós voltardes, não trazeis um copo de água bem gelada para mim!
(E)
Quando tu voltares, traz um copo de água bem gelada para mim!

E essa ultima , marquei letra C como gaba( pra mim quem traga é fumante)
Sei la, alguem me ajuda , preciso de 2 em portuga e ja eh a 3 vez seguida que fico por uma ou duas questoes com media para passar entre os aprovados.
Serio, quem puder me explicar e me ajudar a tentar anular essas ai , por favor...

Gaia_Fiscal
Mon, 25/04/11, 12:44 PM
Pessoal, tb estou a disposição para ajudar..mas preciso do norte de vcs!

Apesar de ter ótima base em português acabei me dando mal. :(

Mas gostaria de ajudar!

Bora bora pq ainda não acabou!!!

milk Alexandre
Mon, 25/04/11, 12:44 PM
Vamos anular!!!!!!

GutoAuditor
Mon, 25/04/11, 12:46 PM
Preciso de 2 questões em portuga, legislação e empresarial...

O jogo só acaba quando o juiz apita!

Pra Deus nada é impossível!

Não use o PRA pelo amor de DEUS!
kkkkkkkkk

cartapreta
Mon, 25/04/11, 12:48 PM
5
No Brasil, por exemplo, existem regras de criminal compliance... (L.81-82)
Assinale a alternativa em que a alteração do trecho acima tenha provocado INADEQUAÇÃO quanto à norma culta. Não leve em conta a alteração de sentido.
(A)
No Brasil, por exemplo, há de existir regras de criminal compliance...
(B)
No Brasil, por exemplo, haverá regras de criminal compliance...
(C)
No Brasil, por exemplo, poderão existir regras de criminal compliance...
(D)
No Brasil, por exemplo, devem existir regras de criminal compliance...
(E)
No Brasil, por exemplo, deve haver regras de criminal compliance...

Ta desculpem a ignorancia, mas na letra E , nao teria que ser DEVEM ? Marquei essa como gaba.



14
A respeito da interpretação do quadrinho, analise as afirmativas a seguir:
I. Associando texto e imagem, é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho.
II. Na fala do homem, o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher.
III. Não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher.
Assinale
(A)
se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas.
(B)
se apenas as afirmativas I e III estiverem corretas.
(C)
se nenhuma afirmativa estiver correta.
(D)
se todas as afirmativas estiverem corretas.
(E)
se apenas as afirmativas I e II estiverem corretas.

E nessa aqui , o que tem de errado na acertiva I ?

16
Assinale a alternativa em que a alteração da fala do homem do quadrinho NÃO tenha sido feita com adequação à norma culta. Não leve em conta possível alteração de sentido.
(A)
Quando vós voltardes, trazei um copo de água bem gelada para mim!
(B)
Quando tu voltares, não tragas um copo de água bem gelada para mim!
(C)
Quando vós voltardes, não tragais um copo de água bem gelada para mim!
(D)
Quando vós voltardes, não trazeis um copo de água bem gelada para mim!
(E)
Quando tu voltares, traz um copo de água bem gelada para mim!

E essa ultima , marquei letra C como gaba( pra mim quem traga é fumante)
Sei la, alguem me ajuda , preciso de 2 em portuga e ja eh a 3 vez seguida que fico por uma ou duas questoes com media para passar entre os aprovados.
Serio, quem puder me explicar e me ajudar a tentar anular essas ai , por favor...

Na 5, o verbo HAVER é impessoal e transmite a impessoalidade ao verbo auxiliar DEVE. Também errei a mesma coisa colega. Essa não tem jeito. Vamos tentar outras, não desista. Estou indo hoje a tarde com um Professor conhecido em minha cidade para ele olhar a prova. Mando notícias. Fiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiirme.

merlin
Mon, 25/04/11, 01:19 PM
Não use o PRA pelo amor de DEUS!
kkkkkkkkk

Já aceitei de imediato seu recurso!!

PARA Deus nada é impossível!!

Alexandre_SP
Mon, 25/04/11, 01:19 PM
Pessoal,

questão 17, prova Branca:

"Assinale a alternativa em que a alteração do verso da canção tenha sido feito com adequação à norma culta.

a construção está errada, deveria ser "...tenha sido feita"...para adequar com a alteração


Cabe recurso quanto a isso? Ou seja, o examinador pede que acertemos a questão, mas mesmo ele erra no enunciado....

igor.costa
Mon, 25/04/11, 01:23 PM
Pessoal, alguém do RJ tem acesso ao Rosenthal, décio ou alguém tem á Cláudia Kozlowski?

Estou por 2 em portugues e minha namorada por 3.

LEONARDO2009
Mon, 25/04/11, 01:30 PM
Em relação a questão "Que você pagou pra mim" - Questão 17 prova Tipo 4


O examinador ao pedir para transpor para a norma culta, não deve se atentar apenas para a substituição do verbo e pronome, mas sim para toda a estrutura gramatical solicitada para análise.

Apesar do texto ao qual é solicitada alteração estar com a utilização do termo "pra", não exime a necessidade de sua transposição para a norma culta, conforme solicitado pelo examinador, devendo o mesmo ser composto pela preposição dissílabaca "para".

A preposição "pra" é átona e fica reduzida, na fala, a uma sílaba apenas, que certamente é muito ouvido na sua linguagem coloquial.

Entretanto, escrever é outra coisa; escrevemos "para" (norma culta), a não ser em textos especiais (letra de música, poemas, frase de publicidade, cartas pessoais, e-mails), onde podemos usar o “pra” (linguagem coloquial) se quisermos.

Disto posto, ao solicitar o examinador a conversão do texto para a norma culta, deveria atentar também para a transposição correta da preposição "para" coforme acima mencionado. Logo, o item " Que Vossa Excelência pagou pra mim" não atende aos quesitos da norma culta. O correto deve ser " Que Vossa Excelência pagou para mim".

Como não há um gabarito correto, pede-se a anulação da questão.

Bazinga
Mon, 25/04/11, 01:41 PM
Em relação a questão "Que você pagou pra mim" - Questão 17 prova Tipo 4


O examinador ao pedir para transpor para a norma culta, não deve se atentar apenas para a substituição do verbo e pronome, mas sim para toda a estrutura gramatical solicitada para análise.

Apesar do texto ao qual é solicitada alteração estar com a utilização do termo "pra", não exime a necessidade de sua transposição para a norma culta, conforme solicitado pelo examinador, devendo o mesmo ser composto pela preposição dissílabaca "para".

A preposição "pra" é átona e fica reduzida, na fala, a uma sílaba apenas, que certamente é muito ouvido na sua linguagem coloquial.

Entretanto, escrever é outra coisa; escrevemos "para" (norma culta), a não ser em textos especiais (letra de música, poemas, frase de publicidade, cartas pessoais, e-mails), onde podemos usar o “pra” (linguagem coloquial) se quisermos.

Disto posto, ao solicitar o examinador a conversão do texto para a norma culta, deveria atentar também para a transposição correta da preposição "para" coforme acima mencionado. Logo, o item " Que Vossa Excelência pagou pra mim" não atende aos quesitos da norma culta. O correto deve ser " Que Vossa Excelência pagou para mim".

Como não há um gabarito correto, pede-se a anulação da questão.


Concordo, entrarei com o mesmo recurso. Para onde devemos enviar? Por e-mail mesmo?

felipe.brum
Mon, 25/04/11, 01:45 PM
Concordo, entrarei com o mesmo recurso. Para onde devemos enviar? Por e-mail mesmo?
13.3. O candidato que desejar interpor recurso contra o gabarito oficial da prova objetiva disporá dos 7 (sete) dias úteis subsequentes ao da divulgação do gabarito oficial.
6
13.4. Para recorrer contra os gabaritos oficiais, o candidato deverá utilizar o formulário próprio, divulgado no endereço eletrônico http://www.fgv.br/fgvprojetos/concursos/sefaz11, respeitando as suas instruções.

GutoAuditor
Mon, 25/04/11, 01:46 PM
Concordo, entrarei com o mesmo recurso. Para onde devemos enviar? Por e-mail mesmo?

Bazinga,
não seria melhor usar o argumento da regência do verbo optar (por/entre)?
ou pelo menos usar como reforço para o pedido de anulação?

felipe.brum
Mon, 25/04/11, 01:47 PM
Acho que os dois devem ser feitos.

Bazinga
Mon, 25/04/11, 02:01 PM
Bazinga,
não seria melhor usar o argumento da regência do verbo optar (por/entre)?
ou pelo menos usar como reforço para o pedido de anulação?


Olá Guto bom dia,

Na verdade são duas questões distintas:

Uma é a 17 da Prova Azul:
"Que você pagou pra mim" Gabarito: Que Vossa Excelência pagou pra mim". Entraremos com recurso dizendo que o "pra" não pode ser usado no lugar de "para" de acordo com a norma culta. E já que todas as respostas possuem o "pra mim" então todas estão erradas. Solicitaremos então a anulação da questão baseado no recurso já postado aqui no Forum.

A outra questão que solicitaremos a anulação é a 18 da Prova Azul:
"Assinale a alternativa em que a alteração....."
Gabarito: Que você pagou pra mim/ Por que você optou para mim".
Essa sim podemos bolar um recurso baseado na regência do verbo optar.
Alguém se disponibiliza?

GutoAuditor
Mon, 25/04/11, 02:06 PM
Olá Guto bom dia,

Na verdade são duas questões distintas:

Uma é a 17 da Prova Azul:
"Que você pagou pra mim" Gabarito: Que Vossa Excelência pagou pra mim". Entraremos com recurso dizendo que o "pra" não pode ser usado no lugar de "para" de acordo com a norma culta. E já que todas as respostas possuem o "pra mim" então todas estão erradas. Solicitaremos então a anulação da questão baseado no recurso já postado aqui no Forum.

A outra questão que solicitaremos a anulação é a 18 da Prova Azul:
"Assinale a alternativa em que a alteração....."
Gabarito: Que você pagou pra mim/ Por que você optou para mim".um le
Essa sim podemos bolar um recurso baseado na regência do verbo optar.
Alguém se disponibiliza?

Ah entendi! hoje a tarde eu vou lá na Saraiva fazer levantamento bibliográfico sobre regência do verbo optar.

Konkurso
Mon, 25/04/11, 02:16 PM
Só para reforçar o argumento, na questão do "que você pagou pra mim / por que você optou para mim" também é pedido a alteração do verso de acordo com a norma culta e na opção considerada como gabarito prelimiar pela banca houve a alteração do "pra" para o termo "para", como deveria ter sido feito na questão abaixo.

Em relação a questão "Que você pagou pra mim" - Questão 17 prova Tipo 4


O examinador ao pedir para transpor para a norma culta, não deve se atentar apenas para a substituição do verbo e pronome, mas sim para toda a estrutura gramatical solicitada para análise.

Apesar do texto ao qual é solicitada alteração estar com a utilização do termo "pra", não exime a necessidade de sua transposição para a norma culta, conforme solicitado pelo examinador, devendo o mesmo ser composto pela preposição dissílabaca "para".

A preposição "pra" é átona e fica reduzida, na fala, a uma sílaba apenas, que certamente é muito ouvido na sua linguagem coloquial.

Entretanto, escrever é outra coisa; escrevemos "para" (norma culta), a não ser em textos especiais (letra de música, poemas, frase de publicidade, cartas pessoais, e-mails), onde podemos usar o “pra” (linguagem coloquial) se quisermos.

Disto posto, ao solicitar o examinador a conversão do texto para a norma culta, deveria atentar também para a transposição correta da preposição "para" coforme acima mencionado. Logo, o item " Que Vossa Excelência pagou pra mim" não atende aos quesitos da norma culta. O correto deve ser " Que Vossa Excelência pagou para mim".

Como não há um gabarito correto, pede-se a anulação da questão.

GutoAuditor
Mon, 25/04/11, 02:23 PM
Questão do Noel Rosa.

acho que a opção III - o último desejo é constituído por dois pedidos está errada.

Entendi que o ultimo desejo é constituído por vários pedidos, porém segmentados em dois contextos diferentes.

Contexto 1 - Se alguma pessoa amiga pedir

Pedido 1 - (diga) se você me quer ou não.
Pedido 2 - Diga que você me adora.
Pedido 3 - (diga) Que você lamenta e chora a nossa separação

Contexto 2 - Às pessoas que eu detesto

Pedido 4 - Diga sempre que eu não presto
Pedido 5 - (diga)Que meu lar é o botequim
Pedido 6 - (diga) Que eu arruinei sua vida
Pedido 7 - (diga) Que eu não mereço a comida que você pagou para mim.

Com base no exposto, peço a anulação da questão pois apenas a alternativa II está correta.

LEONARDO2009
Mon, 25/04/11, 02:33 PM
Galera, segue o recurso com a melhoria sugerida pelo Konkurso que realmente agrega muito.

Questão 17 prova Tipo 4

"Que você pagou pra mim"
Assinale a alternativa em que a alteração do verso acima tenha sido feita de acordo com a norma culta. Não leve em conta possível alteração de sentido.

Gabarito: Que Vossa Excelência pagou pra mim.

O examinador ao pedir para transpor para a norma culta, não deve se atentar apenas para a substituição do verbo e pronome, mas sim para toda a estrutura gramatical solicitada para análise.

Apesar do texto em que é solicitada alteração estar com a utilização do termo "pra", não exime a necessidade de sua transposição para a norma culta, conforme solicitado pelo examinador, devendo o mesmo ser composto pela preposição dissílabaca "para".

A preposição "pra" é átona e fica reduzida, na fala, a uma sílaba apenas, que certamente é muito ouvido na sua linguagem coloquial.

Entretanto, escrever é outra coisa; escrevemos "para" (norma culta), a não ser em textos especiais (letra de música, poemas, frase de publicidade, cartas pessoais, e-mails), onde podemos usar o “pra” (linguagem coloquial) se quisermos.

Disto posto, ao solicitar o examinador a conversão do texto para a norma culta, deveria atentar também para a transposição correta da preposição "para" coforme acima mencionado. Logo, o item " Que Vossa Excelência pagou pra mim" não atende aos quesitos da norma culta. O correto deve ser " Que Vossa Excelência pagou para mim".

Observa-se que na mesma prova de português, na questão 18, a letra A que foi considerada correta, ao transpor para a norma culta, exigiu-se a substituição do “pra” por “para” (Que você pagou pra mim/ Por que você optou para mim), corroborando com a argumentação proferida nesse recurso.


COMO NÃO HÁ UM GABARITO CORRETO, PEDE-SE A ANULAÇÃO DA QUESTÃO.


Fonte: Cegalla, Novíssima Gramática da Língua Portuguesa

LEONARDO2009
Mon, 25/04/11, 02:34 PM
Questão 19 – Prova Tipo 4

"A respeito da composição de Noel Rosa, analise as afirmativas a seguir:

I. É possível inferir pela leitura da composição que se trata do último desejo da vida de um dos amantes.

II. Não é possível identificar textualmente se a voz que se fala na composição é masculina ou feminina.

III. O último desejo é constituído por dois pedidos.

Gabarito: Lebra B (Afirmativas II e III corretas)
O item III não pode prosperar como correto.
Primeira Interpretação:
Noel Rosa, antes de sua genialidade, um dos maiores compositores brasileiros, senão o melhor pelo menos no samba, pois é o que ele amava, era muito tímido e só se "soltava" quando bebia, e ele realmente participava em suas composições.

Movido pela paixão que não pode ser negligenciada para interpretar, seu pedido seria um só: que não fosse esquecido!


Segunda Interpretação:
Talvez fosse feitos outros mais:
Diga que você me adora (primeiro); (Diga) Que você lamenta e chora a nossa separação (segundo); Diga sempre que eu não presto (terceiro); (Diga sempre) Que meu lar é o botequim (quarto); (Diga sempre) Que eu arrumei sua vida (quinto); (Diga sempre) Que eu não mereço a comida (seis).

Disto posto, não procede afirmar que há apenas 2 (dois) pedidos conforme afirmativa III, devendo portanto ser essa considerada incorreta.

COMO NÃO HÁ OPÇÃO PARA APENAS O ITEM II COMO CORRETO, PEDE-SE A ANULAÇÃO DA QUESTÃO.

LEONARDO2009
Mon, 25/04/11, 02:35 PM
Gostaria apenas de acrescentar que esse recurso foi elaborado com os dizeres de vários colegas do forum e de professores que atuaram na análise antes dos gabaritos. Assim, apenas estou ordenando e consolidando os pensamentos.

Questão 19 – Prova Tipo 4

"A respeito da composição de Noel Rosa, analise as afirmativas a seguir:

I. É possível inferir pela leitura da composição que se trata do último desejo da vida de um dos amantes.

II. Não é possível identificar textualmente se a voz que se fala na composição é masculina ou feminina.

III. O último desejo é constituído por dois pedidos.

Gabarito: Lebra B (Afirmativas II e III corretas)
O item III não pode prosperar como correto.
Primeira Interpretação:
Noel Rosa, antes de sua genialidade, um dos maiores compositores brasileiros, senão o melhor pelo menos no samba, pois é o que ele amava, era muito tímido e só se "soltava" quando bebia, e ele realmente participava em suas composições.

Movido pela paixão que não pode ser negligenciada para interpretar, seu pedido seria um só: que não fosse esquecido!


Segunda Interpretação:
Talvez fosse feitos outros mais:
Diga que você me adora (primeiro); (Diga) Que você lamenta e chora a nossa separação (segundo); Diga sempre que eu não presto (terceiro); (Diga sempre) Que meu lar é o botequim (quarto); (Diga sempre) Que eu arrumei sua vida (quinto); (Diga sempre) Que eu não mereço a comida (seis).

Disto posto, não procede afirmar que há apenas 2 (dois) pedidos conforme afirmativa III, devendo portanto ser essa considerada incorreta.

COMO NÃO HÁ OPÇÃO PARA APENAS O ITEM II COMO CORRETO, PEDE-SE A ANULAÇÃO DA QUESTÃO.

merlin
Mon, 25/04/11, 02:36 PM
Porém, sofrendo o Brasil os influxos de modelos legislativos estrangeiros, assim como estando as matrizes das empresas transnacionais que aqui operam sujeitas às normas de seus países de origem, não tardará para que as práticas que envolvem o criminal compliance sejam estendidas a diversos outros segmentos da economia. (L.92-98)
Assinale a alternativa em que a alteração do período acima tenha mantido adequação quanto ao seu sentido original e correção quanto à pontuação.
(A)
Sofrendo, contudo, o Brasil os influxos de modelos legislativos estrangeiros – assim como estando as matrizes das empresas transnacionais que aqui operam sujeitas às normas de seus países de origem – não tardará para que as práticas que envolvem o criminal compliance sejam estendidas a diversos outros segmentos da economia.
(B)
Contudo, sofrendo o Brasil os influxos de modelos legislativos estrangeiros – assim como estando as matrizes das empresas transnacionais que aqui operam sujeitas às normas de seus países de origem, não tardará para que as práticas que envolvem o criminal compliance sejam estendidas a diversos outros segmentos da economia.
(C)
Sofrendo o Brasil, no entanto, os influxos de modelos legislativos estrangeiros – assim como estando as matrizes das empresas transnacionais que aqui operam sujeitas às normas de seus países de origem –, não tardará para que as práticas que envolvem o criminal compliance sejam estendidas a diversos outros segmentos da economia.
(D)
Entretanto, sofrendo o Brasil os influxos de modelos legislativos estrangeiros, – assim como estando as matrizes das empresas transnacionais que aqui operam sujeitas às normas de seus países de origem – não tardará para que as práticas que envolvem o criminal compliance sejam estendidas a diversos outros segmentos da economia.
(E)
Todavia, sofrendo o Brasil os influxos de modelos legislativos estrangeiros, – assim como estando as matrizes das empresas transnacionais que aqui operam sujeitas às normas de seus países de origem –, não tardará para que as práticas que envolvem o criminal compliance sejam estendidas a diversos outros segmentos da economia.

Gab: C

Eu discordo do gabarito. A vírgula após o travessão está sobrando, pois ela está fechando o período que para mim não foi aberto.

Oszíris
Mon, 25/04/11, 02:40 PM
Na verde a B e C estão corretas em relação à pontuação porém o "entretnto" foi deslocado na "B" causando mudança de sentido

milk Alexandre
Mon, 25/04/11, 02:45 PM
14
A respeito da interpretação do quadrinho, analise as afirmativas a seguir:
I. Associando texto e imagem, é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho.
II. Na fala do homem, o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher.
III. Não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher.
Cara, só o autor para deixar claro o que ele quis dizer com esse quadrinho!!!!

http://www.flickr.com/photos/rodrigozoom/3670630298/?reg=1
Vamos tentar alguma coisa!!!!!

Anulação!!!!!

Fabricio Nunes
Mon, 25/04/11, 02:45 PM
Galera, pensem comigo....na questão 17 ( prova branca ) a FGV deu como gabarito letra E.

( E ) Que você pagou pra mim / Por que você optou para mim

Ela pede que assinalemos a alternativa em que a alteração do verso da canção tenha sido feito com adequação à norma culta.

Veja a conjugação do verbo optar:
eu optei
Tu optaste
ele/ela optou
nós optámos / optamos
vós optastes
eles/elas optaram

O correto seria:" Por que TU OPTASTE para mim", referente à: "Que você pagaste pra mim", pois o autor fala diretamente a uma pessoa implícita no texto.

Como a questão também diz que não precisa ter mesmo sentido, logo entendo que a única mudança foi de "PRA" para "PARA", ORA, se nessa questão o " PRA" é coloquial e o "PARA" é norma culta, como que na questão 20 ( Que Vossa Excelência...) o "PRA" é norma culta?

Incoerência da banca!!!!

Não esquecendo da qustão 16 ( Assinale a alternativa em que a alteração da fala do homem...) em todas as alternativas também deixa explícito que o "PARA" é norma culta!

Galera.....alguém diminua minha agonia! Eu estou no caminho certo ou tô viajando?

GutoAuditor
Mon, 25/04/11, 02:51 PM
A questão 3 da prova branca deve ser anulada. Há duas alternativas incorretas.
Assinale a alternativa em que se tenha indicado INCORRETAMENTE a relação entre vocábulo e o termo a que ele se refere.

Sua (L.30) refere-se à matriz e não das empresas.


A questão deve ser anulada

Fabricio Nunes
Mon, 25/04/11, 02:52 PM
Alguém lembra de alguma questão da FGV que cita o "PRA" coloquial ou informal?

Não consigo achar uma questão....

ricardotw
Mon, 25/04/11, 02:55 PM
E questão 13 da prova amarela: "Assinale a palavra que, no texto, NÃO tenha valor adverbial".
Olhando apenas a palavra "só" não estaria errado? pois ela faz parte de não só mas também (série aditiva enfática).
Esta questão poderia ser anulada por 2 respostas corretas (alternativas D e B) ou estou viajando?

felipe.brum
Mon, 25/04/11, 02:55 PM
14
A respeito da interpretação do quadrinho, analise as afirmativas a seguir:
I. Associando texto e imagem, é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho.
II. Na fala do homem, o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher.
III. Não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher.
Cara, só o autor para deixar claro o que ele quis dizer com esse quadrinho!!!!

http://www.flickr.com/photos/rodrigozoom/3670630298/?reg=1
Vamos tentar alguma coisa!!!!!

Anulação!!!!!
Enviei um email ao autor da Charge. Vamos ver o que ele responde

novata-rj
Mon, 25/04/11, 02:58 PM
Enviei um email ao autor da Charge. Vamos ver o que ele responde

Boa, garoto!

GutoAuditor
Mon, 25/04/11, 02:58 PM
E questão 13 da prova amarela: "Assinale a palavra que, no texto, NÃO tenha valor adverbial".
Olhando apenas a palavra "só" não estaria errado? pois ela faz parte de não só mas também (série aditiva enfática).
Esta questão poderia ser anulada por 2 respostas corretas (alternativas D e B) ou estou viajando?
Vou recorre nessa também.
Tem um professor que deu essa como gabarito. Vamos perguntar qual é o argumento dele.

Bazinga
Mon, 25/04/11, 03:06 PM
Galera, segue o recurso com a melhoria sugerida pelo Konkurso que realmente agrega muito.

Questão 17 prova Tipo 4

"Que você pagou pra mim"
Assinale a alternativa em que a alteração do verso acima tenha sido feita de acordo com a norma culta. Não leve em conta possível alteração de sentido.

Gabarito: Que Vossa Excelência pagou pra mim.

O examinador ao pedir para transpor para a norma culta, não deve se atentar apenas para a substituição do verbo e pronome, mas sim para toda a estrutura gramatical solicitada para análise.

Apesar do texto em que é solicitada alteração estar com a utilização do termo "pra", não exime a necessidade de sua transposição para a norma culta, conforme solicitado pelo examinador, devendo o mesmo ser composto pela preposição dissílabaca "para".

A preposição "pra" é átona e fica reduzida, na fala, a uma sílaba apenas, que certamente é muito ouvido na sua linguagem coloquial.

Entretanto, escrever é outra coisa; escrevemos "para" (norma culta), a não ser em textos especiais (letra de música, poemas, frase de publicidade, cartas pessoais, e-mails), onde podemos usar o “pra” (linguagem coloquial) se quisermos.

Disto posto, ao solicitar o examinador a conversão do texto para a norma culta, deveria atentar também para a transposição correta da preposição "para" coforme acima mencionado. Logo, o item " Que Vossa Excelência pagou pra mim" não atende aos quesitos da norma culta. O correto deve ser " Que Vossa Excelência pagou para mim".

Observa-se que na mesma prova de português, na questão 18, a letra A que foi considerada correta, ao transpor para a norma culta, exigiu-se a substituição do “pra” por “para” (Que você pagou pra mim/ Por que você optou para mim), corroborando com a argumentação proferida nesse recurso.


COMO NÃO HÁ UM GABARITO CORRETO, PEDE-SE A ANULAÇÃO DA QUESTÃO.


Fonte: Cegalla, Novíssima Gramática da Língua Portuguesa

Dei uma mexida no recurso, nada de muita alteração, só tentei organizar mesmo, mas vejam o que ainda pode ser melhorada para que o recuso fique ainda mais objetivo, bora ajudar gente!

Em relação a questão "Que você pagou pra mim" - Questão 17 prova Tipo 4

Entende-se correto o uso do termo “pra” em lugar de “para” em contextos informais e letras de músicas, poemas, informes publicitários, dentro outros. No entanto, quando se é deslocada a frase “Que você pagou pra mim” de seu contexto (o poema) e solicitada a sua transposição para a norma culta, entende-se que toda a estrutura gramatical da frase deve ser levada para a norma culta, não apenas o verbo e o pronome.

É oportuno acrescentar que a questão 18 desta mesma prova de português corrobora o argumento proferido neste recurso, pois exigiu-se a transposição do trecho “Que você pagou pra mim”, e considerou-se como correta a alternativa que substituiu o “pra” por “para”: “Que você optou para mim”.

Logo, o item "Que Vossa Excelência pagou pra mim" não atende aos quesitos da norma culta. O correto deveria ser "Que Vossa Excelência pagou para mim".

Como não há um gabarito correto, pois todas as demais alternativas trazem o termo coloquial “pra”, pede-se a anulação da questão.

Bazinga
Mon, 25/04/11, 03:08 PM
Vou recorre nessa também.
Tem um professor que deu essa como gabarito. Vamos perguntar qual é o argumento dele.

Essa eu quero recorrer super! Também coloquei letra E "só"

GMB
Mon, 25/04/11, 03:08 PM
A questão 3 da prova branca deve ser anulada. Há duas alternativas incorretas.
Assinale a alternativa em que se tenha indicado INCORRETAMENTE a relação entre vocábulo e o termo a que ele se refere.

Sua (L.30) refere-se à matriz e não das empresas.


A questão deve ser anulada

Está errada mesmo, realmente se refere a "pessoa jurídica" (em seus países de origem) que se liga a "congêneres espalhadas pelo mundo"...
Ou seja, SUA matriz = matriz da pessoa jurídica em se tratando das congêneres espalhadas pelo mundo

Essa pra mim está clara, aliás penei bastante nesta questão antes de marcar!

edmort
Mon, 25/04/11, 03:10 PM
CONTRADIÇÃO DA BANCA.

Vejam as seguintes questões (P1 - Azul):

17
Que você pagou pra mim (verso 24)
Assinale a alternativa em que a alteração do verso acima tenha sido feita de acordo com a norma culta. Não leve em conta possível alteração de sentido.
(A)
Que Vossa Excelência pagou pra mim
(B)
Que Vossa Senhoria pagastes pra mim
(C)
Que tu pagáreis pra mim
(D)
Que vós pagaste pra mim
(E)
Que tu pagastes pra mim

18
Assinale a alternativa em que a alteração do verso da canção tenha sido feito com adequação à norma culta. Não leve em conta possível alteração de sentido.
(A)
Que você pagou pra mim (v.24) / Por que você optou para mim
(B)
Nosso amor que eu não esqueço (v.1) / Nosso amor de que eu não esqueço
(C)
Que você lhe diga (v.14) / Que você lhe encontre
(D)
Às pessoas que eu detesto (v.19) / Às pessoas que não gosto
(E)
Diga que você me adora (v.16) / Diga que você adora-me

Repare que, em ambas, o gabarito é letra "A".
Consultei o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa - VOLP no sítio internet da Academia em http://www.academia.org.br/abl/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=23 e o indigitado "pra" estava lá.
Concluí que trata-se de uso pela norma culta, salvando-se a questão 17.
No entanto, o examinador tratou a redução da preposição para como não culta na questão 18.
Ou é culta ou não é, resultando na anulação de uma das questões.

GutoAuditor
Mon, 25/04/11, 03:10 PM
Essa eu quero recorrer super! Também coloquei letra E "só"

Já pedi para o prof fundamentar o gaba dele (que foi o só)

merlin
Mon, 25/04/11, 03:11 PM
Alguém vai de recurso na 2 amarela???

GMB
Mon, 25/04/11, 03:17 PM
18
Assinale a alternativa em que a alteração do verso da canção tenha sido feito com adequação à norma culta. Não leve em conta possível alteração de sentido.
(A)
Que você pagou pra mim (v.24) / Por que você optou para mim
(B)
Nosso amor que eu não esqueço (v.1) / Nosso amor de que eu não esqueço
(C)
Que você lhe diga (v.14) / Que você lhe encontre
(D)
Às pessoas que eu detesto (v.19) / Às pessoas que não gosto
(E)
Diga que você me adora (v.16) / Diga que você adora-me

[/QUOTE]

Com relação a essa 18, um professor já havia comentado, antes de sair os gabas, que caberia recurso, nõa estaria rigorosamente errado "Nosso amor de que eu não esqueço". Acho que é isso, só não estou encontrando o tópico agora.

felipe.brum
Mon, 25/04/11, 03:19 PM
18
Assinale a alternativa em que a alteração do verso da canção tenha sido feito com adequação à norma culta. Não leve em conta possível alteração de sentido.
(A)
Que você pagou pra mim (v.24) / Por que você optou para mim
(B)
Nosso amor que eu não esqueço (v.1) / Nosso amor de que eu não esqueço
(C)
Que você lhe diga (v.14) / Que você lhe encontre
(D)
Às pessoas que eu detesto (v.19) / Às pessoas que não gosto
(E)
Diga que você me adora (v.16) / Diga que você adora-me



Com relação a essa 18, um professor já havia comentado, antes de sair os gabas, que caberia recurso, nõa estaria rigorosamente errado "Nosso amor de que eu não esqueço". Acho que é isso, só não estou encontrando o tópico agora.[/QUOTE]
http://www.forumconcurseiros.com/forum/showthread.php?p=1079120

edmort
Mon, 25/04/11, 03:19 PM
18
Assinale a alternativa em que a alteração do verso da canção tenha sido feito com adequação à norma culta. Não leve em conta possível alteração de sentido.
(A)
Que você pagou pra mim (v.24) / Por que você optou para mim
(B)
Nosso amor que eu não esqueço (v.1) / Nosso amor de que eu não esqueço
(C)
Que você lhe diga (v.14) / Que você lhe encontre
(D)
Às pessoas que eu detesto (v.19) / Às pessoas que não gosto
(E)
Diga que você me adora (v.16) / Diga que você adora-me



Com relação a essa 18, um professor já havia comentado, antes de sair os gabas, que caberia recurso, nõa estaria rigorosamente errado "Nosso amor de que eu não esqueço". Acho que é isso, só não estou encontrando o tópico agora.[/QUOTE]

O problema não é esse.
É o fato de tratar "pra" como culta numa questão (17) e como inculta na questão seguinte (18).
É a contradição.

Konkurso
Mon, 25/04/11, 03:20 PM
Você concluiu que é norma culta "somente" por estar neste vocabulário?!? ou viu alguma outra afirmação de que é norma culta?

O fato de estar no vocabulário não quer dizer que é norma culta. Já houve posts aqui comentando que a expressão "pra" é aceita mas que é derivada da linguagem coloquial.



CONTRADIÇÃO DA BANCA.

Vejam as seguintes questões (P1 - Azul):

17
Que você pagou pra mim (verso 24)
Assinale a alternativa em que a alteração do verso acima tenha sido feita de acordo com a norma culta. Não leve em conta possível alteração de sentido.
(A)
Que Vossa Excelência pagou pra mim
(B)
Que Vossa Senhoria pagastes pra mim
(C)
Que tu pagáreis pra mim
(D)
Que vós pagaste pra mim
(E)
Que tu pagastes pra mim

18
Assinale a alternativa em que a alteração do verso da canção tenha sido feito com adequação à norma culta. Não leve em conta possível alteração de sentido.
(A)
Que você pagou pra mim (v.24) / Por que você optou para mim
(B)
Nosso amor que eu não esqueço (v.1) / Nosso amor de que eu não esqueço
(C)
Que você lhe diga (v.14) / Que você lhe encontre
(D)
Às pessoas que eu detesto (v.19) / Às pessoas que não gosto
(E)
Diga que você me adora (v.16) / Diga que você adora-me

Repare que, em ambas, o gabarito é letra "A".
Consultei o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa - VOLP no sítio internet da Academia em http://www.academia.org.br/abl/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=23 e o indigitado "pra" estava lá.
Concluí que trata-se de uso pela norma culta, salvando-se a questão 17.
No entanto, o examinador tratou a redução da preposição para como não culta na questão 18.
Ou é culta ou não é, resultando na anulação de uma das questões.

GutoAuditor
Mon, 25/04/11, 03:20 PM
[QUOTE=GMB;1079901]18
Assinale a alternativa em que a alteração do verso da canção tenha sido feito com adequação à norma culta. Não leve em conta possível alteração de sentido.
(A)
Que você pagou pra mim (v.24) / Por que você optou para mim
(B)
Nosso amor que eu não esqueço (v.1) / Nosso amor de que eu não esqueço
(C)
Que você lhe diga (v.14) / Que você lhe encontre
(D)
Às pessoas que eu detesto (v.19) / Às pessoas que não gosto
(E)
Diga que você me adora (v.16) / Diga que você adora-me



Eu acho que o pulo do gato aqui é a regência do verbo optar. pesquisei no google e só apareceu optar por e optar entre. Se o Luft, Bechara, Cegala e outros autores renomados não colocarem exemplos com optar para, a FGV vai ter que anula pois ela não fornece bibliografia.

felipe.brum
Mon, 25/04/11, 03:21 PM
Com relação a essa 18, um professor já havia comentado, antes de sair os gabas, que caberia recurso, nõa estaria rigorosamente errado "Nosso amor de que eu não esqueço". Acho que é isso, só não estou encontrando o tópico agora.

O problema não é esse.
É o fato de tratar "pra" como culta numa questão (17) e como inculta na questão seguinte (18).
É a contradição.[/QUOTE]
Na 18 não tem nada dizendo que o pra é inculto. Pelo que eu entendi ele mostrou que tanto faz usar o pra e o para. Por isso a letra A é o gabarito da questão.

É claro, isso se a banca considera que é possível usar o pra e o para

Bazinga
Mon, 25/04/11, 03:26 PM
A questão 3 da prova branca deve ser anulada. Há duas alternativas incorretas.
Assinale a alternativa em que se tenha indicado INCORRETAMENTE a relação entre vocábulo e o termo a que ele se refere.

Sua (L.30) refere-se à matriz e não das empresas.


A questão deve ser anulada

Alguém poderia pelo amor de Deus elaborar um bom recurso para esta questão?! talvez seja a minha salvação!

GutoAuditor
Mon, 25/04/11, 03:27 PM
Felipe,

Eu entendi o seguinte.
No trecho "Que você pagou pra mim" a banca não se posicional. Não disse se o PRA é culto ou coloquial. Ela apena pegou um fragmento do verso e perguntou se a alteração foi feita com adequação a norma culta quando muda PRA para PARA. Acho que o problema é que optou PARA coloquial.

edmort
Mon, 25/04/11, 03:28 PM
Na 18 não tem nada dizendo que o pra é inculto. Pelo que eu entendi ele mostrou que tanto faz usar o pra e o para. Por isso a letra A é o gabarito da questão.

É claro, isso se a banca considera que é possível usar o pra e o para

Desculpe, mas a alteração que veio a ser o gabarito trocou pra por para, ao fazer a passagem para a normal culta. Logo, tratou pra como não culto.
Ou então, não houve alteração alguma!

edmort
Mon, 25/04/11, 03:50 PM
Dito de outra forma:

Se você acha que o examinador usou tanto pra e para como norma culta, então não houve a alteração pedida no comando da questão!

FENIX2012
Mon, 25/04/11, 03:52 PM
Galera,

enviem dúvidas tbm para ABL, academia brasileira de letras. Já mandei três para eles, mas não citem concurso, pois é vedado o esclarecimento de dúvidas nessa seara.

Abraços e boa sorte p gente...

link da abl para dúvidas

http://www.academia.org.br/abl/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=569

Fabricio Nunes
Mon, 25/04/11, 04:13 PM
Vamos organizar os recursos: Peguei o que já foi postado por outros colegas!

Prova branca
3 - Assinale a alternativa em que...

Pedir anulação, pois duas alternativas estão INCORRETAS
( C ) dela
( D ) sua

Fabricio Nunes
Mon, 25/04/11, 04:13 PM
Mais uma...

14 - A respeito da interpretação do quadrinho, analise as afirmativas a seguir:
I. Associando texto e imagem, é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho.
II. Na fala do homem, o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher.
III. Não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher.

A FGV deu como gabarito a Letra B: “ se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas.
Ora, se eu considero correto que não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher, como posso dizer que está correto que o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher. Para existir o TROCADILHO ele devia ter entendido o que a mulher disse.

Vejam o significado de trocadilho: s.f. Jogo de palavras semelhantes na forma mas diferentes no significado, que enseja ambiguidade; calembur, equívoco: fazer humor com trocadilhos fáceis.

Logo, só a alternativa III estaria correta ( sem gaba! ) ANULAÇÃO!!!

Fabricio Nunes
Mon, 25/04/11, 04:14 PM
Mais uma...

17 – Assinale a alternativa que a alteração do verso...

A questão "que você pagou para mim" tem que ser anulada pelo seguinte motivo:

o enunciado da questão fala:assinale a alternativa em que a alteração do verso acima e não de parte do verso tenha sido feita de acordo com a norma culta.
O verso é:Que voce pagou pra mim,e alteração do verso teria que ser :Que vossa excelencia pagou para mim ou Para que haja alguma alternativa correta, de acordo com as opções dadas pela questão,teria que ser pedido:assinale a alternativa em que a alteração de parte do verso acima tenha sido feita de acordo com a norma culta,pois o verso inteiro é: Que vc pagou pra mim,
E em todas opções dadas,o verso inteiro não fica de acordo com a norma culta,após a alteração do VERSO, que é o que foi pedido.

PEDE_SE ,ENTÂO ANULAÇÂO Da questão, por todas alternativas estarem erradas

Galera,dá para reescrever melhor, mas o argumento básico é esse: ele pede a alteração do verso de acordo com a norma culta e o verso alterado, não está de acordo com a norma culta, pois o verso não é só as palavras "Que vc pagou" e sim,"Que vc pagou pra mim"(sendo assim, não há alternativa correta, pois nenhuma torna o verso certo, de acordo com a norma culta)

Fabricio Nunes
Mon, 25/04/11, 04:14 PM
Mais uma...

20 - Que você pagou pra mim"

O examinador ao pedir para transpor para a norma culta, não deve se atentar apenas para a substituição do verbo e pronome, mas sim para toda a estrutura gramatical solicitada para análise.

Apesar do texto ao qual é solicitada alteração estar com a utilização do termo "pra", não exime a necessidade de sua transposição para a norma culta, conforme solicitado pelo examinador, devendo o mesmo ser composto pela preposição dissílabaca "para".

A preposição "pra" é átona e fica reduzida, na fala, a uma sílaba apenas, que certamente é muito ouvido na sua linguagem coloquial.

Entretanto, escrever é outra coisa; escrevemos "para" (norma culta), a não ser em textos especiais (letra de música, poemas, frase de publicidade, cartas pessoais, e-mails), onde podemos usar o “pra” (linguagem coloquial) se quisermos.

Disto posto, ao solicitar o examinador a conversão do texto para a norma culta, deveria atentar também para a transposição correta da preposição "para" coforme acima mencionado. Logo, o item " Que Vossa Excelência pagou pra mim" não atende aos quesitos da norma culta. O correto deve ser " Que Vossa Excelência pagou para mim".

Como não há um gabarito correto, pede-se a anulação da questão.

Fabricio Nunes
Mon, 25/04/11, 04:15 PM
Mais uma...

18 - Questão do Noel Rosa.

Acho que a opção III - o último desejo é constituído por dois pedidos está errada.

Entendi que o ultimo desejo é constituído por vários pedidos, porém segmentados em dois contextos diferentes.

Contexto 1 - Se alguma pessoa amiga pedir

Pedido 1 - (diga) se você me quer ou não.
Pedido 2 - Diga que você me adora.
Pedido 3 - (diga) Que você lamenta e chora a nossa separação

Contexto 2 - Às pessoas que eu detesto

Pedido 4 - Diga sempre que eu não presto
Pedido 5 - (diga)Que meu lar é o botequim
Pedido 6 - (diga) Que eu arruinei sua vida
Pedido 7 - (diga) Que eu não mereço a comida que você pagou para mim.

Com base no exposto, peço a anulação da questão pois apenas a alternativa II está correta.

Fabricio Nunes
Mon, 25/04/11, 04:18 PM
Galera, o bom das questões é que cabe ANULAÇÃO!!!

Guardem os recursos, melhorem e vamos derrubar essas questões!

Já são quatro, quem precisa de mais de uma tem muitas chances.

Não desiste não!!!

Fabricio Nunes
Mon, 25/04/11, 04:20 PM
Errei!!!

São cinco questões.

Fabricio Nunes
Mon, 25/04/11, 04:44 PM
Não posso ficar sozinhão não HEIN!!!!

Fexeclair
Mon, 25/04/11, 04:44 PM
Guto Auditor, essa questao ai da Matriz( 3 da prova branca) tem que ser anulada com certeza. Marquei a mesma que voce cara. Se precisar de ajuda para fazer o recurso só me de um toque.
Voce ja está fazendo o recurso?

Lucas21
Mon, 25/04/11, 04:47 PM
E na questão dos parágrafos? (a 13 na prova verde).

O sexto parágrafo retoma o termo "compliance" utilizado no quinto parágrafo e complementa o seu sentido. Apesar do oitavo tb ter função explicativa, a proximidade lógica é maior com o 5, pois tem como função textual complementar o seu sentido (o do 5).

Lucas21
Mon, 25/04/11, 04:51 PM
E na 10 da prova verde? "Mais" é advérbio de intensidade e não foi considerado como advérbio. "Penal" foi considerado como advérbio...

Lucas21
Mon, 25/04/11, 04:53 PM
Na questão da tirinha (14 da verde) pq a afirmação I estaria errada?

Lucas21
Mon, 25/04/11, 04:54 PM
Tb não entendi pq a I da 19 da verde (da música) estaria errada.

felipe.brum
Mon, 25/04/11, 04:56 PM
Dito de outra forma:

Se você acha que o examinador usou tanto pra e para como norma culta, então não houve a alteração pedida no comando da questão!
Que você pagou pra mim / Por que voce optou para mim
A alteração não precisa ser de errada para certa.
Você pode ter 1 primeira frase correta e uma segunda também correta.

Konkurso
Mon, 25/04/11, 05:16 PM
19
A respeito da composição de Noel Rosa, analise as afirmativas a seguir:
I. É possível inferir pela leitura da composição que se trata do último desejo da vida de um dos amantes.
II. Não é possível identificar textualmente se a voz que fala na composição é masculina ou feminina.
III. O último desejo é constituído por dois pedidos.
Assinale
(A) se apenas as afirmativas I e III estiverem corretas.
(B) se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas.
(C) se apenas as afirmativas I e II estiverem corretas.
(D) se nenhuma afirmativa estiver correta.
(E) se todas as afirmativas estiverem corretas.

Gabarito: B (apenas as afirmativas II e III estiverem corretas)

No meu entender a assertiva I também está correta. Se o comando fosse "com certeza", "pode-se afirmar", estaria errada. Mas "é possível inferir" dá margem para a interpretação de quem está analisando a composição.

Segundo o dicionário: Inferir - Tirar por conclusão; deduzir pelo raciocínio.

Da leitura do texto pode-se inferir que nenhum dos dois amantes desejam a separação. E mais, o fato do autor(a) pedir como último desejo que não se deixe ser esquecido pode ser interpretado como se o autor estivesse em seu leito de morte e que este desejo realmente seja o último de sua vida.

A questão é que "inferir" é possível sim. Desde que não seja um absurdo o que se pede, sempre é possível inferir alternativas diversas em um texto poético, como a composição da prova.

felipe.brum
Mon, 25/04/11, 05:19 PM
19
A respeito da composição de Noel Rosa, analise as afirmativas a seguir:
I. É possível inferir pela leitura da composição que se trata do último desejo da vida de um dos amantes.
II. Não é possível identificar textualmente se a voz que fala na composição é masculina ou feminina.
III. O último desejo é constituído por dois pedidos.
Assinale
(A) se apenas as afirmativas I e III estiverem corretas.
(B) se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas.
(C) se apenas as afirmativas I e II estiverem corretas.
(D) se nenhuma afirmativa estiver correta.
(E) se todas as afirmativas estiverem corretas.

Gabarito: B (apenas as afirmativas II e III estiverem corretas)

No meu entender a assertiva I também está correta. Se o comando fosse "com certeza", "pode-se afirmar", estaria errada. Mas "é possível inferir" dá margem para a interpretação de quem está analisando a composição.

Segundo o dicionário: Inferir - Tirar por conclusão; deduzir pelo raciocínio.

Da leitura do texto pode-se inferir que nenhum dos dois amantes desejam a separação. E mais, o fato do autor(a) pedir como último desejo que não se deixe ser esquecido pode ser interpretado como se o autor estivesse em seu leito de morte e que este desejo realmente seja o último de sua vida.

A questão é que "inferir" é possível sim. Desde que não seja um absurdo o que se pede, sempre é possível inferir alternativas diversas em um texto poético, como a composição da prova.
Ótimo. Não tinha visto por esse lado.
Belo recurso.

mcsdias
Mon, 25/04/11, 05:21 PM
Pessoal,

Na questão 6 (prova azual). Assinale a alternativa em que se tenha indicado INCORRETAMENTE...

na opção "C" é informado que "delas" (L37) faz referência à "das atividades sociais". Porém tal termo não está presente no texto. O que temos é "de suas atividades sociais".

Desta forma a questão está prejudicada. Solicitarei a anulação da questão.

merlin
Mon, 25/04/11, 05:31 PM
Alguem para me ajudar no recurso sobre pontuação

Lucas21
Mon, 25/04/11, 05:42 PM
19
A respeito da composição de Noel Rosa, analise as afirmativas a seguir:
I. É possível inferir pela leitura da composição que se trata do último desejo da vida de um dos amantes.
II. Não é possível identificar textualmente se a voz que fala na composição é masculina ou feminina.
III. O último desejo é constituído por dois pedidos.
Assinale
(A) se apenas as afirmativas I e III estiverem corretas.
(B) se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas.
(C) se apenas as afirmativas I e II estiverem corretas.
(D) se nenhuma afirmativa estiver correta.
(E) se todas as afirmativas estiverem corretas.

Gabarito: B (apenas as afirmativas II e III estiverem corretas)

No meu entender a assertiva I também está correta. Se o comando fosse "com certeza", "pode-se afirmar", estaria errada. Mas "é possível inferir" dá margem para a interpretação de quem está analisando a composição.

Segundo o dicionário: Inferir - Tirar por conclusão; deduzir pelo raciocínio.

Da leitura do texto pode-se inferir que nenhum dos dois amantes desejam a separação. E mais, o fato do autor(a) pedir como último desejo que não se deixe ser esquecido pode ser interpretado como se o autor estivesse em seu leito de morte e que este desejo realmente seja o último de sua vida.

A questão é que "inferir" é possível sim. Desde que não seja um absurdo o que se pede, sempre é possível inferir alternativas diversas em um texto poético, como a composição da prova.

Foi exatamente o q eu pensei.

Alexandre_SP
Mon, 25/04/11, 06:04 PM
Pessoal,

o enunciado da questão questão 17 prova branca também está errado. Esta escrito: "...em que a alteração do verso da canção tenha sido feito com adequação à...

Já a questão 16 da mesma prova branca está correta: "...em que a alteração da fala do homem do quadrinho NÃO tenha sido feita..."

Como pode pedir a assertiva correta se o próprio examinador erra?


Conversei com um professor de Português e ele me disse que na questão 6 prova branca, o mais tem valor adverbial, já que "cada vez mais" é uma locução adverbial. não teria valor adverbial se, por exemplo, fosse algo do tipo: "ele ganha a cada vez mais influência". Vejam que no exemplo o mais está ligado à influência e não ao cada vez. No texto da prova, é impossível separar o mais do cada vez.

Alguém tem maiores informações para também adotarmos nessa linha?

Fabricio Nunes
Mon, 25/04/11, 06:10 PM
Mais informações...

Pra, pro, pras e pros são contrações de para a, para o, para as e para os. Uma junção reduzida de preposição seguida de artigos ou pronomes. Em uma linguagem dissertativa ( norma culta ), deve ser evitada. Só devemos nos servir dessas contrações para representar a pronúncia popular, logo: " Que Vossa Excelência pagou pra mim" não é culto nem aqui nem na China!

Lucas21
Mon, 25/04/11, 06:19 PM
Pessoal,

o enunciado da questão questão 17 prova branca também está errado. Esta escrito: "...em que a alteração do verso da canção tenha sido feito com adequação à...

Já a questão 16 da mesma prova branca está correta: "...em que a alteração da fala do homem do quadrinho NÃO tenha sido feita..."

Como pode pedir a assertiva correta se o próprio examinador erra?


Conversei com um professor de Português e ele me disse que na questão 6 prova branca, o mais tem valor adverbial, já que "cada vez mais" é uma locução adverbial. não teria valor adverbial se, por exemplo, fosse algo do tipo: "ele ganha a cada vez mais influência". Vejam que no exemplo o mais está ligado à influência e não ao cada vez. No texto da prova, é impossível separar o mais do cada vez.

Alguém tem maiores informações para também adotarmos nessa linha?

Tb errei essa."Mais" é advérbio de intensidade. E "penal" no caso seria advérbio do q?

Bazinga
Mon, 25/04/11, 06:23 PM
Mais informações...

Pra, pro, pras e pros são contrações de para a, para o, para as e para os. Uma junção reduzida de preposição seguida de artigos ou pronomes. Em uma linguagem dissertativa ( norma culta ), deve ser evitada. Só devemos nos servir dessas contrações para representar a pronúncia popular, logo: " Que Vossa Excelência pagou pra mim" não é culto nem aqui nem na China!

Pois é Fabrício concordo, agora precisamos meter a cara nos livros dos grandes para fundamentar os recursos, pq não adianta só falar que não pode usar né. Precisamos de citações.

Alguém ai teria acesso aos livros do Bechara, Luft etc e poderia nos dar um help?

Bazinga
Mon, 25/04/11, 06:31 PM
Em relação a questão "Que você pagou pra mim" - Questão 17 prova Tipo 4

Os termos “Pra, pro, pras e pros” são contrações de “para a, para o, para as e para os”. Uma junção reduzida de preposição seguida de artigos ou pronomes muito usada para representar a pronúncia popular e por vezes encontrada em textos especiais (como letra de música, poemas, frase de publicidade, cartas pessoais, e-mails). No entanto, sua utilização não é cabida onde se é exigido o uso da norma culta.

A questão em análise deslocou a frase “Que você pagou pra mim” de seu contexto (o poema) e em seguida nos solicitou a sua transposição para a norma culta. Sendo assim, entende-se que toda a estrutura gramatical da frase em questão deve ser levada para a norma culta, não apenas o verbo e o pronome.

Logo, o item "Que Vossa Excelência pagou pra mim" não atende aos quesitos da norma culta. O correto deveria ser "Que Vossa Excelência pagou para mim".

É oportuno acrescentar que a questão 18 desta mesma prova de português corrobora o argumento proferido neste recurso, pois exigiu-se a transposição para a norma culta e a alternativa considerada correta foi justamente a que substituiu o “pra mim” por “para mim”: “Que você pagou pra mim”/“Que você optou para mim”.

Tendo em vista que todas as alternativas fazem uso do termo “pra”, em desacordo com a norma culta solicitada pela questão, pede-se a anulação da mesma.

Alguém teria algo a acrescentar ao recurso acima?!

igorcivil
Mon, 25/04/11, 06:40 PM
Mais uma...

14 - A respeito da interpretação do quadrinho, analise as afirmativas a seguir:
I. Associando texto e imagem, é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho.
II. Na fala do homem, o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher.
III. Não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher.

A FGV deu como gabarito a Letra B: “ se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas.
Ora, se eu considero correto que não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher, como posso dizer que está correto que o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher. Para existir o TROCADILHO ele devia ter entendido o que a mulher disse.

Vejam o significado de trocadilho: s.f. Jogo de palavras semelhantes na forma mas diferentes no significado, que enseja ambiguidade; calembur, equívoco: fazer humor com trocadilhos fáceis.

Logo, só a alternativa III estaria correta ( sem gaba! ) ANULAÇÃO!!!

Fora isso, qual é o motivo da afirmativa I estar incorreta? É claro que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho. Afinal, o homem não entendeu o verdadeiro significado do "sedentária" na fala da mulher (ou fingiu não entender). O homem parece ter entendido "sedentária" como uma vida "cheia de sede", por isso pediu o copo de água.

Para mim fica claro que o homem foi irônico e não fica claro que ele realmente não tenha entendido o verdadeiro significado da mensagem da mulher.

Bazinga
Mon, 25/04/11, 06:49 PM
Em relação a questão "Que você pagou pra mim" - Questão 17 prova Tipo 4

Os termos “Pra, pro, pras e pros” são contrações de “para a, para o, para as e para os”; uma junção reduzida de preposição seguida de artigos ou pronomes certamente muito usada para representar a pronúncia popular e por vezes encontrada em textos especiais (como é o caso do poema em questão, e-mails ou cartas pessoais), porém não admitida em uma linguagem dissertativa, onde se é claramente exigido o uso da norma culta.

Na questão, o examinador deslocou a frase “Que você pagou pra mim” de seu contexto (o poema) e em seguida nos solicitou a sua transposição para a norma culta, dando a entender que toda a estrutura gramatical da frase em questão, não apenas o verbo e o pronome, deve ser levada para a norma culta.

Logo, o item "Que Vossa Excelência pagou pra mim" não atende aos quesitos da norma culta. O correto deveria ser "Que Vossa Excelência pagou para mim".

É oportuno acrescentar que a questão 18 desta mesma prova de português corrobora o argumento proferido neste recurso, pois exigiu-se a transposição para a norma culta e a alternativa considerada correta foi justamente a que substituiu o “pra mim” por “para mim”: “Que você pagou pra mim”/“Que você optou para mim”.

Tendo em vista que todas as alternativas fazem uso do termo “pra”, em desacordo com a norma culta solicitada pela questão, pede-se a anulação da mesma.


ALGUÉM POR FAVOR ME AJUDE COM ESSE RECURSO.....ALGO A ACRESCENTAR?!

Alexandre_SP
Mon, 25/04/11, 06:49 PM
Lucas21,

de acordo com esse professor que falei, todas as alternativas teriam valor adverbial.

Eu gostaria de saber a justificativa para o só.

Lucas21
Mon, 25/04/11, 06:51 PM
Fora isso, qual é o motivo da afirmativa I estar incorreta? É claro que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho. Afinal, o homem não entendeu o verdadeiro significado do "sedentária" na fala da mulher (ou fingiu não entender). O homem parece ter entendido "sedentária" como uma vida "cheia de sede", por isso pediu o copo de água.

Para mim fica claro que o homem foi irônico e não fica claro que ele realmente não tenha entendido o verdadeiro significado da mensagem da mulher.

Exatamente. Das duas uma: ou o homem não entendeu a pergunta ou estava sendo irônico.
O problema é q o examinador, ao considerar a I como incorreta, descarta a possibilidade de o homem estar sendo irônico e, ao considerar a III como correta, afirma que não é possível dizer se o homem entendeu ou não a fala da mulher.

Ou seja: segundo o examinador, o homem não estaria sendo irônico e haveria a possibilidade de ele ter entendido a afirmação da mulher.

Haveria a possibilidade de ele ter entendido a fala da mulher e não estar sendo irônico? Eu não sei como...

Alexandre_SP
Mon, 25/04/11, 06:52 PM
Bazinga,

vc acha q vale a pena citar nesse recurso que o enunciado tb possui um erro de português?

Bazinga
Mon, 25/04/11, 07:02 PM
Bazinga,

vc acha q vale a pena citar nesse recurso que o enunciado tb possui um erro de português?

Oi Alexandre, o enunciado não possui erro. Simplesmente é uma parte de um poema onde se é permitido o uso coloquial do termpo "pra" (assim como em e-mails, cartas pessoais etc). Mas uma vez que o examinador destaca esta frase do seu contexto original (que e o poema) e nos pede para passar para a normal culta, aí o correto é o uso do "para" e não do "pra" como trazem todas as alternativas.

felipe.brum
Mon, 25/04/11, 07:03 PM
Pessoal que saca bem de colocação pronomial:
Questão 18 - Prova Tipo 4:
Assinale a alternativa em que a alteração do verso...

Marquei a letra E: Diga que você me adora / Diga que você adora-me

Segundo a professora Claudia:

REGRA GERAL: ÊNCLISE
Segundo a norma culta, a regra é ênclise, ou seja, o pronome após o verbo. Isso tem
origem em Portugal, onde essa colocação é mais comum. No Brasil, o uso da próclise
(antes do verbo) é mais freqüente, por apresentar maior informalidade. Mas, como
devemos abordar os aspectos formais da língua, a regra será ênclise, usando
próclise em situações excepcionais.

Estou correto? Para mim esse é um erro gritante de gabarito

Lucas21
Mon, 25/04/11, 07:07 PM
Lucas21,

de acordo com esse professor que falei, todas as alternativas teriam valor adverbial.

Eu gostaria de saber a justificativa para o só.

Sim. o "penal" então seria advérbio de modo. O "só" seria uma palavra denotativa de inclusão com função de advérbio (http://www.brasilescola.com/gramatica/adverbio.htm)

No enunciado, ele pede palavras com "valor adverbial".

Então não há resposta, pois o "mais" tb é advérbio. Caberia a anulação da questão.

Lucas21
Mon, 25/04/11, 07:11 PM
Pessoal que saca bem de colocação pronomial:
Questão 18 - Prova Tipo 4:
Assinale a alternativa em que a alteração do verso...

Marquei a letra E: Diga que você me adora / Diga que você adora-me

Segundo a professora Claudia:

REGRA GERAL: ÊNCLISE
Segundo a norma culta, a regra é ênclise, ou seja, o pronome após o verbo. Isso tem
origem em Portugal, onde essa colocação é mais comum. No Brasil, o uso da próclise
(antes do verbo) é mais freqüente, por apresentar maior informalidade. Mas, como
devemos abordar os aspectos formais da língua, a regra será ênclise, usando
próclise em situações excepcionais.

Estou correto? Para mim esse é um erro gritante de gabarito

Nesse caso, creio q o "que" seria conjunção subordinativa e ele atrai o pronome. Daí o uso da próclise.

Alexandre_SP
Mon, 25/04/11, 07:18 PM
Bazinga,

tem sim. Se esamos falando da mesma questão: (questão 17, prova branca)

Esta escrito: "...em que a alteração do verso da canção tenha sido feito com adequação à... e o certo é "....alteração do verso da canção tenha sido feita

Veja que a questão 16 da mesma prova branca está correta: "...em que a alteração da fala do homem do quadrinho NÃO tenha sido feita..." (aqui está certo)

Kikaac
Mon, 25/04/11, 07:49 PM
pessoal,

vcs chegaram a pedir auxílio a algum professor com os recursos?

por favor postem seus recursos aqui p/ trocarmos idéias e tentarmos conseguir alguma anulação nessa prova de doido!!! preciso de 3 em português!!!! será q é possível conseguir isso?

obg!!!

ISABELCS
Mon, 25/04/11, 07:51 PM
Sim. o "penal" então seria advérbio de modo. O "só" seria uma palavra denotativa de inclusão com função de advérbio (http://www.brasilescola.com/gramatica/adverbio.htm)

No enunciado, ele pede palavras com "valor adverbial".

Então não há resposta, pois o "mais" tb é advérbio. Caberia a anulação da questão.

A questão pede a que NÃO tenha valor adverbial. Temos que elaborar bem os nossos recursos.

Lucas21
Mon, 25/04/11, 07:59 PM
A questão pede a que NÃO tenha valor adverbial. Temos que elaborar bem os nossos recursos.

Foi isso o q eu disse. Como TODAS possuem valor adverbial, a questão deve ser anulada.

Assinalei "com valor adverbial" apenas para ressaltar q o enunciado não está se referindo a um advérbio, mas a palavras q não tenham valor adverbial.
Aí está a pegadinha. Por isso o "só" estaria incluso, pois não é advérbio mas é uma palavra "com valor adverbial".

Alexandre_SP
Mon, 25/04/11, 08:04 PM
Lucas21,

Brasilescola é uma fonte adequada ou você teria algum livro mais de renome?

LEONARDO2009
Mon, 25/04/11, 08:08 PM
Kikaac,

Deus tudo pode. Vamos com fé que conseguiremos. Somente termina no dia 25 de maio e terminará com vitória para nós. Vamo que vamo!

pessoal,

vcs chegaram a pedir auxílio a algum professor com os recursos?

por favor postem seus recursos aqui p/ trocarmos idéias e tentarmos conseguir alguma anulação nessa prova de doido!!! preciso de 3 em português!!!! será q é possível conseguir isso?

obg!!!

lalmeidajr
Mon, 25/04/11, 08:11 PM
eu também marquei esta, pois não vi erro algum. O que eu sei é que preposição atrai o pronome e o "que" nesta questão tem função de conjunção integrante, se não me engano.

E continuo achando que o verbo "optar" se rege apenas com as preposições "por" e "entre". Com "para" eu nunca vi.

Pessoal que saca bem de colocação pronomial:
Questão 18 - Prova Tipo 4:
Assinale a alternativa em que a alteração do verso...

Marquei a letra E: Diga que você me adora / Diga que você adora-me

Segundo a professora Claudia:

REGRA GERAL: ÊNCLISE
Segundo a norma culta, a regra é ênclise, ou seja, o pronome após o verbo. Isso tem
origem em Portugal, onde essa colocação é mais comum. No Brasil, o uso da próclise
(antes do verbo) é mais freqüente, por apresentar maior informalidade. Mas, como
devemos abordar os aspectos formais da língua, a regra será ênclise, usando
próclise em situações excepcionais.

Estou correto? Para mim esse é um erro gritante de gabarito

LEONARDO2009
Mon, 25/04/11, 08:13 PM
O gabarito foi a letra A. Alguém sabe o motivo da letra C estar incorreta?

Porém, sofrendo o Brasil os influxos de modelos legislativos estrangeiros, assim como estando as matrizes das empresas transnacionais que aqui operam sujeitas às normas de seus países de origem, não tardará para que as práticas que envolvem o criminal compliance sejam estendidas a diversos outros segmentos da economia. (L.92-98)
Assinale a alternativa em que a alteração do período acima tenha mantido adequação quanto ao seu sentido original e correção quanto à pontuação.

(A)
Sofrendo o Brasil, no entanto, os influxos de modelos legislativos estrangeiros – assim como estando as matrizes das empresas transnacionais que aqui operam sujeitas às normas de seus países de origem –, não tardará para que as práticas que envolvem o criminal compliance sejam estendidas a diversos outros segmentos da economia.
(B)
Todavia, sofrendo o Brasil os influxos de modelos legislativos estrangeiros, – assim como estando as matrizes das empresas transnacionais que aqui operam sujeitas às normas de seus países de origem –, não tardará para que as práticas que envolvem o criminal compliance sejam estendidas a diversos outros segmentos da economia.
(C)
Entretanto, sofrendo o Brasil os influxos de modelos legislativos estrangeiros, – assim como estando as matrizes das empresas transnacionais que aqui operam sujeitas às normas de seus países de origem – não tardará para que as práticas que envolvem o criminal compliance sejam estendidas a diversos outros segmentos da economia.
(D)
Contudo, sofrendo o Brasil os influxos de modelos legislativos estrangeiros – assim como estando as matrizes das empresas transnacionais que aqui operam sujeitas às normas de seus países de origem, não tardará para que as práticas que envolvem o criminal compliance sejam estendidas a diversos outros segmentos da economia.
(E)
Sofrendo, contudo, o Brasil os influxos de modelos legislativos estrangeiros – assim como estando as matrizes das empresas transnacionais que aqui operam sujeitas às normas de seus países de origem – não tardará para que as práticas que envolvem o criminal compliance sejam estendidas a diversos outros segmentos da economia.

Lucas21
Mon, 25/04/11, 08:17 PM
Lucas21,

Brasilescola é uma fonte adequada ou você teria algum livro mais de renome?

Não, não vou citar o site não. É pq eu tô na internet agora e peguei no google o q estava "mais à mão". Eu ainda não comecei a fazer nenhum recurso. De qualquer forma, o importante nessa questão é justificar pq o "mais" tem tb valor adverbial e pedir a anulação da questão.

B. Dias
Mon, 25/04/11, 08:35 PM
Pessoal que saca bem de colocação pronomial:
Questão 18 - Prova Tipo 4:
Assinale a alternativa em que a alteração do verso...

Marquei a letra E: Diga que você me adora / Diga que você adora-me

Segundo a professora Claudia:

REGRA GERAL: ÊNCLISE
Segundo a norma culta, a regra é ênclise, ou seja, o pronome após o verbo. Isso tem
origem em Portugal, onde essa colocação é mais comum. No Brasil, o uso da próclise
(antes do verbo) é mais freqüente, por apresentar maior informalidade. Mas, como
devemos abordar os aspectos formais da língua, a regra será ênclise, usando
próclise em situações excepcionais.

Estou correto? Para mim esse é um erro gritante de gabarito





Felipe, pensei como vc!!!!
marquei a letra E. Acho q sujeito explícito faculta a próclise, e o "você" na frase é o sujeito de "adora", sendo assim, tanto faz próclise ou enclise.
não é isso???
segue uma pag. com esse argumaento
http://kplus.cosmo.com.br/materia.asp?co=51&rv=Gramatica

B. Dias
Mon, 25/04/11, 08:43 PM
eu também marquei esta, pois não vi erro algum. O que eu sei é que preposição atrai o pronome e o "que" nesta questão tem função de conjunção integrante, se não me engano.

E continuo achando que o verbo "optar" se rege apenas com as preposições "por" e "entre". Com "para" eu nunca vi.

Também acho que "optar" pede "por" ou "entre".
farei meu recurso seguindo essa linha.

felipe.brum
Mon, 25/04/11, 08:47 PM
Felipe, pensei como vc!!!!
marquei a letra E. Acho q sujeito explícito faculta a próclise, e o "você" na frase é o sujeito de "adora", sendo assim, tanto faz próclise ou enclise.
não é isso???
segue uma pag. com esse argumaento
http://kplus.cosmo.com.br/materia.asp?co=51&rv=Gramatica
B.Dias,
essa eu não conhecia, mas faz sentido.

Só que realmente existe a regra da conjunção que o pessoal falou. Precisamos de um professor para dizer como podemos resolver esse impasse.

O mais engraçado é que em todos exemplos que encontrei da regra da conjunção, o sujeito estava implícito.

B. Dias
Mon, 25/04/11, 09:06 PM
B.Dias,
essa eu não conhecia, mas faz sentido.

Só que realmente existe a regra da conjunção que o pessoal falou. Precisamos de um professor para dizer como podemos resolver esse impasse.

O mais engraçado é que em todos exemplos que encontrei da regra da conjunção, o sujeito estava implícito.

cara, eu acho q a próclise só é obrigatória quando a conjunção aparece imediatamente antes do pronome. essa semana irei correr atras de algum professor para me tirar essa dúvida.
outra coisa, tb acho q o verbo "optar" pede "por" ou "entre". de uma forma ou de outra, essa questão a gente vai ter q conseguir anular.

faca_na_cadeira
Mon, 25/04/11, 09:07 PM
Cara, como eu queria recorrer dessa, mas veja o enunciado, "assinale a alternativa em que A ALTERAÇÃO tenha sido feita...", o pra mim já estava na frase, não sofreu alteração.

Mas o que invalidaria a opção d?
d.) Nosso amor de que eu não esqueço.

Afinal...quem esquece, esquece DE alguma coisa, não concordam?

Lucas21
Mon, 25/04/11, 09:09 PM
Mas o que invalidaria a opção d?
d.) Nosso amor de que eu não esqueço.

Afinal...quem esquece, esquece DE alguma coisa, não concordam?

Tb acho. E a concordância do verbo "optar" estaria errada, não acham?
Pelo q eu pesquisei, optar só concorda com "por" e "entre" e não com "para". Mandei essa questão para alguns professores para tirar essa dúvida.

igorcivil
Mon, 25/04/11, 09:12 PM
eu também marquei esta, pois não vi erro algum. O que eu sei é que preposição atrai o pronome e o "que" nesta questão tem função de conjunção integrante, se não me engano.

E continuo achando que o verbo "optar" se rege apenas com as preposições "por" e "entre". Com "para" eu nunca vi.

Eu também descartei logo de cara a alternativa que dizia "que você optou para mim". Pensei na hora que o correto seria usar "por".

Mas analisando o texto acho que a FGV não irá anular esta questão. Veja:

"Que eu não mereço a comida que você pagou pra mim"

"Que eu não mereço a comida que você optou para mim".

Creio que esteja correta =/

ISABELCS
Mon, 25/04/11, 09:13 PM
Foi isso o q eu disse. Como TODAS possuem valor adverbial, a questão deve ser anulada.

Assinalei "com valor adverbial" apenas para ressaltar q o enunciado não está se referindo a um advérbio, mas a palavras q não tenham valor adverbial.
Aí está a pegadinha. Por isso o "só" estaria incluso, pois não é advérbio mas é uma palavra "com valor adverbial".

Vamos precisar de um professor para nos ajudar.

faca_na_cadeira
Mon, 25/04/11, 09:14 PM
Cara, como eu queria recorrer dessa, mas veja o enunciado, "assinale a alternativa em que A ALTERAÇÃO tenha sido feita...", o pra mim já estava na frase, não sofreu alteração.

Mas o que invalidaria a opção d?
d.) Nosso amor de que eu não esqueço.

Afinal...quem esquece, esquece DE alguma coisa, não concordam?

igorcivil
Mon, 25/04/11, 09:16 PM
Mas o que invalidaria a opção d?
d.) Nosso amor de que eu não esqueço.

Afinal...quem esquece, esquece DE alguma coisa, não concordam?

Pelo que eu sei a FGV tem o seguinte entendimento quanto aos verbos esquecer e lembrar:

Esquecer e lembrar: verbo transitivo direto

Esquecer-se e Lembrar-se: verbo transitivo indireto

Ou seja:

Lembrar/esquecer isso.
Lembrar-se/Esquecer-se disso.

Lucas21
Mon, 25/04/11, 09:17 PM
Eu também descartei logo de cara a alternativa que dizia "que você optou para mim". Pensei na hora que o correto seria usar "por".

Mas analisando o texto acho que a FGV não irá anular esta questão. Veja:

"Que eu não mereço a comida que você pagou pra mim"

"Que eu não mereço a comida que você optou para mim".

Creio que esteja correta =/

Sim, mas o verbo "pagar" não tem a mesma regência do verbo "optar".

Tom Frota
Mon, 25/04/11, 09:18 PM
Pessoal,

Fiz um recurso para a questão do quadrinho e como vi que a galera está meio sem rumo para embasar o seu próprio recurso,resolvi colocá-lo aqui,pois ao conversar com alguns colegas,acho que este é o melhor raciocínio para a questão.Um grande abraço e boa sorte a todos.

Questão 14-PROVA TIPO 2-VERDE.
A respeito da interpretação do quadrinho, analise as afirmativas a seguir:

I.Associando texto e imagem, é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho.
II.Na fala do homem, o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher.
III.Não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher.

Assinale
(A)
se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas.

(B)
se apenas as afirmativas I e III estiverem corretas.

(C)
se nenhuma afirmativa estiver correta.

(D)
se todas as afirmativas estiverem corretas.

(E)
se apenas as afirmativas I e II estiverem corretas

NO GABARITO PRELIMINAR FOI CONSIDERADO COMO CORRETA A ALTERNATIVA:

A)SE SOMENTE II E III ESTÃO CORRETAS



Excelentíssimos senhores examinadores da Banca de LÍNGUA PORTUGUESA DA FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS;

PEÇO RECURSO DA QUESTÃO ACIMA DESCRITA PELOS MOTIVOS CITADOS ABAIXO:

Para que possamos dar a perfeita interpretação do “quadrinho” e das assertivas acima comentadas, é necessário ressaltar três elementos:

1-O intérprete(leitor) do quadrinho(texto);

2-A mulher da figura(interlocutora-I);

3-O homem da figura(interlocutor-II).

Tais elementos devem ser caracterizados porque em todas as alternativas citadas na questão,o que se quer saber é a interpretação de o que cada elemento da comunicação explicita e/ou o que o intérprete(leitor) consegue inferir do texto,visualizando tais situações.

O fato é que dependendo do item supra citado,devemos focar a nossa atenção a um ou mais elementos da comunicação,ou seja,o emissor e/ou receptor da mensagem em questão e o leitor(intérprete).Vejamos alternativa a alternativa para justificar nosso recurso.

Assertiva II- Na fala do homem, o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher;

TAL ASSERTIVA FOI CONSIDERADA CORRETA PELA DOUTA BANCA E ISTO É UM FATO.AO FOCARMOS A NOSSA INTERPRETAÇÃO NOS ELEMENTOS DO TEXTO(HOMEM E MULHER-EMISSOR E RECEPTOR),PERCEBEMOS A IDÉIA DA PALAVRA “SEDENTÁRIA” (PESSOA SEDENTÁRIA) ,CUJO SIGNIFICADO DO DICIONÁRIO É-“ adj. Que está quase sempre sentado; que não exercita o corpo e o conserva inativo.
Que está quase sempre em sua casa: velho excêntrico e sedentário.
Fixo, preso a um lugar” PODER TER SIDO CONFUNDIDA COM A IDÉIA DE ALGUÉM QUE ESTÁ COM SEDE(SEDENTO-QUE SIGINIFICA,SEGUNDO O DICIONÁRIO- adj. Que tem sede: estar sempre sedento.
O mesmo que sequioso)
E POR ISSO PODEMOS CONSIDERAR ESTA ALTERNATIVA CORRETA.
Da mesma maneira,analisemos a assertiva III:


Assertiva III-Não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher.


TAL AFIRMATIVA FOI TAMBÉM CONSIDERADA PELA BANCA, COMO CORRETA,POIS,TAMBÉM,É FATO QUE FOCALIZANDO A NOSSA INTERPRETAÇÃO NAQUILO QUE O HOMEM RESPONDEU NÃO PODEMOS AFIRMAR COM CERTEZA ABSOLUTA QUE O MESMO ENTENDEU O QUE A MULHER DISSE,POIS SE ENTENDEU,RESPONDEU IRONICAMENTE E SE NÃO ENTENDEU RESPONDEU ACREDITANDO QUE A PALAVRA ‘SEDENTÁRIO” TEM COMO SIGNIFICADO,OU SEJA, É SINÔNIMA DE SEDENTO,O QUE PELA NORMA CULTA,COMO SABEMOS,NÃO SIGNIFICAM A MESMA COISA E POR ISSO NÃO PODEMOS AFIRMAR SE ELE ENTENDEU OU NÃO O QUE A MULHER QUERIA DIZER.

ASSIM SENDO,É CERTO AFIRMAR QUE TAL ALTERNATIVA ESTÁ CORRETA.

PORÉM,SENHORES,ANALISEMOS COM CARINHO A ASSERTIVA I;

Assertiva I- Associando texto e imagem, é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho.

Senhores,percebamos que o foco da assertiva está na idéia geral do texto.O foco da assertiva não está no homem(que não podemos afirmar se entendeu ou não a citação da mulher) e nem tampouco somente no que a mulher explicita.A IDÉIA DA ASSERTIVA CONSIDERA O QUE O “QUADRINHO” PASSA DE INFORMAÇÃO AO LEITOR,AO INTÉRPRETE.EM HIPÓTESE ALGUMA, PODEMOS AFIRMAR QUE ESTE TEXTO TEM TEOR INFORMATIVO,TRÁGICO,NEM TAMPOUCO DECLARATIVO,POIS A IDÉIA QUE É PASSADA A QUALQUER LEITOR É QUE O CONTEXTO É IRÔNICO.

Inclusive,a assertiva II nos demonstra o HUMOR característico da situação em questão.

Não podemos afirmar que o homem foi irônico ou não,mas sim,podemos afirmar que o contexto nos passa uma idéia de ironia,que é o que a assertiva I retrata!

E como consequência, é somente com base no entendimento irônico do texto que nós,leitores,podemos inferir a idéia EM QUESTÃO,o que não quer dizer que o homem(interlocutor da estória) assim o entenda.Uma coisa é AFIRMAR ALGO SOBRE O HOMEM E DIZER SE ELE FOI IRÔNICO OU NÃO(O QUE JÁ FOI COMPROVADO QUE NÃO É POSSÍVEL RATIFICAR);OUTRA COISA É DIZER QUAL O TEOR DO TEXTO E QUAL “A CHAVE DO SEU ENTENDIMENTO”-ASSIM SENDO,REITERO QUE NO ENTENDIMENTO DO TEXTO HÁ,SIM,A NECESSIDADE DE HAVER O O USO DA IRONIA PARA O SEU ENTENDIMENTO,NÃO PARA O HOMEM,NÃO PARA A MULHER,MAS PARA O LEITOR.
ALÉM DISSO,A DEFINIÇÃO DE IRONIA É A SEGUINTE: “A IRONIA de situação é a disparidade existente entre a intenção e o resultado,quando o resultado de uma ação é contrário ao desejo ou efeito esperado. A IRONIA é um instrumento de Literatura ou de retórica que consiste em dizer o contrário daquilo que se pensa, deixando entender uma distância intencional entre aquilo que dizemos e aquilo que realmente pensamos. Na Literatura, a ironia é a arte de gozar com alguém ou de alguma coisa, com vista a obter uma reação do leitor, ouvinte ou interlocutor.” (grifos nossos) -FONTE:WIKIPEDIA.

E No caso desta assertiva I,podemos afirmar que se está inferindo o leitor,a reação do leitor.É DELE QUE SE QUER INFERIR,”ASSOCIANDO TEXTO E IMAGEM,SE É CORRETO AFIRMAR QUE O USO DA IRONIA É CHAVE PARA O ENTENDIMENTO DO QUADRINHO”.E DIANTE DO QUE PUDEMOS OBSERVAR,SIM...PODEMOS!!!


E COMO É ESTA A AFIRMAÇÃO DO ITEM I DA QUESTÃO,PEÇO CONSIDERAR TAL ITEM TAMBÉM CORRETO E MODIFICAR O GABARITO DA QUESTÃO PARA A ALTERNATIVA:

(D) SE TODAS ESTIVEREM CORRETAS.

ISABELCS
Mon, 25/04/11, 09:18 PM
Eu também descartei logo de cara a alternativa que dizia "que você optou para mim". Pensei na hora que o correto seria usar "por".

Mas analisando o texto acho que a FGV não irá anular esta questão. Veja:

"Que eu não mereço a comida que você pagou pra mim"

"Que eu não mereço a comida que você optou para mim".

Creio que esteja correta =/

Olhando para essa questão, mas pensando em outra. Podemos ver claramente que o examinador, ao passar o verso para norma culta, trocou o "pra" pelo para. É o que deveria ter acontecido na questão "Que Vossa Excelência pagou pra mim".

novata-rj
Mon, 25/04/11, 09:23 PM
Vcs saberiam informar se a FGV disponibiliza modelo próprio para recurso?
Devemos enviar nossos recursos para qual endereço?

Lucas21
Mon, 25/04/11, 09:23 PM
Olhando para essa questão, mas pensando em outra. Podemos ver claramente que o examinador, ao passar o verso para norma culta, trocou o "pra" pelo para. É o que deveria ter acontecido na questão "Que Vossa Excelência pagou pra mim".

Opa, é verdade! Na 18 (da prova verde) ele considerou "para" como forma culta e, na 17, "pra" como forma culta. A gente pode usar isso pra tentar a anulação da 17...

Lucas21
Mon, 25/04/11, 09:26 PM
Vcs saberiam informar se a FGV disponibiliza modelo próprio para recurso?
Devemos enviar nossos recursos para qual endereço?

Creio q eles irão disponibilizar um link na própria página para o envio dos recursos a partir de amanhã...

Fanática
Mon, 25/04/11, 09:26 PM
pergunta que não quer calar...
KD OS PROFESSORES???
será que estão tranquilos em relação ao prazo de apresentação dos recursos?
estou precisando de apenas 1 questão e assumo que não tenho a menor condição de fazer um recurso super embasado, a ponto da FGV acatar...

novata-rj
Mon, 25/04/11, 09:29 PM
Creio q eles irão disponibilizar um link na própria página para o envio dos recursos a partir de amanhã...

Ok! Vamos aguardar.

B. Dias
Mon, 25/04/11, 09:29 PM
Mas o que invalidaria a opção d?
d.) Nosso amor de que eu não esqueço.

Afinal...quem esquece, esquece DE alguma coisa, não concordam?


acho que nessa questão temos q focar no verbo "optar".
esquecer = VTD (esqueci isto)
esquecer-se = VTI (esquci-me disto).

Gladiador 2009
Mon, 25/04/11, 09:58 PM
Aí pessoal, pra quem está na luta por pontos em portuga...

O Rodrigo, autor do quadrinho, respondeu:

I. Associando texto e imagem, é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho.

"I. O homem não está agindo com ironia, ele acredita saber oq é ser sedentário, mas está errado."

II. Na fala do homem, o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher.

"II. Neste caso, somente será trocadilho de acordo com a interpretação do leitor. O quadrinho foi feito para passar a idéia do tamanho da ignorância do homem. Por isso o rosto dele não esboça nenhuma reação."

III. Não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher.

"III. Os elementos textuais indicam que o homem não entendeu a mensagem da mulher, ele imagina que sedentário tenha haver com sede."

fonte: http://www.flickr.com/photos/rodrigozoom/3670630298/in/photostream/

carlosfutida
Mon, 25/04/11, 09:59 PM
Galera, uma outra possibilidade de recurso para a questão 18, prova Azul :

Tirando o foco do para X pra

Tanto as letras A e B podem ser consideradas corretas, na minha opinião.

Na alternativa B, não vejo erro algum:

Nosso amor que eu não esqueço.
Nosso amor de que eu não esqueço.

Pelo menos na ESAF, aceita-se a regência do verbo intransitivo com ou sem o artigo.
Explico melhor: quem se esquece, se esquece de alguma coisa, ou de+a (da), ou de+o (do)

Logo, estariam corretos:
Nosso amor de que eu não esqueço.
Nosso amor do qual eu não esqueço.

Acho que por essa ótica temos mais chances de ganhar pontos.

Valeu !

cartapreta
Mon, 25/04/11, 10:03 PM
Colega Tom Frota,

Primeiramente muito obrigado pela disponibilidade em nos ajudar com os recursos. Estou precisando de 1 em português e muito aflito. Peço apenas que estimulemos os colegas a pedir ANULAÇÃO de questão, pois mudança de gabarito pode não ajudar a todos. Mas muito obrigado mesmo assim.

Abraço,

Fanática
Mon, 25/04/11, 10:07 PM
Questão 13 - prova verde - sexto parágrafo
eu marquei o quinto, pois entendi que ele explicava o termo estrangeiro citado no quinto.
a questão pede aproximação quanto a tipologia e função discursiva.
tipologia, concordo que seja com o oitavo, pois como este tb é descritivo.
porém quanto a função discursiva, discordo, acho que o sexto tem funçõ explicativa.
coletei esse texto na net, alguém quer me ajudar a fazer o recurso????


Quando analisamos um texto, devemos considerar dois níveis de critérios.
O nível de critérios internos ao texto – atinentes à sua forma-conteúdo, implicados no saber-fazer textual, na técnica de textualização. Segundo estes critérios é possível apurar um feixe de características formais (umas mais centrais, outras mais periféricas) conducentes a abstrações, que são os tipos de texto ou tipos de seqüências textuais.
Neste nível, temos:
– um tipo de sequência narrativa: com uma sucessão temporal-causal de acontecimentos, uma estrutura triádia preparação-culminação-resultado; com uma unidade temática e com uma moralidade;
– um tipo de sequência argumentativa: constituído pelo par argumento-conclusão, através do qual o locutor apresenta razões ou provas de modo a que o interlocutor aceite aquilo que ele defende, assente numa base pressuposicional comum;
– um tipo de sequência descritiva, com os processos básicos de designação, enumeração e qualificação;
– um tipo de sequência dialogal, ou seja, uma sequência poligerida com fórmulas de abertura, corpo e fórmulas de fechamento;
– um tipo de texto injuntivo ou instrucional, com um alinhamento não consecutivo de ações não radicadas temporalmente.

O nível de critérios exteriores ao texto – respeitantes à situação de comunicação em que tem lugar uma produção discursiva real e à sua função comunicativa.

Para a produção de um discurso, o locutor combina um (ou mais) tipo(s) de sequência textual com uma função discursiva. Assim se entende que:
– seja possível narrar um episódio (tipo) para descrever uma situação social (função);
– uma instrução (função) se execute através da descrição de objetos e da descrição de ações (tipo);
– a função argumentativa possa assumir o tipo/forma de texto narrativo ou descritivo, sempre que o locutor tenta agir sobre o outro, modificar as suas representações ou orientar a sua reflexão sobre um dado problema.
Compare-se:
a) Boticário: perfume que vem das flores.
b) UDACA: vinho que vem das uvas.c) «Bazar»: palavra que vem do persa.
Em a) temos uma sequência descritiva com função argumentativa; esta função resulta de se contrariar uma base pressuposicional forte – a de que os perfumes são feitos, para além da destilação de flores, de substâncias sintéticas, álcool, fixador, etc; desta maneira é focada a pureza do perfume que conduzirá à conclusão: «comprar o produto é bom para si».
Em b) temos também um texto descritivo, mas a função argumentativa não funciona, porque, à partida, não há a pressuposição de que o vinho pode ser feito de algo que não seja de uvas.
Em c) temos um texto descritivo num discurso com função descritiva.

O exemplo a) – Boticário: o perfume que vem das flores – não é uma sequência injuntiva/instrucional, dado que não tem características formais típicas dessa sequência (os imperativos, os circunstanciais de fim, a enumeração de procedimentos não estão lá) e também não tem função discursiva injuntiva ou instrucional dado que lhe falta o caráter impositivo/obrigatório afeto aos procedimentos visados (neste caso, a compra do produto).

nobregafm
Mon, 25/04/11, 10:09 PM
Pessoal,

Fiz um recurso para a questão do quadrinho e como vi que a galera está meio sem rumo para embasar o seu próprio recurso,resolvi colocá-lo aqui,pois ao conversar com alguns colegas,acho que este é o melhor raciocínio para a questão.Um grande abraço e boa sorte a todos.

Questão 14-PROVA TIPO 2-VERDE.
A respeito da interpretação do quadrinho, analise as afirmativas a seguir:

I.Associando texto e imagem, é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho.
II.Na fala do homem, o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher.
III.Não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher.

Assinale
(A)
se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas.

(B)
se apenas as afirmativas I e III estiverem corretas.

(C)
se nenhuma afirmativa estiver correta.

(D)
se todas as afirmativas estiverem corretas.

(E)
se apenas as afirmativas I e II estiverem corretas

NO GABARITO PRELIMINAR FOI CONSIDERADO COMO CORRETA A ALTERNATIVA:

A)SE SOMENTE II E III ESTÃO CORRETAS



Excelentíssimos senhores examinadores da Banca de LÍNGUA PORTUGUESA DA FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS;

PEÇO RECURSO DA QUESTÃO ACIMA DESCRITA PELOS MOTIVOS CITADOS ABAIXO:

Para que possamos dar a perfeita interpretação do “quadrinho” e das assertivas acima comentadas, é necessário ressaltar três elementos:

1-O intérprete(leitor) do quadrinho(texto);

2-A mulher da figura(interlocutora-I);

3-O homem da figura(interlocutor-II).

Tais elementos devem ser caracterizados porque em todas as alternativas citadas na questão,o que se quer saber é a interpretação de o que cada elemento da comunicação explicita e/ou o que o intérprete(leitor) consegue inferir do texto,visualizando tais situações.

O fato é que dependendo do item supra citado,devemos focar a nossa atenção a um ou mais elementos da comunicação,ou seja,o emissor e/ou receptor da mensagem em questão e o leitor(intérprete).Vejamos alternativa a alternativa para justificar nosso recurso.

Assertiva II- Na fala do homem, o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher;

TAL ASSERTIVA FOI CONSIDERADA CORRETA PELA DOUTA BANCA E ISTO É UM FATO.AO FOCARMOS A NOSSA INTERPRETAÇÃO NOS ELEMENTOS DO TEXTO(HOMEM E MULHER-EMISSOR E RECEPTOR),PERCEBEMOS A IDÉIA DA PALAVRA “SEDENTÁRIA” (PESSOA SEDENTÁRIA) ,CUJO SIGNIFICADO DO DICIONÁRIO É-“ adj. Que está quase sempre sentado; que não exercita o corpo e o conserva inativo.
Que está quase sempre em sua casa: velho excêntrico e sedentário.
Fixo, preso a um lugar” PODER TER SIDO CONFUNDIDA COM A IDÉIA DE ALGUÉM QUE ESTÁ COM SEDE(SEDENTO-QUE SIGINIFICA,SEGUNDO O DICIONÁRIO- adj. Que tem sede: estar sempre sedento.
O mesmo que sequioso)
E POR ISSO PODEMOS CONSIDERAR ESTA ALTERNATIVA CORRETA.
Da mesma maneira,analisemos a assertiva III:


Assertiva III-Não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher.


TAL AFIRMATIVA FOI TAMBÉM CONSIDERADA PELA BANCA, COMO CORRETA,POIS,TAMBÉM,É FATO QUE FOCALIZANDO A NOSSA INTERPRETAÇÃO NAQUILO QUE O HOMEM RESPONDEU NÃO PODEMOS AFIRMAR COM CERTEZA ABSOLUTA QUE O MESMO ENTENDEU O QUE A MULHER DISSE,POIS SE ENTENDEU,RESPONDEU IRONICAMENTE E SE NÃO ENTENDEU RESPONDEU ACREDITANDO QUE A PALAVRA ‘SEDENTÁRIO” TEM COMO SIGNIFICADO,OU SEJA, É SINÔNIMA DE SEDENTO,O QUE PELA NORMA CULTA,COMO SABEMOS,NÃO SIGNIFICAM A MESMA COISA E POR ISSO NÃO PODEMOS AFIRMAR SE ELE ENTENDEU OU NÃO O QUE A MULHER QUERIA DIZER.

ASSIM SENDO,É CERTO AFIRMAR QUE TAL ALTERNATIVA ESTÁ CORRETA.

PORÉM,SENHORES,ANALISEMOS COM CARINHO A ASSERTIVA I;

Assertiva I- Associando texto e imagem, é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho.

Senhores,percebamos que o foco da assertiva está na idéia geral do texto.O foco da assertiva não está no homem(que não podemos afirmar se entendeu ou não a citação da mulher) e nem tampouco somente no que a mulher explicita.A IDÉIA DA ASSERTIVA CONSIDERA O QUE O “QUADRINHO” PASSA DE INFORMAÇÃO AO LEITOR,AO INTÉRPRETE.EM HIPÓTESE ALGUMA, PODEMOS AFIRMAR QUE ESTE TEXTO TEM TEOR INFORMATIVO,TRÁGICO,NEM TAMPOUCO DECLARATIVO,POIS A IDÉIA QUE É PASSADA A QUALQUER LEITOR É QUE O CONTEXTO É IRÔNICO.

Inclusive,a assertiva II nos demonstra o HUMOR característico da situação em questão.

Não podemos afirmar que o homem foi irônico ou não,mas sim,podemos afirmar que o contexto nos passa uma idéia de ironia,que é o que a assertiva I retrata!

E como consequência, é somente com base no entendimento irônico do texto que nós,leitores,podemos inferir a idéia EM QUESTÃO,o que não quer dizer que o homem(interlocutor da estória) assim o entenda.Uma coisa é AFIRMAR ALGO SOBRE O HOMEM E DIZER SE ELE FOI IRÔNICO OU NÃO(O QUE JÁ FOI COMPROVADO QUE NÃO É POSSÍVEL RATIFICAR);OUTRA COISA É DIZER QUAL O TEOR DO TEXTO E QUAL “A CHAVE DO SEU ENTENDIMENTO”-ASSIM SENDO,REITERO QUE NO ENTENDIMENTO DO TEXTO HÁ,SIM,A NECESSIDADE DE HAVER O O USO DA IRONIA PARA O SEU ENTENDIMENTO,NÃO PARA O HOMEM,NÃO PARA A MULHER,MAS PARA O LEITOR.
ALÉM DISSO,A DEFINIÇÃO DE IRONIA É A SEGUINTE: “A IRONIA de situação é a disparidade existente entre a intenção e o resultado,quando o resultado de uma ação é contrário ao desejo ou efeito esperado. A IRONIA é um instrumento de Literatura ou de retórica que consiste em dizer o contrário daquilo que se pensa, deixando entender uma distância intencional entre aquilo que dizemos e aquilo que realmente pensamos. Na Literatura, a ironia é a arte de gozar com alguém ou de alguma coisa, com vista a obter uma reação do leitor, ouvinte ou interlocutor.” (grifos nossos) -FONTE:WIKIPEDIA.

E No caso desta assertiva I,podemos afirmar que se está inferindo o leitor,a reação do leitor.É DELE QUE SE QUER INFERIR,”ASSOCIANDO TEXTO E IMAGEM,SE É CORRETO AFIRMAR QUE O USO DA IRONIA É CHAVE PARA O ENTENDIMENTO DO QUADRINHO”.E DIANTE DO QUE PUDEMOS OBSERVAR,SIM...PODEMOS!!!


E COMO É ESTA A AFIRMAÇÃO DO ITEM I DA QUESTÃO,PEÇO CONSIDERAR TAL ITEM TAMBÉM CORRETO E MODIFICAR O GABARITO DA QUESTÃO PARA A ALTERNATIVA:

(D) SE TODAS ESTIVEREM CORRETAS.

Muito bem fundamentado, tb marquei que eram as tres corretas, só nao estava conseguindo expressar quando acabar de escrever...cheguei agora em casa.

cartapreta
Mon, 25/04/11, 10:13 PM
Aí pessoal, pra quem está na luta por pontos em portuga...

O Rodrigo, autor do quadrinho, respondeu:

I. Associando texto e imagem, é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho.

"I. O homem não está agindo com ironia, ele acredita saber oq é ser sedentário, mas está errado."

II. Na fala do homem, o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher.

"II. Neste caso, somente será trocadilho de acordo com a interpretação do leitor. O quadrinho foi feito para passar a idéia do tamanho da ignorância do homem. Por isso o rosto dele não esboça nenhuma reação."

III. Não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher.

"III. Os elementos textuais indicam que o homem não entendeu a mensagem da mulher, ele imagina que sedentário tenha haver com sede."

fonte: http://www.flickr.com/photos/rodrigozoom/3670630298/in/photostream/

Caraca, a galera achou o autor do quadrinho...rs. Será que a opinião dele pode ser considerada pela FGV? Só falta a FGV discordar do próprio autor do quadrinho!!!

ISABELCS
Mon, 25/04/11, 10:14 PM
Opa, é verdade! Na 18 (da prova verde) ele considerou "para" como forma culta e, na 17, "pra" como forma culta. A gente pode usar isso pra tentar a anulação da 17...

Por coincidência o verso utilizado é o mesmo, "Que você pagou pra mim", foi alterado para "Por que você optou para mim". Sendo assim, "Que você pagou pra mim" deveria ser alterado para "Que Vossa Excelência pagou para mim".

Tenho esperanças nessa e naquela do valor adverbial.

Bazinga
Mon, 25/04/11, 10:20 PM
Aí pessoal, pra quem está na luta por pontos em portuga...

O Rodrigo, autor do quadrinho, respondeu:

I. Associando texto e imagem, é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho.

"I. O homem não está agindo com ironia, ele acredita saber oq é ser sedentário, mas está errado."

II. Na fala do homem, o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher.

"II. Neste caso, somente será trocadilho de acordo com a interpretação do leitor. O quadrinho foi feito para passar a idéia do tamanho da ignorância do homem. Por isso o rosto dele não esboça nenhuma reação."

III. Não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher.

"III. Os elementos textuais indicam que o homem não entendeu a mensagem da mulher, ele imagina que sedentário tenha haver com sede."

fonte: http://www.flickr.com/photos/rodrigozoom/3670630298/in/photostream/

Pelo que entendi então somente a resposta III está correta. Afinal não é certo dizer que o "humor reside no trocadilho" sendo que o autor só quis mostrar a ignorância do homem. Ou seja, o quadrinho baseia-se mais numa crítica que no humor certo? Alguém preparou um recurso já?!

ISABELCS
Mon, 25/04/11, 10:20 PM
Caraca, a galera achou o autor do quadrinho...rs. Será que a opinião dele pode ser considerada pela FGV? Só falta a FGV discordar do próprio autor do quadrinho!!!

Isso vai nos ajudar....

Kikaac
Mon, 25/04/11, 10:32 PM
Galera, uma luz no fim do túnel. Acabei de ligar para o professor FERNANDO FIGUEIREDO, ele ficou de ver a prova e pediu que eu entrasse em contato com ele até meio dia.


VAMOS BRIGAR!

Fabricio,

teve alguma resposta do prof. sobre os recursos de português??

vlw

Konkurso
Mon, 25/04/11, 10:42 PM
Cuidado com recursos baseado na opinião do autor. A idéia de buscar a opinião dele é ótima, mas temos que interpreta-la corretamente.

Para mim ele afirmou que a assertiva I (ironia) e a III (entendeu ou não) estão erradas. A II (trocadilho) pode estar certa.

Percebam que se invalidarmos as três altera o gabarito para "as três assertivas estão incorretas" que, tenho certeza, irá ajudar a muito pouca gente...

Nacorreria
Mon, 25/04/11, 10:42 PM
Galera, a academia brasileira de letras possui um recurso no site que tira dúvidas sobre português, penso que possivelmente pode ser um bom embasamento pro recurso a manifestação da ABL.

Lucas21
Mon, 25/04/11, 10:52 PM
Pelo que entendi então somente a resposta III está correta. Afinal não é certo dizer que o "humor reside no trocadilho" sendo que o autor só quis mostrar a ignorância do homem. Ou seja, o quadrinho baseia-se mais numa crítica que no humor certo? Alguém preparou um recurso já?!

Pelo q o autor respondeu, apenas a II teria possibilidade de estar correta.
Segundo o autor:

I - o homem não está sendo irônico

II - poderá ser trocadilho de acordo com a interpretação do leitor

III - "Os elementos textuais indicam que o homem NÃO ENTENDEU a mensagem da mulher"

Ou seja, apenas a II estaria correta. Como não há essa alternativa, a questão deve ser anulada.

Lucas21
Mon, 25/04/11, 10:54 PM
Pelo q o autor respondeu, apenas a II teria possibilidade de estar correta.
Segundo o autor:

I - o homem não está sendo irônico

II - poderá ser trocadilho de acordo com a interpretação do leitor

III - "Os elementos textuais indicam que o homem NÃO ENTENDEU a mensagem da mulher"

Ou seja, apenas a II estaria correta. Como não há essa alternativa, a questão deve ser anulada.

Triste é o examinador pedir a nossa interpretação se nem mesmo ELE acerta. Ou o examinador entende mais da charge do q o próprio autor?

cartapreta
Mon, 25/04/11, 11:03 PM
Triste é o examinador pedir a nossa interpretação se nem mesmo ELE acerta. Ou o examinador entende mais da charge do q o próprio autor?

rsrsrs...Tem que rir pra, quer dizer, para não chorar!

Lucas21
Mon, 25/04/11, 11:08 PM
Já q a gente está indo nessa linha:
alguém aí teria a moral de mandar um e-mail pro Noel Rosa? :D

felipe.brum
Mon, 25/04/11, 11:08 PM
Aí pessoal, pra quem está na luta por pontos em portuga...

O Rodrigo, autor do quadrinho, respondeu:

I. Associando texto e imagem, é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho.

"I. O homem não está agindo com ironia, ele acredita saber oq é ser sedentário, mas está errado."

II. Na fala do homem, o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher.

"II. Neste caso, somente será trocadilho de acordo com a interpretação do leitor. O quadrinho foi feito para passar a idéia do tamanho da ignorância do homem. Por isso o rosto dele não esboça nenhuma reação."

III. Não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher.

"III. Os elementos textuais indicam que o homem não entendeu a mensagem da mulher, ele imagina que sedentário tenha haver com sede."

fonte: http://www.flickr.com/photos/rodrigozoom/3670630298/in/photostream/
Acredito que nessa devemos argumentar que o quadrinho pode ter dupla interpretação. Sendo assim caso para anulação.
O que o Rodrigo, autor do quadrinho, disse, não serve como embasamento no recurso.

Perondi
Mon, 25/04/11, 11:08 PM
Para quem quiser tentar....

Segundo minha professora.

Questão 11 Prova Branca.

Insuflados (in tem valor de para dentro)

A) Influxos (in tem valor de para dentro)
E) Inferir (in tem valor de para dentro)

2 Respostas certas......

felipe.brum
Mon, 25/04/11, 11:11 PM
Pelo q o autor respondeu, apenas a II teria possibilidade de estar correta.
Segundo o autor:

I - o homem não está sendo irônico

II - poderá ser trocadilho de acordo com a interpretação do leitor

III - "Os elementos textuais indicam que o homem NÃO ENTENDEU a mensagem da mulher"

Ou seja, apenas a II estaria correta. Como não há essa alternativa, a questão deve ser anulada.
Exato. Já que não temos como provar para a banca que o próprio autor disse isso, temos que mostrar que existe a possibilidade de dupla interpretação.
Vamos fazer um recurso bem objetivo, acho que a banca nem olha quando recebe um recurso de 20 linhas para uma questão.

Fanática
Mon, 25/04/11, 11:12 PM
desesperados, acabei de formular um recurso para a questão 13, prova verde, "é correto afirmar que o sexto ..." nele fundamento com uma dezena de autores e peço a a anulação da questão.
ficou gigante... 4 folhas.
ques estiver interessado, me passe uma MP que eu encaminho o recurso.
abçs

Bazinga
Mon, 25/04/11, 11:13 PM
Exato. Já que não temos como provar para a banca que o próprio autor disse isso, temos que mostrar que existe a possibilidade de dupla interpretação.
Vamos fazer um recurso bem objetivo, acho que a banca nem olha quando recebe um recurso de 20 linhas para uma questão.

Eu acho que devemos sim mencionar o que o próprio autor do quadrinho disse e deixar o link como prova não pode ser?!

felipe.brum
Mon, 25/04/11, 11:20 PM
Eu acho que devemos sim mencionar o que o próprio autor do quadrinho disse e deixar o link como prova não pode ser?!
Opa. Não tinha visto que o autor tinha respondido no próprio site. Ele me respondeu por email.

Lucas21
Mon, 25/04/11, 11:26 PM
Acho q eu vou me suicidar.
Vou ficar ouvindo Skank o dia inteiro. Com um pouco de sorte, terei um derrame... :smt009

felipe.brum
Mon, 25/04/11, 11:27 PM
Acho q eu vou me suicidar.
Vou ficar ouvindo Skank o dia inteiro. Com um pouco de sorte, terei um derrame... :smt009
Tente Axé. Vai conseguir os resultados mais rapidamente.

Nacorreria
Mon, 25/04/11, 11:29 PM
Já q a gente está indo nessa linha:
alguém aí teria a moral de mandar um e-mail pro Noel Rosa? :D

hahahah

Caraca, neguinho tá demais mesmo. Entrar em contato com o autor do quadrinho foi fantástico, eu acho que alguém deve pegar a manifestação dos familiares vivos de Noel e anexar no recurso tb. rs

Galera fiz um recurso (ainda faltam 3), segue abaixo para comentários:


Recurso

Português
Questão 16 – Prova Branca

Dispõe o seguinte o enunciado da referida questão:

“Assinale a alternativa em que a alteração da fala do homem do quadrinho não tenha sido feita com adequação à norma culta. Não leve em conta possível alteração de sentido.”

A resposta apresentada por essa Fundação foi a de letra “E” (“Quando vós voltardes, não trazeis um copo de água bem gelada para mim!”).

Não obstante, dispõe o seguinte a alternativa “A” : “Quando tu voltares, traz um copo de água bem gelada para mim!”.

Conforme dispõe na Nova Gramática do Português Contemporâneo (Cunha e Cintra, 2008, 5ª edição, página 449) a conjugação correta do verbo trazer no modo Imperativo afirmativo é TRAZE.

Desse modo, para estar adequada à norma culta, a aludida alternativa “A” deveria ser “Quando tu voltares, TRAZE um copo de água bem gelada para mim”.

Cabe ressaltar que, embora alguns autores admitam como correta a substituição do TRAZE pelo TRAZ no caso em questão, em função do uso corrente da expressão, não se pode confundir o que não se considera incorreto com adequação à norma culta.

Ainda que se admita o uso do traz em situações como esta, não se pode admitir que este uso ocorre com adequação à norma culta, o que foi requerido na questão.

Considerando as variações diastráticas da língua portuguesa (nível culto, língua padrão, linguagem popular,...), ainda que seja reconhecido que o TRAZ se insere corretamente na linguagem popular e até mesmo na linguagem padrão, não há que se falar que a expressão representa o nível culto da língua.

Até porque a norma culta possui valor normativo, do qual, segundo Cunha e Cintra, (2009, 5ª ed.), “decorre a sua função coercitiva sobre as outras variedades, com o que se torna uma ponderável força contrária à variação”, que absolutamente não pode ser alterada em razão da admissibilidade de determinados autores, sem que haja uniformidade de posições entre as autoridades da área, conforme, inclusive, demonstra a obra acima referida.

Desse modo, nota-se que na questão de que se trata há duas alternativas possíveis, sendo uma a fornecida por essa Fundação e a outra a alternativa “A” mencionada, pelas razões acima expostas, razão pela qual deve ser anulada.

Lucas21
Mon, 25/04/11, 11:37 PM
Opa, o prof Myrson Lima me respondeu. Na questão 18 (da prova verde) a resposta correta seria "nosso amor de que eu não esqueço", foi a q eu marquei...

cartapreta
Mon, 25/04/11, 11:41 PM
Opa, o prof Myrson Lima me respondeu. Na questão 18 (da prova verde) a resposta correta seria "nosso amor de que eu não esqueço", foi a q eu marquei...

Como começa o enunciado da questão?

Dani rj
Mon, 25/04/11, 11:44 PM
Opa, o prof Myrson Lima me respondeu. Na questão 18 (da prova verde) a resposta correta seria "nosso amor de que eu não esqueço", foi a q eu marquei...

Ele ajudou com argumentos/embasamentos para usar no recurso?

Fanática
Mon, 25/04/11, 11:45 PM
elaq vai fazer recurso?
posta aí, que essa 18 eu tb errei...

Lucas21
Mon, 25/04/11, 11:56 PM
Ele ajudou com argumentos/embasamentos para usar no recurso?

Ele não postou argumentos, mas eu mandei a questão ainda para mais dois professores de português.

Ele me respondeu isso:

Lucas,
Correta é a opção
Nosso amor de que não esqueço.
Cordialmente,
Myrson

Vou mandar outro de volta para ele para ver se não é por causa da regência do verbo "optar" na C.

Essa é a questão "Assinale a alternativa em que a alteração do verso da canção tenha sido feito com adequação à norma culta. Não leve em conta possível alteração de sentido".

LEONARDO2009
Tue, 26/04/11, 12:02 AM
Senhores,

vamos focar nas anulações das questões. Quando encontrarmos um outro item correto/errado, bater nessa tecla como se houvesse duas corretas/erradas, solicitando a anulação.

Se ficarmos querendo trocar gabaritos, ganha-se de um lado com o seu recurso e perde-se o que ganhou com recurso de outro e no final continuamos na mesma, ou seja, sem os pontos adicionais necessários.

Ao invés disso, sem questionar o gabarito da banca e mostrar que há outra opção que satisfaz a resposta, temos chance de anular a questão e todos sairão ganhando.

Como começa o enunciado da questão?

Nacorreria
Tue, 26/04/11, 12:13 AM
Recurso 2


Questão 11 – Prova Branca

Enunciado: “Assinale a alternativa em que o elemento in- tenha valor idêntico ao de insuflados.”

A resposta fornecida por essa instituição foi a que contém a palavra influxo.

A respeito, segundo o Dicionário Micchaelis é a seguinte a definição de SUFLAR: su.flar
(lat sufflare) O mesmo que insuflar.

Da definição acima, depreende-se que o prefixo in em insuflar não empresta o siginificado “para dentro”, visto que suflar e insuflar têm o mesmo significado.

Agora vejamos o significado de influxo: in.flu.xo
(cs) sm (lat influxu) 1 Ato ou efeito de influir. 2 Afluência, grande cópia. 3 Preamar.

Tendo influir o seguinte siginificado: in.flu.ir
(lat influere) vtd 1 Fazer correr, fluir para dentro ou para qualquer outra parte. (grifei).

Da interpretação sistemática do significado da palavra influxo com o significado da palavra influir, nota-se claramente que o elemento in da palavra influxo empresta significado de “para dentro”, ao contrário do que empresta à palavra insuflar, da qual deriva a palavra insuflados requerida na questão.

Sendo assim, verifica-se que a resposta fornecida por essa instituição não atende ao enunciado da questão, razão pela qual deve ser anulada.

FENIX2012
Tue, 26/04/11, 12:37 AM
Comentários para recurso professor Myrson (EVP):

Disciplina,

analisei a seu pedido a prova, excluindo os itens de interpretação.

Vi erro no gabarito no item 17, que não tem resposta, pois na letra E existe erro no emprego da preposição com o

verbo optar. Tal verbo não pede a preposição para e sim a preposição por ou entre.

Para fundamentar seu discurso, consulte o Dicionário Prático de Regência Verbal, de Celso Pedro Luft, da editora Ática, p. 385

Cordialmente,
Myrson Lima

Bazinga
Tue, 26/04/11, 12:48 AM
Gente recurso pronto para a seguinte questão.

“QUE VOCÊ PAGOU PRA MIM”

ASSINALE A ALTERNATIVA EM QUE A ALTERAÇÃO DO VERSO ACIMA TENHA SIDO FEITA DE ACORDO COM A NORMA CULTA. NÃO LEVE EM CONTA POSSÍVEL ALTERAÇÃO DE SENTIDO.

A) QUE VOSSA EXCELÊNCIA PAGOU PRA MIM.
B) QUE VOSSA EXCELÊNCIA PAGASTES PRA MIM.
C) QUE TU PAGÁREIS PRA MIM.
D) QUE VÓS PAGASTE PRA MIM.
E) QUE TU PAGSTES PRA MIM.

Com a devida vênia, a questão número 17 (prova 1, tipo 4) deve ser anulada.
Na questão, o examinador deslocou a frase “Que você pagou pra mim” de seu contexto (o poema) e solicitou a sua transposição para a norma culta, dando a entender que toda a estrutura gramatical da frase mencionada, e não apenas o verbo e o pronome, devessem ser levados para a norma culta.

No entanto, dentre as alternativas propostas nenhuma atende aos quesitos da norma culta, sendo forçoso reconhecer a necessidade de anulação da questão.

Isso porque todas as alternativas continham o termo “pra”, uma junção reduzida de preposição seguida de artigos ou pronomes, que apesar de ser utilizado para representar a pronúncia popular e, por vezes, ser encontrado em textos especiais (como é o caso do poema em questão, e-mails ou cartas pessoais), não é admitido na linguagem culta.

É oportuno acrescentar que a questão 18 desta prova corrobora o argumento proferido neste recurso, pois exigiu-se a transposição para a norma culta e a alternativa considerada correta foi justamente a que substituiu o “pra mim” por “para mim”: “Que você pagou pra mim”/“Que você optou para mim”.

felipe.brum
Tue, 26/04/11, 12:59 AM
Gente recurso pronto para a seguinte questão.

“QUE VOCÊ PAGOU PRA MIM”

ASSINALE A ALTERNATIVA EM QUE A ALTERAÇÃO DO VERSO ACIMA TENHA SIDO FEITA DE ACORDO COM A NORMA CULTA. NÃO LEVE EM CONTA POSSÍVEL ALTERAÇÃO DE SENTIDO.

A) QUE VOSSA EXCELÊNCIA PAGOU PRA MIM.
B) QUE VOSSA EXCELÊNCIA PAGASTES PRA MIM.
C) QUE TU PAGÁREIS PRA MIM.
D) QUE VÓS PAGASTE PRA MIM.
E) QUE TU PAGSTES PRA MIM.

Com a devida vênia, a questão número 17 (prova 1, tipo 4) deve ser anulada.
Na questão, o examinador deslocou a frase “Que você pagou pra mim” de seu contexto (o poema) e solicitou a sua transposição para a norma culta, dando a entender que toda a estrutura gramatical da frase mencionada, e não apenas o verbo e o pronome, devessem ser levados para a norma culta.

No entanto, dentre as alternativas propostas nenhuma atende aos quesitos da norma culta, sendo forçoso reconhecer a necessidade de anulação da questão.

Isso porque todas as alternativas continham o termo “pra”, uma junção reduzida de preposição seguida de artigos ou pronomes, que apesar de ser utilizado para representar a pronúncia popular e, por vezes, ser encontrado em textos especiais (como é o caso do poema em questão, e-mails ou cartas pessoais), não é admitido na linguagem culta.

É oportuno acrescentar que a questão 18 desta prova corrobora o argumento proferido neste recurso, pois exigiu-se a transposição para a norma culta e a alternativa considerada correta foi justamente a que substituiu o “pra mim” por “para mim”: “Que você pagou pra mim”/“Que você optou para mim”.
Ótimo recurso. Só acho que não devemos citar a questão 18 como exemplo. Na alternativa em questão há outra alteração além do para mim/pra mim:
Que você pagou pra mim/Por que você optou para mim

Alexandre_SP
Tue, 26/04/11, 01:00 AM
Pessoal,

a questão 19 prova branca (que pede qtos pronomes e conjunções), de acordo com um professor amigo meu, não possui 4 conjunções, mas 3.

1a. linha: 1 conjunção e 2 pronomes
2a. linha: 1 conjunção e 1 pronome
3a. linha: 1 pronome
4a. linha 2 pronomes
5a. linha: 1 conjunção e 1 pronome

A justificativa do professor é que na 4a. linha, "As pessoas que detesto" tem sentido de "as pessoas as quais detesto" e aí o que não é conjunção, mas pronome.

Diante do exposto, não existe gabarito, portanto, anulação.

Vários sites trazem uma frase parecida com essa da questão, por exemplo:

http://portuguescolegiao.wordpress.com/2010/06/07/funcoes-da-palavra-que/

O problema é que só tenho isso de argumento, alguém poderia reforçar?

Fexeclair
Tue, 26/04/11, 01:03 AM
Pessoal, olhem ali na questao 08 da prova verde( Assinale o termo que, no texto, desempenhe funçao sintática idêntica a de A OBRIGAçao( L .88).
O gaba dado pela FGV foi letra E.( ajustamentos ( l.23) ) , mas acredito que seria correto como gabarito a letra B. ( as normas) L.95.
Sério a palavra ( á obrigaçao) na linha 88, da para ver que ( no texto) ela está se conjugando com SUJEITAR( sujeitam as pessoas ......á obrigaçao..). E no meu ver, a palavra ( ás normas) seria a única que teria funçao sintática IDENTICA ( NO TEXTO). pOIS NA LINHA ( 95) ESTÁ ESCRITO: operam sujeitas ás normas de seus países..

Ou seja, no meu ponto de vista as expressoes : ás normas e á obrigaçao tem funçao sintática IDENTICA.

Nao acham? álguem ja reparou isso? Ja está pensando em entrar com recurso nesse sentido?
Pra mi cabe recurso nela forte... ou nao?

seano'neal
Tue, 26/04/11, 01:06 AM
Vi o recurso dos amigos para uma das questões de interpretação. Bom, acho que alguém pode trilhar outro caminho alternativo, visando, igualmente, à anulação da questão. Vejam, a seguir, um possível raciocínio.

Espero ter ajudado.

Sean.

A respeito da interpretação do quadrinho, analise as afirmativas a seguir:

I. Associando texto e imagem, é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho.
II. Na fala do homem, o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher.
III. Não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher.

Gabarito Preliminar: corretos itens II e III.

Item I – Falso. O ora recorrente não discorda da incorreção do presente quesito, afinal a imagem, isoladamente, não fornece informações suficientes para categorizar a presença da ironia. Por outro lado, o texto, isoladamente, traduz para o leitor a presença de ironia, isso segundo o senso comum. Assim, de uma forma ou de outra, o quesito permanece falso, porque se solicitou a associação da imagem e texto.

Item II – Verdadeiro. Nesse ponto, o ora recorrente discorda do gabarito preliminar da ilustre banca organizadora. Vejamos. A análise do presente item parte da premissa verdadeira de que não há elementos associativos entre imagem e texto que permitam a inferência da existência de ironia na charge (item I é falso). Ora, se inexiste ironia, não é dado ao leitor concluir, com certeza, sobre a presença de “humor”. O “humor” só existiria caso houvesse a presença de o mínimo de ironia por parte do homem, ao trocar o conceito de sedentário por sede. Ilustre organizadora, a considerar a inexistência de ironia (conforme item I – falso), conclui-se que o homem, em verdade, é ignorante, e, isso, com todo o respeito à banca, não é nada humorístico, por revelar um traço negativo. Por esse motivo, o quesito deve ser dado como falso. Isso torna a questão sem resposta e, portanto, passível de anulação.

Item III – Verdadeiro. Realmente não há elementos textuais que atestem, com precisão, que o homem entendeu. O gabarito da organizadora foi verdadeiro para o presente quesito. Isso só faz confirmar a incorreção dos quesitos anteriores. Se não há elementos que confirmem se o homem entendeu ou não a frase da mulher, não é possível confirmar a ironia e sequer a existência de humor.

Por todo o exposto, o ora recorrente requer à ilustre banca examinadora a anulação da presente questão, por inexistir alternativa que atenda ao comando da questão.

Nacorreria
Tue, 26/04/11, 01:07 AM
Gente recurso pronto para a seguinte questão.

“QUE VOCÊ PAGOU PRA MIM”

ASSINALE A ALTERNATIVA EM QUE A ALTERAÇÃO DO VERSO ACIMA TENHA SIDO FEITA DE ACORDO COM A NORMA CULTA. NÃO LEVE EM CONTA POSSÍVEL ALTERAÇÃO DE SENTIDO.

A) QUE VOSSA EXCELÊNCIA PAGOU PRA MIM.
B) QUE VOSSA EXCELÊNCIA PAGASTES PRA MIM.
C) QUE TU PAGÁREIS PRA MIM.
D) QUE VÓS PAGASTE PRA MIM.
E) QUE TU PAGSTES PRA MIM.

Com a devida vênia, a questão número 17 (prova 1, tipo 4) deve ser anulada.
Na questão, o examinador deslocou a frase “Que você pagou pra mim” de seu contexto (o poema) e solicitou a sua transposição para a norma culta, dando a entender que toda a estrutura gramatical da frase mencionada, e não apenas o verbo e o pronome, devessem ser levados para a norma culta.

No entanto, dentre as alternativas propostas nenhuma atende aos quesitos da norma culta, sendo forçoso reconhecer a necessidade de anulação da questão.

Isso porque todas as alternativas continham o termo “pra”, uma junção reduzida de preposição seguida de artigos ou pronomes, que apesar de ser utilizado para representar a pronúncia popular e, por vezes, ser encontrado em textos especiais (como é o caso do poema em questão, e-mails ou cartas pessoais), não é admitido na linguagem culta.

É oportuno acrescentar que a questão 18 desta prova corrobora o argumento proferido neste recurso, pois exigiu-se a transposição para a norma culta e a alternativa considerada correta foi justamente a que substituiu o “pra mim” por “para mim”: “Que você pagou pra mim”/“Que você optou para mim”.

Show de bola, to contigo e não abro.

Fexeclair
Tue, 26/04/11, 01:12 AM
Sean! Tem como voce dar uma analisada na questao que eu falei?

8
Assinale o termo que, no texto, desempenhe função sintática idêntica à de à obrigação (L.88).
(A)
da adoção (L.24)
(B)
às normas (L.95)
(C)
a diversas obrigações (L.57)
(D)
dessa possibilidade (L.5)
(E)
de ajustamentos (L.23)

http://www.fgv.br/fgvprojetos/concursos/sefaz11/

eh so entrar ali nas provas realizadas no dia 17 ( tipo 2 , verde)
Questao numero 08.
Tem que entrar pra conseguir analisar o texto, pois o enunciado pede a que tem funçao sintatica identica , no texto.
Deram como gaba a letra E, mas acho que é letra A o correto.
sera que nao da pra anular essa?
Por favor alguem me ajuda ai!
alguem ja esta fazendo recurso em cima dessa questao?

seano'neal
Tue, 26/04/11, 01:16 AM
Show de bola, to contigo e não abro.

Sim, mas o examinador fala em "verbo" de acordo com a norma culta.

Em todo caso, vale a pena forçar...Vou postar este para lotar a caixa da GV, blz. Quanto maior o n. de descontentes, maior a chance de anulação.

Quando o n. de recursos ultrapassa determinado n. dos concorrentes, o Prof. costuma olhar com mais carinho, acreditem...

Braçuuu

Dani rj
Tue, 26/04/11, 01:17 AM
Pessoal, tomem cuidado na hora de enviar recurso, para não ficar aquele estilo copiar/colar e todo mundo com texto idêntico. Acho que isso pode enfraquecer os argumentos. Tentem dar um toque pessoal, uma organização, mas sem perder a essência. Acho que o examinador de repente pode nem ler se começar a ver vários iguais, concordam?

felipe.brum
Tue, 26/04/11, 01:20 AM
Vi o recurso dos amigos para uma das questões de interpretação. Bom, acho que alguém pode trilhar outro caminho alternativo, visando, igualmente, à anulação da questão. Vejam, a seguir, um possível raciocínio.

Espero ter ajudado.

Sean.

A respeito da interpretação do quadrinho, analise as afirmativas a seguir:

I. Associando texto e imagem, é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho.
II. Na fala do homem, o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher.
III. Não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher.

Gabarito Preliminar: corretos itens II e III.

Item I – Falso. O ora recorrente não discorda da incorreção do presente quesito, afinal a imagem, isoladamente, não fornece informações suficientes para categorizar a presença da ironia. Por outro lado, o texto, isoladamente, traduz para o leitor a presença de ironia, isso segundo o senso comum. Assim, de uma forma ou de outra, o quesito permanece falso, porque se solicitou a associação da imagem e texto.

Item II – Verdadeiro. Nesse ponto, o ora recorrente discorda do gabarito preliminar da ilustre banca organizadora. Vejamos. A análise do presente item parte da premissa verdadeira de que não há elementos associativos entre imagem e texto que permitam a inferência da existência de ironia na charge (item I é falso). Ora, se inexiste ironia, não é dado ao leitor concluir, com certeza, sobre a presença de “humor”. O “humor” só existiria caso houvesse a presença de o mínimo de ironia por parte do homem, ao trocar o conceito de sedentário por sede. Ilustre organizadora, a considerar a inexistência de ironia (conforme item I – falso), conclui-se que o homem, em verdade, é ignorante, e, isso, com todo o respeito à banca, não é nada humorístico, por revelar um traço negativo. Por esse motivo, o quesito deve ser dado como falso. Isso torna a questão sem resposta e, portanto, passível de anulação.

Item III – Verdadeiro. Realmente não há elementos textuais que atestem, com precisão, que o homem entendeu. O gabarito da organizadora foi verdadeiro para o presente quesito. Isso só faz confirmar a incorreção dos quesitos anteriores. Se não há elementos que confirmem se o homem entendeu ou não a frase da mulher, não é possível confirmar a ironia e sequer a existência de humor.

Por todo o exposto, o ora recorrente requer à ilustre banca examinadora a anulação da presente questão, por inexistir alternativa que atenda ao comando da questão.
Com relação ao trocadilho, a minha única dúvida é que o mesmo pode ser não intencional. Pelo que o autor da charge disse, a ignorância do personagem é a chave da questão. Além disso, realmente há o jogo de palavras sede/sedentário, que é causado, sem intenção, pela ignorância do personagem. Isso caracteriza um trocadilho.
To doido pra anular essa questão mas existindo o trocadilho, não vejo como elaborar recurso.

merlin
Tue, 26/04/11, 01:22 AM
Pessoal,

a questão 19 prova branca (que pede qtos pronomes e conjunções), de acordo com um professor amigo meu, não possui 4 conjunções, mas 3.

1a. linha: 1 conjunção e 2 pronomes
2a. linha: 1 conjunção e 1 pronome
3a. linha: 1 pronome
4a. linha 2 pronomes
5a. linha: 1 conjunção e 1 pronome

A justificativa do professor é que na 4a. linha, "As pessoas que detesto" tem sentido de "as pessoas as quais detesto" e aí o que não é conjunção, mas pronome.

Diante do exposto, não existe gabarito, portanto, anulação.


Vários sites trazem uma frase parecida com essa da questão, por exemplo:

http://portuguescolegiao.wordpress.com/2010/06/07/funcoes-da-palavra-que/

O problema é que só tenho isso de argumento, alguém poderia reforçar?


Essa tb eu errei. Mas acho que não dá.

Na 4ª linha "As pessoas que eu detesto" -- tem 2 pronomes "que" "eu"

E na 2ª linha "Que você lamenta e chora" -- o "e" tb não é conjunção??

merlin
Tue, 26/04/11, 01:48 AM
Gente recurso pronto para a seguinte questão.

“QUE VOCÊ PAGOU PRA MIM”

ASSINALE A ALTERNATIVA EM QUE A ALTERAÇÃO DO VERSO ACIMA TENHA SIDO FEITA DE ACORDO COM A NORMA CULTA. NÃO LEVE EM CONTA POSSÍVEL ALTERAÇÃO DE SENTIDO.

A) QUE VOSSA EXCELÊNCIA PAGOU PRA MIM.
B) QUE VOSSA EXCELÊNCIA PAGASTES PRA MIM.
C) QUE TU PAGÁREIS PRA MIM.
D) QUE VÓS PAGASTE PRA MIM.
E) QUE TU PAGSTES PRA MIM.

Com a devida vênia, a questão número 17 (prova 1, tipo 4) deve ser anulada.
Na questão, o examinador deslocou a frase “Que você pagou pra mim” de seu contexto (o poema) e solicitou a sua transposição para a norma culta, dando a entender que toda a estrutura gramatical da frase mencionada, e não apenas o verbo e o pronome, devessem ser levados para a norma culta.

No entanto, dentre as alternativas propostas nenhuma atende aos quesitos da norma culta, sendo forçoso reconhecer a necessidade de anulação da questão.

Isso porque todas as alternativas continham o termo “pra”, uma junção reduzida de preposição seguida de artigos ou pronomes, que apesar de ser utilizado para representar a pronúncia popular e, por vezes, ser encontrado em textos especiais (como é o caso do poema em questão, e-mails ou cartas pessoais), não é admitido na linguagem culta.

É oportuno acrescentar que a questão 18 desta prova corrobora o argumento proferido neste recurso, pois exigiu-se a transposição para a norma culta e a alternativa considerada correta foi justamente a que substituiu o “pra mim” por “para mim”: “Que você pagou pra mim”/“Que você optou para mim”.

Tb acho muito difícil de ser anulada.

Tive aula com Rosenthal e ele sempre falou em sala de aula que as bancas examinadoras consideram traze ou traz. E dá até outros exemplos como: faze ou faz, dize ou diz, quere ou quer.

seano'neal
Tue, 26/04/11, 02:04 AM
Com relação ao trocadilho, a minha única dúvida é que o mesmo pode ser não intencional. Pelo que o autor da charge disse, a ignorância do personagem é a chave da questão. Além disso, realmente há o jogo de palavras sede/sedentário, que é causado, sem intenção, pela ignorância do personagem. Isso caracteriza um trocadilho.
To doido pra anular essa questão mas existindo o trocadilho, não vejo como elaborar recurso.

Sim, porém qual o humor nisto? Pescou? Acho que cabe sim a anulação....

Engels
Tue, 26/04/11, 02:05 AM
Na q15 da prova azul, considerei que a frase "o homem pediu à mulher que trouxesse um copo de água para ele" deveria ser "o homem pediu à mulher que lhe trouxesse um copo de água". Viajei?

merlin
Tue, 26/04/11, 02:07 AM
Alguém sabe se existe algum pronome adjetivo ou pronome substantivo na questão das conjuções e pronomes? Pois se tiver ficam mais de 7 pronomes e com isso não há resposta.

Lucas21
Tue, 26/04/11, 04:31 AM
Conheço um pai de santo japonês que consegue manter contato com os espíritos! Vou mandar um e-mail para ver se ele consegue evocar o espírito do Noel Rosa para q ele possa dar a sua opinião sobre a questão 19! :cool:

sorteric
Tue, 26/04/11, 08:34 AM
Sim, mas o examinador fala em "verbo" de acordo com a norma culta.

Em todo caso, vale a pena forçar...Vou postar este para lotar a caixa da GV, blz. Quanto maior o n. de descontentes, maior a chance de anulação.

Quando o n. de recursos ultrapassa determinado n. dos concorrentes, o Prof. costuma olhar com mais carinho, acreditem...

Braçuuu

Sean,
com todo o respeito, mas a alteração é no "verso", não simplesmente no "verbo".
Acho ser muito viável esse recurso.

Muito grato pelo apoio.

LEONARDO2009
Tue, 26/04/11, 08:41 AM
Se observarmos a 4a linha, não caberia:

às pessoas que eu detesto = àquelas pessoas as quais eu detesto (3 pronomoes). Isso levaria a anulação da questão.

Essa tb eu errei. Mas acho que não dá.

Na 4ª linha "As pessoas que eu detesto" -- tem 2 pronomes "que" "eu"

E na 2ª linha "Que você lamenta e chora" -- o "e" tb não é conjunção??

LEONARDO2009
Tue, 26/04/11, 09:03 AM
Alguém poderia criticar ou colaborar com a argumentação abaixo. Como todo mundo estamos buscando o que for possível para obter as anulações.


Questão 20 – Prova Tipo 4

No trecho acima há quantas ocorrências, respectivamente de pronomes e conjunções?

1ª Linha: Diga que você me adora (1 Conjunção “que” ; 2 Pronomes “você “ e “me”)

2ª Linha: Que você lamenta e chora (2 Conjunções “que” e “e” ; 1 pronome “você”)

3ª Linha: A nossa separação (1 Pronome “nossa”)

4ª Linha: Às pessoas que eu detesto (= àquelas pessoas as quais detesto. Logo, temos: 3 Pronomes “aquelas”, “as quais” e “eu”)

5ª Linha: Diga sempre que eu não presto (1 Conjunção “que” e 1 Pronome “eu”)

Ao total temos:
Conjunções: 4
Pronomes: 8

Percebe-se que o examinador considerou apenas 7 pronomes e não 8 conforme descrito acima.
Logo, não existe gabarito, necessitando portanto da anulação da questão.

milk Alexandre
Tue, 26/04/11, 09:04 AM
Cuidado com recursos baseado na opinião do autor. A idéia de buscar a opinião dele é ótima, mas temos que interpreta-la corretamente.

Para mim ele afirmou que a assertiva I (ironia) e a III (entendeu ou não) estão erradas. A II (trocadilho) pode estar certa.

Percebam que se invalidarmos as três altera o gabarito para "as três assertivas estão incorretas" que, tenho certeza, irá ajudar a muito pouca gente...

Eu acho que eh por aí. Tínhamos que dizer que apenas a afirmativa II está correta, assim não teria resposta. Assim pediríamos anulação!!!!! Estoiu trabalhando nisso Tb!!!

milk Alexandre
Tue, 26/04/11, 09:12 AM
Exato. Já que não temos como provar para a banca que o próprio autor disse isso, temos que mostrar que existe a possibilidade de dupla interpretação.
Vamos fazer um recurso bem objetivo, acho que a banca nem olha quando recebe um recurso de 20 linhas para uma questão.

Gente, cuidado!!!! A terceira assertiva pergunta SE NÃO HÁ ELEMENTOS textuais que se possa afirmar com certeza ou não o entendimento do homem.
Nossas argumentações têm que ser muito bem embasadas, caso contrário não irão acatar!!!!
Ainda não consegui achar uma boa argumentação... Mas será nessa trilha o meu recurso...

Fanática
Tue, 26/04/11, 09:15 AM
também errei essa, e de bobeira, pois envolvi todos os pronomes e conjunções e ao final, contei errado!
a questão é ter fundamentação para afirmar que o À é pronome.
não tenho conhecimento para isso.


Alguém poderia criticar ou colaborar com a argumentação abaixo. Como todo mundo estamos buscando o que for possível para obter as anulações.


Questão 20 – Prova Tipo 4

No trecho acima há quantas ocorrências, respectivamente de pronomes e conjunções?

1ª Linha: Diga que você me adora (1 Conjunção “que” ; 2 Pronomes “você “ e “me”)

2ª Linha: Que você lamenta e chora (2 Conjunções “que” e “e” ; 1 pronome “você”)

3ª Linha: A nossa separação (1 Pronome “nossa”)

4ª Linha: Às pessoas que eu detesto (= àquelas pessoas as quais detesto. Logo, temos: 3 Pronomes “aquelas”, “as quais” e “eu”)

5ª Linha: Diga sempre que eu não presto (1 Conjunção “que” e 1 Pronome “eu”)

Ao total temos:
Conjunções: 4
Pronomes: 8

Percebe-se que o examinador considerou apenas 7 pronomes e não 8 conforme descrito acima.
Logo, não existe gabarito, necessitando portanto da anulação da questão.

lalmeidajr
Tue, 26/04/11, 09:24 AM
Essa opção está correta, pois todas as outras opções acompanham um nome. A única que complementa um verbo é justamente "de ajustamentos" assim como "à obrigação".



Sean! Tem como voce dar uma analisada na questao que eu falei?

8
Assinale o termo que, no texto, desempenhe função sintática idêntica à de à obrigação (L.88).
(A)
da adoção (L.24)
(B)
às normas (L.95)
(C)
a diversas obrigações (L.57)
(D)
dessa possibilidade (L.5)
(E)
de ajustamentos (L.23)

http://www.fgv.br/fgvprojetos/concursos/sefaz11/

eh so entrar ali nas provas realizadas no dia 17 ( tipo 2 , verde)
Questao numero 08.
Tem que entrar pra conseguir analisar o texto, pois o enunciado pede a que tem funçao sintatica identica , no texto.
Deram como gaba a letra E, mas acho que é letra A o correto.
sera que nao da pra anular essa?
Por favor alguem me ajuda ai!
alguem ja esta fazendo recurso em cima dessa questao?

milk Alexandre
Tue, 26/04/11, 09:29 AM
hahahah

Caraca, neguinho tá demais mesmo. Entrar em contato com o autor do quadrinho foi fantástico, eu acho que alguém deve pegar a manifestação dos familiares vivos de Noel e anexar no recurso tb. rs

Galera fiz um recurso (ainda faltam 3), segue abaixo para comentários:


Recurso

Português
Questão 16 – Prova Branca

Dispõe o seguinte o enunciado da referida questão:

“Assinale a alternativa em que a alteração da fala do homem do quadrinho não tenha sido feita com adequação à norma culta. Não leve em conta possível alteração de sentido.”

A resposta apresentada por essa Fundação foi a de letra “E” (“Quando vós voltardes, não trazeis um copo de água bem gelada para mim!”).

Não obstante, dispõe o seguinte a alternativa “A” : “Quando tu voltares, traz um copo de água bem gelada para mim!”.

Conforme dispõe na Nova Gramática do Português Contemporâneo (Cunha e Cintra, 2008, 5ª edição, página 449) a conjugação correta do verbo trazer no modo Imperativo afirmativo é TRAZE.

Desse modo, para estar adequada à norma culta, a aludida alternativa “A” deveria ser “Quando tu voltares, TRAZE um copo de água bem gelada para mim”.

Cabe ressaltar que, embora alguns autores admitam como correta a substituição do TRAZE pelo TRAZ no caso em questão, em função do uso corrente da expressão, não se pode confundir o que não se considera incorreto com adequação à norma culta.

Ainda que se admita o uso do traz em situações como esta, não se pode admitir que este uso ocorre com adequação à norma culta, o que foi requerido na questão.

Considerando as variações diastráticas da língua portuguesa (nível culto, língua padrão, linguagem popular,...), ainda que seja reconhecido que o TRAZ se insere corretamente na linguagem popular e até mesmo na linguagem padrão, não há que se falar que a expressão representa o nível culto da língua.

Até porque a norma culta possui valor normativo, do qual, segundo Cunha e Cintra, (2009, 5ª ed.), “decorre a sua função coercitiva sobre as outras variedades, com o que se torna uma ponderável força contrária à variação”, que absolutamente não pode ser alterada em razão da admissibilidade de determinados autores, sem que haja uniformidade de posições entre as autoridades da área, conforme, inclusive, demonstra a obra acima referida.

Desse modo, nota-se que na questão de que se trata há duas alternativas possíveis, sendo uma a fornecida por essa Fundação e a outra a alternativa “A” mencionada, pelas razões acima expostas, razão pela qual deve ser anulada.

Vou utilizar seu recurso!!!! Vamos conseguir!!!

merlin
Tue, 26/04/11, 09:42 AM
Gente, cuidado!!!! A terceira assertiva pergunta SE NÃO HÁ ELEMENTOS textuais que se possa afirmar com certeza ou não o entendimento do homem.
Nossas argumentações têm que ser muito bem embasadas, caso contrário não irão acatar!!!!
Ainda não consegui achar uma boa argumentação... Mas será nessa trilha o meu recurso...

Nessa questão vou fazer um recurso considerando que só a afirmativa II está correta.

A afirmativa III há elementos textuais que indiquem que ele não entendeu. O próprio autor afirma isso "III. Os elementos textuais indicam que o homem não entendeu a mensagem da mulher, ele imagina que sedentário tenha haver com sede." e "O quadrinho foi feito para passar a idéia do tamanho da ignorância do homem. Por isso o rosto dele não esboça nenhuma reação."
Está evidente que está incorreta. Vou por esse caminho e pedir a anulação.

felipe.brum
Tue, 26/04/11, 10:04 AM
Sim, porém qual o humor nisto? Pescou? Acho que cabe sim a anulação....
Acho que falar que não cabe falar que não existe humor.
Pelo que o autor disse, a graça do quadrinho está na ignorância do cara.
No meu recurso eu vou colocar que o humor está na ignorância do personagem e de forma secundária no trocadilho. Como existe dupla interpretação da charge, vou pedir anulação.

Alexandre_SP
Tue, 26/04/11, 10:13 AM
Fanatica, Leonardo, Merlin e Disciplina,

na questão dos pronomes, vocês conseguiram maiores informações?

De acordo com o prof. que consultei ele falou que tem 3 conjunções, mas o merlin observou que tem o "e" na 2a. linha. Aparentemente parece que esse "e"é conjunção coordenativa aditiva.

Alexandre_SP
Tue, 26/04/11, 10:14 AM
Disciplina,

você tem a fonte que o Myrson descreveu para a questão 17 prova branca?

Lembrando que no enunciado da questão 17 existe um erro de português. A alteração do verso...tenha sido feita e está tenha sido feito....Isso tem que valer alguma coisa...o examinador pede algo correto e ele mesmo erra....

Konkurso
Tue, 26/04/11, 10:35 AM
Devemos "achar" as conjunções e os pronomes sem alterar a frase da composição. "as quais" não faz parte do texto.

Agora o trecho "Às pessoas que eu detesto", realmente está me deixando em dúvida.

De primeira, achei que a crase era formada pelo A (Preposição) + A(artigo). Agora já estou em dúvida.

Veja abaixo:

O, a, os, as são pronomes demonstrativos, quando equivalem a isto, isso, aquilo ou aquele(s), aquela(s).

Exemplo:

Não concordo com o que ele falou. (aquilo que ele falou)
Tudo o que aconteceu foi um equívoco. (aquilo que aconteceu)

Na frase do texto dá para substituir por "Aquelas". Assim seria: A (preposição) + A (pronome demonstrativo)

Assim teríamos 8 pronomes, anulando a questão.

Se um professor pudesse comentar............




Alguém poderia criticar ou colaborar com a argumentação abaixo. Como todo mundo estamos buscando o que for possível para obter as anulações.


Questão 20 – Prova Tipo 4

No trecho acima há quantas ocorrências, respectivamente de pronomes e conjunções?

1ª Linha: Diga que você me adora (1 Conjunção “que” ; 2 Pronomes “você “ e “me”)

2ª Linha: Que você lamenta e chora (2 Conjunções “que” e “e” ; 1 pronome “você”)

3ª Linha: A nossa separação (1 Pronome “nossa”)

4ª Linha: Às pessoas que eu detesto (= àquelas pessoas as quais detesto. Logo, temos: 3 Pronomes “aquelas”, “as quais” e “eu”)

5ª Linha: Diga sempre que eu não presto (1 Conjunção “que” e 1 Pronome “eu”)

Ao total temos:
Conjunções: 4
Pronomes: 8

Percebe-se que o examinador considerou apenas 7 pronomes e não 8 conforme descrito acima.
Logo, não existe gabarito, necessitando portanto da anulação da questão.

felipe.brum
Tue, 26/04/11, 10:37 AM
Os professores estão desaparecidos. Recomendo que ninguém entre com o seu recurso enquanto não tivermos um posicionamento deles.

cartapreta
Tue, 26/04/11, 10:38 AM
Devemos "achar" as conjunções e os pronomes sem alterar a frase da composição. "as quais" não faz parte do texto.

Agora o trecho "Às pessoas que eu detesto", realmente está me deixando em dúvida.

De primeira, achei que a crase era formada pelo A (Preposição) + A(artigo). Agora já estou em dúvida.

Veja abaixo:

O, a, os, as são pronomes demonstrativos, quando equivalem a isto, isso, aquilo ou aquele(s), aquela(s).

Exemplo:

Não concordo com o que ele falou. (aquilo que ele falou)
Tudo o que aconteceu foi um equívoco. (aquilo que aconteceu)

Na frase do texto dá para substituir por "Aquelas". Assim seria: A (preposição) + A (pronome demonstrativo)

Assim teríamos 8 pronomes, anulando a questão.

Se um professor pudesse comentar............

Colega, a CRASE se forma pela união de PREPOSIÇÃO + ARTIGO. Não existe pronome nesse caso. Também errei essa. Fiquei cego na hora e só vi 1 VOCÊ.

Bazinga
Tue, 26/04/11, 10:43 AM
Vi o recurso dos amigos para uma das questões de interpretação. Bom, acho que alguém pode trilhar outro caminho alternativo, visando, igualmente, à anulação da questão. Vejam, a seguir, um possível raciocínio.

Espero ter ajudado.

Sean.

A respeito da interpretação do quadrinho, analise as afirmativas a seguir:

I. Associando texto e imagem, é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho.
II. Na fala do homem, o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher.
III. Não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher.

Gabarito Preliminar: corretos itens II e III.

Item I – Falso. O ora recorrente não discorda da incorreção do presente quesito, afinal a imagem, isoladamente, não fornece informações suficientes para categorizar a presença da ironia. Por outro lado, o texto, isoladamente, traduz para o leitor a presença de ironia, isso segundo o senso comum. Assim, de uma forma ou de outra, o quesito permanece falso, porque se solicitou a associação da imagem e texto.

Item II – Verdadeiro. Nesse ponto, o ora recorrente discorda do gabarito preliminar da ilustre banca organizadora. Vejamos. A análise do presente item parte da premissa verdadeira de que não há elementos associativos entre imagem e texto que permitam a inferência da existência de ironia na charge (item I é falso). Ora, se inexiste ironia, não é dado ao leitor concluir, com certeza, sobre a presença de “humor”. O “humor” só existiria caso houvesse a presença de o mínimo de ironia por parte do homem, ao trocar o conceito de sedentário por sede. Ilustre organizadora, a considerar a inexistência de ironia (conforme item I – falso), conclui-se que o homem, em verdade, é ignorante, e, isso, com todo o respeito à banca, não é nada humorístico, por revelar um traço negativo. Por esse motivo, o quesito deve ser dado como falso. Isso torna a questão sem resposta e, portanto, passível de anulação.

Item III – Verdadeiro. Realmente não há elementos textuais que atestem, com precisão, que o homem entendeu. O gabarito da organizadora foi verdadeiro para o presente quesito. Isso só faz confirmar a incorreção dos quesitos anteriores. Se não há elementos que confirmem se o homem entendeu ou não a frase da mulher, não é possível confirmar a ironia e sequer a existência de humor.

Por todo o exposto, o ora recorrente requer à ilustre banca examinadora a anulação da presente questão, por inexistir alternativa que atenda ao comando da questão.

Prof! Dei uma reformulada no que você estava tentando dizer.
Pessoal, vejam se ficou objetivo e se faltou acrescentar algo por favor!!


A respeito da interpretação do quadrinho, analise as afirmativas a seguir:

I. Associando texto e imagem, é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho.
II. Na fala do homem, o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher.
III. Não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher.

Gabarito Preliminar: corretos itens II e III.

Item I. O ora recorrente não discorda da incorreção do presente quesito, afinal o texto por si só pode sim levar um a crer na existência de ironia, porém quando associado à imagem torna-se claro que há apenas ignorância por parte do homem, que simplesmente não entendeu o significado da palavra sedentário.

Item II. O ora recorrente discorda da correção do presente quesito. De acordo com o próprio autor do quadrinho, consultado recentemente, esse foi feito para passar a ideia do tamanho da ignorância do homem, por isso o rosto dele não esboça qualquer reação. Apesar de haver de fato um trocadilho acidental, resultante da ignorância do homem que claramente não entendeu o que disse a mulher e acabou por associar erroneamente a palavra sedentário à palavra sede, definitivamente não se pode afirmar “o humor reside no trocadilho”, mas sim que “a crítica reside no trocadilho”. Segundo definição do dicionário Aurélio, “humor é a capacidade de perceber ou expressar o que é cômico ou divertido” e, com todo respeito à banca, não há nada humorístico, afinal a ignorância é um traço negativo e lamentável.

Item III. O ora recorrente não discorda da correção do presente quesito.

Com a devida vênia, a questão número 14 (prova 1, tipo 4) deve ser anulada, pois não há resposta correta, visto que somente a afirmativa III pode ser considerada adequada.

Bazinga
Tue, 26/04/11, 10:55 AM
Agora sim com a devida Fonte..........segue recurso prontinho. Por favor dêem sugestões!

A respeito da interpretação do quadrinho, analise as afirmativas a seguir:

I. Associando texto e imagem, é correto afirmar que o uso da ironia é a chave para o entendimento do quadrinho.
II. Na fala do homem, o humor reside em um trocadilho com relação à fala da mulher.
III. Não há elementos textuais que indiquem ser possível afirmar com certeza se o homem entendeu ou não a mensagem da mulher.

Gabarito Preliminar: corretos itens II e III.

Item I. O ora recorrente não discorda da incorreção do presente quesito, afinal o texto por si só pode sim levar um a crer na existência de ironia, porém quando associado à imagem torna-se claro que há apenas ignorância por parte do homem, que simplesmente não entendeu o significado da palavra sedentário.

Item II. O ora recorrente discorda da correção do presente quesito. De acordo com o próprio autor do quadrinho, consultado recentemente, esse foi feito para passar a ideia do tamanho da ignorância do homem, por isso o rosto dele não esboça qualquer reação. Apesar de haver de fato um trocadilho acidental, resultante da ignorância do homem que claramente não entendeu o que disse a mulher e acabou por associar erroneamente a palavra sedentário à palavra sede, definitivamente não se pode afirmar que “o humor reside no trocadilho”, mas sim que “a crítica reside no trocadilho”. Segundo definição do dicionário Aurélio, “humor é a capacidade de perceber ou expressar o que é cômico ou divertido” e, com todo respeito à banca, não há nada humorístico no quadrinho, afinal a ignorância é um traço negativo e lamentável.

Item III. O ora recorrente não discorda da correção do presente quesito.

Por todo o exposto, conclui-se que somente a afirmativa III pode ser seguramente considerada correta. Sendo assim, por inexistir alternativa adequada, pede-se a anulação da questão.

FONTE:

http://www.flickr.com/photos/rodrigozoom/3670630298/in/photostream/ Acessado em: 26.04.2011.
FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Mini Aurélio. 8.Ed. Curitiba: editora Positivo, 2010. P. 404.

MilenaF.
Tue, 26/04/11, 11:00 AM
Colega, a CRASE se forma pela união de PREPOSIÇÃO + ARTIGO. Não existe pronome nesse caso. Também errei essa. Fiquei cego na hora e só vi 1 VOCÊ.

tb achava isso, mas a minha tia (prof. de portugues) disse q eh prep+pronome demonstrat.

Aletraks
Tue, 26/04/11, 11:02 AM
Assinale a alternativa em que se tenha indicado INCORRETAMENTE a elação entre vocábulo e o termo a que ele se refere.
(A) sua (L.30) – das empresas
(B) a (L.8) – Lei 9.605
(C) delas (L.37) – das atividades sociais
(D) seus (L.26) – das empresas
(E) dela (L.51) – da tendência político-criminal

Recurso – prova 2 – verde

Requere-se a anulação da questão 6 da prova tipo 2 – verde.
A organizadora do concurso apresentou como resposta a alternativa e, “dela (L.51) – da tendência político-criminal”.
Contudo a alternativa c da questão, “delas (L.37) – das atividades sociais” trouxe uma incorreção na sua parte final. Não é possível localizar no texto o trecho pedido “das atividades sociais”. É possível encontrar na linha 36 do texto o seguinte trecho “...de suas atividades sociais....”, que difere do pedido pela alternativa.
Com isso, a douta banca apresentou duas alternativas que respondem à resposta da pergunta, a alternativa apresentada pela banca (e) e a alternativa (c), devido aos argumentos acima expostos.

Konkurso
Tue, 26/04/11, 11:09 AM
Não sou expert em português, mas dê uma olhada neste artigo:

http://www.pciconcursos.com.br/aulas/portugues/crase

OU no wikipedia: http://pt.wikipedia.org/wiki/Crase

O termo crase significa fusão, junção. Em português, a crase é o nome que se dá à contração da preposição "a" com:

artigo feminino "a" ou "as".
o "a" dos pronomes "aquele"(s), "aquela"(s), "aquilo", "aqueloutro"(s) e "aqueloutra" (s).
o "a" do pronome relativo "a qual" e "as quais"
o "a" do pronome demonstrativo "a" ou "as".


Procure na net: crase preposição pronome demonstrativo...irá achar mais alguma coisa.




Colega, a CRASE se forma pela união de PREPOSIÇÃO + ARTIGO. Não existe pronome nesse caso. Também errei essa. Fiquei cego na hora e só vi 1 VOCÊ.

Aletraks
Tue, 26/04/11, 11:11 AM
Alguém conseguiu algo para essa questão?


Assinale a palavra que, no texto, NÃO tenha valor adverbial.
(A) antes (L.47)
(B) bastante (L.6)
(C) penal (L.91)
(D) mais (L.20)
(E) só (L.52

Alexandre_SP
Tue, 26/04/11, 11:17 AM
Aletraks,

professor que consultei disse que todas as alternativas possuem valor adverbial. No texto, o "cada vez mais" é uma locução adverbial. Se o mais pudesse ser separado do cada vez, aí sim, não haveria valor adverbial, mas como a frase está no texto é impossível.

Daí não haveria resposta, portanto, anulação.

Só que preciso de mais argumentos nisso. Essa com certeza dá pra anular, mas precisamos de alguém que manje bem gramática...

Vou mandar pro Myrson Lima....vamos ver

GutoAuditor
Tue, 26/04/11, 11:18 AM
Galera,
Temos até o dia 4/5 para fazer os recursos. Não postem ainda no site do FGV, vamos aguardar os professores.

Abs

FENIX2012
Tue, 26/04/11, 11:25 AM
Disciplina,

você tem a fonte que o Myrson descreveu para a questão 17 prova branca?

Lembrando que no enunciado da questão 17 existe um erro de português. A alteração do verso...tenha sido feita e está tenha sido feito....Isso tem que valer alguma coisa...o examinador pede algo correto e ele mesmo erra....

Salvo engano, no meu comentário já está a fonte, mas escreverei novamente p te poupar do trabalho.

Dicionário Prático de Regência Verbal, de Celso Pedro Luft, da editora Ática, p. 385

Abraço e leia os posts anteriores... tem muita viagem nas anulações, mas temos que tentar tudo. Falei com alguns professores e eles acreditam que em três questões é possível, mas não certo, pois isso depende da Banca. Se tentarmos 10 questões... de coração... que Banca e em que epóca... uma matéria teve mais de três questões anuladas e ainda por cima sendo português... estatisticamente é impossível, mas o milagre de DEUS contraria toda ciência humana... então é possível...

Desculpem se meu estendi, mas é que já li cada tentativa de anulação que não é brincadeira...

Vamos pegar a gramática e fundamentar galera...

Tbm preciso das anulações, mas temos q fundamentar, pois isso é o q vale para "douta Banca"...

Abraços e Recursos abençoados para a Família Concurseira.

Bazinga
Tue, 26/04/11, 11:29 AM
Mais um recurso quase pronto se alguém tiver mais comentários, mais fundamento de outros autores seria ótimo. Também preciso discorrer sobre a incoerência de cada uma das demais alternativas para, ao final, solicitar a anulação da questão. Caso contrário corremos o risco de mera alteração de gabarito. Por favor aceito sugestões!!



Com a devida vênia, a questão número 18 (prova 1, tipo 4) deve ser anulada.

O verbo “optar” é usado somente com as preposições entre e por: “optar por” ou “optar entre”, sendo, portanto, inadmissível seu uso com o “para”.
Definição do dicionário Aurélio, “Optar. Latim optare. Verbo transito indireto e verbo intransitivo. Decidir-se por uma coisa (entre duas ou mais).”

Dentre as alternativas propostas, nenhuma atende aos quesitos da norma culta, sendo forçoso, portanto, reconhecer a necessidade de anulação da questão.

Fontes:
Luft, Celso. Dicionário Prático de Regência Verbal. Editora Ática. P. 38.
FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Mini Aurélio. 8.Ed. Curitiba: editora Positivo, 2010. P. 548.

Alexandre_SP
Tue, 26/04/11, 11:35 AM
Disciplina,

o post com a página que o Myrson mandou eu li. Mas acho que ainda tá muito incompleto. Só tem o no. da página, não tem o ano de edição e etc....vou tentar dar uma olhada nele numa livraria....

Alexandre_SP
Tue, 26/04/11, 11:37 AM
Mandei e-mail para o prof. Myrson quanto à questão do valor adverbial.


Sim, o ideal é esperarmos o máximo possível, pois ainda tem a Claudia Koslowski que falou que tecerá comentários e etc. Tempo temos.

vanzelote
Tue, 26/04/11, 11:55 AM
Pessoal,

Não sei se isto pode ser motivo de recurso mas gostaria da avaliação de vcs.

Acima do título do texto a banca colocou a seguinte informação:

"Texto para as questões 1 a 10"

Entretanto , na prova azul, as questões 11, 12 e 13 fazem referência ao texto.

O que acham?

11
Na Espanha, por exemplo, a recentíssima reforma do Código
Penal – que atende diretivas da União Europeia sobre o tema
– trouxe, no artigo 31 bis, não só a possibilidade de
responsabilização penal da pessoa jurídica (por delitos que
sejam cometidos no exercício de suas atividades sociais, ou
por conta, nome, ou em proveito delas), mas também
estabelece regras de como essa responsabilização será aferida
nos casos concretos (ela será aplicável [...], em função da
inoperância de controles empresariais, sobre atividades
desempenhadas pelas pessoas físicas que as dirigem ou que
agem em seu nome). (L.31-42)
A respeito do período acima, analise as afirmativas a seguir:
I. Há uma oração coordenada sindética aditiva e uma oração
coordenada sindética alternativa.
II. Há três orações na voz passiva, mas somente uma com
agente da passiva explícito.
III. Há quatro orações subordinadas adjetivas desenvolvidas e
uma oração subordinada adjetiva reduzida.
Assinale
(A) se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas.
(B) se nenhuma afirmativa estiver correta.
(C) se todas as afirmativas estiverem corretas.
(D) se apenas as afirmativas I e II estiverem corretas.
(E) se apenas as afirmativas I e III estiverem corretas.

12
A palavra sujeitas (L.95) exerce, no texto, função sintática de
(A) predicativo do sujeito.
(B) predicativo do objeto.
(C) objeto direto.
(D) adjunto adverbial de modo.
(E) complemento nominal.
13
Assinale a alternativa em que o elemento in- tenha valor
idêntico ao de insuflados (L.12).
(A) inúmeras (L.6)
(B) inferir (L.51)
(C) influxos (L.92)
(D) intermediação (L.86)
(E) inaplicável (L.8)

GutoAuditor
Tue, 26/04/11, 12:01 PM
O professor Marcos respondei! MAIS UMA!!!!!!

Postado Originalmente por Marcos Van Acker
Recurso:

(transcrever a questão)

A questão fazia referência ao trecho "(...) ganham importância, no espectro de preocupação não só das empresas estrangeiras situadas no Brasil, mas também das próprias empresas nacionais, as práticas de criminal compliance."
Forçoso reconhecer que no trecho destacado, a palavra "só", presente na alternativa "b" (ver a sua versão), faz parte do par correlativo "não só" - "mas também".
Ora, dessa forma, a função gramatical desempenhada pelo referido par correlativo, e assim também por cada um de seus componentes, é a de autêntica conjunção, e conjunção coordenativa aditiva - conforme se destaca na transcrição alternativa, ultilizando-se apenas a conjunção "e": "ganham importância, no espectro de preocupação das empresas estrangeiras situadas no Brasil, e das próprias empresas nacionais, as práticas de criminal compliance."
Aliás, o papel desse específico par correlativo foi analisado de forma brilhante pelo Prof. Marcelo Módolo, discípulo do eminente Prof. Ataliba Teixeira de Castilho, em artigo disponível nos anais do GEL, no endereço eletrônico
http://www.gel.org.br/estudoslinguis...e1c641326fd16c

Assim, a palavra "só", fazendo parte de uma expressão com função de conjunção, não é adverbial no trecho a que a questão fazia referência; destarte, pede-se à d. Banca Examinadora a alteração do gabarito/anulação da questão, pelo fundamento exposto.

Respeitosamente,

SUbscreve-se

Agora, fica ao gosto do freguês, a anulação da questão ou mudança do gabarito.

Abs

Marcos

Fabricio Nunes
Tue, 26/04/11, 12:08 PM
anulação da questão!!!

Alexandre_SP
Tue, 26/04/11, 12:08 PM
Show de bola Guto!

Mas o link não acessa. Na mão chego até aqui: http://www.gel.org.br/estudoslinguisticos/

GutoAuditor
Tue, 26/04/11, 12:15 PM
Show de bola Guto!

Mas o link não acessa. Na mão chego até aqui: http://www.gel.org.br/estudoslinguisticos/
Se ate lá não estiver disponível, mandamos sem link mesmo.

GENTE, NA QUESTÃO DO "SÓ" VAMOS PEDIR ANULAÇÃO. É MAIS FÁCIL QUE MUDAR GABARITO.

Bazinga
Tue, 26/04/11, 12:22 PM
Se ate lá não estiver disponível, mandamos sem link mesmo.

GENTE, NA QUESTÃO DO "SÓ" VAMOS PEDIR ANULAÇÃO. É MAIS FÁCIL QUE MUDAR GABARITO.

Acho que nesta questão mta gente marcou "só", por isso mesmo se alterar o gabarito acabará beneficiando o pessoal. Vale a pena pedir alteração do gabarito ou subsidiariamente a anulação. É possível fazer este pedido subsidiário de anulação, só pegarmos um modelo. Na verdade é até bom pedirmos alteração do gabarito nesta, afinal já estamos solicitando a anulação de 2 outras questões (17 .....em função do uso do pra em todas as alternativas, e 18.......em função da regência do verbo optar, da prova azul) e 3 anulações é praticamente impossível né!

Konkurso
Tue, 26/04/11, 12:30 PM
Pois é Bazinga....eu sou um que estou com "9" e marquei "mais"...se alterar o gabarito vou para "8".....

Temos que tentar a anulação de todas que forem possível. Alteração de gabarito só em último caso e nas questões de assertivas I II III...nesses casos às vezes não dá para anular e sim trocar o gabarito.

Nos casos de questão com cinco opções como essa sempre dá para dizer que além da escolhida pela banca tem outra ou senão que não há resposta. Não precisa contradizer o que a banca já considerou como correta.


Acho que nesta questão mta gente marcou "só", por isso mesmo se alterar o gabarito acabará beneficiando o pessoal. Vale a pena pedir alteração do gabarito ou subsidiariamente a anulação. É possível fazer este pedido subsidiário de anulação, só pegarmos um modelo. Na verdade é até bom pedirmos alteração do gabarito nesta, afinal já estamos solicitando a anulação de 2 outras questões (17 .....em função do uso do pra em todas as alternativas, e 18.......em função da regência do verbo optar, da prova azul) e 3 anulações é praticamente impossível né!

Fanática
Tue, 26/04/11, 12:37 PM
Milena
sua tia não que ajudar com o recurso nessa questão?
tb achava isso, mas a minha tia (prof. de portugues) disse q eh prep+pronome demonstrat.

GutoAuditor
Tue, 26/04/11, 12:39 PM
Pois é Bazinga....eu sou um que estou com "9" e marquei "mais"...se alterar o gabarito vou para "8".....

Temos que tentar a anulação de todas que forem possível. Alteração de gabarito só em último caso e nas questões de assertivas I II III...nesses casos às vezes não dá para anular e sim trocar o gabarito.

Nos casos de questão com cinco opções como essa sempre dá para dizer que além da escolhida pela banca tem outra ou senão que não há resposta. Não precisa contradizer o que a banca já considerou como correta.

Não é impossível anular 3 não. Basta estar bem fundamentado.

Fanática
Tue, 26/04/11, 12:43 PM
Precisamos entarr com recurso...
Cada vez mais eu vejo que essa tem possibilidade...
PROFESSORES kd vc's

Não sou expert em português, mas dê uma olhada neste artigo:

http://www.pciconcursos.com.br/aulas/portugues/crase

OU no wikipedia: http://pt.wikipedia.org/wiki/Crase

O termo crase significa fusão, junção. Em português, a crase é o nome que se dá à contração da preposição "a" com:

artigo feminino "a" ou "as".
o "a" dos pronomes "aquele"(s), "aquela"(s), "aquilo", "aqueloutro"(s) e "aqueloutra" (s).
o "a" do pronome relativo "a qual" e "as quais"
o "a" do pronome demonstrativo "a" ou "as".


Procure na net: crase preposição pronome demonstrativo...irá achar mais alguma coisa.

Fexeclair
Tue, 26/04/11, 12:44 PM
OLha só, eu marquei( só) , mas por mim tanto faz galera! Única coisa que peço é que fundamentem os recursos deste modo que fundamentaram essa do ( só). Ai sim a banca tem possibilidade de anular a questao.
Vejam bem aí, se realmente nao tem problema pedir tanto anulaçao qnto mudança de gaba no mesmo recurso, acho que nao dá . se for levar em conta ai o direito processual , pelo o que eu sei, a cada pedido cabe um determinado recurso( principio da unidade processual). Entao, acho melhor escolher entre as 2 opçoes. Por mim quando der pra escolher , acho melhor escolher a ANULA"CAO. abraços

E pelo amor de Deus, vamo consegui anular 2 de portuga